A importância dos irmãos na família japonesa

siblings

 Você sabe o que é “shisu-kon”? E “bura-kon?”

Shisu-kon é uma abreviação japonesa de “sister complex”. Refere-se ao relacionamento de uma pessoa com sua irmã, que pode ser de idolatria, rivalidade extrema ou “corujice” excessiva. Já bura-kon é a mesma coisa só que com um irmão – “brother complex”.

Irmãos são personagens comuns em animes e mangas. Há os inseparáveis como Ed e Al de Fullmetal Alchemist ou os que se odeiam como Inuyasha e Sesshomaru. Existem os irmãos mais velhos corujas e irmãos mais novos que idolatram seus “onii-chans”. Não parei para fazer as contas, mas parece-me que o relacionamento entre irmãos tem muito mais espaço nos animes e mangas do que o relacionamento entre pais e filhos.

Ed e Al de FMA: um mix de amizade, cumplicidade e um tantinho de rivalidade.

Ed e Al de FMA: um mix de amizade, cumplicidade e um tantinho de rivalidade.

Por que os irmãos aparecem tanto nos animes e mangas? Bem, em primeiro lugar, precisamos lembrar que o Japão é um país sujeito a terremotos, tsunamis, furacões e erupções vulcânicas, além de ter passado por muitas guerras no decorrer de sua história. As chances de um pai ou mãe, ou ambos morrerem de repente deixando os filhos desamparados eram grandes. Quando isso acontecia, irmãos precisavam se ajudar. Mesmo se tivessem algum parente que os acolhesse, ainda havia a questão da educação japonesa que tem o mais absoluto horror de atrapalhar ou causar qualquer tipo de transtorno aos outros.

Então, ainda que tivessem um parente com quem contar, era preciso que os irmãos cuidassem uns dos outros para que não dessem trabalho a quem fosse acolhê-los. Assim, acaba estabelecendo-se que o irmão mais velho deve tornar-se o substituto do pai, e a irmã mais velha, substituta da mãe. Eles são educados para sempre proteger e assumir responsabilidade pelos mais novos, mesmo quando a diferença de idade é mínima. Por outro lado, os mais novos são ensinados a respeitar e obedecer – note-se que raramente um irmão mais novo chama o mais velho pelo nome, precisa usar o honorífico “onii-san” ou “onee-san” no caso das irmãs, senão é considerado desrespeito. Desta forma, garante-se que mesmo que os pais não estejam presentes, a família sobreviverá.

Exemplos de bura-kon e shisu-kon: Ikki, eternamente protegendo Shun em CDZ e Komui, eternamente derretido por Lenalee em D-Gray Man.

Exemplos de bura-kon e shisu-kon: Ikki, eternamente protegendo Shun em CDZ e Komui, eternamente derretido por Lenalee em D-Gray Man.

É verdade que esse tipo de coisa não é exclusividade da cultura japonesa. Em qualquer lugar do mundo, irmãos normalmente protegem-sem e ajudam-se na ausência dos pais. A diferença é que, vivendo num arquipélago sujeito a todo tipo de desastre natural e tendo passado por muitas guerras, os japoneses sentem a possibilidade da morte de modo muito mais concreto do que nós e procuram prevenir-se da melhor maneira possível.

Claro que não estou falando que cem por cento da população japonesa é assim. Com certeza existem famílias com dinâmicas mais parecidas com as nossas, em que irmão mais novo pode chamar o mais velho pelo nome e tratar como igual. A última grande guerra terminou há quase setenta anos e o Japão é hoje um país muito mais seguro do que era naquele tempo. Já não há mais tanta preocupação de morrer cedo e deixar os filhos desamparados. Mesmo assim, os reflexos de tantos séculos vividos na corda bamba demoram a desaparecer, ainda mais em uma cultura tão conservadora.

