Tag Archives: Sunrise

Fechando a Porta – Gundam: Iron-blooded Orphans

Nesse episódio falamos sobre Mobile Suit Gundam: Iron-blooded Orphans (aka Kidou Senshi Gundamu: Tekketsu no Orphans) – Todas as Temporadas – Direção: Tatsuyuki Nagai – Roteiro: Mari Okada – Estúdio: Sunrise

“O que é o Fechando a Porta?”, você se pergunta. Trata-se de uma série de podcasts do Anikenkai onde fazemos um REVIEW FINAL sobre as séries que assistimos. Se você não assistiu, não há problema. O primeiro bloco é inteiramente SEM SPOILERS e mais voltado para dar uma opinião mais geral e fazer vocês conhecerem o anime. Já o segundo bloco é dedicado àqueles que já assistiram pois vem COM SPOILERS para comentarmos alguns detalhes mais a fundo.

APERTE O PLAY!

Nesse episódio falamos sobre Mobile Suit Gundam: Iron-blooded Orphans (aka […]

Gundam: Iron-Blooded Orphans – Primeiras Impressões

Quando eu descobri que o novo anime da franquia Gundam seria roteirizado por Mari Okada (Toradora, Anohana, WIXOSS), eu fiquei bastante curioso. O que iria sair daí? O que uma roteirista bastante conceituada por suas séries dramáticas poderia acrescentar a Gundam? Apesar de ainda ser muito cedo para responder a essas perguntas, esse primeiro episódio de Iron-Blooded Orphans (Tekketsu no Orphans, em japonês) deu um pontapé inicial muito empolgante.

Leia mais…

Quando eu descobri que o novo anime da franquia Gundam […]

Tiger & Bunny Vol. 01 (Panini)

TIGER & BUNNY - OP - Large 02

Tiger & Bunny é um mangá que saiu pela Panini baseado em um anime de uns dois anos atrás. Conta a história de um mundo onde os heróis são patrocinados por companhias e participam de um programa que os filma lutando contra criminosos pra ganhar pontos e ficar famosos. Wild Tiger é um herói decadente que é salvo por um herói novo sem nome chamado Barnaby, a princípio, os dois não se bicam, porém, os dois acabam se tornando parceiros devido a obrigações contratuais!

Eu não vi o anime, antes de tudo. Até por isso que decidi dar uma chance pro mangá, já que me lembro que na época ele teve um sucesso relativo. O que posso dizer? É legal. Não ofende e é bem aprazível.

Continue lendo

Tiger & Bunny é um mangá que saiu pela Panini […]

Daisuki: o novo rival do Crunchyroll

daisuki

Uma notícia que poucos deram importância no dia de ontem foi a divulgação pelo jornal Nikkei do novo serviço de streaming de animes Daisuki. O site oficial tratou logo de dar mais detalhes sobre o projeto e seus apoiadores. Os principais são Aniplex, Toei Animation, SunriseTMS Entertainment e Nihon Ad Systems que decidiram juntas dar início ao projeto em Abril desse ano. Dentre os animes confirmados, temos One Piece, Madoka Magica e a série Gundam! Continue lendo

Uma notícia que poucos deram importância no dia de ontem […]

Primeiras Impressões – Binbougami Ga!

[nggallery id=3]

Eu fico muito feliz sempre que assisto a um anime sem esperanças nenhuma e ele se mostra muito bom. Foi o caso com Binbougami Ga!. Eu simplesmente acreditava que seria uma bomba, mas assisti pois estava com tempo livre e posso dizer que, até o momento, foi o anime mais divertido da temporada.

A mais recente missão de Momiji, deusa do azar, é tornar a vida de Sakura Ichiko mais normal. Mas não, não é que ela tenha muito azar… pelo contrário, ela tem é muita sorte, desde que nasceu. É linda, peituda, tira boas notas, é rica… mas essa sorte exacerbada faz com que ela “sugue” inconscientemente a sorte das pessoas ao seu redor. Quando Momiji chega para mudar esse cenário, não espere que Ichiko vá ceder tão facilmente…

Eu deveria ter esperado que seria um anime divertido. O diretor, Yoichi Fujita, é o mesmo de Gintama e dirige Binbougami Ga! da mesma forma relaxada e privilegiando a comédia. E eu ri bastante no decorrer do anime. Sim, claro que tem um pouco de fanservice, mas nada desproporcional ou extremamente exagerado e tudo “dentro da história”.

