Análise – Dragon’s Dogma

Trago para vocês o review de um jogo que tinha tudo para ser um ótimo RPG, são batalhas épicas, tática, ação, destruição e monstros sanguinolentos…porém sua história é fraquíssima…esse jogo é: Dragon’s Dogma (Doragonzu Doguma).

Para começar vamos falar um pouco sobre o jogo em si. Ele foi desenvolvido e publicado pela empresa japonesa Capcom para Playstation 3 e Xbox 360. O jogo se passa no reino de Gransys governado pelo Duke Edmun. O jogo é do estilo “Open World” e as batalhas do tipo “Hack & Slash”. Vale citar também que a equipe por trás do jogo é a mesma de “Devil May Cry” e isso influenciou muito na criação de Dragon’s Dogma.

História

Agora vem um dos pontos fracos do jogo, a historia é extremamente ruim, tem suas reviravoltas, mas nada que te surpreenda.

O jogo conta a jornada de “Arisen”, que traduzido para o português seria “Erguido” (essa seria a tradução ao pé da letra), e a sua busca pelo seu coração que foi roubado por um dragão. Esse é o Plot principal do jogo e apenas isso, a história não sai desse foco em nenhuma hora, fiz várias side quests para tentar manter tudo mais “interessante” e nem isso adiantou.

Pelo menos no final do jogo o jogador acaba entendendo o porque disso tudo acontecer, mas como falei acima, nada de surpreendente.

Resumindo a historia do jogo é MUITO fraca para um jogo que se diz ser um “RPG” ele realmente não conseguiu brilhar nesse quesito. Mas fique calmo que o melhor ainda está por vir,  porque pelo menos ele é um ótimo ACTION RPG.

A Mecânica

Agora sim…no começo do texto eu falei sobre a equipe de desenvolvimento do jogo, então vocês já podem ter uma idéia do que está por vir.

O SISTEMA DE BATALHA DESSE JOGO É FODA DEMAIS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! (Caps Lock em tudo isso pra dar a ênfase que eu queria), o jogo é simplesmente incrível em sua mecânica, tanto para o modo “história” quanto para o “online”, o que é algo bem diferente do que normalmente se vê por ai.

Primeio vamos abordar a mecânica de batalha, você pode escolher entre 9 classes diferentes sendo cada uma com habilidades únicas e “stat growth” (ganham certos pontos de habilidades diferentes). De começo você pode escolher 3 classes: Guerreiro, Ladrão e Mago e após o lvl 10 você libera as outras (O MAX lvl é 200 então você tem várias builds para fazer tornando seu personagem ainda mais único e ÉPICO). Todos que já jogaram Shadow of the Colossus e gostaram vão adorar esse jogo, monstros grandes que você precisa escalar para bater em pontos fracos, MAS em openworld com eles andando livremente… (SIMPLESMENTE… FODA…)

Concluindo o sistema de batalha: Ele é um sistema onde você deve procurar por pontos fracos em todos os bichos, e aprender suas fraquezas, por exemplo, um zumbi é fraco contra fogo e luz, se você bater com uma arma sem esses elementos seu dano será ridículo, fazendo assim com que o jogador se prepare previamente para todas as batalhas. E também vale citar que o jogo é difícil, então se você é um jogador que gosta de um desafio vale a pena dar uma conferida.

Vamos agora para o sistema de pawns  ou “seguidores” em português.

O jogo vai fazer com que você crie um “pawn” e ele terá todo o sistema de customização que você pode usar em seu personagem, deixando ele com o visual que você queira. Agora vem o legal do jogo, os pawns crescem junto com você e aprendem táticas, jeitos de matar monstros e até meios de completar quests e atalhos em dungeons e no mundo. Por exemplo, se seu pawn já tiver feito uma quest ele vai aprender ela e saberá como concluí-la dando para você dicas. O mesmo vale para os monstros, se o pawn tiver matado já o monstro ele vai falar como que você pode derrotá-lo mais facilmente. Agora quem esta lendo devem estar pensando “se eu já matei o monstro eu já sei como matar ele, pra que eu preciso disso?”

