Rokka no Yuusha – Conclusão

Com a premissa de um anime voltado apenas para lutinhas, Rokka no Yuusha surpreende por possuir um contexto mais cerebral. Quer saber por quê? Então venha ler aqui no Gyabbo!

Rokka no Yuusha tem como protagonista Adlet Mayer, um cara com cabelos vermelhos compridos, um visual desleixado e um bordão: Eu sou o homem mais forte do mundo! Com essa apresentação imagina-se que não seja uma figura muito confiável, muito menos inteligente, mas a história surpreende por ser justamente focada em tramas bem pensados. De séculos em séculos o Arquidemônio desperta no continente e para combatê-lo seis heróis são escolhidos pela Deusa do Destino, todos marcados com uma flor de seis pétalas. Eis que a confusão está formada quando, ao invés de seis, surgem sete pessoas com a marca da flor e desponta a pergunta: Quem é o traidor infiltrado?

Por motivos que eu não vou explicar detalhadamente, esses sete personagens acabam enclausurados dentro de uma barreira entre a Terra dos Demônios Vociferantes e o restante do continente. E é nesse lugar que o anime se passa praticamente, pois até que se descubra quem dos sete é o infiltrado, eles não tem como sair desse lugar. Normalmente uma trama dessas conteria um mar de sangue com todo mundo se matando à exemplo do manga Doubt, mas não foi o caso. A primeira pessoa a cair sobre a suspeita de todos é Adlet e a partir daí começa a luta dele para sobreviver e tentar provar sua inocência, desvendando quem é o verdadeiro falsário.

Muita gente que acompanhou o anime nessa temporada reclamou por ser demasiadamente concentrado em teorias em cima de outras, tendo pouca ação, mas isso não é verdade. Primeiro que a sinopse do anime já alertava que o foco seria na desconfiança criada em torno de Adlet, e segundo, que, apesar de alguns episódios serem bastante parados, o anime soube trabalhar ação e desenvolvimento juntos, possuindo várias cenas de luta entre os personagens. Pra quem aprecia mistério e investigação, recomendo que assista, porque o contexto geral foi diferente do que se vê em histórias desse gênero.

Em termos de qualidade visual, o estúdio Passione deu uma grande desleixada no decorrer do anime. O traço e animação num todo ficaram visivelmente abaixo da média, com a sequências de cenas menos detalhadas e fluidas do que gostaríamos de ver. O formato dos monstros em 3D é algo que também pode desagradar a muitas pessoas. A abertura e o encerramento são razoáveis, entretanto a trilha sonora é bastante agradável.

O anime não finaliza a história, apenas a primeira parte da mesma. Talvez a conclusão desse arco não seja tão surpreendente, mas o decorrer da história sim, pois os personagens mais improváveis se mostram os mais confiáveis e onde você menos espera pode surgir o pior inimigo. A Light Novel que baseou o anime conta atualmente com seis volumes e o anime com 12 episódios adaptou apenas o primeiro desses, deixando muita coisa pela frente a ser explorada. Rokka no Yuusha é uma história mediana, mas cumpre bem sua proposta do início ao fim. Resta cruzar os dedos para que venha logo uma segunda temporada.

Rokka no Yuusha_16Rokka no Yuusha_18

Rokka no Yuusha_11

Rokka no Yuusha_12

Sobre Karina Herbsthofer

Artesã, fotógrafa, escritora, otaku, comilona, amante de gatos e dança. Viciada em cheirar livros! Mora no estado de São Paulo. Escreve no blog do Gyabbo! desde 2014.

Com a premissa de um anime voltado apenas para lutinhas, […]