Side Quest – O fim dos quadrinhos no Brasil (?)

Sobre a Resolução nº 163 do CONANDA, e como isso pode (ou não) influenciar os quadrinhos e desenhos animados no Brasil.

LINKS:

Texto da Resolução Nº 163 do CONANDA;

Alana: “Entenda a Resolução que define a abusividade da publicidade infantil”;

G1: Associações e mercado não reconhecem resolução do Conanda;

Texto do Digestivo Cultural, contra a Resolução nº 163.

Sobre a Resolução nº 163 do CONANDA, e como isso […]

111 thoughts on “Side Quest – O fim dos quadrinhos no Brasil (?)”

  1. nunca vi polemica tao sem #Mamilos …. acho que apublicidade é a maior atingida, e precisa de CRIATIVIDADE [algo raro nesse meio visando crianças] pra se adequar as regras, que sao bem intencionadas, mas podem ser interpretadas e INUMERAS MANEIRAS.

    quanto a quadrinhos, é coisa de doido falar disso, e desenho animado…. bom, ja acabou faz tempo, tanto pra quem assiste quanto pra quem transmite

  2. Período eleitoral é foda. Oposição interpreta mal e mal uma lei criada por ELES, cria um texto idiota, joga no Facebook com a tag #Petralhas e os outros ainda vão na onda.
    A lei é sobre publicidade dirigida, direcionada, para as crianças, mensagens para as crianças. E só. A tal lei é para limitar as práticas de convencimento de crianças em querer comprar, porque criança não compra, quem compra são os pais. Desse modo é fácil contornar essa lei, basta substituir o “Peça para o papai comprar pra você” por “Compre para o seu filho”, pronto, o publicitário fez o trabalho que é pago para fazer.

    Além disso pelo artigo 2 parágrafo 3: “As disposições neste artigo não se aplicam às campanhas de utilidade
    pública que não configurem estratégia publicitária referente a
    informações sobre boa alimentação, segurança, educação, saúde, entre
    outros itens relativos ao melhor desenvolvimento da criança no meio
    social.”

    Ou seja, Maurício de Souza pode continuar a vender suas maças da Turma da Mônica.

    Essa polêmica de censura é papo furado de iludido. Enchem a boca com Cuba e Venezuela sem entender o que é censura e o que é regulação. Imagino a reação quando descobrirem como a banca toca no EUA, Zoropa, Inglaterra, Escandinávia… vão surtar com as ditaduras de lá.

    1. “… não se aplicam às campanhas de utilidade pública que não configurem…” É isso mesmo? Se for, eu entendo que a resolução só se aplica a “estratégia publicitária referente a informações sobre boa alimentação, segurança…” Ou seja, só vale pra campanha educativa?

  3. “Não esqueça da minha Caloi” e “Eu tenho, você não tem!” – tão enquadrados! Heh!

    Fico feliz por este video que foi bem explicativo! Talvez sirva para acalmar os alarmistas – oh, o que estou dizendo? Alarmistas sempre vão arrumar motivos para estardalhaço!

    1. Compre Batom, Compre Batom…

      Mas bem que eu tenho saudade do cigarrinho Pam, tirado das lojas nos anos 90, logo não podem culpar este governo por isto!

  4. Kitsune eu discordo, uma coisa que eu repito para todos que dizem o quão maravilhosa é essa lei ( resolução não pega as pessoas vão falar lei mesmo) é a máxima do polonês , conhece, caso não ai vai,
    Primeiro levaram os ciganos eu não disse nada , depois levaram os mouros eu não disse nada, depois levaram os judeus eu não disse nada e por fim vieram me pegar e não avia ninguém para disser alguma coisa.
    E não podemos deixar eles instaurarem o MINISTÉRIO DA VERDADE & DO AMOR, não concorda.

    1. Que comparaçãotosca, cara… então é o mesmo que dizer: “primeiro levaram embora os espancadores de esposas… depois os racistas… agora querem levar embora os espancadores de gays?! que horror!”

        1. Então não desrespeite o sofrimento da sua avó com uma comparação destas.

          E por falar nisso… ninguém se ‘revoltou’ quando proibiram propaganda de cigarros e colocaram aquele treco ‘politicamente correto’ de Beba com Moderação ao final de toda propaganda de cerveja. Tecnicamente é a mesma coisa… a mesma censura, mas so nos revoltamos com ‘coisas erradas’ quando respingam em nossos hobbie, né?

          1. Enfim acabaram seus argumentos, heim? Traduzindo o seu alarmismo: “huahuahua, apontando armas para a cabeça dos desenhistas… nao desenhem para crianças, huahuahua!”

            Vá para casa,

          2. Bem ai vai um e quanto aos desenhistas que você citou agora ,ou quem fabrica esses produtos licenciado aqui no brasil , e os grandes estudios de animação deixarem de poder passar trailers de seus filmes ou os dubladores ???

          3. Tadinhos, vao morar embaixo d aponte igual aos publicitarios e estudios de filmagens que faziam propagandas de cigarro

          4. de novo esse argumento você só tem ele ,cigarro foi proibido por que ele mata da cancer qual o risco que um filme de animação vai dar para uma criança ela vai pular da cadeira do cinema e quebra o pescoço é isso serio de outro argumento e que se ja valido.

          1. então isso não é censura no que se galga censura um orgão censor, pois então adivinhem sera o mesmo pessoal que cuidara do MARCO CIVIL DA INTERNET ,afinal esse governo só quer o bem para Vocês esse site é COMUNAS por acaso.

    2. E acima você vê um exemplo prático do que é chamado de “Alarmista”. Para ele não precisa ser nem parecer, não bastam exemplos que desmintam, ele só precisa temer.

  5. Os pais não conseguem educar as suas crianças e querem transferir a responsabilidade para o papai estado. A coisa está tão bizarra que as pessoas precisam do estado para resolver seus problemas com os filhos.
    Estamos tratando uma proposta como essa razoável?

      1. os fabricantes reclamaram… e deve ter tido gente como este ai que achou ruim não poder mais ver aquelas belas propagandas e batendo no peito: Adoro as propagandas e nunca fumei, maior besteira isto!!!

        veja você o grau de alienação!

