Guia XIL de Animes da Temporada de Verão 2013

Varao2013Guia

Yo!

Chegamos a mais um grande post sobre o que vem por aí no mundo dos animes! Bora ver!

Seguindo a grande tradição do XIL (mentira, só fiz um post na temporada passada) chegou um novo post do que eu acho que vai bombar, o que eu acho que vale a pena dar uma chance e do que pode não valer nem o troco do pão que o cara quer sempre te dar em balinha. Qual a intenção desse post? É dar uma opinião sobre os animes da temporada, pra você escolher o que assistir ou não, e de lambuja (lambuja – vide dicionário Termos de Velho), saber o que vai rolar no Giro da Semana.

Lembrando que Mushibugyo, Shingeki no Kyojin, Majestic Prince e Gundam Seed Destiny HD, comentados no post da temporada anterior, continuam, são séries mais longas. Outras, como Hunter x Hunter e Uchuu Kyodai já estão no ar há mais tempo e devem continuar assim.

Se você concorda ou não? Coloque nos comentários! Esse é um Guia pra você e pra mim, vamos ver! AH, e se quiser comparar o resultado do meu último post do tipo com o que rolou na temporada passada, CLICAQUI e me enche o saco por causa de Majestic Prince!

 

Sem tempo? Apostas certas!

Gatchaman Crowds

GatchamanCrowds

Leia mais sobre Gatchaman no XIL

Vi com olhos estreitos essa estreia. Pegar um clássico e fazer releitura atualizada, trocando protagonista por uma menininha… Não tem como dar certo, pensei. Mas o empenho da Tatsunoko, produtora original da série, sempre gerou versões no mínimo interessantes de suas séries clássicas. Não é de hoje que eles estão revitalizando seu catálogo: Lá atrás, Casshern virou um puta filmaço pelas mãos do ex-marido da Utada Hikaru. Filme que até está disponível em português. Na sequência, veio uma série animada, Casshern Sins, pela equipe que está fazendo o Cavaleiros do Zodíaco Ômega. E esse anime é sensacional!

Depois, teve Yatterman, com um filme e uma série animada, ambos simpáticos e bem feitos. No meio disso, tivemos o filme americano de Speed Racer, franquia da produtora, além de Hutch – The Honeybee, um filme animado baseado na clássica série da abelinha, Konchu Monogatari – Minashigo Hachi, Akubi-chan e Akubi Girl, spin-offs baseados no clássico Hakushon Daimaoh (Gênio Maluco na versão brasileira). Além do inesperado game Tatsunoko x Capcom, com vários personagens da produtora enfrentando os lutadores da Capcom.

Por mais que todo esse processo tenha levado mais de dez anos, está claro que a empresa não tá pisando sem ver. E assim como Yatterman e Casshern, Gatchaman é ouro da casa e está sendo tratado do mesmo jeito. Temos um filme vindo (veja o post sensacional sobre ele) e essa animação. E o anime tem um BOM elenco, que indica que não é um anime meia boca, os produtores APOSTAM suas moedas nele, contratando Mamoru Miyano e Aya Hirano, dois dubladores queridinhos e seletivos em seus trabalhos, além do diretor Kenji Nakamura, que entre outros, dirigiu Hakaba Kitaro, versão dark do clássico Gegege no Kitaro e Tsuritama.

Não espero menos do que um anime bem feito, mas acho que tem cheiro de vir um clássico atemporal como é Casshern Sins, mas assim como ele, vai ser subestimado pelo público comum.

Primeiras Impressões

Gin no Saji – Silver Spoon

SilverSpoon

A Hiromu Arakawa não é uma autora de riscos. Certeza. Ela sabe o que faz e parece que entende mesmo o que o público quer. Desde Fullmetal Alchemist, seu trabalho mais famoso, ela não tem errado a mão. Faz séries certeiras, que no mínimo ganham o respeito de seu público cativo. Mas Gin no Saji consegue passar a aura de genial por fazer toda uma indústria (e um monte de blogueiro) morder a língua.

