As Velharias Que Nos Encantavam: Cinco Momentos Inesquecíveis

Estes são momentos inesquecíveis para você?

Quando se é criança várias coisas podem te marcar, coisas boas ou ruins. Seja aquele grupo de amigos que você gostava bastante ou as sessões intermináveis de bullying que você era obrigado a aguentar todos os dias.

O fato é que, quando você é pequeno, fatos marcantes vão te acompanhar por toda a vida e você pode se lembrar dos mesmos de uma ótica feliz ou triste. Nesse segundo post de especial de mês das crianças, iremos abordar justamente isso: os momentos marcantes que ficaram no nosso imaginário, sejam estes momentos felizes ou tristes.

Cinco Momentos inesquecíveis

5° Shiryu cega a si mesmo

Que o Shiryu adora ficar cego não é novidade para ninguém. O cavaleiro tem o dom de perder a visão em diversos momentos de Cavaleiros do Zodíaco chegando a me deixar desconfiada que um de seus golpes secretos seja o golpe da cegueira, para depois recuperá-la de maneira milagrosa.

No entanto, a primeira vez que o mesmo ficou cego foi no mínimo chocante. Na saga do Santuário na luta contra Algol de Perseu, seus amigos Seiya e  Shun são pegos pelo truque do escudo da Medusa e se transformam em pedra.

Não havendo outra forma de conseguir com que todos fossem salvos, vez que quem olhasse para a Medusa se transformava em pedra, Shiryu tomou uma decisão drástica: cegou a si mesmo.

Tirando o fato de que essa é uma decisão no mínimo insana, descabida e desnecessária, foi sim um sacrifício idiota válido e em nome da amizade. Algol até mesmo repete várias vezes para Shiryu que ele é um louco, doido, por ter se cegado para derrotá-lo.

Apesar dos pesares, e de hoje essa cena parecer um tanto quanto surreal, na época em que passou, marcou a infância de muita gente pelos fatores amizade, lealdade e sacrifício.

É claro que hoje em dia o meu cérebro cínico de adulta não aceita esse tipo de auto-sacrifício, mas na minha infância essa atitude de Shiryu ficou mais do que marcada como um momento inesquecível que comovente.

Melhor exemplo de vídeo vergonha alheia de animes EVER

4°O nascimento de Wargreymon e Metalgarurumon

Uma das coisas mais legais de Digimon -pelo menos na minha opinião – foi quando os digiescolhidos voltaram ao planeta Terra acompanhados de seus digimons. Foi basicamente a concretização do que TODO mundo gostaria que acontecesse. Melhor ainda foi ver a interação entre os digimons e os pais dos digiescolhidos.

Sim, crianças sendo entendidas pelos pais que em situação normal não acreditariam nunca naquela história absurda de Digimundo, digimons, digiescolhidos e etc. Ponto para o anime mais do que merecido.

O nosso quarto momento inesquecível da infância vai para o nascimento de Wargreymon e Metalgarurumon. Após derrotarem na Terra o Evil digimon Myotismon, ele volta com sua digievolução extrema, denominada de VenomMyotismon. Desnecessário dizer que o poder dos digimons dos digiescolhidos não era páreo para uma digievolução extrema do mal.

Dessa forma Izzy – o gênio do grupo – acaba por decifrar uma profecia sobre os digiescolhidos e chega à brilhante conclusão de que para ganharem de VenomMyotismon eles precisariam que Tai e Matt fossem atingidos pelas FLECHAS dos digimons Angemon e Angewomon aqueles digimons anjos super másculos.

Ignorando o possível shonen-ai da cena que eu não tinha reparado quando criança, pois ainda era muito inocente, que criança não urrou depois que as flechas atingiram Tai e Matt e os digimons digievoluíram para suas formas Extremas

Aquela cena marcou a vários garotos/garotas que acompanhavam Digimon e por este motivo, é nossa quarta posição em momentos inesquecíveis.