          1. garoto juvenil que positiva o próprio comentário, veja bem, você não entende o que é uma resolução e como ela funciona na pratica, não entende como estas coisas tomam forma e como elas funcionam na ´pratica, pura demagogia acenando o apocalipse dos quadrinhos e canais infantis, nem está defendendo o próprio interesse porque nem sabe o que isto importa de fato na sua visa, acredita em uma falacia só porque tem uma preferencia partidária (o que é extremamente legitimo embora pelo modo que age não me passa credibilidade do porque tem esta postura, ainda assim, válida), negando todo o bom senso do porque esta resolução pode ser positiva, e mais ignorando que esta resolução passou por representantes de toda a sociedade e partidos.

            Enfim, fala de algo que ou não entende ou não quer entender. Deixa pra lá…

            Continue gritando aos 4 vento sobre o fim do mundo feito aqueles malucos do calçadão, grite bem forte, que alguma hora alguém, te escuta!

          2. Gritar não eu não faço esse tipo de idiotice , não eu prefiro que o governo não se meta no que acontece na minha vida, e outra seu argumento é inútil para a discussão , e eu estudo computação gráfica então sim minha vida vai ser afetada diretamente por essa lei idiota desse governo de idiotas.

          3. Ben 10 é um exemplo ‘leve’ que é bem simplezinho… cigarro mata de cancer, e poderia ser comparado com o Mclanche feliz, que faz crianças engordarem para terem os bonequinhos – já vi criança que chegou no restaurante e pediu TRES porque queria tres bonequinhos de uma vez

          4. Quem é Você para falar dos filhos dos outros e se os pais do moleque comerem também trés pessoas três lanches, e outra o tamanho dos lanches infantis só comprando 10 pra ficar cheio.

          5. neste mundo existe loucos no proprio condominio aonde residimos moro em um a rua cinco de julho 27 apartamento 501 bairro copacabana no rio de janeiro que e impreguinado desse tipo de doentes uma ocasiao no passado ja fui desacatado por um que residia no terceiro andar deste condominio que me desacatou em plena portaria deste condominio me mandando calar a boca me ofendendo de filho da puta minha mae na epoca ainda era viva e ficou muito aborrecida mais outros protegem esses tipos de doentes sao da familia deles o que nos podemos fazer ?

  6. Nossa, não sabia que estavam falando tudo isso. Eu só vi chiadeira pela questão do licenciamento. Em termos simples, se Maurício de Sousa toma prejuízo porque não pode mais colocar seus personagens em caixinhas de suco e tals, seria obrigado a produzir menos quadrinhos e animações e contratar menos artistas, por exemplo. Isso acontecendo com todas as produtoras/editoras significaria menos interesse em investimentos na área de quadrinhos e animações cujo público maior é a criança e o adolescente. Menos oportunidades para profissionais dessa área.

    Maas, isso seria um “worst case scenario”, o pior que pode acontecer. Concordo com o Kitsune que alarmismo não leva a nada, o negócio é se informar melhor pra depois decidir se você acha essa resolução ruim ou não.

    Pessoalmente, concordo que se deve combater a publicidade abusiva, mas isso tem que ser feito direito. Muitas idéias legais foram pro saco por que foram muito mal e porcamente executadas.

  7. Única vez que pensei em assistir o remake de Carrossel com meu sobrinho (ele viciou naquela porra), fiquei abismado. Eram propagandas descaradas em cenas de “olha o que eu tenho, eu sou legal”, uma coisa bizarra.
    Então sim, sou favorável a essa resolução, mas como você mesmo disse, Kitsune, provavelmente dará em merda nenhuma. Todavia coloca ferramentas mais claras para caso eu ou qualquer outra pessoa queira denunciar.

    Há uma onda alarmista em termos políticos pelas redes sociais, e isso é triste. Não tem a ver com querer ler ou não a resolução (ou qualquer outra coisa), muitos tentariam encaixar suas “críticas” ao texto, mesmo sem fazer qualquer sentido.

    Só fico imaginando se o Governo Federal resolver regulamentar mídia (o que não vai acontecer, infelizmente), se com uma simples resolução que afetará nichos já fazem esse escarcel…
    Enfim, boa sorte com a repercussão do vídeo, Kitsune. Ficou ótimo, mas pode dar alguma dor de cabeça.

    1. Aonde você esta que não viu o que esta acontecendo.
      O governo federal ja regulamenta a midia, temos muito mais censura do que havia a alguns anos.
      Atualmente temos mais censura do que na epoca do AI5.

        1. não pode porque não tem, as pessoas confundem classificação indicativa com censura… (embora eu não goste de muitos critérios desta classificação, mas o que eu entendo não significa que é o que a sociedade aclama…)

      1. “Atualmente temos mais censura do que na epoca do AI5” você, pelo jeito, tem uma noção muito torpe de censura.
        Gente como você não consegue ver um palmo a frente do nariz e eu não tenho o menor interesse em te tirar do seu mundo de fantasia onde você é o herói esclarecido lutando contra o grande mal de tudo.

      2. TODO governo de TODOS os paises possuem regulamentaçoes midiaticas…

        Mano, falar que aqui tem mais censura que ona época do AI5 é atestado de ignorancia completa – vá conhecer algumas pessoas que REALMENTE passarm por aquela época… jornalistas… pensadores… músicos… o que você falou é um desrespeito sem tamanho a estas pessoas

        1. Um detalhe, aqui além de não ter regulação (afinal, muitos coronéis da política nacional são donos de empresas de mídia) tem reserva de mercado. Monopólio e proteção de concorrência externa, e ainda reclamam enquanto sonegam bilhões em impostos.
          Algo que o país precisa muito para melhorar de qualidade é de regulação da mídia e incentivo de novos canais.

          1. Olha aqui gente, parece mais um bom exemplo daquele tipo de pessoa reacionária cheia de opinião que não passa de um grande ignorante. Adora alertar para os perigos desse ou daquele mas na verdade ele não conhece realmente. Muitas das famosas ditas “ditaduras comunistas” tem leis, principalmente de mídia, mais brandas do que a maioria dos países capitalistas. Acham que em país “comunista” tudo é proibido e em país capitalista é tudo permitido. Fico imaginando o sufoco que esse tipo de gente passaria morando em alguns países, cheios de leis e fiscalização.

