Kyoukai no Kanata – Primeiras Impressões – a herdeira de Takahashi

PIKyokainoKanata

Yo!

Esse aqui tá bom ou não? Bora ver!

Kyokai no Kanata (Beyond the Boundary no Ocidente) é o anime da Kyoto Animation pra temporada. Apesar de ser da meca do moe, o anime é um dos que acenam para outras direções, como foi Free! na temporada anterior. Claro que o estúdio usa o que sabe fazer melhor, que é aquele cuidado com os detalhes.

Na trama, temos Mirai Kuriyama, uma guerreira de uma linhagem milenar que foi amaldiçoada por ser poderosa demais. Ela usa o próprio sangue para conjurar armas e luta contra os Youmu, demônios que atacam os humanos há séculos. Mas Mirai é uma Kyokaishi iniciante e ainda reluta para desempenhar seu papel, até conhecer Akihito Kanbara, um garoto que tenta salvar ela do suicídio e acaba sendo empalado por sua espada de sangue. O original é uma série de light novel.

Gostou? Poxa, parece legal só na sinopse. Mas vendo o anime, eu me impressionei em como a KyoAni teve peito pra abandonar o óbvio e fazer uma direção mais focada em ação, que é o interessante mesmo. Claro que o mal dessa geração, as personagens moe, ainda estão muito presente. Mas de uma forma que eu achei até interessante. O clima todo de Kyokai no Kanata me lembra uma Rumiko Takahashi em boa forma, com personagens malucos e com habilidades malucas, fazendo trapalhadas e sempre, sempre, correndo por aí. Se eu olhar os créditos e ver que a história é da Takahashi, não seria surpresa, me lembrou na hora coisas como Ranma 1/2 e Urusei Yatsura, mas com uma roupagem e direção de animes de hoje em dia. Até mesmo a proporção das personagens são parecidas, apesar de Takahashi ter um traço que remete à outra época.

Resultado:

WS009538

Achei extremamente simpático e devo continuar a assistir, ainda mais quando a verdadeira Takahashi já perdeu a mão. Sou um fã de Ranma e acho que é bem por aí. Todo o clima, a criação dos personagens, diálogos… me remetem na hora àqueles animes que eu curtia pra caramba na época. E com a qualidade de hoje, o excesso de detalhismo da animação do KyoAni e a arte lindona, não vejo muito motivo para deixar pra trás. Eu encaro como um remake não oficial de algum material desconhecido de Rumiko Takahashi.

Guia XIL dos Animes da Temporada de Outono 2013