Análise – Super Smash Bros Wii U e 3DS

A batalha entre os mascotes da Nintendo e convidados acontece pela quarta vez depois de um hiato de 5 anos e meio, dessa vez para o Wii U e pela primeira vez num portátil o 3DS. E a expectativa para essa nova versão é alta já que a do Wii é considerada a pior da série por causa das mecânicas aleatórias, da jogabilidade lenta e controles truncados. Será que finalmente depois de uma espera de 13 anos essa nova versão conseguiu superar o Melee?

Sim! E tudo isso foi corrigido ^_^.

O primeiro Smash Bros. foi lançado para o Nintendo 64 em 1999 com baixo custo e sem nenhuma perspectiva de vendas, mas acabou se tornando o 5º jogo mais vendido do aparelho e desde então é uma das franquias que não pode faltar a cada novo console da Nintendo. É tão aclamada que até o diretor Masahiro Sakurai só fica sabendo que está no projeto depois de anunciarem oficialmente. Uma curiosidade é que essa foi a primeira vez que o jogo foi produzido pela Namco-Bandai.

10417752_348400085333678_4022915764038895013_n

Para quem não está familiarizado com a franquia o objetivo básico do jogo é derrubar os oponentes para fora da tela, os golpes dão dano e empurram, o dano fica registrado como porcentagem, essa porcentagem é o quanto mais longe você vai ser empurrado a mais pelos golpes. Cada personagem tem uma gama de golpes e especiais. A luta é 2D com controles simples, mas com mecânicas avançadas. Todas as técnicas super-avançadas, coisas que só os competidores profissionais conseguiam fazer foram removidas. O jogo é o jan-ken-po do ataque > “agarrão” > defesa > ataque e controle de campo, isso é a base do jogo, isso é o topo do iceberg.

Na parte da história não tivemos novidades, o que era ruim no N64, se tornou inexistente no Game Cube e uma aventura sem sentido no Wii, para agora voltar ao nada! E isso não é ruim, mas também não é bom. A equipe do Sakurai poderia começar a pensar com mais carinho no porque essa festa de personagens da Nintendo acontece e criar uma história contextualizando tudo.

Agora o lado bom, esse é o Smash Bros mais equilibrado de todos, os personagens fortes foram enfraquecidos e os fracos foram fortalecidos, jogadores profissionais tem reclamado disso, mas ficou melhor por que agora nos campeonatos a variação de personagens é maior, não é mais aquela chuva de Fox, Meta Knight, Marth e Captain Falcon. O jogo ainda está recebendo atualizações de equilíbrio e correções de bugs.

Atualmente com 51 personagens, dentre eles 17 novos, e com a presença marcante do ícones como Mega Man e Pac-Man, essa é sem duvida a seleção mais completa de personagens que a franquia poderia ter ( isso se tivesse a presença do Snake e Ice Climbers, esse último removido por que o 3DS não aguentou). Os novos personagens adicionaram bastante ao jogo, dando novo ritmo e abrindo ainda mais o leque de possibilidades nas batalhas e a lista de personagens é a mesma para o Wii U e 3DS.

1377240_364243177082702_6073165818378699028_n

É possível equipar três equipamentos nos personagens e alterar os especiais (botão B), cada personagem tem 4 especiais e cada especial tem 3 variações possíveis, a grande maioria das variações muda pouca coisa, essa pouca coisa pode fazer toda a diferença, ninguém usa essas variações ainda, por que demora demais para libera-las. Nesse link é possível ver especiais sem as variações e sem os personagens secretos só para ter uma ideia.

No Wii U é possível usar vários controles disponíveis a tablet do Wii U, Wii Remote, Wii Remote e Nunchuk, Classic Controller, Classic Controller Pro, Wii U Pro, o tão aclamado controle do Game Cube e 3DS se tiver o jogo. O controle do 3DS sofre com os raros casos de quebrar o direcional e é menos preciso, é um controle mediano. O New 3DS, tem um direcional a mais que é usado para os Smash Attacks (maldita Nintendo forçando a troca de aparelho que ainda nem lançou no ocidente ಠ_ಠ).