          2. Nossa, tenho pena do seu sobrinho. Quanto chorume a criança não deve ser obrigada a engolir!
            Não sei, sabe, mas dizer “PUTA COMUNA DE MERDA”, além de ser old fashion, cai na misoginia mais barata. Entristeço por notar que quem comentou é justamente uma mulher…
            Gostei do vídeo, mas acho que o pessoal do VQ deveria ter mais cuidado com algumas expressões. Dizer “tomar no cu” só faz atrair gente misógina, homofóbica e afins nesse espaço tão legal. E, sei lá, é por causa de muitos comentaristas assim que me afasto de vários sites. Kitsune, como colega meu de Letras, deve saber que o discurso contribui e muito para endossar discriminações…

    1. Dexa de ser bocó, esse tipo de coisa não é para se meter entre você e seu filho, é para se meter entre empresas que só querem seu dinheiro sem nenhum senso de responsabilidade e moral e o seu filho.

      Se ainda quer reclamar faça isso com as pessoas certas (que também tem filhos):
      – representantes titulares:

      Pastoral da Criança, CNBB – Pastoral do Menor, Inspetoria São João Bosco (Salesianos), Federação Nacional das APAES, UBEE – União Brasileira de Educação e Ensino (Marista),CFP – Conselho Federal de Psicologia: Esther Maria de Magalhães Arantes, ABMP – Associação Brasileira de Magistrados, Promotores e Defensores Públicos da Infância e da Juventude,Aldeias Infantis SOS Brasil, CONTAG – Confederação Nacional de Trabalhadores na Agricultura, MNMMR – Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua,Criança Segura, CFESS – Conselho Federal de Serviço Social,CECUP – Centro de Educação e Cultura Popular, OAB – Ordem dos Advogados do Brasil,

      – representantes suplentes:

      ACM – Federação Brasileira das Associações Cristã de Moços, Sociedade Literária e Caritativa Santo Agostinho, MNDH – Movimento Nacional de Direitos Humanos, CUT – Central Única dos Trabalhadores, Instituto Alana, FENATIBREF – Federação Nacional dos Empregados em Instituições Beneficentes, Religiosas e Filantrópicas, ANCED – Associação Nacional dos Centros de Defesa da Criança e do Adolescente, SBP – Sociedade Brasileira de Pediatria, FENAVAPE – Federação Nacional das Associações para Valorização de Pessoas com Deficiência, Fundação Fé e Alegria do Brasil, Fundação ABRINQ: Denise Maria Cesário, Conselho Latino Americano de Igrejas, MORHAN – Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase, Escoteiros do Brasil: David Marcial Ortolan

        1. Eu acho que vc não tem a menor noção de como criar uma criança para saber que o pai pode ser o MELHOR do mundo: influencias externas ainda podem ser mais fortes

  8. Em primeiro ponto, concordo que as pessoas extendem as coisas o que faz muita gente entender errado a resolução.

    Entretanto, eu realmente acho errado remover a propaganda orientada à criança, mesmo as persuasivas. No final, a decisão vai cair nos pais, e comprar ou não será por conta deles. Fora que, eu considero parte do aprendizado da criança aprender a viver com os “não” para seus desejos, faz parte da compreensão do mundo.

    E orientar a propaganda aos pais, ao meu ver, não faz sentido. Nem sempre os pais sabem o que o filho vai querer (tirando um Playstation, acho que dando um Playstation é impossível errar, mas vamos nos focar em produtos com custo menor), e fazer a propaganda orientada a adultos pode criar nos adultos também a sensação errada de “Nossa, que legal, acho que meu filho vai gostar disso.”.

    Enfim, eu acho muito mais lógico ter a propaganda voltada a criança e os pais filtrarem o que passa e o que não, como sempre foi.

    A única parte que realmente acho “correta” na resolução é a de “não favorecer ou estimular qualquer espécie de ofensa ou discriminação
    de gênero, orientação sexual e identidade de gênero, racial, social,
    política, religiosa ou de nacionalidade” e similares. Entretanto, isso é algo que nem precisava ser mencionado aqui, pois esses ítens citados já configuram infrações à outras leis, o que torna esses parágrafos praticamente redundantes.

    E assim como citou o alberto, o problema maior ainda é a censura em si, começa censurando isso, depois tão censurando aquilo. E ainda acho que essas “censuras” são uma alternativa fácil de tentar resolver um problema.

    1. Criança não tem poder direto de compra e é de responsabilidade do pai estar inteirado no produto que esta dando pra ele, faz todo sentido a propaganda ser voltada para o verdadeiro comprador.

      Sem falar que depende do quanto a pessoa se sinta ofendida para tal propaganda ser denunciada e depois de apuração ser retirada na prática até a ação ter sido tomada provavelmente já acabou a campanha, não vão recolher as revistas e arrancar as propagandas, no fim o único efeito que esta medida tomará é mais cuidado no material publicado por parte das agencias e das revistas e canais.

      1. Sim, é responsabilidade do pai estar inteirado, mas a propaganda não tem que ser pra ele. O interesse tem de ser da criança, e cabe ao pai estudar e ver a viabilidade daquilo. A criança não tem poder direto de compra, mas ela tem que querer em primeiro lugar, e esse interesse não virá de uma propaganda voltada à adultos.

        E claro, como disse, depende de “se a propaganda será denunciada ou não”, mas isso é em primeiro momento já que a resolução é relativamente nova, mas com o tempo, os publicitários muito provavelmente se negarão a fazer a propaganda por considerarem inviável. Algo do tipo “não vale o risco”.

        1. é injusto você criar necessidade (é o que a publicidade faz) em um publico sem condição de prover os meios para consumir e sem ter ainda plenas as suas capacidades de entendimento e escolha. Você não deveria tomar só como referencia sua infância e pensar nas demais camadas da sociedade antes de achar ruim esta nova proposta. A menos que você seja um empresario do ramo de brinquedos, doces, etc… ou um publicitário limitado, não tem motivo prático para critica esta medida.

          Pura nostalgia?

          A publicidade não é forma de arte, ainda mais as infantis que são bem porcas. Defender um mio que não beneficia em nada a sociedade ainda mais quando é voltado pra um publico que tem tão poucos meios de se defender deste ataque maciço.

          Creio que é um lado seu nostálgico que se preocupa com esta resolução, e não algo pensado em prol da sociedade.

