Sobre animação e os imperdoáveis quadros secundários

Como a internet gosta de sensacionalizar as coisas, né? O mais recente exemplo, e que me motivou a escrever esse post, envolveu um artigo do Kotaku comentando a suposta “péssima animação” que Dragon Ball Super apresentou em seu mais recente episódio. O autor me pega imagens estáticas de quadros secundários do episódio e me usa como argumento para dizer que a animação – que não é estática e contém milhares de quadros por episódio – estava uma droga. Claramente esse cara ou não entende nada de animação ou só estava querendo polemizar… e eu tendo a achar que se trata do segundo. De qualquer modo, acho que este é um momento oportuno para comentarmos um pouco sobre os imperdoáveis quadros secundários.

Exemplo de animação com quadros principais

De forma bem geral, um episódio de anime é dividido em diversas cenas, que, por sua vez, são divididas em diversos cortes, que por sua vez são divididos entre quadros principais (ou quadros-chave) e quadros secundários. Os quadros principais, como o próprio nome já indica, são usados nos momentos mais importantes de uma cena, que requerem um maior detalhamento de movimento e que, normalmente são desenhados pelos melhores animadores de um estúdio. Os quadros secundários são, em sua maioria, os quadros que preenchem o espaço entre os quadros principais e os conectam.

Cada quadro é uma imagem estática que, quando colocadas em sequência, dão a ideia de movimento. Um corte que seja mais importante ou impactante apresenta uma maior quantidade de quadros principais e possuem também uma uma maior taxa de quadros por segundo, deixando a animação mais fluida, mais detalhada e, no geral, mais bonita. Cortes mais secundários acabam ficando com um menor número de quadros principais e um maior número de quadros secundários, por serem, no geral, de menor importância para a cena, e tendem a ter uma taxa menor de quadros por segundo, o que normalmente resulta em imagens mais estáticas e menos detalhadas. Quando ocorre de ter uma cena com muito movimento em quadros secundários, estes tendem a ser bem mais rústicos e travados do que nos com mais quadros principais.

TOPO: Quadros principais; MEIO: Animação limpa e preenchida com secundários; EMBAIXO: Animação finalizada.

Em obras de longa duração, como é o caso dessa nova série de Dragon Ball, o orçamento por episódio tende a ser menor do que para séries mais curtas e o tempo de produção deles também tende a ser bem mais acelerado. Desse modo, inevitavelmente, alguns episódios terão mais ou menos quadros principais dependendo da exigência do que está acontecendo em cena. Consequentemente, com menos quadros principais, teremos mais quadros secundários para fazer a conexão entre eles, resultando assim, num episódio mais “mal animado” do que outros. Esse tipo de alternância faz parte do status quo da animação japonesa e foi um dos maiores motivos dela ter conseguido expandir tanto e ter um custo tão mais baixo do que animações ocidentais, por exemplo.

Quando alguém pega apenas um quadro estático, ainda mais um quadro secundário, para usar como exemplo de que a animação de uma série está ruim, essa pessoa está forçando muito a barra para provar seu ponto. Ponto esse que, muitas vezes, nem é, de fato, verídico. Claro que quanto mais quadros principais existem em uma série e quanto mais cuidado é colocado nesses quadros principais, e também nos secundários que os conectam, melhor vai ser uma animação. Isso é fato. Então se um episódio de Dragon Ball tá recheado de quadros secundários e quadros principais não tão bem feitos, ele tá sim, mal animado. Porém, para vermos isso, precisamos analisar o movimento, não um quadro estático que aparece na tela por alguns segundos ou até por uma fração de segundo.

Um exemplo de quadro secundário tosco

Infelizmente, o que vemos por aí é muita gente condenando séries inteiras por uma meia dúzia de quadros secundários mal feitos. Algo mais normal do que provavelmente essas pessoas acham que é.