Tecnicamente o estúdio Sunrise (Gintama, Tiger & Bunny) faz um trabalho competente, padrão de animes shounen de longa duração, mesmo Binbougami Ga! só tendo previsão para 12 episódios.

Esse anime veio para ocupar o vazio deixado por Gintama, mesmo não sendo exatamente a mesma coisa, seus gêneros são muito parecidos e ambos são muito divertidos. Eu não vi tanta coisa assim de Gintama, mas Binbougami Ga eu pretendo acompanhar. Bastante recomendado para quem quer rir um pouco.

[nggallery id=3] Eu fico muito feliz sempre que assisto a […]

Nitsuiro Kiseki – Primeiras Impressões

Um anime que eu achava que seria puro fanservice surpreendeu…

A História

Natsumi, Yuka, Saki e Rinko são grandes amigas desde pequenas. Porém, de repente, Saki começa a apresentar um comportamento estranho e Natsumi acaba brigando com ela. Com o grupo dividido, as outras meninas tentam reatar as amizades e acabam descobrindo o motivo por trás das mudanças de Saki, ela irá se mudar de cidade. Frente ao novo problema, mais do que nunca o grupo precisa estar unido. Para isso, é marcado um encontro em uma grande pedra de um santuário. Quando pequenas, as meninas iam até lá fazer desejos. Era preciso que todas as quatro desejassem juntas a mesma coisa para que ele se realizasse. Agora, mais velhas, dentre algumas brigas no momento, todas acabam, ao mesmo tempo, fazendo o mesmo desejo… elas queriam poder voar. E misteriosamente esse desejo é concedido a elas. Foi tudo um sonho? Elas realmente voaram? Como que vai ficar a vida do grupo se esse “poder” for verdadeiro?

Comentando…

Eu comecei a ver esse anime por mera obrigação de escrever sobre ele aqui no Anikenkai. Não tinha expectativa nenhuma de que seria bom. Seria mais um anime com meninas fofinhas fazendo fofices e mostrando a calcinha. Nitsuiro Kiseki não seguiu nesse clichê.

A história começou a me cativar quando eu vi o conflito se formando logo de cara. Fiquei interessado em ver como iriam resolver aquilo. Queria saber o por quê da Saki ter agido daquela maneira fria… quando vi já estava no final do episódio e eu estava gostando de acompanhar.

Uma situação interessante, com personagens fáceis de se identificar e gostar e com um plot-twist ao final do episódio que deixou muito o gostinho de quero mais. Uma grande surpresa. E como vocês já devem saber, eu gosto muito de surpresas. Só torço para que o anime não acabe virando o clichê que ele não mostrou ser nesse primeiro episódio. Vamos torcer.

Tecnicamente falando…

Mais uma grande surpresa. Além da história ter me prendido, os aspectos técnicos da série também me agradaram bastante. Para os que acompanham as dubladoras, Aki Toyosaki (dubladora da Yui de K-ON) está no papel da protagonista Rinko, Minaki Kotobuki (dubladora da Mugi de K-ON) dá voz à protagonista Natsumi, Haruka Tomatsu (Hitoha, de Mitsudomoe) faz Yuka e Ayahi Takagaki (que curiosamente dublou o Taichi de Chihayafuru) faz a voz de Saki.

Com esse competente time de voz, só faltava um grande estúdio fazer a animação. E adivinhem? Temos. O responsável pelo anime é o veterano estúdio Sunrise (franquia Gundam, Tiger & Bunny, Code Geass, Cowboy Bebop, dentre outros)! Nessa série temos um incrível trabalho com cenários… e eu adoro cenários bem feitos. As personagens casam muito bem com o ambiente em que estão inseridas e a qualidade da animação é também muito boa para o padrão do gênero.

Tecnicamente falando o anime é muito competente.

Para fechar…

Mais uma surpresa dessa temporada. Quando a gente não dá nada pra algo e ele se mostra competente ficamos com uma sensação gostosa ao final do episódio. Fiquei feliz de ter assistido Nitsuiro Kiseki e espero MUITO que não se torne só mais um animezinho fanservice. Vamos todos torcer pra ele não ficar no clichê!

