Fullmetal Alchemist: Brotherhood – Conclusão

Olá a todos! O dia está corrido, mas nem por isso deixarei o blog desatualizado, principalmente nesse período de entressafra, vários animes terminando, vários animes começando.

Estive pensando e acho que a melhor proposta será a seguinte; às quartas-feiras irei comentar sobre uma estréia da temporada de verão. Aos domingos será a vez dos animes que já terminaram e eu ainda não comentei, como é o caso de Durarara!! e outros. Pensando dessa forma, hoje venho com as minhas conclusões sobre Fullmetal Alchemist: Brotherhood.

AVISO: Esse post poderá conter spoilers sobre o fim da série, leia por conta e risco.

No dia 05/04/2009 eu postei aqui no Gyabbo! sobre as minhas primeiras impressões de Fullmetal Alchemist: Brotherhood. Tudo deveria ser comentado de forma muito delicada, não estava comentando sobre uma série qualquer, mas sim uma que ajudou a moldar todo o meu gosto por animes até hoje. Muito se perguntava se essa nova versão conseguiria ser tão boa quanto a primeira, que mesmo não seguindo o manga, conseguiu ser construída e terminada de forma fantástica, se tornando um clássico moderno.

Sendo sincero, no começo eu acreditei que não. A animação parecia mais fraca, as cenas apenas se repetiam, as piadas com a altura do Edward eram excessivas, nada que tirasse a qualidade do anime em si, mas não permitiam uma comparação justa. Mas Brotherhood foi crescendo e, como aquele pequeno Homúnculo que queria sair do frasco, não podia mais ser contido pela sombra do seu irmão, ela precisava de mais espaço.

E ao sair do mesmo caminho trilhado pela versão anterior, Brotherhood pôde finalmente crescer! As proporções da história dos irmãos Elric ficaram muito maiores, as questões não eram mais pessoais, mas sim políticas, militares, sobrenaturais. O mistério que envolvia toda a trama começava se desembrulhar de uma forma progressiva que fazia cada episódio melhor que o anterior, deixando os espectadores atônitos com tudo que surgia. A pergunta a cada fim de episódio era sempre “Pode ficar mais incrível que isso?!” e continuamente a série correspondia com um sonoro “Sim!”.

As críticas iniciais foram esquecidas, principalmente quanto ao humor da série, que foi deixado de lado quase completamente, principalmente por não haver espaço para tal. A animação, apesar de eu ainda achar inferior à sua versão anterior, era feita com primazia e todas as cenas de ação eram empolgantes, coisa que o estúdio Bones faz como poucos.

Mas se podemos apontar um ponto positivo dentre vários que Brotherhood possui, com certeza seria seu desenvolvimento. Não sei se devemos dar créditos somente à autora do manga, Hiromu Arakawa, já que a proposta dessa série era ser o mais fiel possível ao material original, ou se devemos muito também ao diretor Irie Yasuhiro. Acredito que à ambos, Arakawa pela maestria em criar um mundo sem igual e Irie por manter-se fiel, mas ao mesmo tempo conseguindo transpor para a animação os quadros estáticos do manga.

Esse desenvolvimento nos 64 episódios da série foi feito com tal primazia que lá pelas tantas eu fui perceber algo que era até óbvio, mas que foi construído de forma tão natural que passou despercebido; os personagens cresceram. Não somente em personalidade, ideais, forma de ver o mundo, isso era óbvio e muito bom, mas houve um crescimento físico que fica totalmente palpável quando se abre os olhos para isso. Ver o primeiro episódio e o último dá uma sensação de que a jornada realmente aconteceu, saindo do espaço e entrando para a temporalidade, algo que falta na maioria dos animes, que mesmo que haja essa passagem de tempo, ela é simplesmente “pulada”.

Brotherhood conseguiu aquilo que muitos desconfiavam que não se conseguiria, ser melhor que seu irmão. Como eu comentei nas primeiras impressões do anime, entretanto, acredito que o melhor mesmo é esquecer que um e outro existem. Faça de conta que são séries totalmente contrárias e você terá duas experiências incríveis.

Acredito que alguns poderão argumentar contra o final da série, feliz demais. Afinal, Ed fica com a Winry (e tem dois filhos!), Roy vira Fuhrer ao lado da Hawkeye, Alphonse recupera seu corpo e parte para outra jornada pelo mundo. Mas pessoalmente falando, não gostaria que fosse de outra forma, depois de todo o caminho feito pelos irmãos Elric, acredito que eles mereciam um final assim.

Já em 2009 eu dei para a série o prêmio de a melhor, com o que estamos vendo esse ano, não duvido que ela continue no mesmo posto. Ainda que séries como Durarara!! e Angel Beats! tenham sido ótimas, não tem o peso que Brotherhood teve, não só como um shounen, mas como uma obra de ficção em geral. Será a troca equivalente?