Porém, percebam bem que, apesar de ser normal animes apresentarem momentos não tão bem animados quanto outros, isso não é desculpa para reclamarmos ou condenarmos séries que abusam descaradamente disso. Se Dragon Ball começar a ficar desleixado como Saint Seya: Soul of Gold ou Sailor Moon Crystal – ambas obras do mesmo estúdio – é claro que a gente deve criticar. Porém, esse tipo de coisa não se vê em um quadro secundário estático, mas sim no conjunto da obra. Não quer dizer que esse episódio 5 tenha sido um primor de animação, não foi… mas era algo a se esperar. Se virar uma constante, como nos casos acima, podemos começar a nos preocupar.

Felizmente, diversos estúdios estão conseguindo aplicar novas técnicas e práticas para melhorar a qualidade geral de suas adaptações de mangás muito longos. Uma delas, e que tem me deixado muito satisfeito, tem sido dividir a série em diversas temporadas. Com essa simples decisão, o tempo de produção das séries aumenta, você evita ter que fazer fillers para tapar buraco enquanto a obra original não avança, e ainda possibilita uma maior consistência de qualidade pelos episódios. Podemos ver esse tipo de técnica nas recentes adaptações de Bakuman, Kuroko no Basket, Haikyuu… todas séries longas que foram adaptadas no esquema de temporadas e que mantém uma boa consistência no decorrer de seus episódios. Especialmente Haikyuu, que me impressionou bastante por sua qualidade – tanto na animação quanto no conteúdo.

animacao_03

Enfim, espero ter mostrado para vocês, ainda que de maneira bem geral, um pouco de como um anime funciona para que possamos ter um pensamento um pouco mais crítico quando lemos notícias exageradas como a da abertura desse post ou para ter mais base para falarmos mal de algo. Quadros secundários mal feitos não são legais, claro, mas também não são tão imperdoáveis assim. Desse modo, gostaria de saber a opinião de vocês quanto a esse assunto. Comentem!

ATUALIZAÇÃO (10/08/2015 – 20:50): O leitor Guilherme Guimarães postou no grupo do Genkidama um link para o reddit de Dragon Ball onde comentam o fato de que além de todos os problemas citados aqui nesse post, ainda parece que a Toei careceu de animadores principais para animar boa parte das cenas desse episódio e por isso a inconsistência.

Sobre Diogo Prado

Tradutor, professor, host do Anikencast, apaixonado por quadrinhos, apreciador de jogos eletrônicos e precoce entendedor de animação japonesa.

Você pode me achar no twitter em @didcart.

Como a internet gosta de sensacionalizar as coisas, né? O […]

76 thoughts on “Sobre animação e os imperdoáveis quadros secundários”

  1. Muito bom o seu contraponto, Diogo. Acredito que vai ajudar a elucidar algumas falsas verdades que vem sendo alardeadas pelas redes sociais, especialmente para aqueles que não tem qualquer noção de como funciona um processo de animação. (Shirobako seria uma ótima recomendação para complementar o assunto).
    Aliás, parabéns pelo artigo tão completo e embasado em tempo recorde!

  2. Ótimo post, Diogo!

    Fico feliz que tenha algumas pessoas que saibam que animação boa não é só quadro estático bonitinho, mas sim uma sequência de cortes fluidos e coesas. Isso é um problema de grande parte das adaptações de mangá, que basicamente colorem os quadros do mangá e inserem uma música legal de fundo. É importante explorar esse aspecto intrínseco da mídia, que é justamente o movimento (claro que há vários outros elementos a serem explorados, mas acredito que esse seja o principal, como você ressaltou no post), para criar uma narrativa visual competente.

    Claro, não se pode negligenciar o character design (especialmente em cenas que não há tantos ângulas de câmera, geralmente em diálogos), mas não é o principal a ser “avaliado”, ao meu ver. Pelo menos, tente ser mais constante em cenas que não exijam tanta variação de ângulos.

    E o ponto principal: séries divididas em cours! Não podia concordar mais com você. Apesar disso quebrar um pouco a questão da unidade num geral em uma série (como aconteceu em Shingeki no Kyojin), a produção fica bem mais tranquila e é bem provável que menos erros no character design aparecerão. Fico impressionado com séries como Fullmetal Alchemist:Brotherhood e até a versão de 2003, que conseguem manter esses quadros secundários numa qualidade constante e ainda possuem cenas principais com cortes extremamente fluidos e bem conduzidos. IN BONES WE TRUST!

