Quando um plot é mal aproveitado… pode acabar gerando BOAS consequências…

O último episódio de Oreimo foi uma merda. Desculpem os meus leitores mais pudicos, mas não encontro outra palavra melhor para definir esse 5º episódio da série. Por causa de tamanha porcaria em forma de desenho, a blogsfera ficou em polvorosa e discussões a respeito do rumo da série no Brasil e no mundo. Mas por que tudo isso? Quantas séries horrorosas estreiam a cada temporada e nem valem menção? Por que Oreimo é especial a ponto de mexer tanto com a blogsfera e com o público em geral? A resposta é simples. Oreimo tem um ENORME potencial desperdiçado.

No início de outubro escrevi um post sobre como eu achei interessante o primeiro episódio de Oreimo. Como estava torcendo para o plot se desenvolver de uma maneira interessante e até cheguei a compará-lo com Genshiken. Porém, a cada episódio que se passou, eu vi todo esse maravilhoso plot ser destruído em cenas constrangedoras e mal desenvolvidas.

Simplesmente os responsáveis pela série estão querendo fazer o impossível. Tenta nos mostrar uma relação real entre irmão e irmã junto com uma crítica à sociedade quanto ao mundo otaku, mas não larga o osso de momentos “complexo de irmã mais nova”. Não dá, simplesmente não dá. Não tem como desenvolver essas duas linhas ao mesmo tempo. Uma hora ou outra eles vão ter que se render à maneira mais fácil e rápida de se conseguir publico… apelar pro lado ecchi da coisa.

É fácil perceber a diferença entre essas duas linhas. Quando temos cenas de interação entre a Kirino e as outras meninas otakus, parece que a coisa flui melhor. Não é forçada. Temos situações interessantes e bons diálogos. Porém, quando resolvem apelar para o ecchi, fica uma completa bosta, como pudemos ver no episódio 4.

O 5º episódio foi nada mais nada menos que o estopim dessa involução. Simplesmente os espectadores chegaram a um ponto em que consideraram o que está acontecendo além do tolerável. Nesse episódio tivemos uma tentativa de unir as duas linhas do anime em uma só, o que resultou num enorme fracasso. Fracasso esse que fez um monte de gente sair de suas tocas e escrever inúmeros textos de todos os tamanhos e estilos a respeito da série. Muitos falando mal. Poucos com bons argumentos. Alguns acabavam defendendo. Outros afirmavam que era só uma fase. E por aí vai.

Se tem uma coisa para a qual Oreimo serviu, foi mostrar que opiniões diferentes são importantes. Que a discussão saudável é extremamente válida e recomendada. Que a blogsfera animística, principalmente a nacional, ainda é muito individualista. Por isso, se você só lê o Anikenkai, passe a ler outros blogs. Comece pelos parceiros que estão ali à esquerda e siga conhecendo novos blogs e novos tipos de pensamento.

Graças a Oreimo e suas consequências, me senti obrigado a fazer um blogroll (um tipo de lista de blogs interessantes para se ler) para mostrar ao meu leitor que é válido ler algo além do que eu escrevo por aqui, principalmente sobre os mesmos assuntos. As discussões que presenciei, li e participei no Twitter mostraram que a discussão entre os blogueiros é FUNDAMENTAL! Por que poucos de nós respondemos uns aos outros (eu incluso)? Por que não criamos um post simplesmente para postar uma ideia contrária a de outro blogueiro deixando claro que é direcionada a ele?

Sinceramente, acho que quanto mais nós discutirmos entre nós, mais nossos leitores ficarão satisfeitos e mais conteúdo eles terão. Afinal, não é esse o nosso objetivo com nossos blogs. gerar conteúdo? Se você, aniblogueiro, está lendo isso aqui, sinta-se a vontade para discordar e concordar do que eu disse. Mas não faça isso só no Twitter. Faça no seu próprio blog. Crie posts com conteúdo. Mostre contra-argumentos. Isso só fará seu blog crescer em conteúdo.

Termino por aqui esse post de insatisfação com os rumos de uma série tão promissora, mas feliz com o que ela tem gerado de discussão e de interação entre a blogsfera. Espero que possamos aprender algo disso. Oreimo acabou gerando algo válido, mesmo com sua qualidade duvidosa.

Sobre Diogo Prado

Tradutor, professor, host do Anikencast, apaixonado por quadrinhos, apreciador de jogos eletrônicos e precoce entendedor de animação japonesa.

Você pode me achar no twitter em @didcart.

O último episódio de Oreimo foi uma merda. Desculpem os […]