Eu poderia ficar aqui por parágrafos e parágrafos elogiando a série, tanto nas suas aberturas/encerramentos, na sua dublagem, na fotografia, até seu fanservice eu poderia elogiar! Mas não preciso, quem viu a série há de concordar com tudo e muito mais, quem não viu, se não por gosto pessoal, está mais do que na hora de dar uma chance para esse que é um dos melhores animes de todos os tempos.

PS: O Ed tem dois filhos com a Winry? Meu momento fanboy foi às alturas nessa hora.

PS2: As imagens foram retiradas do site Random Curiosity

Olá a todos! O dia está corrido, mas nem por […]

31 thoughts on “Fullmetal Alchemist: Brotherhood – Conclusão”

  1. Um ótimo anime, com uma história bem elaborada!

    “PS: O Ed tem dois filhos com a Winry? Meu momento fanboy foi às alturas nessa hora.”

    O que ?! como assim ? essa me pegou..

    haha..

  2. Nunca vi a serie fullmetal pq so as chamadas na epoca da rede tv aqui no rj achei bem chatinho. e ainda nao vi nada que possa mudar essa opinião. Quanto a comparação a Durarara! e Angel Beats ! não tem nada a ver, pois cada um tem um estilo diferente e tem seus proprios valores. comprara um anime com o outro não creio ser o melhor camiho e sim valorizar ou identificar defeitos por seus proprios meritos, ou não. Finalizando deixo minha sugestão de analise para High School of the Dead (HOTD).

  3. Foi bom e divertido até o final. Mas se for feito uma comparação com a Versão feita anteriormente, acho que a antiga tem uma carga emotiva maior, melhores músicas e um final essencialmente igual, porem muito mais emocionante. Principalmente com o Filme e os OVAs que saíram depois.

  4. Acompanhava o mangá de longa data e durante todos esses 64 episódios, ao final de cada um deles eu corria no mangá para fazer uma comparação e a maior diferença que eu pude perceber além de alguns detalhes nos diálogos e a ordem dos fatos foi a pegada de humor. Muitas cenas e até alguns capítulos muito engraçados do mangá foram completamente cortados ou alterados no anime como: o primeiro encontro dos irmãos elric com o Yoki, a luta no trem, o monstro do treinamento dos irmãos Elric, partes muito engraçadas e que não foram mostradas no anime, devido seu foco dramático.
    Porém, a partir da segunda temporada, o anime torna-se uma representação quase que perfeita do mangá, salvo por alguns detalhes a mais ou a menos, que não fazem muita diferença.
    Diferenças a parte, Fullmetal Alchemist foi um anime com qualidade de imagem excepcional, ótima trilha sonora, ótimas aberturas e encerramentos (ao menos a maioria delas), ótimo enredo, algumas boas piadas e umas boas lutas (principalmente no final).
    Fullmetal Alchemist foi um mangá/anime que marcou a minha vida e é, até o momento, o meu favorito a melhor de 2010.

  5. Meeeeeeeeeeeo, FMAB foi muito bom! Do princípio ao fim, na minha humilde opinião.

    E acredito que a melhor maneira de ver o Brotherhood é realmente esquecendo que um dia FMA já teve uma animação anterior, vi tantas pessoas criticando essa nova animação por alguns acontecimentos ocorrem mais depressa (Exemplo da Nina, bem no começo), ou que alguns dubladores mudaram, e bla bla bla; chegamos ao episódio 64, e o que temos? Um dos melhores animes de todos os tempos, com um final lindo e DIGNO! Quem não viu essa nova animação, não sabe o que está perdendo, vale muito a pena, não só no sentido da diversão, mas diria até mesmo no aprendizado que podemos carregar com essa série tão tocante e maravilhosa…

    Agora, espero ansiosamente pelo lançamento do filme que virá e sua análise aqui no blog, Denys! :D Parabéns mais uma vez pelo blog, e não se esqueça da brecha da Winry na estação de trem, nhai como eu ri! (Metade nada, eu vou te dar tudo) OMG~ Ela e o Ed são os melhores mesmo o/

  6. Gostei muito do que vc disse!

    Tem gente que não gosta de final feliz e pronto e tem gente que adora, mas FMA não poderia ter um fim triste ja que toda a jornada foi cheia de dificuldades as vezes absurdas para os irmão Elric. Esse anime vai ficar guardado no meu coração, com um ano cheio de LOSTS e 24Hs enfim uma serie exelente com um final exelente.

