Mega-Review: Initial D

Olá a todos. Iniciando mais um post com review aqui no Mithril, porém desta vez o post é especial. É uma proposta para o blog que eu já vinha pensando a algum tempo em fazer mas nunca tinha oportunidade de começar, uma mega-review de Initial D, um dos meus animes preferidos. Neste post eu tentarei comentar de tudo o que eu sei sobre a série, curiosidades, partes técnicas, enredo, animação e tudo o que envolve o universo de Initial D. Pretendo fazer com que este post se torne um tipo de database do anime tanto pra mim quanto para todos os que visitam ou venham a visitar o blog algum dia. Inicialmente não tenho outros animes em mente para fazer tal post, porém, com o tempo pode ser que apareçam. Pois bem, é hora do show!

O meu primeiro contato com a série foi via Animax, e quem diria, foi assistindo logo o último episódio da segunda temporada. Eu achei o anime tão interessante que, aproveitando que o próximo episódio seria o primeiro (já que o Animax só exibiu a primeira e a segunda temporada), eu resolvi acompanhar o anime. O começo é bem estranho, e bem diferente do que eu imaginava, porém, aos poucos eu fui percebendo que por trás do character design tosco, tinha um anime extremamente bem feito. Mas, como e quando a série em si começou?

O Enredo

Cover japonês do primeiro volume da série.

Initial D é um mangá da autoria de Shuichi Shigeno que estreou em 1995 na revista Young Magazine da editoria Kodansha e conta a história de Takumi Fujiwara, um garoto de 18 anos que vive com seu pai, Bunta Fujiwara na cidade de Akina, no distrito de Gunma, no Japão. O pai de Takumi é dono de uma loja de Tofu e como nunca tem tempo para fazer as entregas em um hotel no topo do Monte Akina, o filho fica encarregado do serviço fazendo as entregas no carro da família, um Toyota AE86 Sprinter Trueno de cor panda (preto de branco). Para não danificar a carga de tofu, o pai de Takumi sempre lhe dá um copo com um pouco de água para que Takumi coloque no painel dianteiro do carro, pois segundo Bunta, se a água que está no copo não cair, a carga não será danificada enquanto o garoto estiver dirigindo pelas curvas da montanha. Apesar de ter 18 anos, Takumi desde muito antes de tirar a carteira de motorista já ajudava o pai entregando os tofus no hotel do Monte Akina. Como as entregas precisam ser feitas antes do nascer do Sol, Takumi acorda todos os dias de madrugada e após entregar a mercadoria no pico da montanha, na volta, Takumi sempre dirige em alta velocidade para chegar o quanto antes em casa para conseguir dormir mais um pouco antes de acordar novamente para ir a escola.

Takumi trabalha em um posto de gasolina junto com seu melhor amigo e colega de classe, Itsuki Takeuchi. No mesmo posto onde os dois trabalham, há um outro cara chamado Iketani Kouichiro. Ele faz parte de uma equipe de corredores amadores que descem a montanha de Akina fazendo drifts e outras manobras em rachas contra eles próprios e outras equipes de montanhas vizinhas. Iketani então, decide convidar Itsuki e Takumi para ir numa reunião da equipe Akina SpeedStars, da qual ele faz parte, que iria acontecer. Takumi inicialmente não dá a mínima, pois não vê graça alguma em corridas de carro. Depois de certa insistência por parte do melhor amigo, ele então decide ir à montanha ver a tal reunião.

Na noite em que Takumi está na montanha, uma nova equipe surge para propor um desafio contra a SpeedStars. A equipe, chamada Akagi RedSuns, é de uma montanha vizinha, o Monte Akagi, e é composta por diversos pilotos que levam as corridas de montanha a sério, tendo todo um preparo técnico. A Speedstars aceita o desafio, marcado para acontecer alguns dias depois mesmo sabendo que seria extremamente difícil vencer os oponentes.

