Hollywood e as Animações Japonesas – Um caso de amor

Hollywood está virando otaku!

Não é de hoje que Hollywood demonstra admiração pelas animações japonesas. Talvez o primeiro sinal mais evidente de reconhecimento tenha sido nos anos 90, com o acordo de distribuição entre a Disney e o estúdio Ghibli que ajudou este último a ganhar fama mundial. Também por essa época, atores, diretores, roteiristas e animadores que tinham conhecido e se encantado com animes e mangás na infância ou adolescência começavam a conquistar espaço na indústria do entretenimento. Assim, cada vez mais influências, referências e homenagens nas obras ocidentais vem surgindo com o tempo.

Estúdio Ghibli

Além do sucesso de crítica e público internacionais, o estúdio Ghibli conseguiu cinco indicações e um Oscar de melhor longa animado – o primeiro vencido por um estúdio não-americano. O estúdio recebeu homenagens em outros filmes e séries, tais como:

  • Um Totoro de pelúcia introduzido na turma dos brinquedos de Toy Story 3. O criador da franquia, John Lasseter, é amigo pessoal de Hayao Miyazaki e o considera um mentor. O curta-metragem Tin Toy, que seria a base para Toy Story, foi inspirado em uma visita que Lasseter fez ao estúdio Ghibli.
  • o mesmo John Lasseter serviu de intermediário para que Joss Whedon, outro fã declarado do Ghibli, conseguisse permissão para incluir o robô de O Castelo no Céu em uma breve cena de Vingadores a Era de Ultron.
  • Os Simpsons homenageou várias obras do estúdio no episódio 10 de sua 25ª temporada.
  • South Park fez uma paródia mesclando Meu Vizinho Totoro com o Cthulhu, a aterrorizante criatura imaginada por H. P. Lovecraft.

Séries de anime

O filme Círculo de Fogo (Pacific Rim) é uma clara homenagem não só aos animes de mecha, mas também aos filmes de monstro (kaiju). Quem assistiu ao vídeo da visita do diretor Guillermo del Toro ao Japão pode constatar sua paixão por Gundam, sua expressão extasiada diante da gigantesca estátua do robô no Gundam Museum é inequívoca. Outra curiosidade sobre del Toro é que ele foi chamado de “Totoro-san” por Mana Ashida. O apelido pegou e até hoje o diretor recebe fanarts em que aparece desenhado como a famosa criação de Hayao Miyazaki.

Operação Big Hero foi, de acordo com seu diretor Don Hall, “uma carta de amor ao Japão”. A referência mais específica de anime do filme foi o “soco-foguete”, conceito popularizado pela série Mazinger Z.

O diretor Guillermo "del Totoro", Mana Ashida, e uma das muitas fanarts.

O diretor Guillermo “del Totoro”, Mana Ashida, e uma das muitas fanarts.

No filme Retratos de uma Obsessão (One Hour Photo) há uma cena em que o garoto Jakob (Dylan Smith) mostra uma figure de Evangelion para Seymour Parrish (Robin Williams). Essa figure é parte da coleção pessoal do próprio Robin Williams, assumido fã de animes. O ator chegou a mencionar em um bate-papo com fãs em 2013 que, se algum dia fizessem uma versão americana de Ghost In The Shell, ele adoria interpretar o personagem Aramaki.

O episódio de Halloween do desenho Apenas Um Show mostra o personagem Techmo fantasiado de Spike Spiegel, de Cowboy Bebop. Curiosamente, Steve Blum, dublador de Techmo, também fez a voz de Spike na dublagem americana do anime.

Spike Spiegel, versão "Apenas Um Show", e original.

Spike Spiegel, versão “Apenas Um Show”, e original.

De certa forma é uma alegria saber que existem no ocidente tantos otakus talentosos e famosos, não acham?

Essas são apenas algumas homenagens e curiosidades que encontramos. E você, conhece outras? Se sim, compartilhe conosco nos comentários!

FONTES:

MTV (sobre Toy Story 3)

Gizmodo (sobre Vingadores: Era de Ultron)

Youtube Pacific Rim Japan Press Conference (sobre Guillermo del Toro)

Crunchyroll (sobre Robin Williams)

Wikipedia (sobre Os Simpsons)

The Wall Street Journal (sobre Operação Big Hero)

Sobre liviasuguihara

Instrutora de inglês, "arteira", amante de animes e mangás. Você também me encontra no Twitter (@lks46), no Deviantart (https://liviaks.deviantart.com/), e no Instagram (liviasuguihara).

Hollywood está virando otaku! Não é de hoje que Hollywood […]