    No mais, texto (espero que seja) muito esclarecedor para a maioria das pessoas que comentam sobre animação num geral. Parabéns.

  3. Anime lindo de se ver são os da KyoAni, que nunca decepciona. Kanon 2006 ou até o mais recente Hibike! Euphonium são obras de tarde no quesito visual.

  4. Na verdade o problema de DBS é que os quadros principais estão também toscos e os quadros secundários não estão ruins, estão horrendos. Ao mesmo tempo, a animação não é fluida o suficiente para sustentar esses quadros que realmente estão… bem… difíceis. O quadro é mal feito o suficiente para difiultar a compreensão do movimento. Como você disse, nos preocupemos com isso caso algo assim se repita mais.

    Se bem que, pra mim pelo menos, o maior desse último episódio de Dragon Ball foi a direção, que não sabia nem fazer uma cena de diálogo com um plano minimamente decente, quem dera passar o sentimento de tensão que um vilão da escala do Bills precisaria.

    Mas excelente texto, de qualquer forma. Adoraria se mais pessoas o lessem e parassem de postar imagens de quadros secundários totalmente aleatórios de animes que são sim bem animados.

    1. Sobre o que você disse do Bills, não acredito que ele precisa desse sentimento de tensão todo, até porque no ultimo filme foi tudo por causa de pudim. Talvez eles realmente não queiram que ele seja assim aquele Majim Boo

    2. Cara, o DBS está praticamente repassando o filme “guerra dos deuses”, porque caralhos eles iriam gastar grana e recursos para algo que ja vimos?? Nao tem logica, o começo da saga está 90% igual o filme, muda coisa ou outra, porem ja sabemos o RESULTADO FINAL, é obvio que iriam usar poucos recursos para esse inicio.

      1. Ué, aí eu te pergunto: pra que gastar QUALQUER dinheiro com algo que já vimos? Pula direto pra depois dos filmes.

        E se eles estão fazendo isso para um NOVO público, aí esse público NÃO viu e o argumento se torna inválido.

        1. Mas é justamente essa a intenção, assim como as adaptações de mangás que ficaram diferentes, “quer ver algo de qualidade? compre o manga ou assista o filme!”

      1. Não venha me falar de orçamento.
        HxH teve 148 episódios de uma animação inquestionável. E é somente o 21º mangá mais vendido do Japão.
        DB é o 4º mangá mais vendido de toda a história e ainda sim deixa a desejar. O fato é que a toei é, realmente, uma vergonha. DB já provou ser uma obra que vende, que dá audiência. A animação deveria ser tratada com total cuidado. Qnd ao orçamento, eles deviam investir mais, já que DB é certeza de sucesso.

        1. Concordo que DBS deveria estar melhor HxH é o exemplo perfeito de uma obra com boas lutas e uma animação redonda, mas nenhum da pra comparar com Akira.

          Infelizmente até o anime de One Piece(manga numero 1) sofre com animações fracas as vzs.

        2. Investir não é o problema, porque mesmo que se invista dinheiro a mais em um anime como DBS não vai mudar nada, porque o prazo se mantém igual e eles teriam que aumentar a quantidade de animadores, o que gera muita inconsistência na animação.
          O problema da toei é que eles ficam adaptando muitas obras por ano todas com mais de 2 cours, isso acaba deixando os animes mal feitos até a versão BD, entretanto a toei está vivendo muito bem assim por enquanto, então é um problema que vai se prolongar por um bom tempo.

        3. Perdoe caso existirem fatos que desconsiderem essa minha opinião, mas… Quem disse que as vendas do mangá é o que paga o anime? Isso vem de patrocínio e outras coisas. Vem das vendas do DVD e extras do anime. Até onde eu sei, o mangá paga suas próprias contas, fora a parte do autor. Nada disso financia animação. O fato ser ou não o mangá mais vendido não é de jeito nenhum o fator determinante pra qualidade da animação. São mídias diferentes. Não é o livro de Harry Potter que financia os filmes.