Naquela mesma noite, um piloto da Akagi RedSuns vai ao Monte Akina quase no final da madrugada para ver como era a pista da montanha e fazer um reconhecimento já que dias depois eles iriam correr ali contra a SpeedStars. Tudo ia bem até que o piloto da equipe, chamado Keisuke Takahashi, percebe que está sendo seguido de perto na descida da montanha por um carro. Vendo que possivelmente se tratava de um corredor, Keisuke acelera e começa a correr na descida, seguido de perto pelo carro que vinha atrás dele, porém após várias tentativas de despistar o oponente, Keisuke é surpreendido quase no final da montanha pelo corredor misterioso e acaba sendo ultrapassado numa curva. Keisuke descobre então que o carro que estava atrás dele e que lhe venceu naquela corrida não oficial, era um AE86 TRUENO panda.


No dia seguinte, Keisuke decide ir ao posto de gasolina onde Iketani, Takumi e Itsuki trabalham para perguntar sobre o tal Trueno que ele vira na noite anterior. Itsuki e Iketani ficam surpresos ao saber que Keisuke havia sido derrotado, mas mesmo assim não fazem a mínima idéia de quem seja o tal piloto do Trueno. Takumi por sua vez, continua na dele, com muito sono e não dando a mínima para a conversa. Keisuke propõe a Iketani chamar o tal piloto do Trueno, pois Keisuke acredita que a equipe estava escondendo dele que havia um piloto experiente no lugar. Keisuke vai embora sem deixar Iketani se explicar e então o cara, que também estava curioso para saber quem era o tal piloto, começa a procurar indícios de quem poderia ser o mesmo. Depois de uma informação dada pelo seu chefe no posto, Iketani chega até a casa de Takumi e lá vê um Trueno Panda na garagem. Crente que o tal corredor é o pai de Takumi, Iketani pergunta a Bunta se ele não quer correr. Bunta, por sua vez, diz não a Iketani, pois segundo o mesmo não tem interesse em corridas e o Trueno serve apenas para fazer entregas. Depois de MUITA insistência de Iketani, Bunta decide dar uma esperança ao rapaz, falando que talvez vá aparecer no sábado, dia da corrida, no topo da montanha com o Trueno. Iketani fica super feliz e com esperanças de que agora sim, tem chances claras de vencer o duelo contra a equipe visitante.

Porém Bunta não pretende correr, mas sim chamar Takumi para correr em seu lugar. Sabendo que Takumi não iria correr se não tivesse nada que lhe fosse favorável, Bunta vê a chance perfeita de convencer o filho a correr quando o mesmo pede o carro emprestado para sair com uma colega de classe no próximo domingo. Bunta não aceita, porém propõe um acordo à Takumi: Se ele correr no sábado contra a RedSuns, terá o carro no domingo e ainda com o tanque de gasolina cheio para poder ir onde quiser. Takumi acha a proposta tentadora mas inicialmente não aceita muito, pede um tempo para pensar. Mas como Takumi não é bobo (e nem Bunta), o filho cai na isca do pai e com a promessa de que teria o carro no domingo com o tanque cheio, decide ir até a montanha na tal corrida que o pai lhe falou.

Chega a noite do desafio, quase na hora da corrida começar Iketani já estava desesperado pensando que Bunta não iria aparecer, até que um Trueno cor panda começa a subir a montanha, fazendo com que Iketani comece a ter esperanças de novo. Chegando lá, todo mundo se surpreende ao ver que ao invés de Bunta, quem aparece com o Trueno é Takumi, que explica para o amigo que o pai havia lhe pedido para ir até a montanha correr contra outras pessoas. Ninguém acredita no garoto, porém Iketani, confiando na opção de Bunta em escolher o filho, deixa Takumi correr.

A corrida começa, e Takumi ainda pensando no tanque de gasolina cheio, desce a montanha tranqüilo, como se estivesse voltando de uma entrega de tofu, enquanto Keisuke, o desafiante, sai em disparada para tentar ganhar do Trueno que havia lhe derrotado. Porém com o passar da corrida, Keisuke pensando que já tinha deixado o Trueno para trás, se surpreende ao ver que o carro está novamente, em sua traseira perseguindo o mesmo como um fantasma. Takumi decide então parar de brincadeira e ganhar a corrida, já que queria o carro no domingo e mais uma vez, numa curva quase no final da descida, Takumi ultrapassa Keisuke que fica sem reação mais uma vez, ao ver que perdeu pela segunda vez seguida para o mesmo cara.


