Joker Game – Primeiras Impressões

Não é de hoje que política e manipulação são duas práticas irmãs. Em meio a crises em todo o mundo, Joker Game chegou na melhor hora!

Chega até a ser engraçado a época em que o anime de Joker Game está sendo lançado. Temos acompanhado crises políticas em todos os cantos, não apenas no Brasil. Diversos países vivem problemas de corrupção e desigualdade entre classes e é nesta hora que a ficção tenta imitar a realidade e nos traz um anime com uma premissa tão diferente do habitual, mas mesmo assim, tão comum na vida real. Adaptado da série de novels de Koji Yanagi pelo renomado estúdio Production I.G e com a promessa de 12 episódios, Joker Game sai e muito da linha comum para nos trazer algo mais maduro.

Vivendo há poucos anos a Era Shouwa, e prestes a entrar na Segunda Guerra Mundial, conhecemos o clima tenso em que o Japão estava no ano de 1937. Um tenente-coronel do Exército Imperial Japonês chamado Yuuki iniciou uma misteriosa organização para a formação de espiões que possuam múltiplas habilidades nas mais diversas áreas de conhecimento humano. Quando a Agência D está formada, ele decide recrutar apenas pessoas que não estão envolvidas no mundo militar e as treina para dominarem principalmente a arte da manipulação. Nosso protagonista é o agente Jirou Gamou, um rapaz inseguro quanto aos métodos e técnicas ensinadas nessa agência, assim como o modo de agir dos únicos oito membros que conseguiram passar em todos os treinamentos. Resta saber se Gamou irá conseguir desfazer a programação que foi inserida em sua mente durante a vida toda e se tornar um manipulador de mente aberta assim como seus companheiros nas mais sombrias e secretas missões.

Joker 2

Uma coisa é certa, Joker Game vai passar despercebido pela grande maioria das pessoas, mesmo possuindo uma ideia tão promissora. Os motivos podem ser listados aos montes: Sinopse complicada, designs de personagens pé no chão, identidade histórica, mas vamos por partes. Quanto a sinopse, não se tem muito o que fazer realmente, afinal os japoneses não sabem fazer sinopses. Basta vermos as que temos em diversos animes em todas as temporadas, então isso é irrelevante. Quanto ao gênero histórico, de fato a maioria das pessoas tem preconceito por achar chato. Fica aquela sensação de “eles estão tentando me ensinar algo aqui e eu odeio estudar”. Essas pessoas deveriam deixar esse preconceito de lado e dar uma chance, pois grandes e empolgantes histórias independem do tempo em que se passam, na ficção ou na realidade.

Agora sim vamos falar do design, tanto dos personagens como do anime como um todo. Os personagens, aparentemente, não possuem identidades visuais marcantes. São apenas caras comuns com ternos e fazendo pose de políticos. Você não vai encontrar um ninja vestido de laranja e nem um pirata vestindo chinelos de dedo aqui. E se você é daqueles que imagina que o anime será chato apenas porque os personagens não são mega coloridos ou estão fazendo careta nos pôsteres, Joker Game não é pra você. Mesmo achando os personagens meio comuns nas artes de divulgação, esse primeiro episódio que se foca primeiramente em apenas dois dos oito personagens principais, mostra características de personalidade que ficarão marcadas na sua memória.

Joker 3

Quanto ao design do anime como um todo, tudo está mundo lindo! A animação é apresentada em tons de sépia, com cores mais desbotadas para representar o quão ardiloso era o mundo naquela época, principalmente no meio político. O clima de tensão está presente o tempo todo na arte. Uma coisa que chama bastante atenção é a ambientação, com aqueles móveis caprichados da época, cenários plausíveis com o ano de 1937 e uma atenção especial às vestimentas. Sem dúvida, esse é o grande ponto forte de Joker Game.

O ponto fraco é que mesmo sabendo em que época a história se passa, e mesmo sabendo que aqueles oito agentes devem ser manipuladores ímpares, o ritmo da história nos deixa um pouco confuso quanto à ordem dos acontecimentos e também quanto a gravidade de tudo que está acontecendo. Não conseguímos entender qual é a real dimensão daquela primeira missão que eles precisam realizar, o que acontecerá se falharem, ou a verdadeira importância da Agência D dentro da sociedade. Ela foi criada com o propósito de realizar missões secretas em nome do Japão, mas ainda não conseguimos ter a real ideia que essa agência tem para o seu país.

Joker 4

Mas a chance de que essas questões se resolvam e tudo comece a tomar forma está no segundo episódio que promete mostrar a continuação e conclusão da primeira missão de Jirou Gamou. Talvez a nossa insegurança se vá juntamente com a insegurança do protagonista.

Não é de hoje que política e manipulação são duas […]