          Sucesso não significa necessariamente dinheiro. Se o investimento é baixo e o sucesso alto, a receita é boa, mas se o investimento for alto, o sucesso vai continuar praticamente o mesmo, assim como a receita – tendo no máximo alguma recepção mais positiva, porém vai no máximo se pagar e as empresas querem lucrar antes de mais nada. Eles querem por 10 e ganhar 100, e não por 90 e ganhar 95.

          Animação não é algo tão simples assim. Convencer pessoas a financiarem não é tão simples assim. “DBZ já provou vender, dar audiência. ELES deviam investir mais!” Eles quem? Aqueles que já haviam investido? O lucro deles seria muito menor, pode ter certeza.

          Há vários elementos a se considerar antes. Há todo um processo por trás da criação de um anime. (Por exemplo: O valor pago para ter dubladores famosinhos nos animes em prol de aumentar seu sucesso)

          O mundo seria realmente perfeito se todos os animes fossem totalmente bem animados, recheados de quadros principais e com os quadros secundários acima da média, um bom cenário pro animador trabalhar, e no final conseguissem render grana para todos ficarem feliz.

          1. Falou tudo. DBS é anime filantrópico. Não foi feito para vender e sim ser merchandising do que pode vir para o futuro como exemplo uma sequencia de filmes, brinquedos entre outras coisas.
            Pessoas que criticam a qualidade do anime mal sabem que o horário que ele passa é para o público infantil. Eles não ligam para o quão ruim a precisão dos frames

    1. Vou simplificar, o começo do DBS é um “vale a pena ver de novo” do “guerra dos deuses”, estão recontando tudo, com a historia identica, sendo diferente uma coisinha ou outra irrelevante, entao porque eles iriam gastar recursos e consequentemente dinheiro para animar algo que todos ja viram?

  5. Então, acredito que, mesmo com sua argumentação, a péssima qualidade do episódio é inegável. Concorda? A animação tava horrível. Analisei (como leigo) o episódio e reparei várias coisas ridículas, como repetições de sequências, animações paradas tendo apenas a boca do personagem se mexendo; fora o próprio conteúdo do storyboard, que colocar uma luta ridícula que sai completamente da realidade de Dragon Ball.

    Mesmo respeitando sua argumentação, acho que ela não diminui o ocorrido. Isso nunca aconteceu em nenhum outro Dragon Ball, e está acontecendo agora… retrocesso com uma série que moveu gerações é algo marcante!!

    1. O começo do DBS é um “vale a pena ver de novo” do “guerra dos deuses”, estão recontando tudo, com a historia identica, sendo diferente uma coisinha ou outra irrelevante, entao porque eles iriam gastar recursos e consequentemente dinheiro para animar algo que todos ja viram?
      E ja que vc comentou uma fala “isso nunca aconteceu em nenhum outro dragon ball”, outra coisa que nunca tinha acontecido era algum filme do DBZ ter influencia com a saga(pode confirmar se nao acreditar, nenhum filme do dbz tem ligação alguma com as sagas), e quando eu vi que iriam praticamente no inicio recontar a historia do filme, eu ja fiquei meio “assim” por 2 motivos:
      1º: No meu caso que assisti o filme, ter q ver a mesma coisa tudo de novo
      2º: Eu tinha certeza que a animação do anime seria infinitamente inferior com a que vimos no filme (que tb nao é la essas coisas, odeio CG)

  6. Entre os episódios de Naruto (133 Luta do Naruto na cachoeira vs Sasuke e 167 do Shippūden – Naruto Vs Pain). existem alguns episódios que possuem uma animação INCRÍVEL lutas incrivelmente animadas mas o desenho é absurdamente distorcido e lembro que isso causou muitas discussões na época, mas no geral o povo aceitou por se tratar de 1 episodio e pelas lutas serem MUITO bem animadas.

