Full Metal Panic Sigma e Otomen oficialmente cancelados pela Panini

full-metal-panic-sigma-otomen-panini-canceladoOtomen e Full Metal Panic Sigma oficialmente cancelados… vamos aos detalhes!

A notícia não é nova, na verdade foi “divulgada” na última quarta-feira, (23/10/2013), através de uma mensagem publicada pela conta oficial da seção de mangas da editora Panini no Facebook – a fanpage Panini Mangas – dentro de um tópico que abordava a promoção da assinatura de Shingeki no Kyojin – Ataque dos Titãs, confira abaixo:

Apesar de se tratar de um canal de comunicação oficial da editora, achei muito estranho tal anúncio se dar dessa forma visto que era algo questionado pelos leitores (e pelo Gyabbo!) durante vários anos sem resposta alguma.

Para quem não lembra, Otomen teve seu último, volume, o #7, publicado aqui em 2011 e Full Metal Panic Sigma parou em 2010 no seu volume #9, ambos longe dos seus finais.

Enviei, então, um e-mail para meu contato dentro da editora a fim de confirmar tal informação e hoje recebi a resposta. De fato ambos os títulos, um shounen e um shoujo, estão cancelados em razão de terem apresentado vendagens insuficientes para continuação (infelizmente não sabemos que número é esse, o mesmo contato reafirmou que a editora não revelará números de vendas).

Foi ressaltado que a Panini tem sempre a intenção “de finalizar todas as séries, e quando algum título começa a apresentar sinais de queda iniciamos um trabalho intenso para buscar formas de viabilizar sua continuidade ou volta, que podem incluir novos formatos de publicação, novos preços materiais, diferentes processos logísticos, formatos de venda etc”, por esse processo ser longo, isso pode explicar a razão de tamanha demora para uma posição oficial sobre os mangas. Além, foi afirmado que cancelar um título é sempre a última opção, evitada ao máximo, em respeito à importância que cada título tem para seus fãs e para as próprias pessoas que trabalham com ele na editora.

Como eu disse anteriormente no post sobre o cancelamento de Nausicaä: Do vale do vento pela editora Conrad (mais detalhes clique AQUI), deixei na deixei na minha pré-adolescência a lógica de que uma editora deve publicar até o fim uma obra mesmo que ela esteja dando prejuízo. Editoras são empresas e lucrar é preciso. Títulos que não vendem bem devem sim ser cancelados para que outros possam vir. O que me incomoda nessa situação toda também não é a demora para essa oficialização, afinal, conforme foi explicado, ela se dá justamente pelo esforço da editora em buscar novas formas de continuar a publicação – ainda que isso poderia ter sido explicado no passado para deixar o leitor ciente do que está acontecendo com a obra que compra. O problema está na perpetuação de um modo de lidar com os leitores.

Que Otomen e Full Metal Panic Sigma seriam cancelados praticamente todo mundo já esperava, mas o mínimo seria ter essa informação divulgada com a importância e clareza que necessita, não entre centenas de outras mensagens em um tópico acerca da assinatura de outra obra. O Planet.Zip está aí, por exemplo, hoje mesmo o programa no Youtube da editora repassou informações sobre Berserk, Homunculus e Shingeki no Kyojin (que os leitores do Gyabbo! já conheciam, por sinal, através do nosso Boletim de Informações), por que não reservar um espaço ali para um anúncio com destaque?

Apesar de eu ver o esforço da editora para resolver todas suas pendências, envolvendo sim cancelamentos, e achar isso e uma mudança progressiva na forma de se comunicar com o leitor, não poderia deixar de fazer essa crítica aqui, sempre pensando em melhorar nosso mercado.

Mas agora quero saber a opinião de vocês, como se sentiram com essa situação toda?

PS: Sem alarmismos bobos do tipo “Não comprarei mais nada da editora!!!11!”, cancelamentos fazem parte e é preciso que os leitores estejam cientes disso.

Otomen e Full Metal Panic Sigma oficialmente cancelados… vamos aos […]

45 thoughts on “Full Metal Panic Sigma e Otomen oficialmente cancelados pela Panini”

  1. Cancelar é preciso e não nego isto. Até no Japão vemos obras sendo finalizadas de forma súbta por baixas vendas. Mas, realmente, o que incomoda das editoras brasileiras é a falta de comunicação. Fica deixando os leitores na espectativa sem saber se pode ou não jogar fora alguma coleção que não será completada.

