Uma conversa entre Takehiko Inoue e Eiichiro Oda – Parte 6 de 6

É com muito prazer que eu trago até vocês a última parte da conversa entre Takehiko Inoue e Eiichiro Oda publicada pela revista abaixo. Novamente agradeço ao blog The Eastern Edge por trazer essa entrevista para o ocidente e por autorizar minha tradução. Se vocês ainda não leram ou querem re-ler as outras partes, clique na categoria Entrevistas. Espero que gostem. Cliquem em “Leia Mais” logo abaixo da segunda imagem para continuar…

Inoue: O que eu acho incrível a respeito do trabalho do Sr. Oda é que os olhos do Luffy (One Piece) são pontos. Isso é realmente algo relevante. O Sr. Oda diz, “Algo que é realmente bom continua bom mesmo sem acrescentarmos isso ou aquilo.” Eu penso que essa é uma expressão que o caracteriza bem. A crença inabalável no seu trabalho é consolidada na maneira como ele desenha aqueles olhos pretos. Eu aposto que o editor dele e toda a equipe em volta disseram que ele deveria fazer as pupilas mais brilhantes, ou que deveria desenhar linhas mais fortes e todo outro tipo de coisa parecido, mas ele não mudou um detalhe que fosse.

Oda: Sim, no começo me falaram um monte de coisas.

Inoue: E você não desistiu. Você continuou com os pontos e produziu ótimos resultados. Isso é brilhante. Sua motivação original de querer desenhar excitantes histórias de piratas é o que dá vida aos olhos do Luffy. Quando eu li o capítulo um eu pensei, “Esse cara sabe o que está fazendo!”

Oda: Nossa, você está me deixando realmente encabulado (risos).

******: Sr. Oda, se você tivesse a oportunidade de fazer uma exibição do seu trabalho, que tipo de exibição você gostaria de fazer?

Inoue: Você não precisa de oportunidade nem nada, tudo que precisa fazer é dizer que você quer fazer e todo mundo ao redor provavelmente vai acatar a ideia.

Oda: Para falar a verdade, eu realmente tenho um interesse nisso. Quando One Piece acabar, existem um monte de coisas que eu gostaria de tentar fazer, inclusive uma exibição. Entretanto, enquanto eu trabalho na série, eu realmente não tenho capacidade de trabalhar em outras coisas. Eu acho admirável que você consiga fazer uma exibição como essa enquanto trabalha em Vagabond!

Inoue: Olha, eu tive que colocar Vagabond em hiato (risos).

Oda: Mas só de conseguir fazer outra coisa enquanto se dedica a uma outra… e acima de tudo, ser capaz de desenhar os personagens da sua série para um ambiente como esse… eu não consigo competir com esse tipo de força. No meu caso, One Piece é tudo pra mim. Quando estiver terminado eu acredito que possa começar minha vida de verdade (risos).

Inoue: O que? Quer dizer que não é agora?

Oda: No momento eu vivo para meus leitores.

Inoue: Isso é fantástico!

******: Mesmo dizendo isso, se fazer uma exibição se tornar uma realidade para você, que tipo gostaria de fazer?

Oda: Seria um desperdício fazer algo só pra ficar olhando figuras. Eu gostaria de fazer algo mais no campo da arte… artesanato e construir coisas. Eu gostaria de usar minhas mãos para construir e colocar coisas juntas. Eu penso que gostaria bastante de fazer algo com modelos em 3D. Você já pensou sobre novos tipos de exibições?

Inoue: Mmm, bem… Eu não acho que “A Última Exibição de Mangás” represente tudo que realmente importa pra mim. Tematicamente, no entanto, eu fui o mais longe que podia, então eu não penso que conseguiria fazer uma outra exibição como essa. Se eu fizer outra, teria que ser algo completamente diferente. Mas eu acredito que ainda esteja bem longe de acontecer. Por enquanto, minha posição é de que “A Última Exibição de Mangás” será a última. Eu já disse isso para muita gente, mas eu acredito que essa exibição tenha chegado à sua melhor forma possível. Eu realmente espero que você possa vir a Kumamoto para vê-la.

Oda: Só em Kumamoto? Você deveria levá-la para fora do Japão também! Como Nova York! Eu aposto que as pessoas iriam adorar. O Sr. Yoshitaka Amano (designer da série Final Fantasy) fez uma em Nova York e foi um enorme sucesso. As pessoas por lá adoram samurais e coisas do tipo, certo?

Inoue: Mas tem os diálogos também. Eu não sei se vou conseguir transmitir essa parte devidamente. Você precisa saber alguma coisa sobre leitura e interpretação também.

Oda: Dê uma chance e não explique nada, simplesmente deixe os diálogos em japonês mesmo. Deixem eles sentirem a arte da maneira que os leitores daqui sentem.

Inoue: Entendo… de repente só tendo a tradução ao lado… Isso é algo a se pensar.

Oda: Por favor, leve seu trabalho para o mundo! Vagabond é o orgulho do Japão.

Inoue: Não, as pessoas iriam dizer, “Deveria ser One Piece!”, não tem comparação (risos). Eu estou realmente grato de ter tido a oportunidade de conversar com você aqui hoje. Por favor, venha à “Última Exibição de Mangás” em Kumamoto.

Oda: Eu irei visitar minha cidade natal e darei uma conferida!

Essas artes acima são o Musashi desenhado pelo Eiichiro Oda e o Luffy desenhado pelo Takehiko Inoue. Nossa, ficarei com saudades de fazer essa série de posts. Espero que vocês tenham gostado. Não deixem de comentar!

Sobre Diogo Prado

Tradutor, professor, host do Anikencast, apaixonado por quadrinhos, apreciador de jogos eletrônicos e precoce entendedor de animação japonesa.

Você pode me achar no twitter em @didcart.

É com muito prazer que eu trago até vocês a […]