    Pesquisando descobri que o responsável por esses episódios foi o animador Norio Matsumoto, que é conhecido por seu estilo com menos detalhes e mais animação. Pesquisando mais a fundo da pra saber que as melhores lutas de Naruto(classico) sempre estavam na mão dele, Gara vs Lee(aquela luta que o Lee tira os pesos) Orochimaru Vs Sarutobi

    OU SEJA da pra aceitar traços fracos quando recebemos algo em troca, mas um desenho todo “fraco” é triste de ver.

    1. Sim, se tiver movimentação da pra aceitar, essa luta do Goku vs Beerus na minha opinião até que não estava tão RUIM como tem falado, eu sei que praticamente foi feita com frames ruins, mal desenhados, mas teve um dinamismo que não incomodou, a luta foi bem conduzida.

    2. Eu acho bonito esses traços mais simples, ficou bem fluido.
      Outro exemplo de animação foda é o 4º filme de Bleach, principalmente a cena inicial.
      Animação merda é aquele filler do fantasma que tem em Naruto kkk

    3. Exatamente.
      Além do Matsumoto, tem o Shingo Yamashita que animou (no infame ep. 167) o famoso corte em que o rosto do Pain se distorce em um estilo bem cartunesco – o que muita gente não entende é que a escolha por esse estilo mais minimalista (e caricato) é proposital em casos como esse.
      Minimalismo não quer dizer necessariamente baixa qualidade, algo que o próprio Matsumoto (um veterano e um dos maiores animadores atualmente no Japão) já foi injustamente acusado algumas vezes, por pura ignorância do público otaku que confunde arte com animação e/ou não entende a relação entre ambos.

      Agora quanto a DBS, não dá pra defender muito, a animação nesse episódio (e em alguns seguintes) foi bem fraca, independente da questão da arte dos quadros in-betweens.
      É torçer pra gente como Ide Takeo, Hisada Kazuya ou Naoki Miyahara aparecerem como key-animators.

  7. Alguém já ouvi falar em animação limitada ? pois bem ,as animações japonesas para tv costumam fazer algo pior que a animação limitada,não por simples desleixo,mas por questão de orçamento. A animação limitada praticamente você tem um limite de quadros para produção,enquanto a animação japonesa extrapola ao economizar os quadros de animação por questão de custo de produção.Muito comum ver um personagem estático que só mexe a boca.

      1. Em questão de movimentação, sakugas e fluidez (aka taxa de quadros) o HXH da Mad House não tem muito, não. A staff se utiliza muito de quadros estáticos e travelling para dar a sensação de movimento, coisa que acontece em mangás, mas não funciona a maioria das vezes por ser uma mídia diferente. Claro, há trechos em que a animação está ótima (como Gon VS Hisoka), mas num geral somente o character design é consistente.

        1. Não entendo a pagação de pau que as pessoas tem com a animação de HxH 2011. Ele também tem alguns bugs e a colorização às vezes é irregular e deixa personagens como o Kurapika albinos (sem contar os que são o tempo todo).

    1. A-1, MadHouse, o estúdio que faz Fate, Wit Studio (mesmo com qualidade razoável em questões de beleza), Leecher, LIDEN Films, J.C Staff…. sempre fazem boas ou ótimas animações (com uns bug que mal se vê).

      1. Em toda luta de Fate/Stay Night eu tenho um mini-ataque epilético. Tem partes que a animação está realmente boa, mas na maior parte do tempo é só luz e brilho na sua cara pra esconder as imperfeições e impressionar os olhos menos treinados. Não chega a ser ruim, mas nem de perto a pica é tão grande quanto o publico faz parecer.

        Discordo muito de todos os estúdios que tu citou, mas trabalhoso demais exemplificar um por um.

  8. Mas se cada quadro é desenhado um de cada vez, é pedir demais que o desenhista capriche tanto nos quadros principais quanto nos secundários?
    Além do mais, ele sabe o que está fazendo, ele sabe desenhar, então ter quadros secundários ruins não deveria ocorrer tantas vezes, pois ele deve se dedica pra desenhar cada quadro.

