E o pior é que eu gostei do VERDADEIRO FINAL de Ore no Imouto…

Eu não sei porque.. não sei mesmo o porquê deu ter pegado o 13º episódio de Ore no Imouto que saiu no início dessa semana. Porém, algo me diz que foi o fato deu ter assistido ao VERDADEIRO FINAL (já que o final que foi exibido na TV era o alternativo) e fiquei curioso pelo fato da Kirino ter ido embora e da Kuroneko ter entrado na escola do Kyousuke. Na verdade, confesso que esse episódio me pegou de surpresa pois tinha me esquecido que ele ia sair.

Pois bem, no final das contas lá estava eu assistindo a esse anime que tanto critiquei por ter jogado uma boa idéia no lixo. E sabem qual é o pior de tudo (ou deveria dizer “melhor”)? Eu gostei desse final.

Como vocês já devem ter percebido, eu não gosto da Kirino. Não é uma boa personagem e não há NENHUM desenvolvimento da mesma na série. Quando eu assisti ao “verdadeiro final” fiquei feliz de saber que ela tinha se mandado para os Estados Unidos. O que dizer então dum episódio totalmente SEM a Kirino? Eu tinha que assistir.

Para começar, passamos a saber o nome real da Kuroneko, Ruri Gokou. Um nome horrível, mas ainda sim um nome. E é engraçado ver o Kyosuke apresentando-a como Kuroneko para as pessoas e essas chamando-a assim. De fato rendeu umas risadas.

Outro motivo por eu ter gostado, foi a manutenção da amizade entre Kyosuke, Kuroneko e Saori. Rola uma química muito mais interessante entre eles do que quando a Kirino está no meio da brincadeira. Novamente tenho mais um motivo para achar que a Kirino não deveria ser personagem principal.

Gostei também das auto-referências. O plot da irmã mega-fujoshi do amigo do Kyosuke (aquele que aparece nos dois finais comprando o jogo BL pra irmã) foi divertidíssimo. Me deixou curioso pois eu tinha uma suspeita de que era ela, mas quando o Kyosuke liga pra ele pedindo ajuda de como domar a fera, eu cai na gargalhada.

Não posso negar que me diverti com esse episódio. Ri bastante e gostei de assistir. De fato me deu vontade de acompanhar a próxima temporada também. Claro que provavelmente ela vai seguir o final em que a Kirino fica no Japão, mas mesmo assim me fez ver que esse anime não é de todo ruim. Terão episódios que eu gostarei e que valerão a pena assistir.

Taí algo que eu nunca esperava dizer.

Sobre Diogo Prado

Tradutor, podcaster, jornalista, amante de cinema, apreciador de jogos eletrônicos e precoce entendedor de animação japonesa.

Você pode me achar no twitter em @didcart.

Eu não sei porque.. não sei mesmo o porquê deu […]