  2. Sinceramente, foi preciso. Se a shonen jump vive num ciclo de cancela mangá/lança mangá novo, por que nós aqui devemos ser tão diferente,s e até nosso mercado funciona de forma similar, rudimentar, mas similar.

    Eu não gosto muito da editora Panini. Ela é muito caseira e fechada, e fica na dela. MAs hje eu compro mais mangás dela do que da minha editora querida JBC.

    Isso por que a Panini consegue muito bem – bem até demais, seguindo muito a risca – agir como uma empresa. Compro Bleach, Dragon Ball, Toriko e Reborn e não me queixo, são mangás que possuem formatações excelentes. Mas o modo dela agir perante a nós consumidores, é que me deixa sempre com o pé atrás.

    Ao contrario da JBC, que em praticamente todos os seus títulos atuais, sempre aparecem notas com mensagens dos editores com pequenos avisos (Lost Canvas Gaiden e Hunter X Hunter sempre aparecem avisos de seus hiatos), ela começou com vlogs de com notificações e ela só cancelou um título até hoje, que não teve nenhum hype ou público por aqui, aparentemente…

    Lamento que atualmente só compre apenas dois títulos dela. Ela sempre vem inovando e, mesmo que de forma tímida, trás mais mangás de gêneros diferentes, e agora com seus formatos diferenciados.

    Panini possui um padrão de qualidade um pouco melhor que o da JBC, porém perde em editorial, marketing e comunicação e um pouco na falta de credibilidade.

    1. Saudações

      O único ponto da presente chamada, creio eu, está na falta de comunicação que a editora apresentou para o público direto das obras canceladas por ela.

      E realmente, no que tange à marketing, a Panini no Brasil está um pouco atrás da JBC (nesta segmentação).

      Até mais!

  3. Cancelamentos acontecem, isso é natural no mercado. Se não vende, não há porque continuar a publicação recebendo prejuízo. Gostemos ou não, essa é a lógica do capitalismo, e é assim que a economia mundial funciona.

    O problema é essa falta de clareza da editora. Ao invés de colocar as cartas na mesa, ela fica fazendo segredinhos, desviando de perguntas difíceis, e só confirma alguma coisa sob pressão. Chega a ser ultrajante chamar de oficial um “anúncio” feito na forma de uma resposta a um comentário no Facebook, perdido entre tantos outros zilhões de comentários.

    Verdade seja dita, a editora errou feio a não planejar seus lançamentos e colocar dezenas de títulos semelhantes nas bancas ao mesmo tempo, e sem nenhum tipo de estratégia de marketing, concorrendo não só com as editoras rivais, mas com ela mesma. Agora ela colhe os frutos desse planejamento desastroso – ou melhor, da falta dele.

    A essa altura, a Panini já percebeu o que todos nós já sabemos: que muitos, senão todos, os títulos do limbo terão que ser cancelados. Acredito que essa atitude de “manter segredinhos” seja uma tentativa (muito ineficiente, por sinal), de minimizar o impacto negativo que todos esses cancelamentos trarão para a editora, espalhando as más notícias ao longo do tempo, sem dar o devido destaque a elas – o que acaba sendo um tiro no pé, já que só prejudica ainda mais a imagem da editora com os fãs. Talvez esse tipo de estratégia funcione com quem compra mangá casualmente, mas tem um efeito totalmente oposto em quem de fato acompanha o mercado de mangás.

    Enfim, por mais que seja uma situação difícil, acho que o mínimo que a Panini poderia fazer é ter a hombridade de abrir o jogo com o público, admitir seus erros e colocar todas as cartas na mesa de uma vez, sem mais segredos. Infelizmente, essa não parece ter sido a rota escolhida pela editora.

    PS: Denys, tu recebeu minha mensagem? Não me importo que você demore a responder; é que eu não confio 100% no meu serviço de e-mail, hehe.

    1. Saudações

      O ponto de sua opinião é o fiel da balança da questão, Angélica.

      Faltou estreitamento de comunicação da editora com o seu público.
      Muito embora o cancelamento fosse mais do que evidente, poderia-se ao menos ter informado isto de forma concisa (no site da editora, em comunicado para blogueiros, informativo para livrarias e locais de vendas, com chamadas diretas nas redes sociais, por aí seguindo-se).

      Não que resolvesse, mas ao menos não criaria este sentimento de indignação por parte dos consumidores das obras canceladas.

      Até mais!