  9. Eu penso bem diferente, existe uma diferença gritante entre frames mal desenhados e frames feitos com o propósito de criar uma fluidez melhor na cena, Como referência tem essas imagens do BDZ fase Boo, nela tem vários quadros que não são key frames e estão muito bem construídos e com o traço bonito, o erro nesse episodio de DBSuper é a péssima qualidade de ilustração, o que provavelmente veio de um baixo orçamento para este episódio em específico, o que tbm não é novidade pois isso aconteceu com frequência no antigo DBZ.

    Então as criticas sobre a qualidade de animação nesse episódio acabam fazendo sentido, aliás até os quadros chaves das cenas tbm estão mal desenhados.

    A diferença é que no antigo DBZ a história era tão envolvente que praticamente essa queda de qualidade passava despercebida pela maioria, e como o DB super ainda não conquistou o carinho de todos por ter uma história que não emplacou como no antigo :S geral ta caindo matando.

    + como ainda estamos bem no começo, pode ser que as coisas melhorem hehe.

  10. Pois é mais tem uns quadros principais que vou te falar até eu no illustrator dava uma garibada melhor

  11. Os poucos erros que vemos na versão exibida, a Toei corrige nos BDs e DVDs. Ela tbm exporta pra outros países a versão corrigida, como foi o caso de CDZ Omega. Mas se forem reparar bem, de acordo com a repercussão da série, a Toei já dá uma melhorada na versão exibida, como foi o caso de Soul of Gold, que deu uma melhorada de uns episódios pra cá. E como disseram que ela careceu de animadores melhores, então não temos como cupa-la demais, afinal ela está produzindo World Trigger com uma animação que tem até CG, fora que o anime tem 50 episódios(e consegue ter uma animação linda) e ela já está produzindo uma segunda temporada do mesmo. E temos que lembrar que ela tá produzindo Digimon Adventure tri a quase 2 anos e serão 6 OVAs com duração de filmes.

    Imagens abaixo de World Trigger e Digimon Adventure tri, que aprecem ter muitos quadros principais.

    1. Wt com animação linda????? meu deus cara é linda se comparar com sei lá um anime dos anos 60 por que fora isso é uma completa bosta com uma cena bonita em uma parte de um episodio e mais trocentas horriveis nos restos

        1. Cara, li duas e depois três vezes achando que vc tava zoando. Infelizmente percebi que estava falando sério. Sinceramente não consigo pensar em nenhum bom motivo pra tudo isso que vc escreveu (drogas?) e nem vai valer a pena refutar eles.

      1. E sobre o Digimon Adventure tri, eu tbm ja havia notado essa semelhança. Mas no WT o autor está envolvido no anime e o traço é quase o mesmo do mangá, com bem pouca diferença. Mas ambos os traços são simples, nem é coisa do estúdio. Mas nas melhores cenas, tanto do anime como do mangá, eles adicionam muitos efeitos e muitos detalhes .

    2. Quanta bosta dita em 1 post
      Usar CG não é bom, é um jeito de baratear a animação pois desenhar quadro por quadro é mais caro.

      1. Só pq minha opinião é diferente da sua, ela é uma bosta? E o CG que ela usa não dá para baratear quase merda nenhuma. São poucas cenas e são só com os Neighbors gigantes(E só foram algumas). O resto é tudo animação 2D e sem muitos quadros secundários. Se assisti-se saberia como é. Se for dizer que a empresa é uma bosta, isso e aquilo, que todo metido a critico sabe tudo fala. Fica calado, pq eu já conheço o mimimi e tbm entendo de animação. E a Toei ainda fez o favor de notificar seus consumidores que ela careceu de animadores. Afinal ela está com umas 12 animações em andamento, fora as correções que são feitas para as versões BDs e DVDs e de exportação e as melhores equipes dela estão tralhando em OVAs e filmes tbm. E se algumas animações ficam ruins, é pq não tem orçamento suficiente ou é pq os fãs são tão cegos que aceitam da forma que for, como é o caso de One Piece e tbm o caso de Naruto na Pierrot. 2 animes feitos de qualquer jeito e os fãs assistem a ponto de deixa-lo em 2º lugar no rank de maior audiência. Eu sei que a Toei erra, mas outros estúdios tbm erram. Consegui ver um erro em Arslan Senki que superar qualquer quadro secundário desse ep de DBSuper.

