A importância da comida nos animes e mangás

Dizem que se um cientista japonês descobre uma nova espécie de vida, a primeira coisa que faz é verificar se é comestível.

Personagens comilões não são exclusividade dos animes e mangás, eles também existem nas animações e quadrinhos ocidentais. Porém, não há como negar que a comida tem muito mais destaque nas obras japonesas.

Para começar, existem muitos animes e mangás de culinária. Além do sucesso atual Shokugeki no Soma, e do mais antigo porém ainda popular Toriko, ambos da demografia shonen, temos shojos como Kitchen Princess e Yumeiro Patissiere, seinens como Cooking Papa e Kinou Nani Tabeta.

Os japoneses parecem não se cansar de ver lindas ilustrações de iguarias de aparência deliciosa.

Mesmo em obras que não são de culinária, a comida (ou a falta dela) quase sempre tem o seu momento de destaque. Tais momentos vão desde competições de “quem come mais” até comemorações de vitórias ou aniversários mostrando mesas fartas, caprichosamente desenhadas, e dois ou mais personagens disputando um sushi ou pedaço de carne à tapa. Embora esse tipo de coisa exista também em desenhos e quadrinhos ocidentais, o tratamento das cenas não é o mesmo: a apreciação e o detalhamento da comida e do ato de comer nas produções japonesas recebem um bocado de atenção. Não vemos heróis de comics com os olhos brilhando de alegria diante do seu prato favorito, muito menos quadros ou páginas inteiras ocupadas por desenhos de comida. Já os de mangá…

O Japão é um país pobre em recursos naturais, com pouca terra cultivável e quase nenhum espaço adequado para pecuária. Além disso, passou por várias guerras e, como consequência, por períodos de muita escassez. Por séculos o grande desafio do país foi conseguir comida suficiente para alimentar o seu povo. Não é de admirar que a comida seja valorizada. Para sobreviver, o japonês aprendeu a aproveitar tudo ao máximo. O tempura, por exemplo, é um quitute que se recorre para não jogar fora folhas, talos e sobras de verduras e legumes usados para fazer outros pratos. O amido que sai na lavagem de alguns legumes é transformado em salgadinho, a borra de soja que sobra do processamento de tofu vira uma espécie de farofa. Até espinhas de peixe são consumidas.

Uma das cenas mais comoventes de Erased envolve um singelo café da manhã.

Uma das cenas mais comoventes de Erased envolve um singelo café da manhã.

Outro fator que influencia a relação dos japoneses com a comida é que o shintoísmo prega que tudo tem alma, até animais e plantas. Certa vez um sacerdote disse que não existem inocentes neste mundo, pois todos precisam matar para sobreviver: até mesmo quem não come carne “mata” verduras e legumes. Não há vida sem morte. Plantas, peixes, frangos, bois e porcos morrem aos milhões, todos os dias, para que nós possamos viver. Por isso, devemos ser gratos e respeitar a comida, jamais desperdiçar.

Esse discurso lembra muito alguns episódios de Fullmetal Alchemist e Gin no Saji, não acham?

Essa coisinha fofa vai virar bacon, pernil, costelinha, carne de feijoada...

Essa coisinha fofa vai virar bacon, pernil, costelinha, carne de feijoada…

É claro que nos dias atuais, tendo passado por um período de grande prosperidade e vivendo numa realidade bem mais segura e confortável comparada aos tempos antigos, nem todos os japoneses são tão conscienciosos. Porém, se comparados aos norte-americanos, por exemplo, ainda são bem frugais. A palavra “mottainai” ainda sai muito frequentemente das bocas tanto de personagens de anime quanto de japoneses de carne e osso.

Mottainai” costuma ser traduzido como “que desperdício!”. Essa palavra, entretanto, pode significar não apenas um lamento pelo desperdício de comida/dinheiro/talento/trabalho, mas também expressar apreciação. Quem costuma ver animes de samurai já deve ter visto alguma cena em que, por exemplo, um nobre faz um elogio ou dá um presente a um servo. Comovido, o servo diz “mottainai”, significando “isto é precioso demais, eu não mereço”.

Itadakimasu! Sejamos gratos pela comida!

Itadakimasu! Sejamos gratos pela comida!

É essa palavra constantemente repetida por pais e avós, que norteia o comportamento da maioria dos japoneses em relação a tudo, mas principalmente à comida: aprecie, respeite, valorize, jamais desperdice. Não que a pessoa tenha que ser uma draga humana como o Goku, Naruto ou Luffy, mas que procure colocar no prato apenas o que consegue consumir, evitando deixar sobras.

E você? Adora comer de montão como os personagens de certos animes ou acaba jogando fora parte da refeição?

Sobre liviasuguihara

Instrutora de inglês, "arteira", amante de animes e mangás. Você também me encontra no Twitter (@lks46), no Tumblr (cavaletevirtual), e no Instagram (liviasuguihara).

Dizem que se um cientista japonês descobre uma nova espécie […]