Você pode ter 3 pawns durante o jogo, o seu principal e mais 2 de outros jogadores e ai que entra todo esse lance de “aprendizado”. Se os pawns que você usar forem o de um jogador experiente que fez várias quests e matou vários mostros isso ajudará você, porque eles te darão dicas de como superar esses desafios já que um outro jogador os fez e isso ficou armazenado no personagem. Do mesmo jeito que se alguém usar o seu pawn ele irá se beneficiar dos conhecimentos dele. Agora vocês devem estar pensando: “Qual a vantagem de usar um pawn de outro jogador ou alguém usar o meu, alem das dicas que eles dão?”

Modo Online

Citei acima de como o seu pawn e os pawns dos outros jogadores podem influenciar no jogo de cada um, agora pra falar um pouco mais das vantagens dessas trocas:

Quando um pawn vai para o mundo de outro jogador ele irá voltar com itens, conhecimentos de quests e monstros, e “Rift Stones”… Rift Stones são usadas para comprar certos itens in-game, e “alugar” pawns de nível superior. Por exemplo: um jogador está lvl 10 e cria um pawn, pessoas começam a usar o pawn dele e quando ele vai ver ganho um quantidade grande de Rift Stones, ele pode então alugar um pawn de outro jogador com um nível bem acima do dele, com mais conhecimentos e itens melhores, ou comprar um item bom de mercadores que usam Rift Stones.

No modo online tem um outro jeito de players interagirem entre si, mas apenas esse jeito. Depois que você recupera seu coração (desculpa pelo Spoiler, mesmo sendo extremamente óbvio), abre se um local com um boss, onde você pode escolher entre matar ele no modo Offline ou Online, no modo offline é como se fosse uma luta normal. No modo online o jogador tem um tempo para dar o máximo de dano no boss, todo mundo está atacando o mesmo monstro e quem der o ultimo golpe nele ganham bônus maiores que o do modo offline.

Pontos baixos do jogo

Além do que eu já falei sobre a história, temos mais alguns pontos fracos e aqui estão eles:

O jogo é “Open World” isso é legal, MAS não existe nenhum sistema de teletransporte dentro do jogo, sendo assim você sempre terá de correr até seus objetivos, e quando um objetivo te manda pro outro lado do mapa, você fica um pouco frustrado. Você pode comprar umas pedras que te sumonam de volta pra cidade, mas elas são caras pra caramba. E o dinheiro é extremamente escasso até o final do jogo.

Mesmo o sistema de pawn sendo muito legal e diferente, tem um problema…quando se anda com os 3 pawns e TODOS ficam gritando dicas… Isso enche muito o saco… MUITO mesmo…no começo é legal, mas depois da vontade de jogar solo o jogo ou desabilitar todas as falas do jogo…

E pra terminar a AI do jogo, tendo esse sistema de “Pawns” você acaba esperando um jogo com uma inteligência artificial foda…mas não é isso que ganhamos, especialmente o mago, mago nesse jogo é meio difícil, por exemplo, eles não abençoam suas armas com elementos quando devem, usam magias que não são tão efetivas nos monstros, mesmo eles não parando de falar que o bicho é fraco para fogo, eles ficam floodando magia de gelo.

Vale a pena ou não?

Tirando esses 4 erros, sendo um dele a história o que impacta bastante no estilo RPG que o jogo se propõe, temos um ÓTIMO jogo de ação. As batalhas são extremamente fluídas, você consegue sentir a grandiosidade do jogo durante ele todo.

Vale muito a pena comprar esse jogo, não me arrependo de ter pagado por ele em nenhum momento, pode ter algumas falhas, mas as batalhas e o jeito que o jogo faz você se sentir imerso nele é muito gratificante.

Considerações finais

O jogo teve um ótima quantidade de venda no mundo e a Capcom anunciou que “Dragon’s Dogma” irá virar uma franquia. Portanto ainda vamos ter muito do que falar sobre esse incrível  jogo.

PS:. Ouçam a música título do game, é bizarra para um jogo medieval.

Trago para vocês o review de um jogo que tinha […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *