Tag Archives: Mayo Chiki

Verão 2011: O que eu realmente estou assistindo…

Estamos entrando no mês de Agosto, o que significa que já faz um mês que começou a temporada de Verão no Japão. Muitos “primeiras impressões” foram feitas aqui no Anikenkai e em vários outros blogs. A questão é que muitas vezes essas primeiras impressões vem acompanhada de muito hype. Aquela empolgação natural depois de se ver algo novo (se esse algo não for uma completa porcaria como R-15).

Por causa disso é comum deixarmos de lado alguns animes que podemos ter curtido o primeiro episódio. Esse post é para falar sobre o que eu realmente estou assistindo das mais de vinte animes que estrearam nessa temporada.

Usagi Drop

Sem dúvida o anime que eu estou mais curtindo nessa temporada. Já vi comentários de afobados no twitter dizendo que não é preu ficar tão feliz com a série, que a coisa pode ficar ruim, etc. Mas sinceramente, consigo aproveitar cada episódio em sua totalidade. Gosto bastante do que vejo. Tanto na parte técnica quanto na história e desenvolvimento de personagens.

Mayo Chiki

Como eu disse no “primeiras impressões”, esse anime consegue usar o fanservice de uma maneira bem divertida. Acho os episódios engraçadíssimos e é uma série bem “leve” de se assistir.

YuruYuri

Mais uma comédia. Dessa vez com uma pegada menos nonsense que Mayo Chiki, mas não menos engraçado. Acho a série bem divertida. O lance da personagem principal não ser de fato a principal realmente tem me deixado interessado. Porém, não é aquele anime que eu tenha que ver assim que sai. Acabo deixando atrasar alguns dias antes de ver. Nada demais, mas não tem aquela urgência.

Mawaru Penguindrum

Esse anime continua excelente. Direção de arte primorosa e um estilo narrativo que estava fazendo falta nos animes. Não há muito mais o que comentar, um dos favoritos nessa temporada, sem dúvida.

Kami-sama no Memo-chou

Eu continuo assistindo a esse anime, mas deixando acumular. Não vejo um episódio por semana. Acumulo alguns e assisto de uma vez. Para mim tem funcionado assim. Não vejo urgência para assistir. Não quer dizer que o anime é ruim, mas simplesmente prefiro ver em doses maiores de cada vez, mesmo que com mais tempo entre cada assistida. Pode ser efeito do primeiro episódio ter tido 1h de duração.

[email protected]

Não há urgência para assistir, não faço questão de deixar acumular, não sei nem porque eu gosto desse anime. Mas é fato que eu não quero simplesmente deixar de lado. Pode ser uma simples curiosidade para saber como vão desenvolver a “história” desse simbolo da cultura otaku que é [email protected] Não é uma série que eu recomendaria.

E são esses. Seis animes. Até que foram poucos que deixei pelo caminho (R-15, Sacred Seven, Ikoku Meiro no Croisée). Existem também aqueles que eu não vi ainda, mas ainda quero (NO.6) e aqueles que não quis nem terminar o primeiro episódio (Ro-Kyu-Bu, Manyuu Hikenchou). E não liguem por eu não ter mencionado Baka to Test Ni. Obviamente estou assistindo, mas como é continuação, vamos deixar fora das “estreias’.

Estamos entrando no mês de Agosto, o que significa que […]

Mayo Chiki: Deixem o preconceito ao fanservice de lado dessa vez…

É comum ficarmos meio receosos quanto a qualidade de um anime quando ele “abusa” de cenas com fanservice. Normalmente elas servem para mascarar a falta de qualidade em outros aspectos de uma série. Porém, com Mayo Chiki esse padrão não se aplica. Temos sim fanservice, bastante, mas ele acrescenta à diversão e torna a série uma boa comédia.

Kinjirou teve a infelicidade de nascer homem em um lar de lutadoras de luta livre. Sua mãe era muito famosa nos ringues e sua irmã pretende seguir os mesmos passos. Infelizmente, o rapaz viveu toda sua vida sendo usado como saco de pancadas por causa disso. Ele acabou então desenvolvendo uma fobia às mulheres. Quando alguma mulher toca seu corpo, o pânico é tanto que o nariz dele sangra e ele desmaia. Um cenário pronto para algo dar errado. E dá. Kanade é uma ricaça que vai à escola com seu mordomo, Subaru. Ele é extremamente desejado pelas mulheres e ela é extremamente desejada pelos homens. Porém, Kinjirou descobre um segredo que deveria ser muito bem guardado. Subaru, na verdade, é uma mulher. Ela se apresenta como homem como condição para manter a tradição da família em servir a família de Kanade. Se o segredo fosse descoberto dentro de um prazo, ela teria que se afastar da função. Porém, como Kanade não quer que isso aconteça, ela decide “poupar a vida” do rapaz, mas em compensação ele terá que atender aos desejos dela. O que se passa é que ela é completamente doida. Ela então decide “cura” a fobia de Kinjirou… através dos métodos mais doidos possíveis.

Foi um resumo grande, mas é para mostrar que a ambientação da história não é algo jogado, teve um mínimo de trabalho para sua criação. O desenvolvimento também não deixa a desejar. Temos situações bem engraçadas e as armações da Kanade para cima dos dois rendem boas situações.

A parte técnica também é competente. A dublagem está bem interessante, com uma Subaru fingindo voz de homem e um Kinjirou e suas reações espontâneas e sinceras. A animação é fluida e competente. Nada esplendido, até porque não é necessário para esse tipo de anime. Crédito ao estúdio Feel, que eu confesso nunca ter ouvido falar até esse momento. O diretor por outro lado, é o mesmo de Sket Dance, Keiichirou Kawaguchi. Como eu venho adorando o anime de Sket Dance, isso é um ponto extremamente positivo.

Mayo Chiki é um anime bem divertido, bem feito e engraçado. Não espere algo muito profundo, mas uma comédia leve. Recomendo que assistam pois a linearidade e a continuidade entre os episódios não é a coisa mais importante, sendo assim assistir em uma maratona não acrescentaria nada. Use Mayo Chiki como o alívio cômico da temporada.

É comum ficarmos meio receosos quanto a qualidade de um […]