    Blog bom vou estar sempre por aki agora

  7. Ainda num assisti esse anime, nao gostei da primeira temporada que passou na RedeTV!
    mais vou da uma sacada, quando terminar meus projetos de download, baixo uns episódio pra ver se eu gosto x)

  8. Excelente Anime. Realmente concordo que é melhor ver sem comparar com o anterior. São duas visões diferentes, ambas excelentes. Porém Brotherhood é bem mais dramático, prende mais. A estória cresce, cresce… e vc se emociona com cada conquista dos irmãos alquemistas.
    Não conhecia o Blog. Está de parabéns.

  9. Adorei esse blog e esse review! Tá de parabéns! Concordei com tudo que foi dito!

    Eu posso falar, já que não vi o FMA anterior, que não teve NADA corrido nesse FMAB! E que a história da Nina foi, sim, emocionante. As pessoas que dizem o contrário é porque estavam com preconceitos, idéias pré-concebidas de como devia ser FMAB.

    Eu achei um animê perfeito. Não teve nenhum pequeno detalhesinho que não fosse perfeito.

    Acho que se fosse pra definir em uma palavra seria: QUALIDADE.

  10. Com certeza FMAB foi PERFEITO! Não existe outra palavra que o descreva melhor do que perfeito. Eu não vi a série anterior, então posso dizer sem ficar preso a comparações que essa, pelo menos, foi perfeita. E fazendo as coisas ao inverso, eu fui ver os primeiros episódios da série anterior e achei essa melhor do que aquela.

  11. definir fullmetal alchemist brotherHood em uma palavra= FAVORITO. fala serio foi perfeito mas pelo amor d deus quero mais eps kkk se dependese d mim fmab teria 166 episodios 5 filmes e mais 24 epis d fullmetal alchemist brotherhood hen kkkk e o final eu colocaria pelo menos uns 5 eps sobre o ed e a winry kkk eu nao sei mais oque fazer ja perceberam que a maioria dos animes bons tem pouco ep PQQ??? Ai ao final d cada anime bom da sempre um vazio… aquela sensaçao d que ta faltando alguma coisa ed e winry se tornaram meu casal favorito d animes fmab vai ser eterno p min pq nunca vi um anime que a cada final d epi me deichase com os olhos arregalados e boca aberta quando a net caia pqp eu quase tinha um infarto so faltou uma coisinha entre o ed e a winry na estaçao d trem que eu fiquei gritando que nem loco … Beija!! beija! seu Baixinho esquentado! kkk dai eu pensei acho que se ele ouvise ele diria me dando socos: “QUEM VC TA CHAMANDO D MINI PULGA NANICA GRAO D FEIJAO!! KKK PERFECT GENTE SO FALTOU AQLE BEIJO!

  12. Olha, Eu só fui ver FullMetal Alchemist ( a primeira versão ) nesse ano, e se tornou meu anime favorito. Sabe? Rank 1! Rá! Só que então, eu fui ver desenformado o Brotherhood, achando que era uma continuação, mas ai, para minha surpresa, era um Remake! E QUE REMAKE! Eu fiquei com preconceito até ver o segundo eps, cara, apesar de ter sido um pouco mais corrido que o original, o segundo episódio conseguiu contar a história dos irmãos Elric com mais maestria, Eu fiquei realmente triste vendo, emocionado. E eu achei a animação bem mais bonita, mais fluida… Quero dizer, era como se tivesse um realismo no Ed e no Al, mas por exemplo… No gula? Nossa! Aquela movimentação surreal do Gula era incrível ( comecei a chamar o Gluttony de Gula, depois que vi dublado… Alias, a dublagem foi muito boa ). Sem contar que sempre, SEMPRE que o Alphonse aparecia, eu ficava triste, tipo, era como se eu imaginasse a dor que ele sente por não ter um corpo! E deram MUITO mais espaço para o Al, mostraram mais do ” o que ele é “, e depois disso, ele se tornou meu personagem favorito! Alias, só pra falar aqui, euheuhuea, perceberam um erro na primeira versão do anime? Tem um eps que o Al cai todo na água, e a marca de sangue não sai, mas tem outros eps em que o Al diz que n pode entrar na água, por que a marca de sangue sai. ‘-‘ Tipo… Essa segunda parte dps da versão da mestra ( chamo a autora do manga assim, amo os traços dela, e a iluminação, e a criatividade, ela tem o traço que, para mim, é o mais bonito de todos )