        1. Eu assisti WT até demais, e a animação é horrível, CG barato (compara com o de Mahouka por exemplo), personagens travados e as clássica cenas da Toei de várias pessoas “correndo” mas na verdade é uma imagem estática tremendo.
          12 animações? Pode falar quais? Só pra eu saber mesmo, atualmente só me lembro de Pretty Cure, One Piece e DBZ Super que estão em andamento/sendo exibidos (Digimon não conta, já devem ter terminado).
          Orçamento ruim? Você sabe que orçamento não é tão válido nesse sentido né? Os animes da KyoAni por exemplo tem orçamento só um pouco mais alto e consegue fazer TUDO melhor que a Toei, o que importa são os Diretores de determinado anime ter bons contatos com freelancers.
          PS: Arslan Senki não é padrão de boa animação, o orçamento deve ser o mesmo dos demais assim como tu disse, que geralmente são baixos :p
          Anime de baixo orçamento (talvez mesmo ou menor que os da Toei) que é melhor: A primeira temporada de Durarara!!!
          Sabe por quê?
          Eles tiveram tempo antes do anime ir ao ar, contrataram freelancers melhores e deu no que deu, e os erros conseguiam esconder muito bem :v
          A Toei corrige só os erros no Character Design, como ocorreu bastante nesse episódio de Dragon Ball Super, mas eles não vão refazer a animação ruim e mal feita de luta no BD.
          Deu pra ver como entende de animação, não sabe nem a diferença de CD e Animação.

          1. E vc devia saber que certas animações como Naruto, DB e OP, são coisas que não importam como são feitas. Sempre vendem bem. Mas olha o que vc disse sobre Durarara!!!. Eles esconderam os erros muito bem né? Então todas animações tem erros tbm. Vcs só reclamam da Toei pq ela mostra tudo e foda-se o consumidor. E a maioria que assiste e reclama, assiste de forma ilegal. Eles nem tem pq reclamar,

  12. Mas, isso acontece direto na maioria das animação da Toei e da Piorrot, e a A-1 Pictures está começando a ter esses “erros” constantemente também, e não é só questão de “traço”, mas também de edição e efeitos.

      1. sim. Em dois animes da temporada passada que ela estava fazendo, a qualidade [e broxante. E em Fairy Tail, a qualidade da animação caiu de repente… ta muito mau colorido e não esta devidamente fluido (com alguns frames com cenários mal feitos). Mas isso só está acontecendo porque A-1 está fazendo muitos animes atualmente, assim, consequentemente, não dando conta.

  13. Não adianta “defender”, pois a toei é um estúdio enorme e que lucra bastante, ela podia contratar uma equipe maior e mas qualificada.

  14. Olha eu achei que pessoal estivesse criando muito polêmica, mas depois de assistir o episódio fica claro que foi feito nas coxas, não se trata apenas das pessoas reclamarem por estarem pausando o anime justamente nos quadros secundários, é 100% perceptível a falta de cuidado que tiveram com esse episódio mesmo sem pausar em momento nenhum pra procurar defeitos. Nunca vi em nenhum anime, nem mesmo em Dragon Ball Z inteiro, um episódio tão mal desenhado assim.

  15. Cara, eu concordo com muitos pontos que você citou, e também achei muito exagerada a reação das pessoas nesta última semana, mas realmente este episódio específico deixou muito a desejar em relação aos outros desta mesma temporada, e de muito em relação a toda a saga Dragon Ball. De qualquer forma, Dragon Ball é Dragon Ball, e acho que os fãs foram do Japão deveriam parar de reclamar porque a maioria está vendo de forma pirata, pois o anime ainda não foi licenciado pra fora do país niponico.

