Bubuki Buranki – Primeiras impressões

Criaturas estranhas, muita ação e CG nas primeiras impressões de Bobuki Buranki.

Bubuki Buranki é uma obra original de animação produzida neste momento em comemoração ao 10º aniversário do estúdio Sanzigen, seu produtor. Confesso que antes de assistir ao primeiro episódio não estava esperando grande coisa. A sinopse era bem desanimadora, mas senti que deveria dar uma chance.

BB1O anime relata a vida de Azuma Ikki dez anos depois de uma série de acontecimentos que marcou sua própria história e a da humanidade. O episódio começa no passado; quando criança, ele e sua irmã acordam um Bubuki adormecido, uma espécie de arma com mente própria que concedeu poderes a sua família. Com isso, sua mãe, já fraca, teve que deixá-los para protegê-los e lutar contra o Bubuki. Me pergunte se a mãe dele morreu! Não sei. Não se sabe ainda.

Dez anos se passaram e Azuma retorna ao Japão, onde ele é agredido por um grupo de homens armados. A partir daí ele se torna um prisioneiro, pois acreditam que ele é filho de mulher que hoje é considerada uma bruxa causadoras de um grande desastre para a humanidade. No decorrer da história, ele é salvo por um amiga de infância e um grupo de pessoas que também usam o poder do Bubuki. Descobrimos que esse grupo quer despertar o Oumai, o Bubuki titã e que Azuma passou todo esse tempo fora em busca do paradeiro de sua mãe.
BB2Onde está sua irmã e seu pai? Eles morreram? Isso termina quando Azuma chegou ao Oubu?  O anime mal começou e já me deixou cheia de dúvidas e curiosidades.

Bubuki Buranki iniciou bem. A história se encaminhava de modo promissor, com um roteiro bem trabalhado e uma narrativa interessante. Contudo, no decorrer do episódio, seu desenvolvimento foi decaindo, pois focou mais nas cenas de ação do que na história, ainda que não tenha comprometido totalmente, mas decepcionou um pouco por ter se tornado bastante genérico, um pouco vazio e tedioso.

BB3Os personagens, que inicialmente tinham me cativado, desapareceram, e o que sobrou se tornou um covarde, um típico protagonista de muitos shounens por aí. Além disso, apareceram outros personagens que ainda não foram desenvolvidos o suficiente para eu ter um opinião.

Quanto à animação, as sequências de ação foram muito boas, e em geral os visuais estão incríveis. Não gosto muito de animação 3D, mas o CG dos personagens estavam razoáveis, simples, mas funcionais. Já os cenários estavam incríveis, desde a ambientação da floresta até as cenas no mundo urbano dez anos depois.

BB4No final, apesar de tudo, eu torço para que este anime vá além além das minhas expectativas. Claro, que na esperança de que a história continue. Agora é esperar para ver os próximos episódios, e vocês, o que acharam?

Sobre Karolina

Técnica em comunicação visual, 20 anos, mora em São Paulo. Desde
criança conviveu com animes na sua vida, mas só se interessou mais a fundo na 7ª serie do fundamental e está até hoje presente em sua vida. Fangirl de shoujo, animações clássicas e psicodélicas, também é fã de carteirinha de Evangelion e Noragami.
Twitter: @KarolFacaia

Criaturas estranhas, muita ação e CG nas primeiras impressões de […]