A série sobre agricultura, sem nenhuma trama gigantesca e cheia de referências e conspirações como FA, foi vaiada por seus leitores. Todos acharam que era excentricidade de gente que já vendeu tudo o que queria. Tipo “agora vou fazer o que eu quiser, mesmo que vocês não gostem”. Mas a opinião mudou. Gin no Saji se tornou um queridinho em sua revista, a gigante Shonen Sunday, vendeu muito bem e manteve suas vendas, mostrando que não era só especulação por causa de Fullmetal Alchemist. VENCEU o Manga Taisho de 2012, o maior prêmio dos mangás, além do Shogakukan Awards, outro tradicional prêmio dos mangás. Também levou o prêmio dos lojistas japoneses, que premia obras que os vendedores apostam.

Talvez isso tudo não seja o suficiente para dizer que você vai gostar. Mas isso se resolve assistindo. Pra falar a verdade, eu também não li nada da série (quem me conhece sabe que não leio scans) e vou chegar só com essas recomendações. Só que não acho pouco. Uchuu Kyodai tinha o mesmo tipo de recomendação e é genial. Mais que dar uma chance, vou com grandes expectativas. Espero ser correspondido!

Primeiras Impressões

Watashi ga Motenai no wa Dou Kangaetemo Omaera ga Warui! – Watamote!

Watamote

Este, vou mais pela recomendação também. E a sinopse, completamente bizarra! Quem recomenda é o rei da bizarrice do Genkidama, senhor Fábio Urso, do Video Quest. Ele contou no Fala OTAKU que este anime só existe por causa de uma campanha no 4Chan, fórum gringo de anime, que incentivou uma compra maciça de volumes para manter a série e a tornar popular. É uma conquista do povo! #VEMPRARUA

Imagine uma garota que já jogou anos e anos de games de relacionamento, se tornando uma expert no assunto, mas que não tem a menor experiência de convívio social com gente de verdade. O nome da série pode ser traduzido como “A razão de eu não ser popular só podem ser vocês!”, como um grito contra a sociedade, que não deveria ser diferente e imprevisível, frustrante para quem conhece todos os passos de um relacionamento de game.

Se esse anime for ruim, no mínimo deve render bons momentos. Mas eu estou aqui apostando nele! E em uma temporada de muitas incertezas!

 Primeiras impressões

Opcionais

Free!

Free

O anime dos nadadores! Carinhosamente chamado de “moe para mulheres” até o momento, acabou sendo um anime dentro dos padrões de séries como Uta no Prince Sama e Tennis no Ouji Sama, onde garotos malhados vivem uma vida cheia de “frescor e vitalidade”, usando os padrões da Jump como um fetiche feminino. Esforço, na forma de cenas de músculos graciosos e suor. Amizade, na forma de muitos amiguinhos que alimentem a imaginação das fãs fujoshi (se não sabe o que é, Google it). E vitória na forma de sorrisos e abraços calorosos, tudo na medida para agradar as meninas.

Mas talvez por usar uma base tão enraizada na imaginação coletiva do leitor médio de mangá shonen, a série parece agradar os leitores do gênero que podem desligar os preconceitos. Dá pra ver ele como um Slam Dunk de natação, com o devido respeito a um mangá que vai muito além do fanservice, claro! Mas o próprio Slam Dunk, em sua época, era o top na preferência desse mesmo público de Free! e pode ser considerado o pai (ou mãe) de toda essa geração. GOSTE VOCÊ OU NÃO!

Primeiras Impressões

Gifuu Doudou!!: Kanetsugu to Keiji

GifuDodo

Série que continua a história de Hana no Keiji, mangá sobre as guerras do Japão feudal, pelas mãos de um dos autores de Hokuto no Ken, Tetsuo Hara. Transpirando macheza, o anime é daqueles que você assiste no intervalo de uma seção de filmes de brucutú, onde as lutas são a alegria, os desafios são o tempero da vida e as vitórias são regadas à sakê. Logo no primeiro episódio você já tem uma luta rolando em um bairro das primas, um entendimento silencioso, aquele tipo de coisa que acontece entre dois machos e uma demonstração estúpida e mortal de habilidade. Tudo isso quase sem um motivo claro. Mas se você é macho, você sabe: não existem motivos para ser macho, existem é pretextos para continuar a ser.

Primeiras Impressões

Servant x Service

ServantService

Vejo com bons olhos a série, apesar de parecer ser simples. Acho que a descrição de “slice of life de escritório” é muito vaga, prefiro pensar como um “The Office no Japão”. Se pensarmos bem, slice of life é só a mesma coisa que os americanos fazem com suas comédias faz anos! Só que o slice of life ficou meio estigmatizado pelo moe, sendo automaticamente ligado à situações graciosas e singelas, e não como comédia de situação, a Sit-Com.