  16. Vale lembrar também que além da versão TV ser inferior a versão DVD-BD, pra depois vender mais com uma qualidade melhor, também existe a questão da terceirização, mesmo sem saber japonês, pode-se notar nos créditos dos animes que existem vários nomes não-japonêses aparecendo, principalmente nomes Coreanos, onde existe mão de obra barata pra animação, Naruto é bem comum e nos Simpsons também, onde até fizeram uma abertura crítica e tals. Enfim, terceirizando o serviço o estúdio contratado acaba fazendo uma animação mais barata e sendo obrigada a cumprir prazos, conclusão: qualidade abaixo do esperado.

    Japão tem passado por essa crise, não só nos animes, como nos jogos também, onde as empresas grandes querem pagar pouco, trabalhar muito e lucrar o máximo possível, como acontece em ampresas no Brasil e EUA. O que acaba fazendo com que os melhores artistas prefiram sair da empresa grande e abra sua própria empresa, como aconteceu com Hayao Yamazaki saindo da Toei e abrindo a Ghibli, pessoal da Gainax que saiu e abriu a Trigger, Hideo Kojima saindo da Konami, Yuji Naka saindo da SEGA, enfim… vários exemplos.

    Com isso temos o contraste da Toei, maior estúdio de animação do mundo com animações porcas e o Studio Wit, pequeno e iniciante, com animações fantásticas.

    1. Acho que foi o melhor comentário que eu li aqui. Realmente tem essas terceirização aí. A Warner e a Disney agora fazem as animações da DC e da Marvel assim, mandando para estúdios coreanos e japoneses. Esses nomes coreanos e chineses aparecem em aberturas e encerramentos até de produções americanas agora. O problema é que não podemos reclamar só de um estúdio, quando todos tem seus erros e as vezes escondem de uma forma muito feia que é colocando aquele enorme brilho na tela. E como vc disse, o Japão tá sempre em crise e tá mesmo.

  17. Pra mim a animação desse episodio nao ficou boa pelo simples fato de ja termos visto isso no filme batalha dos deuses, ou seja, nao tem necessidade de gastar grana e tecnica com uma animação fudidona para algo que ja vimos, ainda assim, espero que melhore 😀

  18. Muito bom texto.Acredito que foi bem útil para todos,e também pra gente que usa a internet como uma privada onde você pode cagar à vontade sem se preocupar em dar descarga depois.
    Ainda não vi essa ´´bomba“ do DBS,mas vou ver.

  19. Isso não justifica o fiasco que foi esse quinto episódio em termos de qualidade. E quando o telespectador percebe, isso significa que a coisa tá feia mesmo!

  20. Seria muito bom se o processo de animação pudesse ser totalmente automatizado.Tipo o cara faz apenas as storyboards e o computador faria todo o resto. Mas como isso é impossivel, teremos que conviver com a situação atual mesmo….Mas mesmo assim torço para que um dia alguem crie uma I.A. especialista em animação kkkkkk

  21. eu assisti o episodios, e achei a luta inteirinha uma bosta, animação e desenho, tudo uma merda, nenhuma luta de DBZ foi tão mal feita a este ponto, a unica parte boa da luta foi quando goku em SSJ3 tentou fazer um combo de golpes(como todas as lutas de dbz são geralmente) mas aqueles saltinhos com socos no ar e aquela animação tosca, me deu desanimo total

  22. E é por isso que eu não curto animações que possuem trocentos episódios, a qualidade da animação cai muito devido a produção industrial dos episódios.

  23. Eu entendo bastante de vídeos, embora não especificamente de animação, então eu tenho uma boa noção de tudo que está na matéria, mas deixando termos técnicos de lado, toda animação tem quadros ruins, se pegarmos por exemplo a luta do Sasuke contra o Hachibi, a luta foi até bem animada, mas quando vc pausa, são só borrões, então meu critério pra qualidade de animação é simples:
    Os quadros “ruins” são perceptíveis durante a fluidez da animação?
    Sim: Animação ruim.
    Não: No mínimo está ok

Deixe um comentário!