A significância dos nomes japoneses

Ou, por que usar o Death Note seria muito mais fácil no Ocidente.

Qual é o significado do seu nome?

Muitos pais escolhem o nome de seus filhos baseados na tradição (homenageando um avô ou bisavô, por exemplo), na sonoridade ou no gosto pessoal por uma atriz ou um jogador de futebol. Outros preferem consultar dicionários de nomes em busca de um que tenha um significado bacana como por exemplo Ana (“graciosa”) ou Leonardo (“valente ou forte como um leão”). No Japão não é muito diferente. A questão é que lá, os pais têm que se preocupar com mais coisas além de sonoridade e significado.

Para se ter uma ideia, existem nomes que podem ser escritos com vários ideogramas ou combinações de ideogramas diferentes, e cada forma terá um significado diferente. “Shiori”, por exemplo, pode ser escrito 詩織 ou significando respectivamente “tecer um poema” e “marcador, guia” se for para mulher. Para homem, é escrito significando “flexível”. A grande dificuldade para o personagem Light Yagami de Death Note era que ele não apenas tinha que ver o rosto e saber o nome de suas vítimas – ele também tinha que saber escrever esses nomes corretamente.

light yagami

Matar com o Death Note seria bem mais fácil no Ocidente…

Há pais japoneses que procuram não apenas um nome que tenha um significado bacana, mas também que ofereça uma qualidade que eles querem para seus filhos (honestidade, honradez, doçura, etc). Também existem aqueles que acreditam que um nome bem escolhido pode ajudar a criança em caso de problemas. Assim, se o bebê nasce fraco ou com algum problema de saúde eles procuram escolher nomes com ideogramas que evoquem características como “energia”, “vitalidade”, “força” e coisas assim. Se for muito agitado, o ideal seriam características como “calma”, “paz” e “concentração” por exemplo. Ao mesmo tempo, é preciso tomar cuidado com o namaemake (literalmente, quando a criança é “derrotada” pelo peso do próprio nome): um bebê muito doente que recebe um nome “forte” demais pode ficar pior em vez de melhorar, é como dar uma dose excessiva de um remédio. E para complicar tudo ainda mais, existem superstições relacionadas aos ideogramas que variam bastante dependendo do local. Até mesmo interpretações pessoais relacionadas à composição e número de traços de um ideograma podem ser levadas muito à sério dependendo da família – um dos meus tios teve uma grande discussão com meu avô por que acreditava que os ideogramas escolhidos para o meu nome eram de mau agouro.

No caso de personagens de manga ou anime, os criadores têm muito mais liberdade para escolher nomes pois não precisam se preocupar com maus presságios nem com as leis japonesas que determinam que só o hiragana, katakana (escritas silábicas), alguns sinais linguísticos e uma lista de 2.928 ideogramas podem ser usados para compor nomes. Assim, o Daiki Aomine de Kuroko no Basket tem seu prenome Daiki formado pelos ideogramas 大輝 que significam “grande radiância”, já que ele foi a “luz” de Kuroko. O protagonista de Samurai X chama-se Kenshin 剣心 com os ideogramas “espada” e “coração, alma” em vez dos mais comuns 謙信modesto” e “verdade” porque, claro, combina muito mais com a história do manga. O capitão da Karasuno em Haikyuu chama-se Daichi 大地, “grande terra”, simbolizando a solidez e a segurança que ele representa para o time.

escrevendo ideogramas

Ah, os ideogramas, essas coisas lindas, mas tão difíceis de dominar…

Evidentemente há casos em que o nome é só um nome. Nem todos os autores de manga ficam pensando muito nos ideogramas que vão usar, tanto que existem personagens com nomes escritos apenas em hiragana ou katakana como os de Naruto, por exemplo. Mas mesmo os nomes em Naruto têm algum significado, nem que seja só para fazer piada: a palavra “hatake” quer dizer “plantação” e “kakashi”, “espantalho”…

Se você fosse um mangaká, como escolheria os nomes de seus personagens? Iria se preocupar em procurar significados que combinassem com a sua história? Faria brincadeiras ou trocadilhos com os nomes?

Qual a sua preferência?

FONTES:

Escrita e significado de alguns nomes japoneses: http://www.behindthename.com/names/usage/japanese (inglês)

Regras e leis japonesas relacionadas à escolha de nomes:  http://www.nippobrasil.com.br/especial/521.shtml

Significado de nomes em português: http://www.dicionariodenomesproprios.com.br/

Sobre liviasuguihara

Instrutora de inglês, "arteira", amante de animes e mangás. Você também me encontra no Twitter (@lks46), no Deviantart (https://liviaks.deviantart.com/), e no Instagram (liviasuguihara).

Ou, por que usar o Death Note seria muito mais […]

10 thoughts on “A significância dos nomes japoneses”

  1. “O protagonista de Samurai X chama-se Kenshin 剣心 com os ideogramas ‘espada’ e ‘coração, alma’ em vez dos mais comuns 謙信 ‘modesto’ e ‘verdade’ “.

    Tá aí algo que eu nunca vou entender, como dois ideogramas, que separados significam coisas completamente diferentes, podem se juntar e formar um nome que pode ser lido de várias formas. Too deep for me.

    Enfim, sou péssimo pra nomes. Nenhum dos personagens que eu criei teve um nome definitivo. Mas acho que, se eu fosse escolher de forma séria, tentaria aliar o significado com a sonoridade (nunca ia me preocupar com ideogramas :v).

    1. Escolher nomes é mesmo bem difícil, Rafhael. Sonoridade é um fator que eu acho bem importante. Khaleesi (não lembro se é assim que se escreve), por exemplo, tem uma sonoridade bacana e todo mundo guarda.

      Realmente, o complicado nos ideogramas é que eles mudam de leitura dependendo se estão sozinhos ou ligados a outros ideogramas e também em que posição. A parte boa é que, uma vez que você conheça o significado de um ideograma, dá para entender várias palavras mesmo sem saber qual a leitura correta. ^^

  2. Eu sempre quis escrever uma HQ, nem que fosse por um hobby. Mas nessa coisa dos nomes, eu geralmente pegava uma palavra ou frase em algum idioma (Inglês, Japonês ou até Português) e misturava as letras e sílabas, de uma forma que desse pra perceber o trocadilho. Sei que parece besteira, mas nunca quis criar personagens com nomes reais, e sim nomes novos, já que, dentro de uma história, os personagens vivem em um outro mundo.

    1. Inventar nomes é parte da diversão de se criar uma história (acho superdifícil, mas não deixa de ser divertido), Vítor. Nunca me ocorreu misturar letras e sílabas de um nome para criar outro, ideia interessante!

      1. Eu lembro de um personagem que era fã de tudo que era natural. O nome dele ficou Fearu. Eu peguei Leaf (folha, em inglês), Inverti as consoantes (Feal) e dai “japanizei” o nome, ficando Fearu no fim. Realmente é divertido fazer isso!

  3. Eu sempre uso o primeiro nome que veio a minha cabeça, tanto que minhas histórias tem personagens com nomes japoneses (como Shiori, Midori, Sakura, Tetsuya, Atsushi, etc) misturado com nomes ocidentais (Stan, Corina, Isaac, Jack, Arabelle, etc)

  4. Concerteza, porque para definir nome se agrega valor. Uma vez escrevi uma história tendo como referência às pessoas que eu conheço na vida real e como eu efinia elas para dar valor aos meus personagens. Por exemplo: Meu melhor amigo é maluco, Logo um personagem que eu idealizava doido, lunático seria Bruno…

  5. Ótimo texto, gosto muito quando o nomes possuem um significado ou um “legado” e fico triste por nós no Brasil termos perdido boa parte disso.

Deixe sua opinião