Todos ficam surpresos com o desempenho de Takumi e convidam o mesmo para fazer parte da equipe. Ele por sua vez, rejeita a oferta, pois não gosta de corridas e só estava lá porque o pai havia lhe prometido o carro. Chegando em casa, Takumi nem avisa ao pai que ganhou a corrida, já chega falando que como prometido, quer o tanque de gasolina cheio na manhã seguinte. Bunta cumpre o trato e depois dessa corrida. A notícia sobre o resultado da corrida se espalha rapidamente entre os corredores de Gunma e então começa a história envolvendo um jovem de 18 anos entregador de tofu do AE86 Trueno panda que domina o Monte Akina como ninguém.

A Animação

Initial D conta com dois tipos de animação nas suas temporadas: 2D e 3D. A animação 2D no anime é usada nos personagens e no cenário em geral, enquanto a 3D é usada nas corridas em carros e nas pistas. Pelo fato de ter dois tipos de animação, o anime é dividido também em dois estúdios nas primeiras temporadas: Pastel (2D) e O.B.Planning (3D). No começo do anime, principalmente na primeira temporada, o traço do anime segue o estilo do mangá que lhe originou, ou seja, não é tão bonito. Já a animação em 3D não é aquela animação linda que estamos acostumados a ver porém o fato da produção ter escolhido a animação 3D para fazer as corridas foi crucial para o sucesso do anime. Com o passar das temporadas, tanto o traço em 2D quanto o 3D vai melhorando muito, principalmente este segundo, que já na segunda temporada tem um pulo de qualidade gigantesco. O O.B.Planning, usou a animação em 3D convencional até a terceira temporada, sempre avançando nas tecnologias aplicadas, fazendo com que os carros e a dinâmica entre 2D e 3D ficasse ainda melhor para que o anime não ficasse com um aspecto feio.

Deu certo, na terceira temporada a animação em 3D fica tão bem aplicada, que os carros já ganham uma roupagem quase que real, tendo todos os seus detalhes devidamente colocados e as pistas cada vez mais realistas. Porém, na quarta temporada o estúdio resolveu radicalizar total. Mudou o estilo 3D convencional para o Cell Shading, uma técnica de renderizar o 3D fazendo com que o mesmo fica semelhante à traçados 2D, porém com todos os recursos que 3D oferecem em manejo e manipulação. Na minha opinião foi uma escolha extremamente eficiente, pois na quarta temporada, tudo, absolutamente tudo na tela, é como se estivesse real. Os carros, as pistas, as árvores e até a chuva, ganham um aspecto mais perto do real, excluindo a deficiência que o 2D tem em não ter muitas coisas se movimentando ao mesmo tempo na tela, principalmente em animes. A seguir, imagens de como a animação dos carros foram evoluindo com o passar das temporadas.

Initial D – First Stage

Initial D – Second Stage

Initial D – Third Stage

Initial D – Fourth Stage

É perceptível a evolução da animação com o passar das temporadas. Como eu já mencionei a evolução da primeira para a segunda temporada foi enorme. Para se ter uma idéia de como foi, na segunda temporada o nível de detalhamento nos carros começou a ficar tão grande é possível ver frisos, brilho e ondulações na lataria dos carros que não eram possíveis na primeira temporada. Outra coisa que também começou a aparecer com a segunda temporada, foi a numeração das placas. Os carros que na primeira temporada tinham placas brancas, na segunda ganharam os número além da província e também cidade de onde o carro possivelmente teria sido emplacado! Fora que há também uma curiosidade envolvendo as montadoras dos automóveis que aparecem no anime.