          Na pratica esta resolução é pra facilitar alguns processos e não para gerar uma proibição de fato, então relaxa.

          teve uma propaganda da Xuxa mandando estragar os tênis das crianças para pedir um novo e da Xuxa, outra na qual meninas tem quase orgasmos com a sandalinha dela, é pra evitar este tipo de sandice que existe esta resolução, uma vez que o bom senso dos publicitários não existe.

          A publicidade só serve para o interesse do publicitário e para quem oferece o produto, ninguém está proibindo a divulgação de produtos, apenas se em um eventual processo terá uma série de resoluções que ajudarão a se tomar uma decisão. A sociedade não perde nada com isto, você não perde nada com isto, seja maduro para avaliar a questão.

          1. Calma FlasHQ, não estou levantando em momento algum a sua maturidade nas respostas, assim como eu gostaria que tu não colocasse minha maturidade em questão apenas porque minha opinião se aproxima mais das pessoas que não pensaram muito no assunto.

            Primeiramente, eu não sou contra capitalismo, a sociedade hoje cria um monstro sempre que se fala “Estão fazendo isso por dinheiro” faz parecer que isso é um monstro e que todos que almejam dinheiro são o demônio.

            Sobre o caso da Xuxa, tu citou um exêmplo de algo com conotações sexuais (eu já vi o vídeo). Existe uma classificação para coisas voltadas a crianças, e fazer conotações sexuais infrige essas classificações. Nesse caso citado, o problema não está em vender o produto para crianças mas utilizar de mensagens “agressivas” (na falta de palavra melhor), coisa que eu defendi como sendo contra no meu primeiro post.

            O simples fato de eu não ser um empresário que seja prejudicado pela resolução, não quer dizer que eu não possa discordar dela. É a mesma coisa que dizer que homens não podem apoiar o movimento feminista porque não são mulheres.

            Sobre “se aplica para os eventuais processos”, ao meu ver é praticamente uma proibição, pois no momento que você faz uma propaganda pública do produto, as chances de pelo menos uma pessoa se ofender com aquilo é alta, e com a abrangência da resolução, a que está promovendo a publicidade vai perder sempre. A resolução está bem clara no que proibe, então ela não “facilita o julgamento” ela impõe o resultado do julgamento.

            Sobre “criar necessidade em um público sem plena capacidade…”, aqui estamos considerando que todas crianças que assistirem criarão necessidade, ou apenas algumas? E pergunto, nessas que criarem a necessidade, será algo permanente?
            Na minha opinião, a resposta é não para as ambas, e não acredito também que a propaganda seja o principal meio criador de “necessidade”, eu atribuo essa característica muito mais aos amigos que ficam “se exibindo” do que com a propaganda propriamente dita. Em poucos casos a propaganda causará algo muito maior que uma mera “vontade de ter”.

            Só quero deixar claro que não sou contra uma resolução que impeça um real abuso à criança, algo que seja claramente prejudicial para seu desenvolvimento.

            Por fim, um adulto que assista à um comercial voltado a adultos com produtos infantis, será na grande maioria dos casos ignorado, novamente, isso não torna-se algo viável de ser realizado. Ao utilizar uma veiculação à publico infantil, corre o risco de receber um processo, e ao utilizar a veiculação à público adulto, será ignorado. Grandes empresas que possuem já uma estrutura vão sobreviver a isso sem problemas, mas novas empresas passarão dificuldades para popularizar seus produtos, no final romperá no lado mais fraco, e isso, ao meu ver, não é justiça.

          2. não existe lado mais fraco do que o da criança que nem sabe como se defender ou mesmo que está sendo manipulada (não que a maioria dos adultos tão pouco saibam…).

            O fim da vinculação não é o fim do produto, um produto vinga mesmo sem publicidade e se o produto depende de publicidade é porque ele não é útil por si s´p.

            a questão da publicidade influenciar mais ou menos que os qualquer colegas por exemplo, isto não cabe como argumento, não se trata de qual é a causa principal ou secundaria, nem o fato de se ter um produto popular, e sim dos abusos em como este material é vinculado, os amigos não é algo que cabe a concessão publica, não tem como o governo influenciar ou controlar, para o bem ou para o mal, já os meios de comunicação é um dever do governo por ser concessão publica estar monitorando e regulamentando.

            Você pode sim defender os direitos das mulheres não sendo mulher assim como eu posso defender os interesses das crianças já sendo adulto, mas você enquanto homem enquanto individuo do gênero masculino não poderá falar com propriedade de assuntos como o enjoo na gravidez, a menos que seja um especialisat em maternidade, logo, você não pode falar sobre como sofrerão os meios de comunicação empresas e etc se você não participa deste meio e deveria limitar sua opinião até onde será atingido por ela, e passados tantos meses nada mudou. é pura propaganda eleitoreira para confundir e parece que funciona com alguns ou é usado pra reafirmar de maneira equivocada uma tendenciaria já definida e tentar influenciar outros os levando ao equivoco o que também parece estar funcionando em alguns casos.

          3. Beleza FlasHQ agora gostei da tua resposta (até positivei indicando isso).

            Primeiramente, tenho de concordar no ponto de que lado mais fraco é a criança, a ponto de que eu nem mesmo tenho um argumento para responder isso. Não mudo ainda a minha opinião de que as propagandas não seja prejudiciais para elas, mas que sim, há um aproveitamento disso, eu admito que há.

            Sobre o “fim da vinculação não é o fim do produto”, eu já não concordo tanto, os produtos que se beneficiam da “falta de propaganda” normalmente são aqueles já consagrados que precisam dela apenas para “não serem esquecidos” (aqui podemos citar num ambiente “mais abrangente” as cervejas por exêmplo). Isso atrapalha a tentativa de uma nova empresa entrar no ramo e na concorrência.

            Sobre a influência de colegas, eu não quis citar como esse tipo de argumento, eu tinha a intenção na verdade de reforçar a “insignificância da influência das propagandas de TV”, a ponto de que no mínimo tornaria a resolução “desnecessária”. Mas sim, concordo que o controle de exibição na mídia é responsabilidade de instituições responsáveis.

            Sobre “participar de movimentos sendo parte dele ou não”: E sim, eu não vou compreender a extensão, entretanto, o movimento feminista tem como principal objetivo a busca por igualdade, e isso é um ponto de vista que pode ser compartilhado.

          4. Eu sou feminista, acredito que é um movimento humanista e como tal acredito que todos somos iguais e merecemos as mesmas oportunidades, mas não posso falar como é o ponto de vista de uma mulher com a mesma profundidade que uma mulher feminista… estranhamente o que mais tem é mulher machista, pois a maioria das mulheres nem sabem o que se refere o feminismo e por ter alguma admiração por alguma figura masculina e erroneamente achar que o feminismo é um movimento contro o homem passam a ter comportamento machista.

            Mas voltando ao assunto.

            pra se fazr uma grande campanha seu produto e ou marca já tem que ser um sucesso comer4cial, a propaganda serve pra solidificar a marca ou projetar ela para as mais vendidas, mas mesmo produtos com grandes campanhas somem por não serem tão bons assim e bons produtos que nunca usaram de propaganda continuam consolidados, logo a vinculação na mídia não é o determinante embora seu desempenho tenha seja sim muito afetado, o que quero dizer é que o que realmente é necessário para o consumidor vai continuar, os modismos podem sumir, mas não sei se isto é ruim para o todo, sem duvida pra quem investiu naquela propaganda que repito, não creio que nos próximos vários e vários meses, até anos tenha uma mudança mais drástica, este assunto só veio a tona no momento porque é hora de gritaria politica.

            Eu sou formado em RTV e sou psicoterapeuta, de maneira que entendo um pouquinho tanto de como funciona as leis que regulam a mídia (bem superficialmente mas mais que o publico leigo, já que foi apenas uma matéria obrigatória e não sou nem pretendo ser nenhum jurista) e um pouco do comportamento humano e como ele pode ser manipulado e iludido.

            Não estou querendo dar nenhuma carteirada falando isto, longe disto, é meramente para entender em que me baseio e você talvez se interesse em saber que hoje dos canais abertos, uma concessão publica o único canal que respeita as quantidades mínimas semanais de educativos e informativos na tv aberta para poder funcionar é a Rede Globo, todas as demais poderiam ser fechadas agora e é assim a mais de 40 anos e ninguém faz nada, logo, dificilmente alguém fará algo drástico com estas propagandas.

            Assim como depois da meia noite poderiam passar 2 Girls 1 Cup mas ninguém passa, efeitos mais sociais do que legislativos, os governantes e emissoras tem muito conchavo, por isto a Globo (que se garante) pinta e borda pra derrubar o governo da situação pra garantir seus interesse ignorando os interesses da sociedade como um todo.

            Foi como a campanha falando que a TV a cabo seria uma merda com as cotas de produção nacional (pra mim enquanto entusiasta e formado em RTV foi uma benção embora não esteja diretamente em nenhum projeto, e os canais continuam ótimos e com uma programação ainda mais qualificada, sem aquele fim do mundo tanto exaltado (pelos gringos).

            Os incentivos do governo para o áudio-visual são enormes e resgataram nosso cinema e renovaram a nossa tv e estas mudanças continuam a contragosto da Rede Globo que é ótima, mas não pode ser a única.

            Então não se preocupe, nada vai mudar tão drasticamente assim, o povo reclama mas só porque tem medo do novo, viu o que foi alardeado sobre a copa e no fim, foi uma boa copa. Menos para o Cajuru que falou merda demais!!!

          5. Quanto ao seu primeiro parágrafo, concordo integralmente. Inclusive tormei-me simpatizante do movimento feminista ano passado, quando decidi de vez tentar compreender a real finalidade do movimento. E foi muito triste quando percebi que muitas mulheres que participam do movimento, não fazem ideia de seu real propósito (as mesmas que eram responsáveis pelo meu preconceito para com o movimento por muitos e muitos anos), eu realmente acho que todas as pessoas deveriam estudar e aprender a compreender o feminismo, seria pra benefício da sociedade inteira.
            ————————–

            De fato as empresas encontrarão outro método, uma nova “moda”. E concordo que a maior parte das propagandas sejam para reforçar marcas já consolidadas. Mas ainda assim, ainda penso que certas pessoas foram muito mais prejudicadas que outras, e que as prejudicadas são justamente as que planejam se consolidar, até respondi para a Jussara em outro tópico, que eu iria preferir que a resolução de lei fosse diferente, eu acredito que ela poderia abrir brecha para propagandas que não fossem nocivas, usando a mesma frase que disse pra ela, me parece uma solução “fácil”.

            Sobre a cota de programa educativo, eu admito que não conhecia isso. De fato reconheço uma grande incapacidade nossa de cumprir leis, e até admito que isso tudo provavelmente dará em pizza.

            Sobre a Copa, eu diria que ela foi excelente, e gente demais fez drama. Muitas pessoas me falavam “Com o dinheiro da copa podiam fazer hospitais”, eu sempre respondi “Podiam, mas mesmo sem a copa, eles não usariam esse dinheiro em hospitais mesmo assim.”
            Sobre o Cajuru, eu fiquei realmente feliz quando o Brasil perdeu (okay, eu sei…), acabaram todas teorias de conspiração.

            Enfim FlasHQ, ainda estou aberto para a conversa, pra mim está sendo boa troca de ideia. As vezes as pessoas se esquentam no meio de muitas discussões e ninguém tenta ouvir (no caso ler) o outro, e acho que discussões assim não levam a lugar algum.

            (nisso vai o agradecimento à Jussara pela resposta compreensiva dela logo acima)

          6. Meu objetivo não é te convencer de nada ou fazer você mudar de ideia, já que qualquer opinião é valida ainda mais se tiver argumentos que a justifique, o que tentei fazer é mostrar uma realidade maior, mas o fato é que não dá para prever o efeito desta resolução, e acredito que se de fato ela for extremamente danoso a muitos interesses ela vai acabar caindo, o povo tem que parar de achar que o governo é onipotente e que faz tudo para prejudicar a população, não tem tanto poder assim, nem que quisesse, o problema é que o povo é muito manipulável e em época de eleição os que mais manipulam estão indo para as cabeças pra ver se cola qualquer coisa pra derrubar o governo atual, ainda que não seja de responsabilidade de fato do governo ou que possa ser uma coisa boa.

            vamos ter que trabalhar bastante a paciência neste período.

