A Interessante Estrutura do Anime de Terra Formars

Terra Formars é, mesmo antes da estreia de seu anime, um dos fenômenos mais interessantes dos últimos tempos considerando-se a popularidade e certo sucesso de crítica da obra roteirizada por Yu Sasuga e desenhada por Keinichi Tachibana que conta uma história que começa em 2599 D.C., com a visita da nave Bugs 2 (Insetos 2) a uma Marte terraplanada alguns séculos atrás graças ao envio de plantas e baratas. Esperança de uma Terra devastada ambientalmente e quase no limite como planeta habitável, o planeta outrora vermelho reserva uma terrível surpresa a este grupo de desbravadores…

O manga, seinen de ação cuja pegada pessimista derivada do confronto da humanidade com um inimigo muito mais poderoso evoca [de uma forma mais simples] certas emoções que fizeram tantos se apaixonarem pelo hit Shingeki no Kyojin, prefere contar no primeiro volume um prólogo que pela intensidade é até aqui a melhor coisa de uma obra divertida em não ter grandes pretensões, ainda assim vítima do mal cada vez mais frequente que é a necessidade de, mesmo sucessos moderados, serem esticados em um ritmo modorrento por muito mais volumes que o necessário.

E a animação, até pelos atuais moldes de anime em pacotes de 13, com sorte 26 episódios, preferiu – em uma ótima jogada – construir esse início para um lançamento separado, diferenciado, no formato de OVA [provavelmente a serem incluídos nos volumes do manga, algo ainda a confirmar]. Episódios possivelmente maiores, com uma abertura diferente [afinal contam outra jornada] e com maior polimento visual prometem introduzir o mundo e o clima da série a ponto de deixar o espectador empolgado, imerso no universo cuja história principal começa no segundo volume, primeiro episódio do que é desde já um dos animes mais esperados de 2014, talvez 2015.

Escrito por: Qwerty do blog Argama

Fonte: Anime News Network

Terra Formars é, mesmo antes da estreia de seu anime, […]