Na primeira temporada, por não ter os direitos sobre os nomes dos carros, o estúdio de animação teve que dar uma maquiada nos nomes e nisso, o Trueno acabou ganhando um novo nome, Toreno! É engraçado ver os carros com os nomes trocados e onde possívelmente teria que ser o logotipo da montadora, ter outras coisas ou ter algo que poderia ser o logotipo, mas que é modificado. Felizmente, na segunda temporada o estúdio consegue os direitos dos nomes e aí sim, o Trueno passa a ser Trueno e ter o logo da Toyota (que antes aparecia como Toyoto). Fora outros carros como o RX-7 que começou a ter o logo da Mazda e os temíveis Lancer Evolution com o logo da Mitsubishi. É uma curiosidade que eu acho engraçada nesse anime.

A série é divida em várias temporadas e tem além de 1 filme, diversos OVAs. São eles (seguindo a cronologia):

Initial D First Stage (1998) Série para TV com 26 episódios
Initial D Second Stage (1999) Série para TV com 13 episódios
Initial D Extra Stage (2000) – OVA (História paralela com duas corredoras)
Initial D Third Stage (2001) – Filme (Continuação da série original)
Initial D Battle Stage (2002) – OVA (Resumo de todas as corridas até o 3rd S.)
Initial D Fourth Stage (2004-2006) Série para TV com 26 episódios
Initial D Battle Stage 2 (2007) (Resumo das corridas do 4th S.)
Initial D Extra Stage 2 (2008) OVA (Continuação do primeiro OVA)

Os Personagens e o Character Design

Como eu já falei e vocês já devem ter percebido o character design de Initial D não é lá muito bonito. Mas é incrível como se você perguntar para alguém que gosta da série, a pessoa vai responder da seguinte maneira: “O traço pode ser ruim, mas o enredo compensa”. E sim, caros, é verdade. Eu sou fã de Initial D, mas não escondo que o character design dos personagens tanto na primeira temporada do anime quanto do mangá é muito diferente do que se vê por aí, é bem estranho. Porém, quantos mangas não vemos por ai com traço ruim e enredo ótimo e traços ótimos com enredos ruins? Initial D é um que entra no quesito de traço ruim com enredo ótimo. Mas veja bem, quando eu falo que o traço é ruim, não quer dizer que ele seja péssimo, impossível de se aceitar, eu digo no intuito de falar que ele não é convencional. Com o passar das temporadas, assim como a animação dos carros, os personagens também foram mudando. Algumas vezes para pior e outras para melhor, mas no geral, foi uma mudança extremamente positiva. Para ter uma idéia de como ficou, separei dois personagens marcantes do anime para mostra a evolução: Keisuke Takahashi e Takumi Fujiwara.

Quanto aos personagens, temos uma infinidade de pessoas por isso falarei sobre os principais pois se for contar sobre todo mundo, vai ser impossível.

Takumi Fujiwara – 18 anos
Sem Equipe (PROJECT_D a partir do Fourth Stage)
Carro: Toyota AE86 Sprinter Trueno A-PEX

Como já mencionei, é o protagonista do anime. Um cara que só pensa em dormir e que quando não está na escola, ou está no posto de gasolina trabalhando, ou está em casa… Dormindo. Super tranqüilo e que não gosta muito de aglomerações, ele é obediente com o pai, ajuda o mesmo na loja e como já mencionei, faz entregas de tofu no Trueno panda. Apesar de tudo, Takumi não gosta de perder e isso é comprovado logo na sua primeira corrida, onde ele só corre porque vai ganhar um tanque de gasolina cheio. Nas corrida seguintes, mesmo não tendo um objetivo claro, o mesmo não brinca e corre pra valer, querendo ganhar sem se importar com fama ou reconhecimento entre corredores, corre como se tudo aquilo fosse rotineiro. Ele gosta de uma colega de classe, chamada Natsuki Mogi e ela foi a responsável indiretamente por introduzir Takumi no mundo das corridas de rua, já que era com ela que ele iria sair no domingo, dia após a corrida contra a RedSuns.

Keisuke Takahashi – 21 anos
Equipe: Akagi RedSuns (Project_D a partir do Fourth Stage)
Carro: Mazda RX-7 FD3S Efini series 5, 6 e 7.