  4. São mangás que vieram na época errada, assim como Kekaishi.

    Tenho a impressão de que se fossem lançados hoje teriam repercussão melhor. Isso é apenas palpite, não tenho muitas formas de embasar meu argumento.

    Mas já que não vende, cancela, paciência.

      1. Não me refiro às obras citadas, mas sim à sua frase: “deixei na minha pré-adolescência a lógica de que uma editora deve publicar até o fim uma obra mesmo que ela esteja dando prejuízo.”

        a gente não tem números, mas é possível que a JBC não lucrou quase nada com Negima, mas mesmo assim arrumou um jeito de lançar os 70 e poucos volumes até o final.

        a Panini não podia lançar os últimos volumes de Guin Saga e Homunculus há um preço um pouco maior, pra diminuir o prejuízo?!? Com certeza os colecionadores topariam.

        1. Não é exatamente tão simples, Jotaro. O caso de Guin Saga, como comentei no post Boletim de Informações #1 ( http://www.genkidama.com.br/gyabbo/2013/08/05/boletim-de-informacoes-1-editora-panini/#more-10609 ), o contrato estabelecido pela editora Panini da época do seu lançamento aqui não constava o último volume simplesmente porque na época tal volume não existia ainda nem no Japão. Você não simplesmente renova o contrato para uma única edição pelo mesmo preço, ainda considerando que a série inteira deu prejuízos. Existem exigências contratuais que fogem do nosso conhecimento.

          Gyabbo!

            1. Passar a mão na cabeça de editora jamais! No Gyabbo! temos um forte histórico de uma postura crítica, independente de quem for, o que até nos coloca em situações complicadas que não cabem comentar aqui. Se fosse passar a mão na cabeça de editora não teceria comentário algum criticando o modo como esses cancelamentos se deram, apenas noticiaria (ou nem mesmo noticiaria pra ninguém ver). Não sei que de que blogs você está se referindo, mas temos orgulho do Gyabbo! ser um espaço independente e por isso estar no ar a mais de quatro anos ganhando cada vez mais respeito frente aos leitores e às editoras. Isso significa afirmar apenas o que sabemos, nunca caindo para ódios ou adoração.

              Gyabbo!

            2. Não adianta tentar me enganar, eu sei que vc tem esqueminha com a Panini!!!!! hauhauhauaahah

              o problema é que o seu texto e o do Chunan foram muito benevolentes com a situação, dando a entender que cancelamentos são naturais, e o único problema seria a falta de comunicação a respeito.

              e na minha opinião, isso tá muito errado…..

            3. Bem, cada um com sua opinião, não respondo pelo Chunan, mas queira você ou não, estamos em um sistema capitalista e a as editoras continuam sendo empresas que precisam lucrar para continuar fazendo seu trabalho. Cancelamentos são, sim, normais, em qualquer mercado, o problema está exatamente na forma como se comunica isso ao leitor.

              Gyabbo!

            4. fica nervoso não, tio!! T-T

              então pela sua lógica, se alguma editora cancelar todos os mangás dela, mas avisar todo mundo na fanpage, pra vc vai tá beleza!?!? O_O

            5. Vai se ferrar seu moleque fracassado,fique ai de mimimi só por causa de historias em quadrinhos,vire homem rapá !
              Vc e tão forever alone,que vc positiva os seus proprios comentários,kkkkk

  5. Sabem se Blood Lad vai voltar? Desde maio não sai um volume, esse Planet.Zip não adiantou para nada, noticias que são importantes nunca tem, só falaram coisas que já sabemos nesses vídeos do YouTube. Aprendam com a JBC!

    1. Não coleciono a série, mas acho que, nesse caso, a demora possa estar relacionada à renovação do contrato com a editora japonesa para as próximas edições. Lembro que, quando o mangá foi anunciado pela Panini, fiz uma pesquisa e vi que ele estava no seu oitavo volume no Japão; checando agora, vi que o nono volume acabou de ser lançado. *Acho* que a Panini deve ter feito um contrato somente para as edições 1 a 7, e deve estar negociando as outras. Mas é claro que, se a série não tiver vendido bem, eles podem acabar não trazendo o resto para cá. Como nenhuma editora de mangás no Brasil revela números, não temos como saber, =/.

  6. Eu realmente não sei onde exatamente eles tentaram “salvar” esses dois títulos, porque nem trabalho de divulgação eu vi. Até porque, é uma bola de neve, as pessoas veem que os títulos estão parados, quem vai querer comprar um título com risco de ser cancelado?

