Lúcifer e o Martelo, Volume 4

Quem disse que um volume de transição não pode ser bem-feito?

“Viver é aproveitar intensamente cada segundo da sua vida até o último suspiro!! Viver é poder morrer com um sorriso estampado, sem nenhum arrependimento!! É isso que você deve ensinar!! Você ainda pode ficar de pé!! Você… ainda pode lutar!!” ZA’M AMAR, Página 176

Já leu a resenha do Volume 3, aqui mesmo no Argama?

Ninguém, mesmo assim este volume inteiramente dedicado aos diversos personagens introduzidos no compilado anterior tem seu mérito sobretudo em usar o recurso a seu favor, em contar histórias teoricamente difíceis de se encaixar no tom geral da série. Cinco núcleos, seis capítulos, sete personagens.

Pode ser que algumas apresentações tenham maior relevância em desenvolvimentos futuros, mas apesar de as histórias acerca de Yayoi, Nagumo e Taro não serem ruins, particularmente soa mais do mesmo; mas os contos que Kyo Shimaki e Inatika Akitani nos apresentam conseguem ter seu fascínio.

O primeiro de mais um em nossa galeria de improváveis herois tem seu capítulo marcado pelo fato de, por ter uma linha de pensamento deveras racional e curiosa, ser o Cavaleiro que pensa de forma mais parecida com o Animus/Feiticeiro. Assim, acaba tendo seus sonhos invadidos pelo “vilão”, que (aparentemente) explica sua origem e propósito: um ser do futuro, seu objetivo é destruir a Terra e o espaço-tempo até atingir os misteriosos Registros Akáshicos, fonte primordial do conhecimento para o hinduísmo e diversas correntes místicas. Assim sendo, Kyo é tentado a se aliar e também ter sua sede de conhecimento saciada.

Uma boa sacada e um conflito (definidor do caráter de Shimaki) que teve sua resolução aqui, mas que põe na mesa mais uma questão interessante abordada nesta obra: afinal, qual o valor do conhecimento?

E é com Inatika, o homem cuja história é uma lenda que poderia estar em um daqueles animes onde a mitologia encontra o sobrenatural, onde o assunto acaba tendo outra abordagem ao termos um homem comum sendo abençoado com o raro, o acesso àquela fonte de sabedoria “infinita”.

Isto permitiu uma vida com poderes mágicos ao longo de um período da vida ampliado para cerca de 500 anos, no qual acumulou diversos discípulos até chegar nas derradeiras Subaru e Yukimachi – e foi para elas que o “mestre”, o Cavaleiro de Peixe-Espada deixou seu conhecimento, sua lição final: é a amizade, a união, a perda de algo importante, os elementos que trazem a força a esta espécie tão fraca quanto a nossa – afinal, o que é ser humano? Questão ambiciosa, difícil e cheia de nuances mas que talvez Lúcifer e o Martelo queira também falar um pouco.

Quem diria que um volume de transição renderia tanto, não? Assim, no próximo volume a obra volta ao cerne do enredo – e estaremos lá em mais uma resenha, volume-a-volume.

Bom: Aprofundamento necessário em uma obra também preocupa com o coletivo de seu elenco; algumas histórias realmente boas.
Ruim: Outras histórias não tão impactantes.
Secundários: Os personagens principais.

Editora: JBC
Preço sugerido: R$ 13,90
Páginas: 208 (8 coloridas)

Nossa Avaliação
Avaliação dos leitores
[Total: 0 Média: 0]

Quem disse que um volume de transição não pode ser […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *