J-Drama Review #40 – Papa Idol (Papadoru)

Papa Idol

SIM, você não está sonhando, hoje não é dia da mentira e muito menos isso é uma miragem. Estou de volta com o J-Drama Review! AWWWW YEAAAAHHHH!!!  QUE SAUDADE de escrever sobre doramas, meus amigos. Vocês não tem noção. Mesmo estando lotado de coisas pra fazer, nesta semana eu decidi que iria escrever sobre doramas aqui no Mithril e aqui estou RUMO AO 50º REVIEW!

Neste post de número 40, irei falar de um dos doramas que mais geraram comentários no fandom durante este ano: Papa Idol (ou Papa Doru, Papadoru, Papa wa Idol). Mas o que ele tem de diferente? O diferente é que a TBS resolveu explorar o fato de ter um Johnny no papel principal de forma genial: O que você faria se o seu pai fosse um dos japoneses mais visadas tanto pela mídia quanto pelos fãs? Pois é o que vamos descobrir neste review.

Papa Idol
Diretores: Tsuboi Toshio e Watase Akihiko
Produção: TBS
Nº De Episódios: 10
Ano: 2012 – Spring

Nishikido Ryo é membro do Kanjani8, grupo composto por 7 membros e que tem como base a região de Kansai no Japão. O Kanjani8 faz parte da Johnny & Associates (comumente chamada de Johnny’s Entertainment ou JE) e para quem não conhece, a Johnny’s é uma empresa de talentos japoneses onde atualmente há apenas homens que normalmente entram na agência bem jovens e vão crescendo até debutarem como cantores, atores, apresentadores ou tudo isso ao mesmo tempo (LOL). Junto da Watanabe Productions é talvez uma das maiores agências de talentos masculinos do Japão e uma das maiores da Ásia.

No Japão ser idol é uma parada muito Serious Business, pois em um país que cresceu no pós-Segunda Guerra tendo como base o entretenimento e a sua cultura de massa, se tornar um idol de sucesso é uma profissão que todo pai quer para os filhos, pois além de ganhar muito dinheiro, traz sucesso e muita fama. Mas claro, nem tudo são flores para quem quer ser um idol no Japão. Uma das regras básicas que muitas agências impõem para seus idols é a de que eles não podem de forma alguma se relacionar afetivamente com outras pessoas. Ou seja, NAMORAR É PROIBIDO.


Isso acontece porque ser um idol no Japão é “vender um sonho” para as pessoas e para isso, segundo a linha de pensamento deles, você precisa ser “perfeito” tendo o seu trabalho acima de tudo e de todos. Tanto idols masculinos quanto idols femininas acabam sofrendo muito com isso porque muitas vezes entram muito cedo no mundo do entretenimento e acabam privando praticamente a sua vida inteira em prol desta profissão. É claro que há exceções, como o fato de muitos idols mais velhos já serem casados e inclusive terem filhos, mas quando se descobre que um idol está saindo com alguém, pode acreditar, é bem pior do que simplesmente ver um artista global fazendo presepada na balada, pois dependendo de quem seja ele pode ser suspenso de suas atividades ou até mesmo ser expulso da agência que faz parte, sendo que casos assim não são raros (principalmente envolvendo idols femininas).

Em Papa Idol Nishikido irá enfrentar todos estes problemas, pois certo dia ao entrar em uma loja de conveniência, vê alguns caras importunando a funcionaria e com a emoção agindo sobre a razão, resolve ajudar a garota contra os caras. Mesmo eles reconhecendo o rapaz, ele não se importa e tenta salvar a garota dos baderneiros, mas o que era para ser uma ação heroica de Nishikido acaba se transformando uma grande trapalhada do cara, o que ocasiona algo inesperado tanto para Nishikido quanto para os malucos. Após o mal entendido Nishikido e a funcionaria da loja começam a conversar e ele descobre que a garota se chama Hanamura Haruka (intepretada pela atriz/talento Yuka) e vê que os dois tem muitas coisas em comum, o que acaba deixando-os cada vez mais próximos. Depois de alguns encontros e trocas de email, eles decidem ficar juntos e é aí que Nishikido começa a descobrir um pouco mais sobre a vida de Haruka.