          7. Quem nos dera que os que são contra esta lei sejam tão esclarecidos e educados como você, Renan. Apesar de opiniões divergentes, tiro meu chapéu à você.

            E eu também seria contra esta lei se não reconhecesse que ela é necessária… o que nos divide agora são apenas pontos de vistas.

          8. Escrevi uma resposta que foi perdida, vou reescrever de forma breve…

            Primeiramente, dei um positivo no teu comentário porque gostei de tua resposta.

            – Nesse primeiro parágrafo tenho de concordar que a criança é o lado mais fraco. Não mudo ainda meu ponto de vista de que não vejo a propaganda como “prejudicial à criança”, mas concordo que ela é usada como meio.
            – Sobre “fim da vinculação não é o fim do produto”, eu discordo em parte. Os produtos de empresas maiores que já estão estabelecidas têm muitas recursos para sobreviverem, entretanto, empresas maiores que querem entrar no ramo, que já tinham muitas dificuldades antes, encontram ainda mais dificuldades. Acaba dificultando surgimento de concorrência.
            – De fato não há como regulamentar “os amigos se exibindo”, entretanto, eu usei aquilo como argumento apenas para dizer que o efeito de “necessidade” da propaganda é muito pequeno, talvez tão pequeno que as medidas da lei tornem-se no mínimo exageradas.
            – Sobre juntar-se a causas: O movimento feminista possui como principal objetivo igualdade entre os gêneros, e pelo menos esse ponto de vista principal pode ser compartilhado entre todos. Mas sim, concordo que há tópicos cuja extensão e delicadeza seja incompreensível para um homem.

  9. Vou repostar aqui o que eu postei no youtube:

    Eis o que eu vejo aqui e em todos os lugares onde o projeto de lei a resolução está sendo citada: as pessoas não estão mais interessadas em defender ou repudiar a proposta… estão agora mais interessadas em provar que ELAS não estão erradas!

    Minha posição? Esta proposta é idiota e doutrinadora, MAS receio que seja necessária.

    Se o mundo fosse ‘perfeito’ então não haveria proibição de bebidas e cigarro para menores porque os menores SABERIAM que aquilo não é para eles, pois foram bem educados pelos seus pais.

    Se o mundo fosse ‘perfeito’ bullying não existiria, pois isto nada mais é do que uma forma da criança insegura jogar seus próprios problemas (que ela ainda não entende) para cima de uma criança mais fraca antes que ela própria seja uma vítima…

    Se o mundo fosse ‘perfeito’ propagandas de bebida não viriam com um “Beba com Moderação” porque as pessoas saberiam que devem beber com moderação… diabos! Nem a Lei Seca existiria! Na Alemanha NÃO existe limite de velocidade nas estradas… você pode correr o quanto quiser! E nem por isto lá o indice de acidentes de carro é maior.

    Se leis restritivas existem, culpe a SOCIEDADE, que sim: NÃO consegue se virar sozinha. Vocês acham que leis são criadas do ar? Elas são criadas baseado no que a sociedade pensa! Por que o Aborto não é permitido aqui? Porque de uma maneira geral a sociedade brasileira é contra… E quando que, ENFIM, no Brasil a Lei do Divórcio foi aprovada? Só no final dos anos 70, porque antes falar em Divorcio era um tabu e uma chaga social… a sociedade não aprovava e por isso a lei nunca passava.

    Vou repetir: propaganda infantil abusiva existia aos montes e hoje está diminuindo… e se aprovada esta Lei não vai fazer nada além de simplesmente colocar esta tendencia no papel. Desculpem, povo… mas se querem propaganda infantil de volta não é convencendo meia dúzia de gente aqui no Youtube ou no Facebook ou em qualquer lugar que vocês vão conseguir: vocês precisam falar com os 190 milhões de habitantes do Brasil.

    …e ao contrário da falácia de “Eu cresci nos anos 80 cheio de propagandas e não tenho nenhum trauma”… bem… quem te disse isso, para começo de conversa? Quem disse que você, que se acha ‘normal’ é realmente uma pessoa sem traumas? Você é feliz? Você atingiu todos os seus objetivos? Todas as pessoas que você ama te amam de volta?

    O que as propagandas fazem não é EXATAMENTE explorar os traumas sociais: “Beba e terá um monte de amigos!” “Tenha um Mastercard e sua vida será maravilhosa!” “Compre este carro para compensar seu pinto pequeno!” – propagandas para adultos não são tão diferentes das direcionadas para crianças: exploram traumas e necessidades que tentamos disfarçar como ‘comportamento normal’.

    Se o mundo fosse ‘perfeito’, propagandas de nenhuma espécie existiriam.

    1. “Na Alemanha NÃO existe limite de velocidade nas estradas”.
      Isso é só nas autoestradas, chamadas de “Autobahn”. São quase em linha reta e a ordem é correr mesmo, só que é um estrada fechada onde todo mundo corre com a recomendação de correr em torno de 130km. Isso não é em qualquer estradinha de bairro.

      E novamente, estamos falando de regulação, não de censura.
      Nosso país é atrasado em leis de mídia, todo país “decente” tem lei de mídia. Essa regulação aqui ainda pode ser considerada branda dependendo do país com que você comparar. Tem país que simplesmente proíbe propaganda direcionada para criança e por acaso alguma industria de lá quebrou? Não.

      1. Censura é você enviar uma coisa a um censor para ele dizer se pode veicular ou nao.

        Lei é você fazer algo que DEPOIS pode ser denunciado por terceiro e depois será analisado se realmente infringiu algo ou não.

        A rturma precisa saber a diferença

        1. Censor não tem Carteira assinada. É a mesma coisa você falar que não existe crime porque o estado não regulamentou a bandidagem.

        1. Toda a América do Norte e União Europeia. No segundo caso em vários países a lei é mais estrita que essa regulação. Procure por “Controle da publicidade infantil em Direito Comparado”.