    E no minimo eles deveriam ser transparentes e mostrar os números de vendas, porque no Japão mangás são cancelados (mas eles dão um desfecho sim, mesmo que de uma forma débil) mas sempre com as vendagens muito bem esclarecidas

    1. Dependendo da editora no Japão,o mangá nem fim recebe. Mas Japão é direto da produção, aqui é importação e nos EUA por exemplo, cancelam mais sem dó ainda.

  7. O problema é que a bosta da panini bate recorde de cancelamentos, e o dinheiro que gosto com esses mangás, não temos direito nenhum… Homunculus que parece ter o mesmo fim… foi uma coleção de uma média de R$ 140,00 reais, vc acha justo cancelar por causa de 1 volume… Meu dinheiro virou capim, deve ser né… agora é mastigar os volumes, já que nunca terão fim… Não acho isso justo, e verdade seja dita, os cancelamentos são devidos as próprias cangadas da editora.

  8. Na MINHA humilde opinião a Panini não vende pq não quer, parece que ela não tem nenhuma estrategia de mercado ‘-‘ nesse ponto devo elogiar a JBC que nos últimos tempos vem abordando uma estrategia muito boa.
    Vou continuar a comprar mangá dela. mais apenas títulos que tenham poucas chances de cancelamento.

  9. Não divulgam os mangás que tem, somem com eles pra “tentar” trazer de volta e cancelam, 2 e 3 anos depois. Tenho pena de quem comprou Homunculos. Só falta 1 volume! Quero nem ver o pessoal que vai se desesperar com o Mito de Arata.

  10. Gostaria que alguém me falasse quais são os esforços que a Panini faz para evitar os cancelamentos, pq eu não vejo nenhum, ela não investe em propaganda e markenting, sua distribuição é uma droga (se vc mora no interior provavelmente sabe do que estou falando), e a maneira com que ela nos traz informações como essa é no mínimo desrespeitosa. Mas infelizmente não é de hoje que o fã de mangá é tratado como um idiota. Lucro é importante, mas para obtê-lo é preciso investir em outras áreas, e não simplesmente jogar o produto nas bancas e esperar que todo vão instantaneamente se interessar por ele!

  11. Sendo sincera, estou muito decepcionada com a editora. Eu comprava o Otomen e já tinha entrado em contato de várias formas para ter notícias, e sempre me davam a resposta padrão que não tinham informações sobre o mesmo. Agora, fazem esse “anúncio” em um post do Facebook que era sobre outro título? Sério, foi muito ridículo.

    Eu sei muito bem que como empresa eles não podem continuar lançando um título que dá prejuízo, mas durante toda a publicação eu não vi um mínimo esforço em fazer a promoção do título. Sites e blogs divulgaram a notícia por conta própria, e eu que na época não acompanhava muito blogs o descobri na banca, mesmo. Comprei o primeiro volume pra conhecer e gostei muito, mas infelizmente já vi muita gente deixar de comprá-lo e até criticar negativamente sem conhecer a história apenas por causa da capa. Como que a editora esperava que o título vendesse bem sem nem tentar divulgar a sinopse ou incentivar os leitores a conhece-lo, sendo que a autora também não era conhecida aqui? Simplesmente o jogaram na banca e pronto!

    O pior foi depois, quando o título foi interrompido aguardando renovação contratual e simplesmente sumiu. Em momento algum durante 2 anos os consumidores foram informados da real posição em que o título estava, e muito menos vi a editora se esforçando para tentar alavancar as vendas dos volumes que já haviam sido lançados. Não vi pesquisas pra saber a opinião dos consumidores, não houve NADA. E depois a editora ainda fala que respeita o consumidor e que se esforça para não cancelar um título? Por favor, né.

    Agora, eu e as outras que pessoas que o compravam estamos no limbo, assim como quem comprava Full Metal Panic Sigma e outros títulos que estão parados há um bom tempo, sem notícias. Penso em importar Otomen assim que eu tiver condições e não me importo muito de recorrer ao mercado de outro país, mas ter que fazer isso sabendo que a editora brasileira não se esforçou de verdade para mante-lo no nosso mercado é humilhante. Pra mim a tal da história de “Shoujo não vende” se encaixa nessa mesma situação, com alguns pontos a mais.

    Enfim, acho que a Panini está caminhando gradativamente e tentando estabelecer uma comunicação eficiente com os consumidores considerando as últimas iniciativas da editora, mas isso foi um tremendo tiro no pé. Se houver cancelamentos no futuro, espero que deixem essa posição infantil de lado e deem a devida importância ao assunto, fazendo um anúncio direito, da mesma forma que fazem com os lançamentos.