Divorciada e mãe de três filhos, Haruka vive em uma pequena casa junto de sua mãe e a família apesar de não ser rica, vive relativamente bem com a mãe de Haruka totalmente aleatória e os filhos indo para a escola como crianças normais. Os filhos de Haruka são Mei (Kawashima Umika), Yuto (Imai Yuki) e Kana (Tani Kanon). Mei é a mais velha e é uma adolescente bem estudiosa e que adora sair com as amigas; Yuto é um otaku, pouco sociável e que só pensa em estudos e não se dá muito bem em outras coisas e Kana é a mais nova e elétrica dos irmãos, é viciada em idols e o seu artista preferido é Sakurai Sho, do Arashi (que também é da Johnny’s). O primeiro contato de Nishikido com os filhos de Haruka é bem tenso, pois o pai verdadeiro das crianças estava afastado da família e elas não estariam preparadas para ter um novo pai. Se não bastasse isso eles ainda descobrem que o cara é famoso e é aí que começa a história.

Apesar de Papa Idol ser um dorama de comédia, muitas vezes ele consegue muito bem dar uma carga dramática para a história que não chega a ser cansativa. O drama começa a partir do ponto que Nishikido que vive com a agenda lotada, precisa se desdobrar para atuar em doramas, aparecer em programas de variedades, se apresentar junto do Kanjani8, fazer seções de fotos, fazer comerciais e ainda arranjar tempo para ganhar a confiança dos filhos de Haruka para manter uma relação saudável na nova família. Isso tudo, claro, em segredo absoluto de tudo e todos. Se ser idol é difícil, imagina manter uma família em segredo? E é isso que o dorama tenta explorar, principalmente porque uma hora ou outra alguém seja da agência seja da mídia, pode acabar descobrindo o segredo do cara e assim como na vida real, isso pode trazer sérias consequência para a carreira de Nishikido.

O começo do dorama é voltado principalmente para essa parte de confiança de Nishikido com os filhos de Haruka para provar que ele é realmente uma pessoa legal e que realmente se importa com a mãe. Eles acham que Nishikido por ser famoso, está com Haruka por simples diversão e ele tentará de tudo para fazer com que as crianças o vejam como alguém confiável. Os métodos que Nishikido usa para conseguir isso são algumas vezes muito extremos, mas de certa forma são os únicos métodos que ele pode conhecer de dar carinho e atenção para a pessoa que ele ama e demonstrar que ele se importa com quem está a sua volta. Essa parte é muito boa no dorama e rende algumas situações tanto de Nishikido quanto de pessoas relacionadas a ele a agência que servem como uma reflexão para as regras rígidas que os idols japoneses precisam seguir para serem “perfeitos”.

Esse dorama foi exibido em abril deste ano, época em que uma noticia envolvendo um membro da Johnny’s ainda era assunto em diversos sites relacionados a idols e que mexeu com o fandom da JE. Pouco antes disso, em fevereiro, foi descoberto que Akanishi Jin, ex-membro da banda KAT-TUN estava tendo um relacionamento com a atriz Meisa Kuroki e que inclusive ela estaria grávida esperando um filho de Akanishi. A notícia que surgiu como um rumor foi confirmada pela Johnny & Associates que estaria putaça com Akanishi por causa da história. Ele, que fazia turnê pelos Estados Unidos, como “punição” foi responsabilizado por arcar com todos os custos que sua turnê estava tendo nos EUA e ainda foi suspenso da agência por tempo indeterminado. Meisa por sua vez, sumiu do entretenimento voltando algum tempo depois para responder as críticas e perguntas da mídia inteira. Os dois se casaram em segredo pouco antes do rumor vazar e dizem que este casamento foi motivado pela gravidez de Meisa. Hoje, como a história já meio que aceita pela mídia, Jin quase não aparece e Meisa, que é modelo, ainda fazia até pouco tempo trabalhos e dava entrevistas normalmente.

Essa história cria um paralelo com Papa Idol, pois mostra que apesar de se tratar de um dorama de ficção, algumas coisas relatadas na série realmente podem acontecer na vida real como perseguição e chantagem por parte da mídia. Papa Idol não é um simples dorama recomendado para quem gosta de idols (ou principalmente acompanha os Johnny’s), mas sim para quem quer saber um pouco sobre a vida destas pessoas que movem o entretenimento japonês nos dias de hoje. A comédia em Papa Idol está presente principalmente em relação à nova família de Nishikido, mas quando muda para a parte idol do ator, a história se torna mais séria. É um dorama com até bastante fanservice para os fãs, mas que pode agradar a todos pela sua história e desenvolvimento muito interessantes.

Sobre Leo-Kusanagi

Apaixonado por cultura japonesa desde criança, começou a escrever sobre japonices em 2008, no Mithril e de lá pra cá cobriu diversas transformações da música japonesa ao longo dos anos. Viciado em games, doramas, animes, filmes e design, tem como objetivo informar e disseminar a cultura japonesa na internet.

SIM, você não está sonhando, hoje não é dia da […]

One thought on “J-Drama Review #40 – Papa Idol (Papadoru)”

Deixe uma resposta