“Spotted Flower”: Um otaku recém casado com uma esposa ‘normal’… mas não é só isso…

No final de 2010, no 4º volume de uma antologia chamada Rakuen (Le Paradis), que só sai três vezes por ano, estreou uma série com singelas 6 páginas por capítulo. Com nome de Spotted Flower, nós somos apresentados a dois jovens recém-casados. O marido é um otaku, a esposa uma “civil” (não-otaku) e está gravida. A série se propõe então a acompanhar a vida do casal frente às novidades da vida a dois.

Para muitos passou desapercebido dentro da antologia. Afinal, tem tão poucas páginas e é um josei no meio de um monte de história yuri. Porém, um fato curioso chamou a minha atenção e a de muitos fãs de Genshiken ao redor do globo: Kio Shimoku é o autor.

O que estaria o autor de Genshiken fazendo em uma antologia diferente da tradicional Afternoon e, ainda mais, nume editora diferente da Kodansha?

Capas dos números 04, 05 e 06 da revista Rakuen (Le Paradis) , onde Spotted Flower é publicado.

Bem, há muito subjetividade em Spotted Flower do que poderia se pensar.
Eu li Spotted Flower pela primeira vez pouco depois de Genshiken Nidaime ter estreado. Achei curioso um mangá feito pelo mesmo autor em outra revista de outra editora. Porém, li rapidamente e só achei curioso a temática ser novamente envolvendo otakus.

Tempo passou e novamente acabei me deparando com a série, agora com três capítulos publicados. Só que dessa vez, esse encontro veio acompanhado de uma observação bem curiosa: Spotted em japonês seria Madara (斑), assim como em Madarame Harunobu. Florescer seria traduzido como Saki (咲), assim como em Kasukabe Saki. Ao ler isso, eu já comecei a surtar.
Como não percebi isso antes? Spotted Flower foi criado por Kio Shimoku como um futuro alternativo onde a Saki deixa o Kousaka e se casa com o Madarame. Quem já leu Genshiken sabe que a única paixão de carne e osso do Madarame é a Saki. Kio Shimoku resolveu lançar então um “easter egg” para os fãs de seu principal mangá. Um belo fanservice.

 

Ok, os personagens não são exatamente os mesmos de Genshiken, mas se fossem, o “extra” perderia metade da graça. Existem, no entanto, inúmeras referências a acontecimentos em Genshiken que nos permite fazer essa associação.

Seja o fato da esposa mencionar que já teve um romance com outro otaku antes do noivo e o fato desse outro otaku ser um amigo em comum com o noivo (Kousaka… cof… cof…); seja ela mencionando que o noivo tinha uns DVDs de sadomasoquismo escondidos (teve uma cena em que Madarame esconde as fotos da Saki colocando esses DVDs sobre elas numa gaveta); seja ela falando que já se vestiu como uma personagem de anime (a personagem a que ela se refere é a mesma que Saki fez cosplay em Genshiken); seja por qualquer outras das tantas referências… fica claro que Kio Shimoku não fez aquilo sem querer.

Isso só mostra quão genial esse autor é. Spotted Flower é um mangá interessante para qualquer leitor e mais interessante ainda para fãs de Genshiken.

 

Sobre Diogo Prado

Tradutor, professor, host do Anikencast, apaixonado por quadrinhos, apreciador de jogos eletrônicos e precoce entendedor de animação japonesa.

Você pode me achar no twitter em @didcart.

No final de 2010, no 4º volume de uma antologia […]