    1. Saudações

      Enfatizando de forma clara e direta, no caso a Panini (não que seja algo restrito a tal editora), falta uma divulgação de pronto para/com o público consumidor sobre cancelamentos, da mesma forma que é feita com os anúncios e novidades.

      Me pergunto se, neste meio tempo, não estaria em processo alguma tentativa da Panini do Brasil em tentar “reviver” a publicação para o mercado local. Sim, passaram-se dois anos e, em tal período, acho que seria deveras interessante a editora manifestar um interesse conciso junto ao público dela.

      Até mais!

  12. Eu fiquei super triste. A Panini não faz divulgação dos seus mangás, e as poucas pessoas que compram determinado mangá sofrem com o cancelamento.
    Eu comprava Otomen, e acho que se fosse melhor divulgado, teria um público maior.

  13. Tudo bem cancelar uma série que não venda bem, uma empresa precisa ter lucro. Tudo bem uma certa demora para fazer o anúncio desse cancelamento já que, como mencionado no post, é preciso fazer estudos de viabilidade e tal, embora como eu não me recorde de nenhum título sendo salvo do cancelamento depois dessa pausa, não posso dizer se é algo que funcione ou não, mas posso estar enganada. Agora, o que é desrespeitoso com o consumidor é receber o “anúncio” do cancelamento no meio de trocentos comentários sobre as assinaturas de Shingeki no Kyojin. Okay, eles já deviam estar contando com os blogs sobre mangás para espalhar a notícia, mas veja só, acho que a obrigação de fazer isso é da Panini. A equipe da editora pode fazer vários e vários posts para divulgar séries novas e falar que mangá X ou Y já está na banca, eles tem aquele Planet.zip para falar sobre as publicações da editora, mas não podem publicar uma nota oficial e visível dizendo que outras séries seriam descontinuadas? Não podem tirar dois minutos do programa para dar uma satisfação aos clientes – e olha que assistir o último foi difícil, porque eu acho Toriko um saco. Certo, tem mais é que divulgar coisas novas mesmo, mas precisa ter um mínimo de respeito pelas pessoas que já gastaram dinheiro com essas séries canceladas porque acho que a intenção seja manter esses clientes, não? Espero que a “análise de viabilidade” de O Mito de Arata não demore tanto e que também digam o que vai acontecer com Zone-00.

    1. O único que eu consigo lembrar agora que vendeu pouco, passou anos sem notícias e depois retornou para ser concluído foi o ótimo (e em uma edição linda) Lodoss War – A dama de Pharis: http://www.genkidama.com.br/gyabbo/2011/11/03/lodoss-war-a-dama-de-pharis-editora-panini/

      Sobre O Mito de Arata, em agosto fui informado que o contrato até então havia encerrado e o mesmo não havia sido renovado por enquanto, então sem novidades, mas o panorama não parece muito bom… mais detalhes ver o Boletim de Informações #1 aqui do Gyabbo!: http://www.genkidama.com.br/gyabbo/2013/08/05/boletim-de-informacoes-1-editora-panini/#more-10609

      Gyabbo!

  14. Saudações

    Dada a última data na qual tais obras foram publicadas no Brasil pela Panini, era estritamente mais do que óbvio que as mesmas estavam para serem canceladas em definitivo.

    Se não vende, para-se a publicação. Seria esta a chamada lei natural das coisas.

    Entretanto, vejo que faltou um pouco de [dor de dono] por parte da Panini. Da mesma forma que ela e quaisquer outra editora fazem alardes com lançamentos, deveriam fazer similares esclarecimentos quando ocorresse de um mangá ser cancelado.

    Muito embora eu não seja necessariamente um tipo de consumidor nato, é possível enxergar este sério “defeito” que atrapalha aquilo que poderia ser uma comunicação mais calorosa e objetiva entre editora e público consumidor.

    Até mais!

  15. Essa benevolência toda com a Panini foi questionada também nos comentários lá no Chunan. Vou deixar aqui um depoimento de um ex-blogueiro chamado Kuroi. Perguntaram se ele tinha parado com o blog dele. Eis a resposta: “Desisti sim, me decepcionei com essa merda de mercado editorial. Não passam de umas crianças brincando de fazer negócios. Ou melhor, não passam de adultos que acham que seus consumidores são apenas crianças que não merecem respeito. Recentemente percebi que a Panini está fazendo com outras pessoas o que fizeram comigo, me escolheram, deram um monte de informações (a maioria verdadeira, algumas falsas) e me passavam um monte de mentiras sobre renovação de contratos, cancelamentos etc. Daí quando você começa a cobrar e eles percebem que a mentira que eles te disseram não cola mais arrumam outro otário que tenha um blog de média projeção pra dar informações e ficar mentindo e engando os outros. Me senti usado.”

