Mushishi e uma reflexão sobre o lugar do humano no mundo

mushishi

Penso 99 vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio: e eis que a verdade se me revela.

Albert Einstein

Mushishi, o anime, é uma pequena obra prima audiovisual. O character design é bem simples em contraste com os cenários primorosos pois o verdadeiro protagonista não é Ginko, o especialista em mushis, mas a Natureza. Além disso, o cuidado com a sonorização é fantástico. As vozes, a música e os efeitos sonoros são pontuados e valorizados por momentos de absoluto silêncio, algo raro em animes e praticamente inexistente em produções mainstream ocidentais. Curiosamente a primeira e a segunda temporadas têm canções “estrangeiras” escolhidas a dedo como abertura: The Sore Feet Song, do escocês Ally Kerr e Shiver, da inglesa Lucy Rose. São canções que transmitem perfeitamente o ritmo e a atmosfera da série. Os encerramentos são todos instrumentais e, se você prestar atenção, notará que é uma sequencia musical diferente a cada episódio.

Mushishi é uma adaptação para anime do manga de Yuki Urushibara publicado entre os anos de 1999 a 2008 na revista Afternoon. Sua primeira temporada, com 26 episódios, chegou a ser exibida no Brasil pelo canal Animax. A segunda temporada intitulada Mushishi Zoku Sho terminou recentemente e a terceira teve início em 19 de outubro.

mushishi paisagem

Observe o contraste entre a riqueza da paisagem e a simplicidade no desenho do personagem: é o humano imerso na Natureza

Ginko é um andarilho especialista em mushis: seres primitivos, invisíveis aos seres humanos comuns, mas que podem influenciar o mundo à sua volta. A cada episódio ele se depara com um mistério ou problema envolvendo os mushis e tenta resolvê-lo. Cada história é uma pequena reflexão sobre as forças e fraquezas da humanidade, a forma como atinge e é atingido pela Natureza que o cerca. Não por acaso, tudo sempre acontece em locais longínquos e isolados: uma pequena vila de pescadores, uma aldeia no sopé de uma montanha, uma cabana no meio de uma floresta. A civilização moderna com suas ferramentas e máquinas ainda não chegou.

Os humanos em Mushishi são seres frágeis, que dependem da boa vontade do mar ou dos céus para ter saúde e comida na mesa. Neste mundo, se alguma desgraça acontece não existe defesa civil, bombeiros, polícia, nem instituições de caridade para ajudar. As pessoas só podem contar consigo mesmas e com a sorte. Não é de se admirar que elas aceitem o sobrenatural com uma certa naturalidade até. E para facilitar ainda mais essa aceitação existe as próprias religiões japonesas.

mushis

Essas coisinhas brilhantes são mushis.

O Xintoísmo, a religião predominante no Japão, acredita que não apenas os humanos, mas tudo o que existe no mundo possui uma alma. É comum a crença de que um animal ou uma árvore que conseguir viver por muito tempo pode evoluir até se tornar um deus ou um demônio. O Professor Hiroshi Ishiguro, renomado especialista em robótica, disse certa vez que os japoneses não têm medo ou repulsa de robôs humanoides porque eles acreditam que máquinas podem ter alma. Ou seja, a fronteira entre o mundo real e o sobrenatural é bem nebulosa. É justamente nessa fronteira nebulosa que Mushishi brilha por seu foco em questões muito humanas.

Um corpo fisicamente vivo porém sem alma ainda é uma pessoa? Se esse corpo fosse do grande amor de sua vida, você teria coragem de deixá-lo morrer?

Se você fosse cego e de repente recuperasse a visão ao ser infectado por um mushi, ficaria feliz? Mas e se além do mundo físico você passasse a exergar coisas que preferia não ver?

Você conseguiria honestamente perdoar alguém que, para se salvar, destruiu a sua vida?

mushi olhos

Processo de desintoxicação de mushi…

Questionamentos como esses acontecem a cada episódio de Mushishi e cada um deles é tratado com uma mistura de dramaticidade e realismo muito equilibrada. Alguns poderão achar a atmosfera muito seca, quase de um documentário em alguns momentos. Outros irão ver nos vários personagens que Ginko procura ajudar em sua jornada um reflexo de pessoas reais, capazes tanto de grandes atos de altruísmo quanto da mais baixa mesquinharia.

Mushishi é um anime para aqueles que sabem apreciar uma história bem contada. Não tem fanservice, nem lutas eletrizantes. Mas, se estiver disposto a prestar atenção, vai ver neste anime uma profundidade, uma riqueza que poucas produções atuais podem oferecer.

Saiba mais sobre o Xintoísmo em Templo Xintoísta do Brasil: http://temploxintoista.org.br/2013/o-que-e-o-xintoismo/

Conheça o Prof. Hiroshi Ishiguro e seu robô: https://www.youtube.com/watch?v=uD1CdjlrTBM

Mushishi no Crunchyroll: http://www.crunchyroll.com/search?from=mushi-shi&q=mushishi

Sobre liviasuguihara

Instrutora de inglês, "arteira", amante de animes e mangás. Você também me encontra no Twitter (@lks46), no Deviantart (https://liviaks.deviantart.com/), e no Instagram (liviasuguihara).

Penso 99 vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho […]