Editora Nova Sampa voltará com a publicação de Vagabond!

Vagabond-Ed-Definitiva-4-conradNunca se desvie do caminho.

Miyamoto Musashi.

Vagabond está de volta, seu caminho continua…

No começo da noite desta terça-feira o parceiro Chuva de Nanquim noticiou que a editora Nova Sampa, responsável pelas ediçõs nacionais de mangas como Hitman – Matador por acaso e Yakuza Girl, irá retornar a publicação de um dos primeiros títulos publicados no Brasil ainda pela editora Conrad: o seinen Vagabond, do autor Takehiko Inoue, em sua edição definitiva.

Para quem não se recorda Vagabond começou a ser lançado aqui no Brasil em novembro de 2001 em um formato meio-tanko, porém com maior capricho que as edições de Dragon Ball e Cavaleiros do Zodíaco que a editora Conrad lançava. Nesse formato conseguiu chegar até a edição #44, correspondendo ao volume #22 do original japonês.

Porém, no ano de 2005 a editora resolveu colocar nas bancas e livrarias uma “edição definitiva” do título, inexistente até mesmo no Japão, dessa vez em tanko completo e uma altíssima qualidade pelo preço de R$25 – que seria reajustado durante suas 14 edições publicadas. O que a Conrad não previu na época é que a vinda desse formato melhor acabaria gerando uma autofagia que, em conjunto com a crise da editora, resultou no cancelamento primeiramente do formato inicial, deixando muitos fãs com coleções incompletas e obrigados a pagar mais para ter uma coleção uniforme, e no cancelamento da edição definitiva em novembro de 2007.

Buscando repetir o que fez na época quando ainda era gerente de conteúdos da editora JBC, Marcelo Del Greco aposta novamente na volta de um título muito solicitado pelos fãs que estavam fãs desde a parada da editora Conrad. Da mesma forma que aconteceu com Evangelion, Vagabond Edição Definitiva retorna ao país exatamente de onde havia parado, seu volume #15, a diferença – óbvia pela passagem do tempo e aumento do preço de toda cadeia produtiva de mangas – está no preço já que cada edição virá pelo preço de R$40, mas com formato maior, sobrecapa e papel de maior qualidade, pólen. Caso a recepção do material for positiva a editora já adiantou-se a dizer que existe a possibilidade de lançar também os primeiros quatorze volumes para quem não conseguiu compra na época.

Se começou devagar, a publicação de mangas da editora Nova Sampa vem crescendo e abrindo cada vez mais suas asas. A volta de Vagabond era um dos maiores pedidos dos órfãos da Conrad – em conjunto de Blade – A Lâmina do Imortal e Slam Dunk, será que também veremos esses dois de volta por aqui um dia? – e promete colocar a editora de vez no foco dos principais lançamentos. Atualmente a série está na edição #35 e manter essa coleção não será barato, mas se a qualidade anterior for mantida pode ter certeza que vale cada centavo, ainda que o preço esteja realmente salgado ao bolso do consumidor padrão de mangas, o que pode não ser um problema já que a Nova Sampa deixou claro desde a sua estreia que a mira está voltada para o público adulto, normalmente com mais condições de gastar com aquilo que gosta.

O que você achou dessa jogada da Nova Sampa? Pretende comprar Vagabond?

Apesar de gostar muito da história criada por Inoue, no passado eu deixei de comprar Vagabond para dar espaço financeiro para outras compras, infelizmente dessa vez não deve ser diferente. Só espero que o título não seja mais um erro do mercado como vimos no passado.

Fonte: Chuva de Nanquim

Nunca se desvie do caminho. Miyamoto Musashi. Vagabond está de […]