Sobre liviasuguihara

Instrutora de inglês, "arteira", amante de animes e mangás. Você também me encontra no Twitter (@lks46), no Deviantart (https://liviaks.deviantart.com/), e no Instagram (liviasuguihara).

 Você sabe o que é “shisu-kon”? E “bura-kon?” Shisu-kon é […]

27 thoughts on “A importância dos irmãos na família japonesa”

  1. Mto bons teus textos, me faz lembrar de revistas antigas, quando saiam curiosidades a respeito da cultura nipônica. Me lembrei tbm dos irmãos de Túmulo dos Vagalumes.

  2. E a questão do incesto? Em vários animes este elemento está presente, o que pode causar muita estranheza em culturas ocidentais. Este elemento é realmente presente na cultura nipônica? Não digo que seja visto com normalidade, mas não me parece ser tratado como um tabu tão forte. Talvez eles tratem tabus de maneira geral de forma diferente da gente, não sei…

    1. Na visão deles incesto é algo ruim por questões biológicas, e não por ser um pecado. Além disso, o japonês separa muito as coisas, ou seja, no mundo da fantasia tudo pode, no mundo real, não.

    2. Acredito que seja exatamente como a Lívia falou. E não só no Japão. A relação entre irmãos é mais comum do que achamos e desde que o mundo é mundo. As pessoas negam porque a religião condena e apenas por isso. Vivemos numa sociedade mundial quase toda religiosa e religiões que condenam este tipo de relação. Fomos criados para ver com maus olhos este tipo de relação, mas que ela acontece e sem o abuso de uma das partes, há isso acontece e às vezes do nosso lado. Eu tive uma amiga na adolescência que por uns 3 anos namorou escondido o irmão por parte de pai. Povos que não são regidos por leis religiosas, mesmo que seja apenas moralmente, não tem os tabus que estas sociedades tem e avaliam as coisas de forma diferente…

  3. eu achava que tinham muitos animes e mangás mostrando extrema união entre irmãos para incentivar os nipponicos a terem mais de um filho (pois ta diminuindo cada vez mais o numero de crianças que nasce no japão… assim como incentivo os poucos que casam teriam mais filhos… tipo 2 ou 3 )

    1. É uma idéia interessante, Joyce. De fato a queda da natalidade é um problema por lá. A questão é que primeiro eles precisam incentivar os casamentos, pois as mulheres não estão querendo casar XD

        1. Concordo contigo, Luna. Infelizmente os japoneses são muito conservadores. Se por um lado isso os ajudou a preservar tradições e costumes bacanas, por outro dificulta muito as mudanças mais cruciais.

  4. Bora ir lá fazer uma etnografia e descubrir. Bem que esse é um assunto interessante…. tava esperando um pouco mais do post, mas foi interessante.

    1. Fico feliz que tenha achado o post interessante ^^ Na sua opinião, o que mais eu poderia ter acrescentado para enriquecer o texto? Pergunto por que me ajudaria a caprichar mais nos próximos posts :)

    1. Pois é, quando a gente fala de “familia japonesa” ou “familia brasileira”, não tem como escapar de generalização, afinal as famílias não são todas 100% iguais em nenhum lugar do mundo. Relacionamento de irmãos varia bastante em culturas mais liberais (em comparação com as orientais). ^^

    2. Eu sou do tio super protetora ja que sou a mais velha. E realmente , as vezes, sinto o peso de ser super protetora. Como quando sai da minha cidade, quando voltei minha irma nao queria ir para a escola e meu irmão nao desgruda de mim. è bom e ruim!!!

      1. Eu sou a mais nova , tenho 12 e minha irmã 17 . Ela acha q eh minha mãe vive influenciando meus pais a n deixar eu sair com meus colegas , é bem chato.Um dia ela quase fez um escândalo no colégio pq eu ia no subway com eles , da muita vergonha :/

    1. Obrigada pelo comentário, BuGa!

      Atração é o mais comum em animes recentes por que é a tendência atual, mas não é o único sentimento. Em Love Stage, por exemplo, um personagem é descrito como tendo “bura-kon” por causa de sua atitude exageradamente superprotetora com o irmão caçula, e não por sentir atração por ele.

