Corrente de reviews – mangá Innocent

Estamos participando mais uma vez do projeto Corrente de Reviews organizado pelo blog Anikenkai.  Esse ano a indicação veio do blog Quadrinhos Gonzo e foi algo bem inesperado devo admitir, nas próximas linhas você vai conhecer um pouco mais sobre o mangá histórico Innocent.

Da revolução francesa para a história

Primeiro gostaria de dizer que o mangá indicado não é o tipo de obra que procuro ler normalmente, mas gosto de receber indicações de trabalhos que fujam do que acabo tendendo a procurar e Innocent me surpreendeu positivamente nesse sentido. A história escrita pelo elogiado autor Shinichi Sakamoto se passa durante a Revolução Francesa e conta a jornada do jovem Charles Henri Sanson, um figura histórica francesa, que fazia parte de uma tradicional família de executores (pessoas que a mando do rei executavam infratores que não seguiam as leis da época).

A trama começa com o Charles ainda bem novo, aos 14 anos, e com dificuldade em aceitar seu fatídico destino de tirar a vida das pessoas. Ao longo dos primeiros volumes vamos vendo sua transformação em um dos homens mais temidos da época e famoso por executar o próprio Rei Luis XVI e Maria Antonieta.

innocent_0003_Layer 1

Primor gráfico

Apesar de ser uma história adaptada de um livro sobre a história do executor Charles Henri Sanson, o mangá não parece se prender tanto aos fatos e muitos acontecimentos que vemos parecem ter sido adicionados para ajudar na dramaticidade da trama e para definir melhor um perfil psicológico para cada personagem. Em alguns casos esses recursos funcionam e a história flui muito bem principalmente no começo, o problema é que depois algumas situações parecem ter sido geradas apenas para fazer o personagem amadurecer e são jogadas muito rapidamente.

O envolvimento de Charles com um outro rapaz no meio do primeiro volume e o seu desfecho no inicio do segundo exemplificam bem esse problema de trabalhar um personagem muito rapidamente. Mas tirando esse fato pouco consigo reclamar da obra, a arte de Sakamoto é linda (em tudo, roupas, cenários, personagens) e seu esmero na condução das cenas é incrível. Uma das primeira cenas do mangá, onde vemos um criança andando pelos cômodos de uma casa, mostra a sensibilidade do autor pelos pequenos detalhes e o potencial artístico do mesmo.

innocent_0002_Layer 2

Considerações finais

Por ser um mangá em andamento e com poucos volumes não da para chegar a um conclusão definitiva sobre a qualidade do mangá, mas se continuar nesse ritmo tem potencial para se tornar uma grande obra. O autor foi corajoso por abordar uma história sobre um personagem com raízes cruéis e em uma época como a Revolução Francesa, não é o tipo de mangá que imaginamos vendendo bem nas bancas (mesmo no Japão) e ainda assim ele consegue conduzir tudo de maneira primorosa.

Sakamoto é aquele tipo de autor que dá até uma invejinha porque você percebe que ele consegue falar sobre qualquer coisa, das mais sérias as trivialidades, e mesmo assim atingir os leitores em suas camadas mais profundas, se ele escrever sobre uma fatia de pão, acredito que a história deva ficar interessante. Essa é a impressão que ele me passou com Innocent pelo menos e vou começar a recomendar a leitura desse mangá para muitas pessoas, principalmente aquelas que ainda insistem em não ver a profundida que um mangá pode ter.

No fim das contas é um mangá sobre  uma pessoa sendo corrompida, fala muito sobre transformação pessoal e encarar seu destino. Todos nós sabemos que a vida não é um mar de rosas e que muitas vezes não fazemos o que queremos e sim o que a maré nos conduz a fazer, depois de ler esse mangá começo a reparar mais nesse balanço das ondas e para onde estão me levando.

innocent_0001_Layer 3

Indicação

A nossa indicação para a Corrente de Reviews vai para o canal MangaMii e ela irá falar sobre o mangá Mulheres de Yoshihiro Tatsumi. Caso queira conferir nossas participações em anos anteriores clique aqui e aqui.

 

 

 

 

Estamos participando mais uma vez do projeto Corrente de Reviews organizado […]