          Três orientações da lei europeia bastante semelhantes com a que estamos discutindo aqui:
          “a) Não deve incitar diretamente os menores, explorando a sua inexperiência ou credulidade, à compra de um determinado produto ou serviço;
          b) Não deve incitar diretamente os menores a persuadir os
          seus pais ou terceiros a comprar os produtos ou serviços em questão;
          c) Não deve explorar a confiança especial que os menores
          depositam nos seus pais, professores ou noutras pessoas;”

          Essas são as diretivas básicas da União Europeia, e como já disse e reforço, tem vários países que tem leis complementares ainda mais estritas, alguns deles simplesmente proibindo e ponto final. A França por exemplo praticamente proíbe a participação de menos de 16 anos em comerciais.

          No EUA também tem grupo para ficar vigiando, o “Children’s Advertising Review Unit”, e tem lei de 1990 que limita o tempo de propaganda que pode ser veiculada na TV, 12 minutos hora durante a semana e 10 minutos e 30 segundos hora nos finais de semana. Isso na terra da liberdade de expressão.

          1. Primeiro frança é um pais tipico de esquerda europeia ,
            Segundo isso é uma regulamentação não uma proibição total ao conteudo ,
            Terceiro Nem um destes parece com a lei proposta que proibira até treilers de filmes direcionados a crianças .

          2. França ‘esquerdista’… minha nossa… o que é de ‘direita’ para você?

            Aqui também seria uma lei de regulamentação, sua última cartada é tentar distorcer os fatos. Tsk, tsk…

    2. Jussara, é justamente esse o problema, em vez de investir em educação e cultura, perdem tempo com leis tapa-buraco.

      Se a sociedade está errada, corrija a sociedade com educação, é assim que a coisa deveria ser. A criação abusiva de leis e resoluções apenas aumenta o número de pessoas que farão o “jeitinho brasileiro” porque no final, continuarão todos a ser mal educados, o tapa-buraco não vai mudar a sociedade.

        1. A Lei Seca tapa um buraco devido à má educação das pessoas que insistem em beber e dirigir, assim como essas pessoas mal educadas não respeitam os limites de velocidade e a maioria das pessoas não se dignifica a colocar o cinto.

          A diferença da Lei Seca para a de Publicidade infantil está em que uma possui vidas em jogo, o que impede que se reclame demais do tapa-buraco. Mas idealmente, se com um projeto à longo prazo de educação e cultura fosse implementado, não haveria necessidade da Lei Seca também.

          Agora, se eu acho a Lei Seca desnecessária? Hoje ela é necessária devido às inúmeras mortes por conta do problema, mas essa lei só foi criada por incapacidade de estabelecer uma política eficiente de educação.

          1. Mesmo considerando o que tu disse como verdade, não muda o fato de que o problema é a educação.

            E vidas em jogo por vidas em jogo, utilizar computador por tempo demais é prejudicial à saúde, e causa problemas para as pessoas se socializarem. A solução para isso é educar as pessoas para que elas compreendam os problemas disso, ou a solução é proibir o uso de computadores?

          2. Primeiro ponto: os perigos do computador e da internet dizem respeito à uma porção de coisas: vitimização social, profissional, calúnia e injúria, que podem levar à violência, preconceito e suicídio. Danos à saúde são o de menos. E por isto sou totalmente contra à CENSURA da internet, mas creio que algumas NORMAS seriam de bom tom – e elas já existem, como o esquema de ‘denuncia’ – este Projeto de Lei funcionaria de forma semelhante.

            Segundo ponto: será que as pessoas estariam dispostas a dar ‘tempo ao tempo’ para que todos aprendam a serem bons motoristas? Ou mesmo permitir que homens continuem espancando mulheres (e mulheres espancando homens que isto existe também) até que a sociedade aprenda que violência doméstica é errado? As leis são sempre medida imediatas para tentar solucionar problemas urgentes. E são necessárias por causa disto.

            Terceiro ponto: já está havendo um investimento em educação neste sentido. Escolas primárias, ao contrário do que muitos pensam, estão melhorando. ensino das crianças menores já está muito acima dos adolescentes de hoje. Pequenos passos já estão sendo dados… mas só vamos ver os frutos disto daqui a uns dez anos.

          3. Sim Jussara, nisso concordo, motivo pelo qual não sou realmente contra a Lei Seca, pois sei que essa educação que mencionei leva tempo. Sob o ponto de vista “vidas em jogo” fica mais claro no caso dos acidentes de trânsito (inclusive acredito que todas pessoas conheçam alguém que tenha sido vítima).

            Minha comparação com a ergonomia do computador se deve apenas à comparação com a publicidade infantil, onde a maior parte das pessoas não percebe os problemas que estes causam. A diferença maior entre os dois, é que o país precisa dos computadores, e precisa dessas pessoas sacrificando sua saúde, enquanto a publicidade infantil, não interfere no “país” em nada.

            Tu citaste sobre as normas de bom uso da internet, e aqui eu digo, que essa resolução da lei seria muito melhor se ela criasse normas para a publicidade infantil. Mesmo considerando que as propagandas se aproveitam das crianças, eu realmente não acho que todas elas sejam nocivas. Entretanto, também acho que criar uma norma para isso iria necessitar cuidado, ou cairia na mesma das propagandas de remédios, que são obrigadas a ter a mensagem “Ao persistirem os sintomas, o médico deverá ser consultado”, e os malandros decidiram explorar isso ao máximo, fazendo o cara atropelar a fala “Aopersistiremossintomasomedicodeveraserconsultado”, e eu realmente acho que essa resolução que tiveram foi “solução fácil”.

    3. Nada mais fascista do que a perfeição.
      Hitler e Stalin acreditavam estar criando um mundo ideal, olha no que deu.
      Todos procuram corrigir a sociedade e todos têm uma proposta de melhoria e em todos os casos o agente principal é o estado. Será coincidência?
      Não é necessário uma censura na liberdade de expressão quando já acabaram com a liberdade do pensamento.

        1. É como eu disse, hoje em dia, as pessoas não tem mais de duas linhas de pensamento. Qualquer coisa que foge disso é automaticamente inviabilizado do discurso. É isso que a senhora está fazendo Jussara.
          O que eu não é compreendido é automaticamente ridicularizado ou ignorado.

          1. Mais uma vez: último argumento.

            Quer ver mais linhas? Leia o meu comentário longo que postei aqui mesmo (e no youtube) há algumas horas e que ninguém se dignou a replicar porque não tem argumentos.

