Primeiras Impressões – K

Você já tinha ouvido falar do Gora Project? Porque eu não. Peguei birra com o novo anime “K” por causa de todo esse falso hype que estava sendo criado para a série. Nem cheguei a colocá-la na minha lista de apostas. Mas com o primeiro episódio saindo não podia deixar de conferir e ter propriedade para falar sobre.

Yashiro vai à cidade comprar umas coisas a pedido do conselho estudantil. Lá ele é atacado por um grupo de pessoas com super-poderes. O motivo? Ele, ou alguém muito parecido com ele, causou muito estrago e esses caras estão buscando vingança.

Pessoal… não sei vocês, mas já cansei desse negócio de “protagonista sendo caçado por outros por ter feito algo de mal no passado e agora parecer não saber nada a respeito do que aconteceu e ter cara de bonzinho”. Na boa! Isso era legal lá na época de Samurai X e mesmo assim era diferente já que o Kenshin não se fazia de desentendido e ele assumia que era o antigo Retalhador. Plot fraco, sem dúvida.

No entanto, que anime bem feito! Seja no quesito direção, no quesito design de personagens, animação, fotografia, etc… é um orgasmo visual. Anime lindo, sem dúvida! O estúdio GoHand fez um excelente trabalho e acredito que será assim até o final dos 13 episódios programados.

Porém, para mim, o destaque vai para os personagens… e são muitos! Lembram de Durarara? Então, acho que K tem ainda mais personagens. Tem o pessoal da escola, tem o pessoal do grupo que persegue o Yashiro, o pessoal do grupo Azul (juro, eles se chamam assim)… e todos parece que terão um bom desenvolvimento e motivações trabalhadas. Pelo menos essa foi a impressão que tive nesse primeiro episódio.

Aproveitando que mencionei os personagens, melhor falar um pouco da história. Ela se passa num Japão futurista onde algumas pessoas conseguem ativar um certo tipo de super-poder denominado “sanctum”. Fomos apresentados a um grupo de mercenários (ao que parece) que usam desses poderes para proveito próprio, e a um tipo de guarda que trabalha sob comando de alguém ainda não apresentado e que enfrenta esse grupo de “mercenários”. A coisa é sim um pouco confusa nesse primeiro episódio, até porque acontece um time-skip, mas acaba criando um certo misteriozinho sobre o que realmente são essas pessoas.

A questão é que esse mistério não foi o suficiente para me prender na história. Eu devo ainda conferir mais um ou outro episódio, mas se não me for apresentado nada mais interessante, creio que será um possível drop. Um anime muito competente tecnicamente, mas que não tem uma boa história que o sustente. Espero que melhore.

Sobre Diogo Prado

Tradutor, professor, host do Anikencast, apaixonado por quadrinhos, apreciador de jogos eletrônicos e precoce entendedor de animação japonesa.

Você pode me achar no twitter em @didcart.

Você já tinha ouvido falar do Gora Project? Porque eu […]