12 thoughts on “VQ Review – Haikyuu 01 – 02”

      1. Devagar, baixo e bem explicadinho! Sabe, como o Grave brinca com ele e tal:

        “O enredo se foca entre esses dois personagens”

        Não é uma critica, é uma característica interessante! XD

        Não vai continuar com a analise?

  1. Parabéns, Kushina, ótimo review! Eu estou adorando Haikyuu, é leve, divertido e os personagens são interessantes. Vai pra minha lista de animes de esporte favoritos, junto com Yowamushi Pedal e Kuroko no Basket.

    Você está fazendo um excelente trabalho, espero ver mais vídeos com você ^___^

    1. Muito obrigada! ^^-
      Espero poder melhorar mais e mais!
      Comentário nada a ver, Tenho um amigo com o sobrenome igual ao seu! ^^ Não se é comum, mas seri legal se fossem parentes! ^^

      1. É mesmo? Suguihara não é um sobrenome muito comum, pelo menos não por aqui. A maioria dos meus parentes por parte de pai está meio que espalhada pelo interior de SP, se bem que vários eu perdi contato e hoje não sei onde estão…

        1. Ah! esse meu amigo é lá do Japão mesmo! XD
          Não sei se ele tem parentes aqui no Brasil! Acho que não, pelo menos não próximo, ele teria comentado comigo!! Mas quem sabe né! ^^- Sempre tem uma chance!!

          1. Ah, meu pai tinha parentes lá mas sei quase nada sobre eles. Imigrante japonês tem isso, a distância é grande, a vida difícil, acaba perdendo contato.

            Nós tínhamos umas cartas que ele recebeu do Japão, mas nem imagino onde estão guardadas agora, se achar te digo de que província vieram. Isso, se eu conseguir ler o kanji, ehehe ^__^

  2. kushina linda por favor divulgue o meu trabalho é uma fic yaoi do judeu ateu e do estranhow conto com seu apoio hein kushina

    TÍTULO: “Faz bem pra pele.”

    Já passava das 21h, mas Estranho ainda estava malhando na academia:

    – Tenho que manter minha fama de bombadinho da balada à todo custo!!! – dizia pra si mesmo.

    Após malhar o tornozelo, resolveu fazer uma pausa pra botar suas leituras em dia. Começou a ler um gibi que tirou da mochila, quando um jovem magro e cabeludo se aproximou:

    – Oi, você também gosta de mangá?

    – Sim, esse é Good Noite Pum Pum, da editora JBX. – respondeu Estranho.

    – Nossa, eu também gosto muito desse. Tem um desenvolvimento de personagem muito profundo e hipster.

    – Uhum, uhum. Qual é o seu nome?

    – Eu sou o Judeu Ateu.

    – E eu sou o Estranho…

    – Dá o cú pra mim?

    – Uhum, uhum…

    Os dois moços saíram de carro rumo à zona rural, visto que Estranho temia que sua namorada Maya os descobrisse caso fossem para um motel da cidade. No caminho, Judeu não parava de acariciar o belo pênis de Estranho.

    Ao adentrarem uma fazenda, Estranho lembrou que não havia trazido o lubrificante.

    – Vai sem lubrificante mesmo, amor. – disse Judeu.

    – Não dá, eu sofro de hemorróidas!! – respondeu Estranho, corado.

    Decidiram usar um óleo lubrificante de motor que encontraram no porta-luvas, e então partiram pra meteção.

    Ao perceber que Judeu não estava sabendo colocar o preservativo, Estranho lhe deu um selinho carinhoso na boca.

    – Deixa que eu te ajudo, noobzinho…

    Judeu acarcou o pau sem dó em Estranho durante uns 20 minutos, enquanto manipulava o pênis do fortinho com a mão. De repente, foram surpreendidos com a chegada de uma caminhonete cabine dupla, de onde saíram cinco homens.

    – Olha só o que temos aqui!!! Dois viadinhos!!! Peguem eles, homens!!! – gritou o dono da fazenda.

    Os peões amarraram os amantes, e os jogaram na caçamba da caminhonete.

    Judeu e Estranho foram levados para o curral dos cavalos. O dono da fazenda esbravejou:

    – Agora vocês vão aprender o que acontece com quem invade minha fazenda!! Traz o garanhão italiano!!!

    Um dos peões trouxe um cavalo enorme, com um pênis de 62 centímetros. Foram necessários quatro peões pra segurar Estranho, que chorava e gritava muito enquanto o cavalo o enrabava.

    Enquanto Estranho era estuprado, Judeu foi ordenado a meter a rola no cavalo. E assim ele o fez.

    Finalmente, o dono da fazenda completou o trenzinho, comendo o Judeu.

    Os quatro seres ficaram transando assim por 30 minutos, enquanto Estranho pegava bosta de cavalo do chão e passava na cara. Fim.

  3. Hi-5, pois eu também sou meio novato em anime de esporte e estou assistindo esse. Hajime no ippo foi o único que tinha assistido até então.

    Concordei com quase todas as informações do vídeo (e ainda acrescentaria como é bom ter um protagonista que não berra de 5 em 5 segundos). Só acho que não tive a mesma impressão quanto ao “esquentadinho” da dupla. Não sei se chega a egocentrismo. Achei ele ambicioso, mas que cobra o mesmo de seus companheiros. Provavelmente ele só respeita quem se esforça o máximo para vencer e talvez seja por esse viés que ele se torne amigo, ou pelo menos ature, o “laranjinha”. Mas claro, posso estar errado, afinal não li o mangá e estamos apenas no segundo episódio.

    Beijo.

    PS: Sim, não decoro nomes. Espero que não se incomode com os pseudônimos 😀
    PPS: Na verdade quando sua bateria acabou o enquadramento melhorou 😛
    Seus pokémons de pelúcia são fofos, mas o vídeo estava com muito teto. No demais, sucesso! Está se saindo muito bem.

    1. Oi Leco!
      Eu acho entendi os pseudônimos! XD Faz parte! Eu mesma demoro para decorar alguns nomes!
      Sobre o Kageyama, eu entendo o seu ponto e acredito que seja uma possibilidade! O que me fez pensar em uma postura mais egoísta dele foi a sensação que se dependesse dele, ele jogaria em todas as posições! Mas não tem como, então ele exige a mesma excelência dos companheiros! Estou louca para ver como isso vai se desenvolver!! ^^-

  4. Perdão por demorar tanto para ver os comentários aqui!
    Minha vida anda um tanto corrida e o blog ainda é muito novo para mim!! ^^-

Deixe uma resposta