Blood-C – Primeiras impressões

Olá pessoal! Antes de começar o novo post venho anunciar aqui no blog que agora o Gyabbo! possui sua própria página no Facebook. Lá você conhece os outros leitores, pode conversar comigo, ver fotos e muito mais. Curta agora!

Uma garota fofa, leal e atrapalhada. Tem vários amigos, mas não consegue entender bem o sentimento de amar. Tem um pai sério, mas amável, a quem é muito devota. Recebe a responsabilidade de lutar para proteger as pessoas, de preferência com um uniforme escolar. É uma personagem do grupo CLAMP. Não, não estamos falando de Sakura Kinomoto, mas quem olha as características da protagonista de Blood-C, Saya Kisaragi, escritas poderia facilmente confundir.

Apesar de toda expectativa em cima da cooperação do famoso grupo de mangaka com o estúdio Production I.G a verdade é que até o seu quarto episódio Blood-C se mostrou uma grande chatice.

Saya Kisaragi é uma garota animada, mas atrapalhada que mora sozinha com seu pai no templo da família. Mora em uma cidade litorânea onde pouca coisa acontece – existe um café, uma padaria, quase nenhuma opção de diversão. Na escola possui um grupo de amigos, incluindo um rapaz apaixonado por Saya, mesmo que ela não perceba isso. Apesar da vida simples de estudante, passando a maior parte do seu tempo livre ajudando o pai ou no café, a garota tem um segredo: sai pelas noites para caçar criaturas que caçam humanos com sua katana Goshintou.

Olhando de forma positiva, Blood-C possui uma das melhores animações dessa temporada de verão, o que por si só não deixa o anime ser uma perda total. Se as cenas escolares/familiares tomam praticamente metade dos episódio e adicionam pouco ou nada para a história, as cenas de ação são de encher os olhos – destacando a do primeiro episódio que conseguiu me enganar, me fazendo achar que o anime seria bom.

O problema é que mesmo esperando quatro episódios para comentar sobre a série, nada de concreto aconteceu. Saya vive sua vida dupla entre uma estudante e uma caçadora de forma extremamente cega, muito mais pela devoção ao pai do que por um motivo realmente importante. Existe um limite para uma boa animação segurar um enredo fraco.

Decepcionando qualquer fã de franquia Blood – até o momento nenhum vampiro foi visto -, a série é um grande disperdício de boa mão de obra e fica claro que o problema está no enredo da CLAMP. Tecnicamente temos uma ótima obra, seja com as músicas da Aniplex ou pela animação da Production I.G, mas os clichês da CLAMP simplesmente não funcionam aqui. Se esses elementos não servirem para serem quebrados nos próximos episódios fica complicado esperar qualquer melhora. No entando, esse não parece ser o rumo. Como comentou o blog Random Curiosity, toda vez que alguma personagem comenta sobre o tédio que é o mundo onde eles estão, parece a própria CLAMP zoando os expectadores.

Mas se você for um fã fervoroso da CLAMP e tem que assistir a esse anime, só posso lhe dizer uma coisa: Boa sorte.

(Já curtiu a página do Gyabbo! no Facebook?)

Olá pessoal! Antes de começar o novo post venho anunciar […]