Shingeki no Kyojin – Attack on Titan – Primeiras impressões

Shingeki-no-Kyojin-Title-LogoO anime mais esperado da temporada de primavera 2013 finalmente chegou. Será que valeu a pena esperar? Isso você saberá em seguida nesse novo texto do Gyabbo! sobre Shingeki no Kyojin – Attack on titan.

Sim, você já deve ter ouvido falar do famoso caso do manga que foi rejeitado pela poderosa e famosa Shounen Jump para tempos depois virar um grande sucesso nas páginas da revista na Bessatsu Shounen Magazine, chegando a vencer o Kodansha Manga Award de 2011 (para maiores detalhes leia o ótimo artigo “Shingeki no Kyojin e por que a Jump não é tudo no mundo“. A obra de Hajime Isayama, sua primeira por sinal, começou a ser publicada em 2009 e conta hoje com 10 volumes encadernados ainda em publicação.

Em um mundo onde gigantes criaturas humanoides vagam em busca aparentemente de uma única coisa, seres humanos para se alimentar, a humanidade se encontra quase que completamente devastada, com poucos grupos sobrevivendo dentro de fortificações cercadas por gigantescas e grossas paredes que impedem o acesso dos monstros às cidades.

Shingeki-no-Kyojin-ErenEren Jaeger – o protagonista do anime – começa este primeiro episódio ainda criança vivendo dentro dos limites das paredes, mas com uma forte vontade de se juntar a única força militar que pode sair das cidades em prol de descobrir mais conhecimentos acerca dos gigantes.

Após 100 anos de paz a sociedade que vive dentro dos muros aprendeu a viver dentro de uma alienação, ignorando quase que por completo o perigo que se encontra além-muros. Os poucos que sequer pensam no que pode vir de fora são considerados loucos e hostilizados pelas pessoas que só querem viver suas vidas, mesmo que “enjaulados”.

Shingeki-no-Kyojin-titan-attack

Tudo muda quando, diferente dos outros gigantes “menores” que normalmente cercam as fortificações, surge um titã com tamanho e poder suficiente para transformar as defesas humanas em blocos de montar com um simples chute. O que era proteção torna-se um inferno com dezenas de gigantes percorrendo a cidade, destruindo tudo pelo caminho e comendo todos os humanos que possam encontrar com um grande sorriso de satisfação nos seus rostos doentis.

Shingeki no Kyojin – Attack on Titans conseguiu em seu primeiro episódio ser a melhor estréia da temporada não somente pela ideia interessante do seu enredo, mas pela habilidade do diretor Araki Tetsurou em transportar o desespero que percorre os personagens diretamente para o espectador (foram várias as vezes que eu pensei “Não acredito que isso vai acontecer!!”, especialmente na cena da mãe do protagonista…).

Shingeki-no-Kyojin-titan-eatingAraki consegue muito bem criar uma atmosfera calma e bucólica com as milhares de casinhas e pessoas vivendo rotinas comuns com o horror que a chegada dos titãs apresenta (sim, apesar não chegar a ser gore, o anime possui uma violência visual bem impactante usada de forma útil para aumentar o sentimento de desespero da cena sem que isso se torna um fanservice visual grotesco). Ver as mãos vermelhas de carne viva cravadas na pedra como papel e esperar pelo pior foi uma das cenas mais impressionantes para mim, conseguindo vender bem o anime antes mesmo dos seus dois primeiros minutos passarem.

A arte é bonita quando necessária – principalmente nos objetos inanimados e paisagens – e feia nos momentos oportunos – especialmente quando temos os gigantes em cena -, equilibrando bem essa fórmula, o que acaba criando uma dinâmica narrativa que vai além da história e é apresentada pelo visual. A animação do Wit Studio é consistente, sendo extremamente bem feita quando exigida – mais um triunfo da produção, saber bem onde gastar o dinheiro que possui, deixando que outras cenas mais reflexivas sejam expostas usando as técnicas de pseudo-animação característicos dos animes. Por último, toda a sonoplastia termina de dar o tom correto sem que você perca atenção para o que importa, a cena em si (além de ter uma ótima abertura!).

Shingeki-no-Kyojin-desperate-soldiersSim, eu estou realmente empolgado com as primeiras impressões que tirei da obra – e é bom lembrar que eu não tive contato algum com o manga, toda minha opinião da história se baseia até o momento apenas no seu primeiro episódio -, no entanto, é fato notório que o diretor Araki Tetsurou é muito competente em apresentar uma obra e causar impacto em quem assiste para no decorrer do anime acabar decepcionando. Vejam os exemples mais recentes de Highschool of The Dead (Primeiras impressões || Conclusões) e Guilty Crown (Primeiras impressões || Conclusões) que acabaram descendo ladeira abaixo com o decorrer da série.

O que me anima ao pensar a longo prazo – já que a intenção desse post é justamente fixar no curto prazo e ele é espetacular no caso – é que possuindo apenas 10 volumes e saindo em uma revista mensal, Shingeki no Kyojin muito provavelmente terá que buscar rotas alternativas à história original por possuir 25 episódios programados. Sim, nem todo filler – algo que não está na obra original – é ruim e essa liberdade me cria expectativas de que consigam entregar uma história fechada em um nível tão alto quando desse primeiro episódio.

Shingeki-no-Kyojin-garden-wallO que a série nos guarda para o futuro é realmente incerto, mas o que o presente nos coloca é o mais perfeito exemplo de como o hype pode sim ser bem correspondido. Shingeki no Kyojin – Attack on titans tem tudo para ser um grande hit shounen tanto aqui no ocidente quanto no Japão.

Mas e você, a série alcançou suas expectativas com esse episódio introdutório ou você precisa de mais para ser convencido? Eu já estou dentro, agora é acompanhar a luta da humanidade e o crescimento de Eren em sua busca por vingança.

Mais opiniões leia:

Shingeki-no-Kyojin-crying-mother Shingeki-no-Kyojin-Mikasa Shingeki-no-Kyojin-titans-and-giants

O anime mais esperado da temporada de primavera 2013 finalmente […]