Keisuke seria como o “vilão que vira herói”, típico de mangás e animes shounen (Quem não se lembra do Vegeta?). Keisuke, antes de entrar para a equipe Akagi RedSuns, era chefe de uma gangue de rua e vivia metido em confusão. Tentando fazer com que Keisuke tomasse jeito, seu irmão, Ryosuke Takahashi, líder da Akagi RedSuns, pergunta para o irmão se ele não quer fazer parte da equipe. Keisuke aceita a proposta do irmão mais velho e começa a correr com ele e a equipe por montanhas locais, desafiando vários oponentes. Keisuke é filho de um dono de um grande hospital em Gunma e por isso, não pode ficar falando para todo mundo que é corredor de rua e tirar rachas nas montanhas, já que racha no Japão, assim como no Brasil, é algo ilegal (principalmente em montanhas).

Ryosuke Takahashi – 23 anos
Equipe: Akagi RedSuns (Project_D a partir do Fourth Stage)
Carro: Mazda RX-7 FC3S Savanna GT-X

Ryosuke é o dono da equipe Akagi RedSuns e irmão mais velho de Keisuke. Ele é considerado uma lenda na atual geração de corredores de rua pelo seu estilo de correr extremamente técnico e também por ter uma classe e um estilo que acaba lhe rendendo muitos fãs. Ryosuke já foi piloto semi-profissional de corridas de circuito por isso conhece muito bem onde está se metendo quando vai correr. Frequentemente é chamado para integrar alguma equipe de corredores profissionais, porém sempre recusa com a explicação de que o verdadeiro espírito das corridas está nas montanhas, nas ruas, enfrentando curvas perigosas e o tráfico de carros. Ele é o grande “chefe” da primeira temporada e apesar de ser bem sério, não tem arrogância e sempre está tranqüilo. A sua relação com Takumi com o passar do tempo passa de adversário para uma relação de irmão mais velho, pois Takumi começa a ter um respeito muito grande por Ryosuke. O sonho dele é montar uma super equipe, com os melhores corredores de rua de Gunma para ir à outras províncias e correr contra os mais diversos pilotos e estilos diferentes.

Há ainda vários outros personagens, mas basicamente o anime gira em torno destes três e também no pai de Takumi, Bunta Fujiwara, ele sim, a verdadeira lenda do drift em Gunma.

A Trilha Sonora

A trilha sonora de Initial D é talvez o que tenha feito muita gente começar a gostar do anime. Ao contrário de muitos animes, Initial D usa músicas em inglês para embalar as corridas e tais músicas são as Eurobeats (que no Japão são lançados como Super Eurobeat), um estilo de techno que foi levado para o Japão pela gravadora Avex tune. Antes da Avex descobrir que a sua mina de ouro estava na cantora Ayumi Hamasaki, ela era considerada a gravadora que tocava Eurobeat no Japão na década de 90 e usando Initial D como um dos seus principais anunciantes de tais músicas, o anime tem nada mais do que 22 CDs com Eurobeats lançados de 1998 à 2008. As músicas são viciantes e foi assistindo o anime que eu conheci esse novo estilo de música. É um verdadeiro show assistir ao anime ouvindo essas músicas, que deixam as corridas ainda mais emocionantes. O anime também foi responsável pela ascensão do grupo de J-pop m.o.v.e que canta as aberturas da série. A seguir as capas de todos os CDs de Eurobeat lançados até o momento que tem músicas dentro do anime.

Os Games

Initial D além de tudo que já tem, é composto de uma gama de nada menos que 12 jogos para as diversas plataformas de consoles e ainda um Card Game! De todos os jogos, talvez os mais famosos sejam os de Árcade, chamados de Arcade Stages. São 5 ao todos e eles usam um sistema muito interessante da sega de cartão de crédito. Os cartões funcionam como recargas que você faz sempre que joga. É como se fosse uma licença de motorista que você faz para jogar. Você tem seu nickname, seu carro e o nível da sua licença gravados no cartão. É um sistema que eu acho demais, pois é um cadastro que você tem e havia um ranking até março deste ano (nos EUA, no Japão ainda vale) onde você competia com jogadores do mundo todo no site oficial dos jogos mantido pela Sega, a desenvolvedora.

Games de Initial D:

Initial D Arcade Stage Version 1 (Arcade)
Initial D Arcade Stage Version 2 (Arcade)
Initial D Arcade Stage Version 3 (Arcade)
Initial D Arcade Stage Version 4 (Arcade)
Initial D Arcade Stage Version 5 (Arcade)
Initial D (Sega Saturno)
Initial D Gaiden (Game Boy)
Initial D (Playstation One)
Initial D Another Stage (Game Boy Advance)
Initial D Special Stage (Playstation 2)
Initial D Moutain Vengeance (PC)
Initial D Extreme Stage (Playstation 3)
Initial D Collectible Card Game

O Live Action

Devido ao sucesso da série Initial D ganhou em 2005 um filme Live Action (com atores reais) em uma parceria entre Hong Kong e Japão. O filme conta uma história paralela a original onde os personagens estão misturados entre si e praticamente não existem as equipes que no anime e no mangá são devidamente separadas. Uma coisa interessante do filme é que o AE86 Trueno é um carro antigo e para fazer o filme foram construídos pela Toyota três AE86 Trueno apenas para as filmagens. O filme foi lançado no Brasil com o título horrível de “Racha: Velocidade Sem Limites” e pode ser encontrado em algumas locadoras Brasil a fora. O filme vale pelas cenas de corrida com os carros reais que aparecem no anime pois o seu enredo é bem divergente da série original. O filme nem chegou a passar nos cinemas japoneses, tendo saído direto para o DVD por lá.

Curiosidades

A série por ter diversas coisas relacionadas com o mundo real, tem uma infinidade de curiosidades mas vou destacar as mais interessantes.

– Todos os carros, montanhas, CURVAS, restaurantes, praças, postos de gasolina e até mesmo a loja de tofu EXISTEM na vida real!!!

– O anime é produzido por Keiichi Tsuchiya, o responsável pela popularização do Drift no Japão e que fez esse tipo de modalidade se tornar famosa por todo o arquipélago antes de ir para o resto do mundo. O carro preferido de Tsuchiya para fazer drifts é exatamente um AE86 Trueno, que sempre está presente no D1, o maior campeonato de drift do mundo, sediado no Japão.

– O criador do mangá, Shuichi Shigeno, é dono de um AE86 Trueno panda idêntico ao que Takumi pilota na série. Talvez seja daí a inspiração para este ser o carro do personagem, fora a sua estabilidade e seu desempenho para derrapadas.

– O Monte Akina na vida real se chama Monte Haruna e está localizado em Gunma assim como o Monte Akagi, a maior montanha da província e que também aparece na série.

– A produção de uma cena de uma curva em 3D na série demorava certa de uma semana para ficar pronta, tamanho o seu nível de detalhes. Por isso a quarta temporada do anime, ao invés de 6 meses, teve a duração de 2 anos.

– O filme em Live Action teve a sua premiere em Xangai com um show de drift com o AE86 Trueno, O RX-7 FC3S Savanna, um Skyline GT-R32 e um Lancer Evolution III usados nas filmagens. O show foi feito no circuito de Formula 1 de Xangai, na China.

– O sucesso do anime no Japão foi tão grande que a Toyota chegou a pensar em produzir de novo o AE86 Trueno para venda. O preço do carro que antes do anime era baixo, após a série virou item de colecionador e quem tinha não queria vender (algo como o que aconteceu com o Mitsubishi Eclipse no Brasil depois do filme Velozes e Furiosos). O carro chegou a ser produzido também nos EUA.

– Até hoje o AE86 Trueno é considerado um carro extremamente eficiente para se fazer drift em montanhas e é um dos carros mais cobiçados por colecionadores, aparecendo diversas vezes no D1 por ser relativamente leve (pouco menos de 1 tonelada) e ter tração traseira, crucial para fazer drifts.

– Nos EUA o anime foi lançado totalmente descaracterizado do original. Os personagens tiveram os seus nomes trocados para nomes em inglês, foram retiradas todas as músicas de Eurobeat e no lugar colocaram músicas mixadas pelo Dj. Milky, como black music por causa de Velozes e Furiosos.

– No Brasil o anime foi exibido pelo Animax na sua versão original, vinda direto do Japão e sem nenhuma modificação. A dublagem por aqui foi feita pela Álamo, porém contem alguns erros envolvendo termos técnicos dos carros.

 

 

Considerações Finais

Initial D como vocês devem ter percebido, é um anime limitado a um público que gosta de corridas, porém é recomendado para todos, por ser um anime divertido e também cheio de ação e aventura. Por ser um anime de esporte e ter um character design pouco convencional, a série frequentemente sofre certo preconceito com o público que não curte esse tipo de animação e enredo. É um daqueles animes que ou você vai amar e viciar, ou você vai odiar e nunca querer olhar de novo. Assim como tudo, vale uma chance de conferir esta série que não só eu mais tantos outros fãs no mundo inteiro, acham extremamente divertida e dinâmica, ensinando diversas coisas sobre o interior dos carros. Eu mesmo, depois que de assistir a série, comecei a querer saber mais sobre o funcionamento de diversos mecanismos do motor dos carros que antes eu não dava a mínima. Como já falei, tem o seu público, porém, não é obrigatoriamente que só este nicho veja a série com outros olhos. Espero que muitas pessoas leiam esse post todo, apesar de que (e eu reconheço), está extremamente grande. Porém, é como eu falei, servirá como um banco de dados da série tanto para quanto para os visitantes do blog. Obrigado por lerem esta MEGA review de Initial D. Um dos meus animes preferidos e que gostei muito de comentar no blog para o público conhecer ou então adorar ainda mais esta série. Comentem sobre o post, além de falar as impressões sobre, o que você gosta, o que você não gosta. Críticas (desde que tenham fundamento) e opiniões serão sempre bem-vindas.

Fontes:

 

 

Sobre Leo-Kusanagi

Apaixonado por cultura japonesa desde criança, começou a escrever sobre japonices em 2008, no Mithril e de lá pra cá cobriu diversas transformações da música japonesa ao longo dos anos. Viciado em games, doramas, animes, filmes e design, tem como objetivo informar e disseminar a cultura japonesa na internet.

Olá a todos. Iniciando mais um post com review aqui […]

11 thoughts on “Mega-Review: Initial D”

  1. ótimo trabalho
    sei bem o quanto dá trabalho escrever um texto desse tamanho.

    Li tudo e gostei do que li. Sempre gostei de carros e Initial D é o anime que melhor representa esse universo.

    Espero que uma nova temporada do anime estréia logo.

  2. Eu li! E como tinha falado adoro Initial D. Quando vi pela primeira vez eu pensei: 'meusdeus! Comoassim esse desenho é feio, a trilha sonora é sofrível e o 3d/2d é de matar!' Mas depois do 3º episódio eu não consegui mais parar!

  3. Li tudo, pois também acho initial d um dos melhores animes, ainda mais porque sou facinado por carros e manobras arriscadas, nunca penssei que existiria um anime desse genero.
    Seu post foi mais do que perfeito, melhor, realmente, do que o wikipédia. Gostei muito da análise.
    Ah e initial d é realmente viciante, só apartir do 2° epi da 1ª temporada, não parei mais de assistir, estou começando o second stage

    Abraços

  4. Eu li tudo! Sou fã de Initial D e o meu primeiro contato com a serie tbm foi pelo Animax. Fiquei muito supreso com as curiosdades que mencionou, como por exemplo, as localidades do anime existirem na vida real!

    Não sei se saberia me responder… Mas assim msm vou perguntar. Aquela tecnica pela qual Takumi foi criado, de usar um copo de agua no painel dianteiro, existe na vida real? Se existir, vou passar a dirigir meu carro da mesma maneira… xD

    Excelente review!

    Abraços

  5. ótimo post amigo depois de assistir o anime inteiro também passei a ser um Expert em Initial D também sempre amei carros e tudo xD.

    bom ótimo trabalho mesmo se cuida e continua a falar do Initial D amigo !!!

  6. O anime é realmente fantastico, eu mesmo melhorei meus tempos no Need for Speed só pegando dicas do anime e tals , pena a 5º temporada ser tao curtinha!

Deixe uma resposta