  5. Faz tempo que venho notando esta coisa de “irmãos” nos mangás/animês. Foi uma boa explicação pra entender melhor as coisas. E mais um ponto pra manter o “onii-san” nas traduções (especialmente em animês legendados e mangas).

  6. Olá, eu sempre quis fazer um estudo sobre esse tema. Faço letras e estudo muita literatura.
    Percebi que o personagem do irmão sempre influencia muito a trama, e as vezes o irmão é o motivo para o protagonista lutar/morre/fugir/se vingar/etc.
    A mesma coisa é com a Coreia, sendo que lá o personagem que traz o conflito é a mãe.
    Ficando assim:
    Japão- Irmão/ Irmã
    Coreia- Mãe
    Brasil e outras culturas ocidentais- Amado(a)

    Vc por acaso tem algumas obras que confirmem essa temática para me indicar? ‘-‘
    Desde já agradeço :)

    1. Oi Raquel, obrigada por comentar! Sobre livros não tenho muito conhecimento pois meu japonês pra leitura é fraco e não vi até hoje nenhuma obra traduzida que tratasse do assunto, desculpe. Quanto a mangás e animes, Peacemaker Kurogane trabalha a questão em subplots com vários pares de irmãos, de maneira simples e bem interessante, revelando em pequenos diálogos e atitudes o misto de rivalidade, culpa, frustração e amor que há entre eles. Os episódios 14, 19 e 21 do anime são os que mais focam nisso, mas para entender as sutilezas da história o ideal seria assistir a série toda (são 24 episódios de meia hora cada).

      Uma curiosidade é que a animação americana Big Hero 6, cujo protagonista é um menino japonês, também coloca o irmão como chave para as grandes mudanças que acontecem com o personagem. Imagino que a importância do relacionamento entre irmãos no Japão não passou despercebida pelos roteiristas de Hollywood =D

      Se você sabe inglês, tem esse texto aqui: https://books.google.com.br/books?id=ZKZSgI5NN3UC&pg=PA197&lpg=PA197&dq=siblings+in+japan&source=bl&ots=sLrLecbXU_&sig=YzCVD5n999xS3UWBYkreAf8-B4M&hl=pt-BR&sa=X&ei=wZb4VK-IKciYNvrPg9AL&ved=0CHYQ6AEwCQ#v=onepage&q=siblings%20in%20japan&f=false

      E esse é mais específico, sobre crianças japonesas que têm irmãos com deficiência: https://www.chapman.edu/ces/_files/phd-education/esc-I-papers/ESC_final_Machiko%20Kawamura.pdf

      1. Eu tbm tinha percebido em Big Hero 6 ^^
        Eu sempre assisti os animes estranhando um pouco isso, na verdade no inicio eu pensava que era algo como obsessão [Eu tenho 3 irmãs e o nosso relacionamento é bem saudável rsrsrs], mas depois percebi q tinha a ver com a cultura deles
        Não lembro de todos [são muitos], mas esses animes tbm trabalham com essa questão: Code Geass, CDZ [Shun e Ikki], Fullmetal Alchimist, uma porrada da clamp, Inu x Boku [Os filhos do cozinheiro], Saiunkoku, Bleach, etc.
        É que eu estava querendo comprovar essa teoria dentro da literatura e não encontrei nenhuma obra japonesa que abordasse =/
        Mas eu acho q na literatura coreana fica mais fácil de encontrar a temática da personagem da mãe.

        De toda forma eu agradeço a sua ajuda e qualquer coisa eu mandei 1a msg no face tbm, caso queira conversar mais sobre o assunto rsrsr

        Abraços :)

Deixe sua opinião