Um anime que eu achava que seria puro fanservice surpreendeu… […]

Daily Life of High School Boys – Primeiras Impressões

Um anime feito pela Sunrise em parceria com a Square Enix? Caramba… deve estar cheio de ação e aventura! Opa… peraí… dia a dia de uns garotos no colégio? É sério isso? Humm… será que é bom?

Em Daily Life of High School Boys (nome oficial em inglês para a série Danshi Koukousei no Nichijou) nós iremos acompanhar o dia a dia de três amigos muito doidos que frequentam uma escola só para meninos e aprontam confusões mil. Tcharam!

Sinopse simples e direta para um anime que eu quase deixei passar em branco nessa temporada e que iria me arrepender muito de não ter assistido. Simplesmente porque eu sou fã de slices of life e comédias e DLoHSB une esses dois com perfeição trazendo um anime extremamente divertido e leve de se assistir.

Um fato que devemos levar em consideração é que toda a ambientação desse anime rema contra a maré dos animes recheados de protagonistas femininas moe abusando do fanservice. Aqui nós vemos três caras… pessoas comuns como eu e você quando estávamos no colégio (ou igual a alguns leitores que ainda estão). Esses três ainda frequentam uma escola só para garotos. Protagonistas masculinos… coadjuvantes masculinos… personagens femininos colocados como terciários… onde esses produtores estavam com a cabeça?! Apostar num produto desses num mercado otaku-hardcore?!

Querem saber? Bato palmas para esses produtores! Uma necessária dose de audácia em um mercado saturado e com pouca inovação.

Não vou dizer aqui que esse anime é inovador ao extremo, não é, mas só sua ambientação já vale a assistida. E se já não fosse interessante por isso, o anime ainda é bom e divertido! Os episódios são divididos em vários esquetes de poucos minutos cada em que os protagonistas (ou alguns deles) vivenciam uma situação qualquer em suas vidas. Suas personalidades transformam situações comuns em verdadeiras comédias. Tudo isso envolto em uma boa qualidade técnica que vai desde a animação e a direção de arte (simples, mas eficiente) ao trabalho de dublagem.

Vale destacar também as piadas meta-anime que apareceram no episódio e devem aparecer também nos próximos, tal a própria piada de ser um slice of life vindo de um estúdio como Sunrise (Code Geass, City Hunter, Cowboy Bebop, franquia Gundam, dentre outros) em parceria com a Square Enix (responsável pela franquia Final Fantasy, dentre outros) e o fato do encerramento não ter ficado pronto a tempo.

Daily Life of High School Boys será um anime muito divertido de se acompanhar. Promete ser um boa comédia slice-of-life bem diferente do padrão que estamos acostumados. Foi de fato uma grata surpresa e agradeço ao Denys do Gyabbo por ter me convencido a assistir à essa série. Recomendo.

Um anime feito pela Sunrise em parceria com a Square […]

Mobile Suit Gundam AGE – Para velhos ou novos fãs

Quando foi anunciado, Gundam AGE foi escrachado por um monte de gente. Diziam que a franquia tinha se prostituído e que agora tudo ia ficar infantilizado e idiota. Meu primeiro pensamento, enquanto fã de Gundam, foi bem diferente: “Nossa… o protagonista agora parece que, de fato, tem 14 anos”. Pode parecer algo idiota mas eu sempre me incomodei com os protagonistas das séries (e muitos dos coadjuvantes) parecerem muito mais velhos do que realmente são. Essa pequena mudança pode significar algo muito grande. É o motivo para muita gente ter desgostado e pra muita gente ter gostado de Gundam AGE. Eu sou um dos que gostou.

A história não é muito diferente: Flit perdeu sua mãe quando ele era ainda bem jovem. Sua colônia foi atacada por um grupo conhecido como UNKNOWN ENEMY, UE (“inimigo desconhecido”, em inglês), que a EARTH FEDERAL FORCES, EFF (Forças Federais da Terra, em inglês), não conseguiram combater. O resultado foi a total obliteração da colônia e a morte de quase todos seus habitantes. Flit sobreviveu e recebeu de sua mãe, em seus últimos suspiros de vida, um aparelho que continha as plantas para a construção do Gundam. Sete anos se passaram desde então e Flit agora está na colônia militar Nora. Ele cresceu lado a lado com a construção do Gundam, criação de sua família. Quando chega a vez de Nora ser atacada pela UE, Flit toma o controle do Gundam para protegê-la.