    1. Saudações

      Não fazia ideia de que o Kuroi havia se tornado ex-blogueiro (muito embora ele realmente tenha mudado o nome do sítio dele para “Mangá Fã”, em http://manga-fa.blogspot.com.br/, sendo que o mesmo não é atualizado desde 30/04/2013).

      Se este foi o motivo que fez ele parar com o blog, isso já não sei. Só me recordo que, antes de mudar o nome do blog, o mesmo se chamava “Mangás da Panini – Fã Site”.

      Bom, em um ângulo mais simples, eis aí uma ligação.

      Até mais!

  16. Para mim o maior ponto em se colecionar mangas é a certeza de q chegará a um fim. Mas a falta de imformação ou uma boa gerencia de informação para o publico alvo (leitores de manga), desanima qualquer futura empreitada. A panini parece apenas se preocupar com os medalhões. E apesar do sucesso inicial de outras series (a meu ver) a ausencia de divulgação e informação so leva a editora a contribuir com o cancelamento do seu propio produto por aqui. A Panini me pede compreensão e terá todo o meu entendimento, mas deve entender e compreender que, como consumidor e leitor, dificilmente me sujeitarei a essa condição novamente quando lançarem um produto novo. Acompanho Claymore e não me sinto confortavel hoje ao adquirir esse manga, com a editora nessa situação. Acompanho ainda Dragon ball, Bleach, Deadman Wonderland e Gantz, atualmente estas series estão a salvo dessa ameaça pela etapa de finalização proxima aqui no Brasil (Gantz e Deadman W.),ser um clássico (DB) e possuir um publico ainda crescente (Bleach[acho]). Mas se fosse para começar a adquirir Bleach hj com a panini nessa situação eu nem sonharia com isso (Bleach atualmente esta no vol 55 por aqui!), pois é um titulo muito longo e aos poucos a editora, ME PARECE, reduz a divulgação dos seus produtos conforme novas series surgem (ex.:Toriko e shingeki no kiojin). Me parece q a Panini com suas estrategias de mercado esta se focando mais nos leitores mais jovens, desistindo (aos poucos) dos leitores de faixa etaria maior (digo isso pela forma como a ed. vem se portando ao responder seus questionamentos ). Não sou contra essa estrategia pois são os mais jovens q passam mais tempo (de vida) dando lucro p esse tipo de empresa, mas os mais velhos tbm leem mangas. Se querem manter o lucro devem avaliar melhor e add algo mais no seu processo editorial pq um manga pode passar decadas sendo serialisado, crianças crescem e são os adultos e pais de familia q pagam por esses produtos. Posso ficar sem minha serie favorita (impressa) mas sei q existem outras tipos de leitura e editoras no mercado (graças a Deus existem alternativas).

  17. Uma das séries de mangá que eu mais gosto e que realmente valia a pena colecionar ( pela arte da capa, pelos traços e pela história – ambos magníficos)… Triste saber que Full Metal Panic Sigma parou de lançar no Brasil na melhor parte do mangá. Espero que um dia ainda volte. =/

  18. Dois problemas fundamentais existem no mercado: falta de marketing e falta de transparência.

    Não há uma pesquisa e divulgações adequadas a demanda do mercado, o que só causa derrapadas com o licenciamento de títulos que não fazem o estilo de boa parte do público brasileiro.

    Em contrapartida, como não temos acessos aos números (diferente de boa parte dos países, onde existem rankings de vendas) nunca sabemos ao certo como anda a situação de cada série e somos pegos de surpresa com paralisações, cancelamentos, etc.

  19. Mesmo depois de tanto tempo ainda me lembro desta safadeza da Panini. Fullmetal Panic Sigma ficou uns 3 anos paralizado. Ainda bem que só comprei os dois primeiros volumes, mas mesmo assim é frustrante ter uma coleção cancelada na minha estante, principalmente de um manga que eu gosto muito.

    A até hoje, 2016, tem vários mangas da Panini paralizados há anos e não duvido nada de serem cancelados sem prévio aviso.

Deixe sua opinião