  13. infelizmente algumas coisas foram boas deveriam ter sido acresentadas a primeira mas essa de modo algum superou o envolvimento com as coisas pois deixou de ser subjetiva e passou a ser facil demais de se entender sendo algo para mentes mais simplis algo que tirou parte da complexidade do anime achei um bom ponto ter um final odeio animes sem fim algo que deixam para nos imaginar as cenas de açoes tambem muito boas mas ter tirado a essencia do ROY da Winry do GANANCIA e de outros mais foi um peso contrario FMA comos os otakus falam foi um dos melhores animes na minha opiniao ate eu ver CODE GEASS de qualauer modo ficou muito parecido com naruto com o drama excessivo do trio principal mas nao e ruim e apenas outro anime que nao pode ser comparado ao original

    1. Desculpe mas… O original mesmo é o manga, e o Brotherhood segue o manga, muito mais do que o primeiro anime. Sinceramente, não sei como você desgostou desse trama acrescentado, eu acho que enriqueceu a história, deixou os personagens mais envolventes e, sem duvida alguma, mais sólidos. No primeiro anime, os personagens eram muito superficiais, e olha que eram poucos. Nessa “nova” versão, são vários personagens incrementados, e quase todos, importantes e sólidos. Eu acho que a unica personagem realmente inútil, e nem tanto, foi a Sheska. E enquanto a complexidade? Nossa! Nesse caso você realmente demonstra-se ignorante.
      A simbologia criada nessa nova versão é gigantesca. Tem referencia até mesmo sobre a Divina Comédia! Sinceramente, acho que seu comentário foi bem equivocado. Menos sobre Code Geass, é realmente um anime ótimo, bem, tem um “excesso” de cenas teatrais, mas o final, nossa, que final maravilhoso!

      1. Pois é… eu sempre me perguntava em FMA 1 em porque diabos o Mustang queria ser Fuhrer em primeiro lugar? Ele claramente era uma pessoa frágil, que ficou deprimido com a morte do melhor amigo a ponto de quase ficar incapacitado, além de ter ficado depressivo à beira do suicídio por ter participado de uma guerra injusta e ter sido FORÇADO a matar inocentes.

        Imagina: se um cara desaba daquele jeito por causa da morte de um amigo (que, aliás, era Militar e soldado e, portanto, sujeito a morrer a qualquer instante) e por ter participado de guerras, por mais traumatizantes que elas possam ter sido, ele não tem a menor condição de se tornar um líder de um país como Amestris, e muito menos “mudar o país para melhor”.
        Diante da primeira adversidade, se deixar derrotar deste jeito não é a essência do Mustang de forma alguma! Ele era para ser uma pessoa com um dos maiores níveis de perspectiva e clareza de ideias de toda a série, e se demonstrou um dos mais fracos e, sinceramente, sem capacidade para ocupar a cadeira do King Bradley.

        Isso sem contar com a falta total de explicação da lealdade da Riza para com ele, e sem desenvolvimento algum dos seus subordinados.

        O Ganância eu nem entendi, já que ele morre antes mesmo de poder se desenvolver em FMA 1 e, a Winry, então, eu até entendo, pois algumas pessoas (sabe-se lá porque) não queriam que ela crescesse, e continuasse como uma menininha pelo resto do mangá.

        Sobre o simbolismo, melhor nem entrar no mérito: de fato, o mangá entra em um nível de simbolismo muito mais profundo da Alquimia e da história, que nem tem como explicar.

  14. Na moral, concordo com você, têm que ver este anime para ver depois o que é ter gosto. Depois que vi ele pude perceber o que é qualidade de enredo e se você ver Death Note seguido dele ( como fiz) seu senso de critica fica ainda mais exigente, realmente FMA é o melhor anime dos tempos, quem se diz OTAKU tem que ver e saber reconhecer a qualidade para saber fazer criticas.

  15. Ainda não vi a serie toda, mas já li o manga e pelo que me lembro no manga o Mustang não vira Fuher não ( quem fica no posto é um senhor que me esqueci o nome ) e nem fica com bigode e para aqueles que acharam feliz demais bem o Honhenrein morre ( relevem os erros de digitação, rs ) e o Ed continua com a perna de automail.

      1. Ele provavelmente vai virar Fuhrer (no futuro) e, segundo a Arakawa, se ela fosse fazer um “extra” de FMA, provavelmente seria de como ele vira Fuhrer, mas, não… a princípio ele não vira, não, e nada no final do mangá ou do FMA:B mostra ou indica que ele virasse (ou viraria no futuro), não.

        No fim de FMA, o Mustang abre mão de virar Fuhrer para recuperar sua visão e para reconstruir Ishval.

  16. Depois de assistir Fullmetal, tive ele como o MELHOR anime que já tivesse visto! Isso pode ser algo injusto de se julgar mas é minha total verdade. O seu enredo, drama, personagens cativantes, história, conflitos, ENFIM TUDO. Mais do que apenar recomendar, falo para os que não assistiram que assistam. Não vão se arrepender em hipótese alguma

Deixe sua opinião