Henshin+ – Breves Comentários sobre o Evento da JBC

convite-henshin-evento-jbc-222

Hoje, na Livraria Cultura do Shopping Bourbon, aconteceu o primeiro Henshin+, evento da JBC que promete continuar em periodicidade anual. O evento, além de trazer as novidades da Editora JBC, também contou com uma mesa redonda sobre quadrinhos nacionais protagonizadas por um time de respeito: J.M. Trevisan (autor do mangá LEDD), Sidney Gusman (planejamento editorial da Maurício de Souza Produções), Fabio Yabu (criador de Combo Rangers), Guilherme Kroll (sócio-fundador da Balão Editorial) e o próprio Cassius Medauar (diretor de conteúdo da JBC).

O evento lotou, o papo gerou repercussão no twitter, mas eu achei válido criar um post específico para poder comentar o que lá foi falado com um pouco mais do que 140 caracteres.

Agradeço ao Gyabbo pela ótima cobertura do evento com o live-blogging e pelas fotos.

IMG-20130608-WA00111

Para começar, a mesa redonda parece ter sido bem interessante, com nomes como esses é difícil não se aprender alguma coisa , mas algo que pouca gente pareceu dar importância mas que eu considero interessantíssimo, foi o CONCURSO DE MANGÁS DA JBC. A editora fez o anúncio pouco antes do início da mesa e me deixou profundamente interessado.

Não há muitas informações, mas sabe-se que serão escolhidos trabalhos para serem publicados em uma coletânea da JBC além de serem enviados para o INTERNATIONAL MANGA AWARD, um importante prêmio para produções estilo mangá ao redor do mundo organizado pelo próprio governo japonês. O concurso da JBC está sendo feita em parceria com o consulado do japão e os trabalhos passarão por uma banca especializada que definirá os vencedores.

Só eu achei isso sensacional? Para começar, é como se fosse um pré-julgamento para o concurso internacional, mas além disso, se você ficar entre os primeiros, terá seu trabalho publicado! Acho um passo importantíssimo para o nosso mercado de mangás e principalmente para a produção nacional de quadrinhos. Espero que a iniciativa dê certo e que muitos trabalhos de qualidade cheguem às mãos da JBC. Quem sabe eles não gostam tanto que publicam uma mini-série ou até mesmo uma série? Tem muito o que se imaginar para o futuro, mas com certeza esse foi um passo muito legal dado pela JBC.

Sobre Death Note Black Edition, o fato dele não ter as bordas pretas não me incomoda. É, de fato, um supérfluo que, se iria encarecer o produto ainda mais, não valeria mesmo a pena. Decisão acertada da JBC. Quando ao fato da edição não ter capa dura, bem, apesar de em uma primeira reação eu não ter gostado, fui alertado de que a edição estrangeira também não o tem. Eu, de fato, não sabia dessa informação e provavelmente minha vontade de querer ter um produto com capa dura era bem grande, mas se nem lá fora tem, não há porque reclamar que aqui não temos também.

Sobre os novos mangás anúnciados pela editora, Ao no Exorcist e Sailor Moon, só tenho a dizer que não me interessam. Apesar deu saber que Ao no Exorcist é bom, não me apetece, mas acho um grande lançamento. Já Sailor Moon… bem… é só ruim. Quando esses mangás saírem de fato posto reviews decentes.

O que me interessou mesmo, como vocês já devem saber, foi o anúncio de que Genshiken deve sair provavelmente em JUNHO. Excelente notícia para nós, fãs do mangá.

Porém, ao mesmo tempo, ficamo sabendo do subtítulo que ele receberá no Brasil: “Clube de Estudos da Cultura Pop Japonesa”. Embora não seja o tradicional “A Sociedade para o Estudo da Cultura Visual Moderna”, o subtítulo brasileiro cai bem ao propósito de explicar ao leitor desavisado o que seria a palavra “genshiken”.

Por sinal, muita gente reclamou do subtítulo, mas saibam que é algo que está tanto na própria versão japonesa do mangá, como podem conferir na galeria de capas da Genshiken Wiki, assim como na americana e em outras ao redor do mundo. Ou seja, não foi invenção da JBC.

Outra “mudança” de nome será a de King of Thorn. Eu achei que ele viria com um subtítulo traduzindo o título, mas fui alertado (obrigado novamente, pessoal) que irá se tratar de um título traduzido mesmo, aos moldes de Diário do Futuro. O que eu acho disso? Válido. BEM válido. Se fosse um subtítulo, eu acharia estranho, mas sendo um título mesmo em português, não vejo problema. Acho até legal pois vai, provavelmente, atingir um público bem maior e creio ser esse o objetivo da JBC.

Bem, para fechar, pois o post já está ficando maior do que eu esperava, digo que o evento parece ter sido bem legal e eles, de fato, anunciaram coisas novas, o que é sempre bom. A mesa redonda parece ter sido bem produtiva e o concurso de mangás me deixou muito interessado. Achei que o saldo do evento foi positivo e espero que ano que vem melhore e continue melhorando.

ATUALIZADO 09/06/2013 – Correção de erros e novas informações. Obrigado pessoal.

Sobre Diogo Prado

Tradutor, professor, host do Anikencast, apaixonado por quadrinhos, apreciador de jogos eletrônicos e precoce entendedor de animação japonesa.

Você pode me achar no twitter em @didcart.

Hoje, na Livraria Cultura do Shopping Bourbon, aconteceu o primeiro […]