3° A rejeição dos sentimentos de Sakura

Se tem uma coisa que ninguém tinha dúvidas com relação ao anime de Sakura Card Captors, é que a Sakura ia quebrar a cara e isso não seria bonito. É sabido por todos que ela tinha uma queda pelo amigo de seu irmão Toya: Yukito. Não à toa, boa parte das frases dela vinham acompanhadas de ai, ai, ai Yukito.

Mas apesar do amor ser lindo, do amor ser belo, quando o mesmo é platônico a coisa fica feia. Foi exatamente isso que aconteceu com nossa protagonista. Infelizmente para ela, Yukito não parecia gostar muito da fruta dela de uma forma amorosa e sim fraternal. Justamente no episódio 66 da série temos a resolução desse problema amoroso.

Sakura reúne coragem e se declara a Yukito, simplesmente para ser brutalmente rejeitada, com direito a frase mais do que batida: “pense bem, você não gosta de mim realmente de forma amorosa”. Com toda dignidade possível, Sakura aceita que seu amor não se concretizará e protagoniza um dos momentos mais tristes, mais heartbreaking e mais emocionantes dos animes.

Após ser rejeitada, Sakura vai com Shaoran a um parque e os dois sentam-se nos balanços, momento em que nossa protagonista conta exatamente tudo para Shaoran.

O sentimento da garota rejeitada e o sentimento do garoto que sofre por ver a pessoa que ama chorando por outro, combinado com uma trilha sonora de matar, é demais para corações fracos e até para os mais fortes. Não tem como não se emocionar com o choro de Sakura e a dor de Shaoran por não poder fazer nada para diminuir-lhe o sofrimento.

Por ser uma cena tão triste e que atinge o emocional de maneira tão forte e direta, Sakura e Shaoran ficam na nossa terceira posição.

2° O super Kamehameha de Gohan e Goku

Um dos arcos mais legais – e com um dos vilões mais versáteis – de Dragon Ball Z, foi o de Cell. Várias coisas esperadas e inesperadas aconteceram, tais como a volta de Goku, a chegada do Trunks do futuro, o Vegeta virando super sayajin, os androides, o torneio de artes marciais e etc.

Mas o momento mais impressionante da saga se deu por conta de Gohan e Goku. Após Cell ativar sua auto-destruição – que iria dizimar todo o planeta Terra – Goku teleportou-se juntamente com ele para o planeta do Sr. Kaio, morrendo pela enésima vez, no que seria sua morte permanente. Sem Goku, e com a regeneração de Cell, restou apenas Gohan com a capacidade de salvar o planeta.

Com um dos braços terrivelmente ferido, Gohan tenta seu último golpe: o kamehameha. Mas esse não foi um simples kamehameha, pois além de ter a ajuda de todos os guerreiros Z, Gohan ainda contou com a ajuda espiritual de seu pai, formando uma das cenas mais emocionantes de toda a série Dragon Ball.

1° O adeus de Pikachu

Eu não queria, mas eu chorei. Essa frase reflete bem o sentimento do episódio 39 de Pokémon: o Adeus de Pikachu. Sim, e quem fica sabendo o nome do episódio já começa se perguntando My gosh, o Pikachu vai sair? Mas como? Pokémon não existe sem o Pikachu.

Esse foi um episódio bem chocante do anime, pois as crianças não esperavam esse tipo de coisa. Quando se assiste algo como Pokémon, você não espera que personagens morram ou que simplesmente desapareçam, principalmente em se falando do personagem marca do anime.

O episódio mostra um grupo de pikachus selvagens e a forma como o Pikachu de Ash se integra e faz amizade com eles. Por toda hora somos levados a crer que o melhor para o ratinho elétrico é ficar reunido à sua espécie e dizer adeus à seu mestre Pokémon.

Tudo isso acaba culminando na música de adeus, que até hoje é lembrado como um momento de cortar o coração. Aproveitem nosso momento inesquecível número 1, com essa cena final que consegue tirar água até de pedra.

Estes são momentos inesquecíveis para você? Quando se é criança […]