Tag Archives: Kimagure Orange Road

O encurtamento dos uniformes nos animes pelas décadas…

encurt

As saias dos uniformes escolares das meninas japonesas sempre foi alvo de muita polêmica. É fato que nos últimos anos as meninas tem usado sais menores e menores por causa da moda ou simplesmente para experimentarem com sua sensualidade.

Nos animes e mangás, o uniforme escolar feminino sempre esteve presente e não há quem nunca o tenha visto em alguma série. Todas tem o seu. Com corte original, tradicional ou inspirado em outras. Era questão de tempo até que as saias dos animes fossem encurtando… encurtando… encurtando… até superar a realidade e trazer uniformes como os de Vividred Operation, onde nem saia existe, apenas um short ultra-curto.

É, os uniformes dos animes estão encurtando. Reparei mais nesse fato pois estava re-assistindo alguns episódios de um anime que gosto bastante, Kimagure Orange Road, e as comparações entre os anos 1980 e os anos 2010 no que se trata de saias ficou BEM evidente. Preparei a imagem abaixo para exemplificar para vocês.

Não, não é uma constatação nova e ou surpreendente… mas achei válido compartilhar com vocês.

saias2

As saias dos uniformes escolares das meninas japonesas sempre foi […]

Slice of Life: "Mas nesse anime não acontece nada…"

Você provavelmente já ouviu ou leu a frase acima. Se você for fã de animes no estilo slice of life então é quase certeza. Essa é uma crítica bem comum ao gênero e vem me chamando a atenção recentemente.

Slice of Life, que em português significa “Pedaço/Fatia/Porção de Vida”, é um gênero bem comum na animação japonesa que se caracteriza por estórias baseadas na realidade, com personagens mais verossímeis, geralmente no tempo presente e que normalmente exploram situações do dia-a-dia. Exemplos de animes e mangás slice of life são Genshiken, K-ON, Bakuman, Kuragehime e Kimagure Orange Road.

O me atrai nesse gênero é o potencial de explorar o desenvolvimento de personagens, característica que eu aprecio muito em um anime, série, filme, o que seja. O que se entende como desenvolvimento de personagem é o autor conseguir, durante a história, fazer o leitor/espectador conhecer e acompanhar a evolução emocional, intelectual, etc, do mesmo. Isso cria uma aproximação do espectador com a história e um envolvimento maior com ela.

Porém, venho ouvindo constantemente a afirmação do título: “Mas nesse anime não acontece nada…”. Comecei a me intrigar com ela quando comentava K-ON no fórum Multiverso [email protected] e essa crítica continuou agora quando comento Bakuman. Foi então que eu decidi realmente levar isso em consideração e ver se essa crítica é válida, se realmente não acontece nada nesse tipo de anime e eu que estou errado.

A conclusão em que cheguei foi bem simples. Tudo depende de sua expectativa para com o anime.

Se você assiste o anime para acompanhar a vida do personagem, de ver seus problemas, suas soluções, suas qualidades, seus defeitos, você não vai se decepcionar (se o autor for bom). Se o personagem decide fazer uma ação que irá afastá-lo momentaneamente de seu melhor amigo ou se outro desistiu de participar daquele show importante porque encontrou no backstage uma antiga inimiga do passado, significa que aconteceu alguma coisa para esse espectador. Ele ficou intrigado e curioso para saber como vai ser o futuro do personagem a partir daquilo. Mas nem todos pensam dessa maneira.

É bem comum, mais do que eu imaginava, pessoas que acham que animes tem que ter um ritmo frenético. Em que cenas épicas e que mudam o universo tem que acontecer a todo o episódio. Caso um anime “falhe” nesse quesito, já é considerado lento e potencialmente chato.

O que leva uma pessoa a pensar assim? Por que um anime não pode ter um episódio dedicado ao desenvolvimento de um de seus personagens sem que isso altere a vida de todos os outros personagens ou seja de extrema importância para o plot central? E eu não posso dizer que cheguei a uma resposta certa quanto a isso, mas uma teoria que chego a considerar bastante é a de que isso é culpa da própria indústria.

Os animes tem diminuído sua “longevidade”. Animes com mais de 13-14 episódios são exceção. Em um anime curto, ter um episódio em que pouca coisa acontece significa que o anime não irá chegar ao seu final, terá um “final aberto”, está “perdendo tempo com coisas irrelevantes para o plot central”. Ou seja, a indústria deu base a ideia de que a história é prioridade frente a bons personagens e não que os dois andam juntos, como deveria ser.

Esse assunto tem me deixado curioso. Vocês acham a mesma coisa? Que é necessário ter um desenvolvimento explícito do plot central ou o episódio é considerado “sem graça”? Gostaria de ouvir a opinião dos leitores. Não deixem de comentar.

Você provavelmente já ouviu ou leu a frase acima. Se […]