A parte dos mapas também é bem variada, são 5 mapas que estão nas duas versões; mais 20 novos e 9 antigos somente para 3DS e25 novos, 17 antigos e editor de mapa somente para Wii U. A seleção foi muito boa para ambas as versões. O editor de mapa melhorou na parte de pode fazer qualquer desenho, mas peca nas ferramentas. A Nintendo não colocou a possibilidade de compartilhamento por que liberdade criativa para jogadores é sinônimo de pênis.

zlCfzSlsxaADLyAUvH

Um elemento importante são os itens, existe uma grande variedade que deixam as batalhas mais divertidas e menos competitivas. Você pode jogar uma pokébola, por exemplo, para invocar um pokemon para te ajudar ou usar uma espada lazer para atacar os oponentes, ou até mesmo jogar uma bomba nos oponentes. Um dos itens é o Smash Ball, é uma bola que fica andando pela tela, quem conseguir quebra-lá pode usar um super especial do personagem. Essa nova versão quase dobrou a quantidade de novos itens e muitos são bem apelões. Dos itens antigos cortados os únicos que fazem falta são o casco vermelho e o leque, já o canhão de fogos de artificio já foi tarde u_u.

Uma coisa a se destacar é que não é possível controlar a quantidade de itens que aparece no 3DS e isso é uma falha gravíssima, ou chove itens, ou não tem itens. Vamos ver se eles corrigem isso em breve.

No 3DS também não é possível jogar só com um cartucho. Jogar de perto é muito bom, desde que não tenha muita interferência de outros aparelhos, testamos em uma sala e houve lag, mas numa sala ao lado não houve problemas, testamos também num evento cheio de 3DS e também não houve problemas, para entrar na salas é simples, rápido e o lag é inexistente.
O online de ambas as versões atualmente está muito instável, tivemos raros casos onde o jogo não dava lag ou simplesmente travava. O sistema de amigos e conversação ainda é arcaico.

Visualmente o jogo é deslumbrante no Wii U, brilho, luz, reflexo e relevo é usado constantemente, se você pausar e der zoom você consegue ver detalhes como a costura da bota do Young Link, a animação dos personagens é detalhada, fluida e caprichada, você vê que uma arma sempre fica bem posicionada nos personagens, mesmo com o diferencial de tamanho dos personagens e das mãos. No 3DS o jogo ficou muito bonito em relação á capacidade do aparelho, a interface é mais limpa por que os ícones e o dano de porcentagem ficam na tela debaixo.

10477141_356301597876860_8019815246016358438_n

No 3DS você consegue jogar em 3D, no Wii U em alta definição e tudo á 60 fps e em raríssimos casos de queda de frame, nem quando tem 8 jogadores ao mesmo tempo. Em mapas grandes fica dificil entender o que está acontecendo e você se perde de vez em quando, em mapas pequenos os itens pequenos somem até mesmo numa TV grande. No 3DS itens que enchem a tela de coisas não aparecem simultaneamente, um smash ball nunca vai aparecer junto á um Daybreak. A tela do 3DS XL é justa, mas para a o 3DS normal a tela fica muito pequena.

Assim com em Brawl foram convidados vários compositores, mais de 50, entre eles incluem os lendários Yasunori Mitsuda e Koji Kondo. O 3DS tem 2 músicas por mapa, o Wii U possui várias e ainda é possível controlar a frequência delas. No total o 3DS tem 115 músicas, Wii U possui 3 vezes mais incluindo todas do 3DS. A seleção incluem remix e originais, muito bem selecionados.

Ambos os jogos são consistentes, cheios de conteúdo e divertidos, são os melhores da série no visual, controle, som, quantidade de personagens e mapas. O 3DS tem a vantagem de ser portátil, já o Wii U é mais lapidado, bonito e com um pouco a mais de conteúdo. Em questão competitiva é um ótimo jogo com mecânicas avançadas e equilibradas. É a homenagem da Nintendo para si mesma em forma de luta, recomendadissimo para você dar umas porradas nos seus amigos. Tem alguma discussão “Settle it in smash”.

http://youtu.be/P0G9-DwU2fI

Site oficial: http://www.smashbros.com/us/

A batalha entre os mascotes da Nintendo e convidados acontece […]

One thought on “Análise – Super Smash Bros Wii U e 3DS”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *