Confession – Manga

Confession: Seus ombros estão tensos, mas você não sabe se é por causa do frio extremo no topo desta montanha ou se é pela confissão que seu amigo te fez…

Asai e Ishikura são dois companheiros de escalada que gostam de superar seus limites, mas não desta última vez. Ambos estão perdidos em uma altura de 3.200 metros no Monte Owari, vítimas de uma terrível avalanche. Ishikura acaba gravemente ferido e sem forças para continuar a escalada e muito menos para descer o monte, e se resigna à morte. Achando que apenas seu amigo Asai sairia vivo daquela situação, por estar em perfeitas condições físicas, ele faz uma confissão.

A confissão que Ishikura faz é a de que ele cometeu um assassinato. Mas não foi um assassinato qualquer, já que a pessoa que ele matou era companheira de alpinismo dos dois. Asai fica aterrorizado, mas nessa hora ele encontra uma cabana abandonada e consegue levar o amigo para dentro. Com ambos se recuperando lentamente e a possibilidade de Ishikura sobreviver, o terror em Asai aumenta a cada minuto que passa, porque agora ele sabe seu terrível segredo. Um segredo que deve morrer ali naquela montanha, com um dos dois. Então um monstruoso jogo psicológico tem início.

Kokuhaku 2

O volume único Confession, ou Kokuhaku como é conhecido no Japão, foi publicado revista Young Magazine Uppers no ano de 1999 e terminou com apenas 11 capítulos. O mangá constrói uma tensa história que mistura drama com uma pitada de thriller psicológico através da arte retrô de Kawaguchi Kaiji e o roteiro de Fukumoto Nobuyuki, que é autor de outra grande obra de teor psicológico, Gyakkyou Burai Kaiji.

Desde o começo, a relação entre Asai e Ishikura é mostrada de maneira simples como uma amizade bem estruturada de dois homens que passam por diversos perrengues juntos. As dificuldades fortalecem as amizades e é com essa premissa que Confession começa a entrar em nossas mentes. Em meio ao Monte Owari, dois amigos prestes a encontrar a morte, uma confissão é feita, afinal… Para quem mais confessar, antes de morrer, que você cometeu um assassinato, do que para o seu melhor amigo? Ishikura está certo de que não sobreviverá e o drama começa a tomar conta das páginas, mas uma pitada de esperança aparece junto com aquela cabana. A primeira coisa que vem a mente é como Ishikura irá se portar agora que Asai sabe o seu segredo.

Isso se ele viver.

Kokuhaku 3

Dentro da cabana é montada a melhor parte da obra. Particularmente sou fã de jogos psicológicos e a tensão entre os dois amigos aumenta. Asai começa a ter o mesmo pensamento que o leitor e nos faz imaginar que um segredo desse tamanho poderia acabar não só com a amizade dos dois, mas também com a vida dele próprio. Os dois trocam olhares e pensamentos e cada um desses olhares são extremamente expressivos. Mesmo o traço de Kawaguchi sendo retrô e bastante simples, ele consegue fazer com que os olhares de Ishikura para o amigo sejam indecifráveis. Asai é praticamente um espelho com o medo transparecendo em seu olhar o tempo todo.

Eu acho engraçado como os desenhistas conseguem passar sentimentos através de um simples olhar e Kawaguchi é mestre nisso. O tempo todo fixamos nossos olhos com os dos personagens. O ambiente escuro da cabana contribui para que a tensão fique maior e uma série de acasos começam a causar desconfiança em Asai, achando que Ishikura planeja realmente acabar com sua vida para esconder seu segredo. Essa desconfiança é passada para nós também e apesar dos olhares indecifráveis, começamos a achar que é realmente isso que vai acontecer.

Kokuhaku 4

Eu sou muito fã do roteirista Fukumoto Nobuyuki. Kaiji é um dos melhores mangás psicológicos que já li e é a obra prima do autor. É claro que um volume único desse roteirista nesse gênero causaria um estrondo na minha mente. A dinâmica de leitura não é tão moderna, mas pudera, já que o mangá é datado de 1999, mas é justamente essa dinâmica mais antiga que cria um clima de suspense perfeito. Posso dizer que li o volume todo num tiro, pois eu fiquei numa curiosidade extrema a ponto de não querer parar de ler. O suspense de Fukumoto nos prende de tal maneira, e esse é o motivo de eu ser tão fã dele.

Para completar, se você é fã de suspense, Confession é uma leitura obrigatória e se você ainda não leu, não perde mais tempo não. E você que não é fã do gênero, deveria ler também pois é uma leitura rápida e vai te deixar com os pelos arrepiados com a dúvida. Pode uma amizade resistir a uma confissão de assassinato? Será mesmo que as dificuldades fortalecem as amizades?

Kokuhaku 5

Confesse, você está doido para saber, não?

Confession: Seus ombros estão tensos, mas você não sabe se […]