[Dicas de leituras #2] MIX

Depois da ótima recepção que a nova seção “Dicas de Leitura” teve com vocês, chega a hora de colocar a segunda edição no ar em uma estrutura que eu pretendo manter mensalmente. 

Se primeiro falamos de um romance shounen de um autor não muito conhecido, dessa vez peguei uma obra do renomado mangaka Mitsuru Adachi que iniciou há apenas dez capítulos.

Continue a leitura e venha conhecer Mix, nova obra sobre basebol do autor.

Mix-Mitsuru-Adachi-MangaLembre importante: Não coloco links para download ou leitura online no blog ou nos comentários, parte da ideia da nova seção é que eu fale de séries fáceis de encontrar indo ao Google.


Para quem não reconheceu o autor pelo nome, Mitsuru Adachi foi responsável por consagradas obras, indo do shoujo ao josei com habilidade, mas principalmente com seus já clássicos mangas de esportes como H2, Cross Game e, especialmente, Touch.

No Brasil o autor teve uma de suas obras publicadas no final de 2011 quando a editora L&PM Pocket lançou um belo volume de Aventuras de Menino que você pode ler sobre em um artigo do Gyabbo!.

Mas vamos ao que realmente interessa! Mix é a mais recente obra de Adachi, publicada desde maio de 2012 na revista mensal Shounen Sunday e traz novamente como tema central a vida de dois irmãos com a mesma idade e seu interesse pelo baisebol dentro da escola de ensino fundamental Meisei. Mix1035671

Quem já tiver tido contato com o manga mais famoso do autor, Touch (publicado semanalmente de 1981 à 1986 em um total de de 26 volumes), já deve ter percebido grandes similares entre das duas obras.

Primeiro o fato de termos dois irmãos fãs de baisebol como protagonistas. Mas se em Touch os dois são gêmeos de fato, em Mix os irmãos Souichiro e Touma Tachibana, apesar de terem nascidos no mesmo dia e quase na mesma hora, não são gêmeos, envolvendo acasos da vida que são pincelados lentamente durante os capítulos mensais.

Outro fato é que a obra se passa na mesma escola de Touch, mas 26 anos no futuro, o que dá, aí sim, um belo fanservice para os fãs do autor (além de algumas brincadeiras que o autor se permite fazer quebrando a quarta barreira aqui e ali), mas que os que não tem um conhecimento prévio daquele ambiente ainda funciona pois coloca na história uma carga a mais de reflexão ao trazer por trás de todos os personagens que cercam esse novo contexto a herança daqueles que um dia levaram o clube de beisebol do colégio ao mais prestigiado campeonato nacional da categoria, o Koushien.

É interessante notar também que apesar do tema central esportivo, a força da leitura de Mix não está no típico exacerbamento de rivalidade e superação pessoal que poderíamos esperar de um manga assim. Não, o que move a história e nos carrega para dentro de seus vagarosos capítulos é a forma como Adachi consegue transportar para o papel um verdadeiro clima de slice-of-life, no sentido mais puro da expressão, colocando o dia a dia simples dessas crianças de uma forma quase poética com um ótimo senso de fotografia e diálogos simples, mas verdadeiros.

02107ce897bd8e0c55a3f6e4afb96634

O traço do autor pode afugentar aqueles fãs mais ligados em obras “modernas”, mas não se deixe enganar. Adachi possui sua marca e com ela expressa de maneira incrível sentimentos, sensações, emoções – tudo com pressa, sabendo exatamente onde quer levar a história e sim, você vai querer saber para onde isso vai.

Mix, apesar de ser publicado em uma revista shounen, me soa muito como um manga esportivo seinen, maduro em sua abordagem que não vê necessidade de gritar ao mundo absurdos qualquer que já vimos tanto.

Pela sua periodicidade mensal, a obra se torna uma daquelas leituras perfeitas para aproveitar e esquecer das preocupações, absorvendo cada detalhe do traçado de Adachi e esperando a história se desenrolar por si mesma, ainda que isso possa demorar.

Apenas sente, leia e relaxe.

af2709fa48f16a67ba208cbd9a755b57Por que ler? Perfeita oportunidade de conhecer a abordagem de Adachi aos mangas de esportes que tanto fizeram sua fama sem precisar ler dezenas de volumes antigos. Ótima fotografia que captura bem as coisas simples do dia-a-dia e nos convida a parar e admirar lentamente.

Quem deve gostar? Fãs de obras mais lentas e reflexivas. Apreciadores de slice-of-life que fogem do moe. Leitores de mangas em busca de algo diferente do clichê esportivo tão comum no shounen.

Leia também: [Dicas de leituras #1] Horimiya

Gostou da dica? Deixe um comentário abaixo se você já conhece a série, se foi atrás depois do post ou se pretende ler.

Ah! Também não deixe de falar o que achou da dica do mês passado.

 No próximo mês vou falar sobre alguma obra indicada por vocês, então aproveitem para também comentar obras que vocês indicariam, principalmente as curtas e que não tiveram sido lançadas no Brasil.

Depois da ótima recepção que a nova seção “Dicas de […]