Você provavelmente deve estar se perguntando nesse momento por quê você deveria assistir a um anime com uma história dessas que não traz nada de novo. Qual o atrativo de Gundam AGE? Por que vale a pena assistir aos 50 episódios que a série está programada para ter?

Vamos por partes.

Para os que já assistiram alguma coisa de Gundam antes, sabem que um dos grandes atrativos das séries da franquia é todo o universo que há em torno do plot central. Temos uma infinidade de robôs, veículos, unidades militares, armas, etc, todos com nomes, modelos e esquemas de uso prontos para serem explorados pelo espectador quase como se ele vivesse naquele mundo. É muito comum você ver fãs de Gundam citando modelos específicos que apareceram em poucos episódios, muitas vezes sem nome mencionado dentro da série, mas sim em outros tantos guias internet a fora. Entrar no universo da série faz a experiência ficar bem interessante.

Eu, pessoalmente adoro tudo isso. Não sou o maior conhecedor de Gundams, mas tenho lá meus modelos favoritos. Mas e além disso? O que mais?

Uma das coisas que mais me atraiu em Gundam AGE e que serve como atrativo tanto para fãs ou não-fãs da franquia, é o fato de que a história se passará num período de cem anos. Ou seja, os personagens vão crescer, se desenvolver e “passar o bastão” para seus sucessores. Flit é o protagonista do início da série, mas muito provavelmente não irá terminá-la vivo. Teremos, muito provavelmente, três gerações de protagonistas. Isso me deixa muito empolgado. Como a guerra irá se desenvolver? Como os personagens irão crescer? Como será a tecnologia daqui a 50 anos na série? É um universo com um enorme número de possibilidades e isso me deixa completamente curioso.

Outra coisa que eu achei incrível foi o próprio status do Gundam. Ele é uma lenda no universo da série. Um grande robô guerreiro que já salvou a humanidade séculos e séculos atrás, na época das grandes guerras na Terra. Porém, mesmo tendo sido tudo isso, ele aparece na série não como uma máquina extremamente poderosa e exageradamente superior a seus inimigos que já chega destruindo tudo e todos os inimigos. O Gundam aqui é simplesmente a única arma humana capaz de enfrentar a UE. Haviam se passado quatorze anos desde o primeiro ataque e só agora, com o Gundam, foi que eles conseguiram derrotar o primeiro inimigo. Já pararam pra pensar quão tenso é isso? Ele tem muito poder, mas esse poder só chega ao ponto de ser equivalente ao poder inimigo não superá-lo de cara. A tendência é o próprio Gundam evoluir ao passar da série.

Se eu tivesse que pontuar uma única coisa que não me agradou em Gunda AGE, não foi a história, nem a arte, nem a animação, nem nada disso, mas sim o ritmo desse primeiro episódio. Pareceu tudo corrido demais. Fora do comum para a franquia. Parece que o diretor quis chegar logo no momento da ação e isso acabou acelerando muito os acontecimentos. Porém, apesar de acelerado, você consegue absorver as motivações do protagonista de forma clara. Será necessário desacelerar um pouco nos próximos episódios, para termos bons desenvolvimentos, mas não creio que isso não será feito.

Fiquei feliz com o resultado final de Gundam AGE. E, se alguma vez na vida você já quis ver um Gundam mas nunca teve a oportunidade, começar com Gundam AGE parece ser a melhor opção. Um Gundam que tem tudo pra ser, provavelmente, o mais indicado de toda a série para se começar.

E se quiserem um bom guia para irem acompanhando lado a lado com a série, recomendo esse aqui da Gundam Wiki.

Quando foi anunciado, Gundam AGE foi escrachado por um monte […]

Sacred Seven: O novo Code Geass? Ainda é cedo para dizer.