          2. Não refutarei sua interpretação sobre a resolução, pois tentar discutir respeito da ideia isolada é perda de tempo. deve ser levada em consideração a atual conjuntura para compreender as reais intenções.

  10. Olha gente o negocio é o seguinte.
    Qualquer revista, jornal, programa de rádio ou televisão que tenha patrocínio é comunicação mercadológica.
    No texto esta escrito Comunicação mercadológica E publicitaria deixando bem claro que são duas coisas diferentes.
    Atualmente
    o Brasil tem mais censura do que na época do AI5 é muita ingenuidade
    acreditar que existe qualquer boa intenção para com as crianças.
    Ja
    existe regulamentação para publicidade infantil e o Conar cuida muito
    bem disso, alias gostaria de saber aonde tem o tal abuso que estão
    falando.
    Nos últimos anos as crianças tem cada vez menos espaço na mídia.

    1. CARA… ‘mais censura que na época do AI5’? então como é que você ainda está vivo?!?

      O que você falou chegou a ser desrespeitoso com as pessoas que sofreram DE VERDADE na época da ditadura

  11. Olha os argumentos que eu vi são fracos , ninguém quer saber das pessoas que trabalham nesta área só querem alguma desculpa para proibir , ninguém tem argumentos que justifique isso ,talvez uma regulamentação que defina quanta propaganda passa mais uma proibição , essas regras já tiraram animes de toda a TV brasileira, como não poder ter sangue ou desmembrações em animações (supostamente todos são voltados ao publico infantil) enterrou para sempre e agora ocorrera o mesmo com o que sobrou das animações em nossa grade se fosse algo urgente como crianças fumando crack , maconha ou bebendo mais meu sobrinho me encher uma semana antes de seu aniversario por causa do hot weels não é nada.

    1. Os argumentos foram dados, você apenas não quer aceitá-los porque só pensa no seu próprio rabo.

      EU sou da área de ilustração, desenho e midia e esta lei me prejudicaria também, mas reconheço que ela é necessária porque existem sim, abusos.

      Continue com sua velha retórica de ‘alarmismo comunista’ e de ‘destruição de mercado’ porque este é o seu mundinho onde acredita, apesar de haver um mundo muito mais vasto lá fora. Continue a se enganar só para não admitir que está errado.

      Foi uma perda de tempo conversar com você. Adeus.

      1. Qual o seu grande argumento que até agora eu não vi , uma proibição não é fara bem a ninguém nem a as crianças ,pais ou quem trabalha nessa aréa , uma regulamentação baseada na da união europeia , (Todas as redes tem direito de 15 minutos há 20 minutos semanais de propaganda infantil sem restrição) mais proibir toda a propaganda infantil como disser que isso fara bem a alguém ?

          1. é se ve em cuba não tem gente obesa só pessoas anorexias , bem o presidente é obeso o Fidel tambem mais isso é bobagem.

          2. Cuba alcançou a igualdade. Seus habitantes são igualmente miseráveis. E a liberdade também, já que a definição de totalitarismo é a liberdade total para uma única pessoa.
            Olha só acho que deve ser o paraíso!

    2. Você tinha esperança de bons argumentos?
      Não há bom argumento à respeito da ideia em si pois ela é totalmente descartável.
      Nesse caso foi usada a publicidade infantil, como já usaram o cigarro e futuramente o alvo será outro. Sempre sobre o pretexto de estar supostamente estar protegendo as pessoas e a democracia.
      Proibição do porte de armas, legalização da maconha e marginalização e proibição(se possível) do consumo de tabaco, legalização do casamento gay, movimentos feministas, etc… Essas propostas podem mudar mas os motivos reais por trás desses movimentos é o mesmo. Aumentar o poder estatal.
      Todos esses movimentos são análogos a boa e velha guerra de classes.
      E é obvio que ridicularizarão todos os argumentos que estão contra isso.

  12. À todos, incluindo o Kitsune, aqui vai um post (julgo eu interessante).

    Li o comentário de todos, e discuti com alguns, mantive-me aberto para opiniões de outras pessoas, e nas trocas de ideias, posso dizer com propriedade que a discussão me fora de muito aprendizado, e que creio eu, devam ser assim as discussões, sem ofensas, apenas uma troca de ideias com um respeito mutuo, de forma que um lado possa não concordar com o outro, mas compreender. Não existem vilões, o mundo não é preto-e-branco, acho que todos possuem experiências diferentes, e essas experiências nos ajudam a nos complementarmos e formarmos com mais firmeza nossas opiniões.

    Aproveitando que o vídeo fala sobre a resolução que fora aprovada, gostaria que todos lessem também a contra-proposta, o Projeto de Decreto Legislativo nº 1460 de 2014 nos seguintes links:
    http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=612104

    http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=39A7353B5DF9AFA01AB173C1A8F6BA62.proposicoesWeb2?codteor=1245938&filename=Tramitacao-PDC+1460/2014

    Este visa anular a resolução previamente estabelecida, não estou entrando nos méritos aqui de que anular o decreto é bom ou não, apenas gostaria que no segundo link, todos dessem uma lida nos argumentos pelos quais esse Projeto quer vetar a resolução, e em quais partes da legislação ele se baseia para tentar ter o projeto aprovado.

    Novamente, não quero aqui nesse post dizer o que é certo e o que é errado, apenas mostrar mais conteúdo a ser estudado e a ser levado em consideração. Para os que defendem a resolução, acho importante estar ciente desse Projeto de Decreto Legislativo para poder reafirmar ainda mais sua convicção, e para aqueles que são contra a resolução, serve também de argumentos legais que reforçam seus pontos de vista.

  13. Não sei quem é pior se é esse pessoal fez essa resolução (que tem uma agenda muito bem definida) ou as pessoas que querem posar de moderno e que estão acima do presamento partidário não perceber que são idiotas uteis e que estão servindo de massa de manobra para objetivos obscuros.
    Se você acha que a industria de entretenimento(isso incluído seu querido manga) não vai sofrer com essa restrição a publicidade, vc e um idiota , pois as revistas, mangas hqs, desenhos animados etc não são pagas somente pela vendagem da tiragem ou venda dos episódios para emissora. Seu querido produto não sofrerá uma censura, mas sera cada vez mais difícil o financiamento de novos produtos e produtos de nicho.

Deixe uma resposta