Genei wo Kakeru Taiyo

Geneiwokakeru

Não sei bem o que esperar, mas parece ser bacana, a arte é bonita, a premissa é de algo mais sério do que simplesmente uma versão genérica de Sailor Moon nos dias de hoje. Fora isso, não sei muita coisa, mas quero dar uma olhada, tirei meus preconceitos por esse tipo de história depois de traduzir Madoka para a NewPOP, que é muito bom! Aliás, eu tenho é que ver o anime de Madoka pra terminar um post sobre a série!

Primeiras Impressões

Monogatari Series: Second Season

MonoGatari2nd

Um dos queridinhos do público. Essa série tem um hype tão grande que fico meio curioso. Como a série estreou durante o tempo em que eu não estava assistindo anime nenhum, sei pouca coisa da série, mas acho até bom ir com pouca informação e me surpreender. Quero ver se chego com a cabeça fresca (UI) para conhecer essa série.

Uchouten Kazoku

UchotenKazoku

Tem dedo do Kouji Kumeta, autor de Zetsubou Sensei, como character designer. Mas é baseado em uma série literária de Tomihiko Morimi. O autor estreou em 2003, ganhando prêmio de melhor livro do ano por Taiyo no To. Seu livro mais recente, Penguin Highway, levou o Nihon SF Taisho, prêmio de ficção científica japonês. É um novo autor do Japão, que se você conhecer hoje, pode se gabar no futuro, quando ele ficar tão queridinho quanto Haruki Murakami, de 1Q84. Ou não.

Primeiras Impressões

Blood Lad

Bloodlad

Um vampiro (de novo…) otaku, uma menina deslocada e situações. A cara é de um battle shonen, mas a sinopse é de uma comédia romântica. Busquei saber mais, só que não sei bem… Será que é bom? O mangá sai aqui pela Panini.

Senyuu 2

Senyuu2

Saído da nova geração de mangakás que despontaram pela webcomic. Eu já curti a primeira série, acho que a que mais valeu entre essas séries de episódios curtíssimos, exatamente por se valer do ritmo de stand-up que a série tem, jogando piadas por uma metralhadora giratória. O que acertar, acertou. Não tem como dizer que é foda, mas com certeza diverte e vale cada minuto, apesar de só ter 3 por capítulo.

 

Só pra quem tiver um tempo sobrando

KiminoIruGenshikenNichiyoubi

Genshiken Nidaime

Primeiras impressões

Kamisama no Inai Nichiyoubi

Kimi no Iru Machi

Séries que fico meio na dúvida. Genshiken quase vai pra lista de cima, mas eu não sou tão fã da série anterior, que assisti meio na inércia quando ainda tava no Japão. Kamisama no Inai Nichiyoubi tem cara de Shin Sekai Yori, uma premissa foda (um mundo abandonado por Deus, onde ninguém nasce e ninguém morre) transposta com cara de anime bonitinho. Já Kimi no Iru Machi é uma série romântica da Shonen Magazine, tá aí preenchendo cota de anime açucarado do XIL.

 

Movies e OVAs

MoviesOVASVerao2013

Yowamushi Pedal

Veja mais!

Ghost in the Shell: ARISE

Veja mais!

Corpse Party: Tortured Souls

Você deveria conhecer, só digo isso por enquanto…

Kaze Tachinu

Veja mais!

Short Peace

Veja mais!

Gintama Kanketsuhen: Yorozuya yo Eien Nare

Veja mais!

 

Eu devo usar este post como centralizador da temporada, vou incluir link para postagens de primeiras impressões depois e qualquer coisa que seja relevante, por isso, continue entrando no post durante os próximos meses! Ah, se quiser complementar, veja os posts do Genkidama sobre o assunto!

Primeiras impressões de animes não citados aqui

Inu to Hasami wa Tsukaiyou

 

Veja o Guia da Temporada do Gyabbo!

Veja a lista de animes da Temporada do Gyabbo!

Veja o Fala OTAKU 26  – Especial da Temporada de Verão.

Veja o Guia da Temporada do Anikenkai

Veja o Resumo das Estreias do Argama

 

Se curtiu, clique nos botões abaixo e envie pros seus amigos, dê essa força pro XIL!