Primeiras Impressões: CODE:BREAKER

Continuando com as primeiras impressões da temporada, depois de uma pequena pausa necessário, é a vez de CODE:BREAKER, anime adaptado de um mangá publicado na Shonen Magazine desde 2008 e que já conta com cerca de 20 volumes encadernados. Nunca li o mangá, mas meu interesse pelo anime foi graças à dubladora Hikasa Youko (Mio, de K-ON) dar voz à personagem principal. Será que o anime conseguiu se mostrar algo além?

Sakura Sakurakouji testemunha um grupo de pessoas sendo queimadas vivas, mas ao chegar ao local com a polícia não há nenhum sinal de fogo. Ela então se pergunta se tudo aquilo não foi sua imaginação até que o autor do “crime” aparece como um aluno transferido para sua escola. Ela decide então descobrir o que foi aquilo que testemunhou, o que a levará a perigosas consequências.

Não sei se vocês tiveram a mesma sensação que eu tive vendo o anime ao lerem essa sinopse, mas tudo me pareceu clichê demais. Menina testemunha algo sobrenatural que mais ninguém viu e o autor desse feito aparece como novo colega em sua escola causando confusões mil. Quantas vezes já não vimos isso?

Para piorar tudo, diferente de K, que é clichê mas muito bem feito tecnicamente, a parte tecnica de CODE:BREAKER é até bem boa, mas não me faz querer assistir só por causa dela. O responsável é o estúdio Kinema Citrus, que eu nunca tinha ouvido falar, mas descobri ter feito dois animes que gosto bastante: Higepiyo e Tokyo Magnitude 8.0 (pro noitaminA).

No início do episódio eu cheguei a pensar em parar no meio, mas como começou a parte de ação, resolvi ver até o final e confesso que nessa segunda metade até me diverti um pouquinho mais… só que não o suficiente.

Claro que temos pontos positivos nesse anime. Como já disse, a animação é boa e temos Hikasa Youko como personagem principal. Falando nessa personagem, eu posso dizer que apesar de ter achado que ela seria mais uma tsundere dentre tantas que já conhecemos, vi algo além nela. Me deu essa impressão. Posso estar errado, mas se você vai acompanhar esse anime por qualquer motivo que seja, fique de olho nela, pode surpreender.

Eu não irei continuar assistindo a esse. Não me acrescentará nada, nem como diversão descompromissada. Com animes como Magi nessa temporada, não tem porque eu perder tempo com CODE:BREAKER.

Sobre Diogo Prado

Tradutor, professor, host do Anikencast, apaixonado por quadrinhos, apreciador de jogos eletrônicos e precoce entendedor de animação japonesa.

Você pode me achar no twitter em @didcart.

Continuando com as primeiras impressões da temporada, depois de uma […]