Cá estamos com mais uma temporada e o anime escolhido por mim para dar início aos posts de “primeiras impressões” foi Sacred Seven, nova série da Sunrise. O estúdio é responsável, dentre outros, por Code Geass, os animes de Mobile Suit Gundam, Patlabor e, mais recentemente, Tiger & Bunny. Ou seja, de robôs os caras entendem. Sendo assim, o hype já começa grande em cima de Sacred Seven, com muitos dizendo que ele poderia ser até o novo Code Geass. Se isso irá ou não se concretizar é outra história, mas posso dizer que gostei do que vi nesse primeiro episódio.

Alma Tandoji é um garoto perseguido por uma reputação de ser violento. Só que na verdade é que dentro dele há um grande poder que o transforma numa verdadeira arma humana. Durante a invasão de um monstro de pedra, ele recebe a visita de uma menina chamada Ruri Aiba. Ela pede ajuda para derrotar o monstro e diz saber do poder oculto de Tandoji. Depois de relutar, ele acaba cedendo e com ajuda de Ruri desperta seu real poder. Cabe a ele agora proteger as pessoas desses monstros.

Basicamente esse primeiro episódio foi uma introdução de personagens e da situação em que eles se encontram. Pouca coisa se sabe sobre o background da história. Muitos dos personagens simplesmente existem e não há uma explicação de como eles foram parar ali e porque são o que são. Apesar de que isso pode parecer um ponto fraco, não o é. Os personagens e suas situações são fáceis de se assimilar e a descoberta de seu background torna a experiência de assistir o anime mais interessante pois você vai descobrindo pouco a pouco essas informações. É provável que tenhamos muitas surpresas no decorrer da série.

Uma questão que me deixou extremamente intrigado foi o porque o exercito da organização de Ruri é composto inteiramente de mulheres e todas usando roupas de maid? É realmente curioso ver uma maid com uma sniper anti-tanque na mão. É um fanservice leve bem colocado.

Otras questões que também ficaram em aberto foram: Como Tandoji conseguiu seus poderes? O que são essas pedras que a organização da Ruri quer proteger dos mostros de pedra? Quem é a figura misteriosa que aparece no final do episódio vestindo um exoesqueleto negro com chifres? De onde vem os monstros de pedra? Há uma organização por trás deles? Por que eles querem as pedras?

Enfim, dá pra perceber que o anime já deixou os espectadores bem curiosos a seu respeito e isso garante que muitos continuarão assistindo à série.

Na parte técnica, não houveram decepções. O character design é competente e a animação está muito bem feita. Os cenários também estão bem colocados e a ambientação está bem boa, mostrando que estamos num futuro bem próximo. Nada de 100-200 anos num futuro pós-apocalíptico.

Considero Sacred Seven uma das grandes apostas dessa temporada e provavelmente acompanharei a série até o final semanalmente. Me despertou interesse e é competente na parte técnica. Altamente recomendada para fãs de animes de ação, mechas, etc.

Cá estamos com mais uma temporada e o anime escolhido […]

Trailers da Nova Temporada – Verão 2011

Há alguns dias fiz um post falando das minhas espectativas para a nova temporada. Agora volto para complementá-lo. Começando com uma nova tabela contendo as datas das estreias atualizadas:

Vamos agora aos trailers.

NO.6

httpv://www.youtube.com/watch?v=zHi95pHpxYQ

Usagi Drop

Infelizmente não achei trailer do anime, mas quem quiser conferir o trailer do dorama, é só clicar AQUI.

The [email protected]

httpv://www.youtube.com/watch?v=zVbtamE2Vig

Baka to Test to Shoukanjuu 2

Infelizmente não achei trailer da segunda temporada. Porém, para quem ainda não conhece o anime, clique AQUI para ver um trailer da primeira.

Dantalian no Shoka

httpv://www.youtube.com/watch?v=YbkMTYniUI8

Infelizmente esse trailer não mostra quase nada.

Manyuu Hiken-Chou

httpv://www.youtube.com/watch?v=FHcN9oPyuhk

Blood-C

httpv://www.youtube.com/watch?v=-wBTvv5MjwM

Sacred Seven

httpv://www.youtube.com/watch?v=03uRrMhA-w8

Há alguns dias fiz um post falando das minhas espectativas […]