25 thoughts on “A crise do Papel”

  1. Ficou um vídeo bem abrangente, citando vários pontos da produção, distribuição e consumo que já há muito tempo são problemáticos, mas que a crise financeira torna mais visível. O meu principal medo é que demorou décadas para o mercado chegar ao nível de variedade que ele tem hoje e que é muito possível que voltemos a perder isto. Com menos dinheiro para o consumidor e uma qualidade ruim na produção a tendência das vendas é cair e os cancelamentos dos títulos se tornem frequentes.

  2. Que Orange não seja transparente. Que Orange não seja transparente.Que Orange não seja transparente.Que Orange não seja transparente.Que Orange não seja transparente.
    Que Eden chegue ao fim. Que Eden chegue ao fim.Que Eden chegue ao fim.Que Eden chegue ao fim.Que Eden chegue ao fim.Que Eden chegue ao fim.Que Eden chegue ao fim.
    Que Zetman não pare. Que Zetman não pare.Que Zetman não pare.Que Zetman não pare.Que Zetman não pare.Que Zetman não pare.Que Zetman não pare.
    Que a Conrad termine Gen.Que a Conrad termine Gen.Que a Conrad termine Gen.Que a Conrad termine Gen.Que a Conrad termine Gen.Que a Conrad termine Gen.

        1. Não é querendo assustar não, mas se até em Sailor Moon com papel bom, dava pra ver um pouco de transparencia (pq soujo tem muito espaço em branco), em Orange…só o tempo dirá

    1. Tem mangá da JBC que custa 17 reais… Da Panini não sei, nenhum q compro dela tem esse valor.. Mas acho tão boba essa “guerrinha” de fãs de editora, tentando defender uma bandeira =p

      1. Panini tem Berserk de 17 reais e Planetes, de 18,90 / 19,90.
        Mas comparar Planetes com Usagi Drop / Hetalia (NewPop, antes da crise), ambos de 19,90 é até um sacrilegio se a “desculpa” dos Newpopeiros for qualidade xD

        1. O preço de Usagi Drop me afastou um pouco, gostei muito do anime e queria adquirir o mangá… Mas fica pra outra hora.

          Da qualidade realmente não posso falar, nunca olhei nenhum deles… E também me considero meio novato no mercado de mangás, sou muito leigo e não consigo argumentar direito sobre a qualidade física dos mangás.

        2. para de ser retardado olha o manga de 5 centímetros por seg… tem em torno de 240 paginas umas 8 paginas em couche , tem pagina colorida, um offset 2 vezes mais grosso que o berserk e planetes..por apenas 16 reais, e olha que odeio offset…

          1. Baixa a bola ai cara, Confirmei aqui que a diferença de preço entre Berserk e 5cm é de 90 centavos! E fora que Berserk é maior que 5cm.

            Berserk
            137 mm x 200 mm

            5 centimetros.
            128 mm x 182 mm

            Se 5cm é mais barato, o fator tamanho do papel influencia (e muito), fora que o contrato de Berserk e Planetes é obviamente mais caro do que 5cm, o que por motivos obvios deveria deixar mais em conta comparados a estes.

    2. Ainda bem que a qualidade vale a pena, né?
      Ainda bem que ainda tem mangá de 14 reais pra baixo, né?
      Ainda bem que pelo menos dá pra pegar com desconto em lojas, né?
      Ainda bem, porque na JBC isso tá em falta faz tempo.

      1. Seria uma peeena se a qualidade e luxo não fosse necessáriamente a mesma coisa.
        Seria uma peeena se a maioria dos mangas de R$14,90 ou são antigos ou de contratos antigos, ou de contratos baratos ou que tenham aproximadamente 140 paginas, enquanto os daS concorrenciaS tinham bem mais.
        Seria uma peeena se nem todo mundo mora onde tem lojas com mangás ou pode comprar online (e se o frete não cobrir o valor do desconto).
        Seria uma peeena se “mangá custar 17 reais é uma sacanagem, uma putaria”, independente de editora.

        Seria uma peeena de que tudo isso fosse uma caracteristica antes da crise geral no pais.

  3. Duas coisas: Responsabilidade da cadeia produtiva e distribuição mensal é melhor.
    Na faculdade de administração a gente aprende sobre a responsabilidade da cadeia produtiva, é mais ou menos assim: se uma loja te vende algum produto quebrado a mesma é responsável por te ressarcir o prejuízo, só que além dela a transportadora, a fábrica e a fornecedora de matéria prima também são responsáveis, ou seja, quando é disponibilizado um produto de má qualidade ou com defeito toda a cadeia produtiva é responsável por isso. A mesma coisa é com o mangá, a editora não pode colocar toda a culpa da má qualidade do papel em cima da gráfica, porque no mínimo ela se dispôs a colocar no mercado um produto de má qualidade, então ela também é responsável.
    Segundo a distribuição mensal é melhor para editora pelo fato que amortiza a queda número de vendas por um título ser publicado em um período mais curto mesmo tendo o mesmo número de volumes. Além disso, uma pessoa não vai comprar mais porque a periodicidade é bimestral, ela pode até comprar um maior número de títulos, mas por mês ela vai comprar a mesma quantidade (ou valor) de Mangás, ou seja, em publicar bimestralmente a editora vai ter um gasto maior com licenciamento de títulos, mas vai acabar tendo o mesmo rendimento que teria com a periodicidade mensal e ainda vai sofrer mais riscos de diminuição de venda por causa da publicação do título ser mais longa.

  4. Muito bom vídeo, Kaneda. Você tocou num ponto importante que é essa história de encarar editoras como os “vilões”, que é uma grande bobagem. Editoras não são “vilões” nem “mocinhos”. Editoras são empresas bem ou mal conduzidas que podem ou não oferecer um produto/serviço que vai lhe agradar. Elas não ficam 24 horas por dia pensando em maneiras de prejudicar os leitores. Elas pensam é em ganhar dinheiro, ou, atualmente, em como evitar a falência.

    Como consumidores, nós temos o direito de expressar a nossa insatisfação, SIM, mas de forma educada e racional. E, caso a reclamação não seja atendida,deixamos de comprar, simples assim.

Deixe uma resposta