A importância dos irmãos na família japonesa

siblings

 Você sabe o que é “shisu-kon”? E “bura-kon?”

Shisu-kon é uma abreviação japonesa de “sister complex”. Refere-se ao relacionamento de uma pessoa com sua irmã, que pode ser de idolatria, rivalidade extrema ou “corujice” excessiva. Já bura-kon é a mesma coisa só que com um irmão – “brother complex”.

Irmãos são personagens comuns em animes e mangas. Há os inseparáveis como Ed e Al de Fullmetal Alchemist ou os que se odeiam como Inuyasha e Sesshomaru. Existem os irmãos mais velhos corujas e irmãos mais novos que idolatram seus “onii-chans”. Não parei para fazer as contas, mas parece-me que o relacionamento entre irmãos tem muito mais espaço nos animes e mangas do que o relacionamento entre pais e filhos.

Ed e Al de FMA: um mix de amizade, cumplicidade e um tantinho de rivalidade.

Ed e Al de FMA: um mix de amizade, cumplicidade e um tantinho de rivalidade.

Por que os irmãos aparecem tanto nos animes e mangas? Bem, em primeiro lugar, precisamos lembrar que o Japão é um país sujeito a terremotos, tsunamis, furacões e erupções vulcânicas, além de ter passado por muitas guerras no decorrer de sua história. As chances de um pai ou mãe, ou ambos morrerem de repente deixando os filhos desamparados eram grandes. Quando isso acontecia, irmãos precisavam se ajudar. Mesmo se tivessem algum parente que os acolhesse, ainda havia a questão da educação japonesa que tem o mais absoluto horror de atrapalhar ou causar qualquer tipo de transtorno aos outros.

Então, ainda que tivessem um parente com quem contar, era preciso que os irmãos cuidassem uns dos outros para que não dessem trabalho a quem fosse acolhê-los. Assim, acaba estabelecendo-se que o irmão mais velho deve tornar-se o substituto do pai, e a irmã mais velha, substituta da mãe. Eles são educados para sempre proteger e assumir responsabilidade pelos mais novos, mesmo quando a diferença de idade é mínima. Por outro lado, os mais novos são ensinados a respeitar e obedecer – note-se que raramente um irmão mais novo chama o mais velho pelo nome, precisa usar o honorífico “onii-san” ou “onee-san” no caso das irmãs, senão é considerado desrespeito. Desta forma, garante-se que mesmo que os pais não estejam presentes, a família sobreviverá.

Exemplos de bura-kon e shisu-kon: Ikki, eternamente protegendo Shun em CDZ e Komui, eternamente derretido por Lenalee em D-Gray Man.

Exemplos de bura-kon e shisu-kon: Ikki, eternamente protegendo Shun em CDZ e Komui, eternamente derretido por Lenalee em D-Gray Man.

É verdade que esse tipo de coisa não é exclusividade da cultura japonesa. Em qualquer lugar do mundo, irmãos normalmente protegem-sem e ajudam-se na ausência dos pais. A diferença é que, vivendo num arquipélago sujeito a todo tipo de desastre natural e tendo passado por muitas guerras, os japoneses sentem a possibilidade da morte de modo muito mais concreto do que nós e procuram prevenir-se da melhor maneira possível.

Claro que não estou falando que cem por cento da população japonesa é assim. Com certeza existem famílias com dinâmicas mais parecidas com as nossas, em que irmão mais novo pode chamar o mais velho pelo nome e tratar como igual. A última grande guerra terminou há quase setenta anos e o Japão é hoje um país muito mais seguro do que era naquele tempo. Já não há mais tanta preocupação de morrer cedo e deixar os filhos desamparados. Mesmo assim, os reflexos de tantos séculos vividos na corda bamba demoram a desaparecer, ainda mais em uma cultura tão conservadora.

Sobre liviasuguihara

Instrutora de inglês, "arteira", amante de animes e mangás. Você também me encontra no Twitter (@lks46), no Deviantart (https://liviaks.deviantart.com/), e no Instagram (liviasuguihara).

 Você sabe o que é “shisu-kon”? E “bura-kon?” Shisu-kon é […]