Angel Beats! – Conclusão

Olá a todos os leitores! Hoje é o dia da grande final da Copa do Mundo da Fifa! E como bom amante do esporte bretão, dedicarei esse post para falar sobre um anime futebolístico: Inazuma Eleven.

Ok, só brincando, nunca vi nem um episódio de Inazuma. Na verdade hoje o post continua sendo na sequência que havia prometido; um de primeiras impressões e outro de conclusões. Talvez isso mude um pouco na próxima semana quando entro de férias, mas por enquanto continuamos assim. Portanto, sem mais delongas, Angel Beats!.

Esse post possui spoilers sobre o fim da série. Leia por conta e risco.

All Characters of the anime Angel Beats! Alguns meses atrás, enquanto escolhia qual animes acompanhar na primavera japonesa, nem de longe me passava na cabeça a ideia de assistir Angel Beats!. Sendo sincero, o anime parecia algo bem genérico e sem carisma.

Eu não poderia estar mais errado.

A verdade é que eu só fui assisti-lo depois de ouvir pessoas que eu reconheço e respeito falando bem. Resolvi apostar, não tinha nada a perder assistindo o primeiro episódio. É provável que essa falta de expectativas tenha feito com que eu tenha aproveitado o anime muito mais do que se estivesse tão empolgado como muitas pessoas estavam.

Em meu post relatando as primeiras impressões do anime, lembro de ter sido bem cético, mesmo reconhecendo a animação fantástica do estúdio P.A. Works e o potencial do anime, o primeiro episódio confuso me deixou questionando se Angel Beats! poderia ser tudo aquilo que prometia.

Observando o gráfico formado pelas notas que ia dando à cada episódio episódio seria fácil pensar que Angel Beats! foi uma série mediana com muitos altos e baixos. Porém, uma análise mais precisa mostra o crescimento da série, indo de grandes momentos que facilmente passavam da nota nove e que depois episódio 7 não saiu mais deste patamar, principalmente no seu rumo final, resultando em sua nota mais alta no episódio final.

Ainda pensando nas minhas primeiras impressões, para mim havia duas condições para que o anime fosse realmente bom, apesar de já saber desde ali que o sucesso seria garantido pelo menos para o público geral; (1) explicações boas o suficiente para justificar a confusão que imperava no começo e (2) a forma como tudo seria resolvido com apenas 13 episódios.

Show of the anime Angel Beats! Girls Dead MonsterSobre o primeiro quesito, descobrimos não somente que o Anjo na verdade não era um anjo, mas sim um ser humano como todos os outros que lutavam por lá, mas também que aquele “purgatório” servia para que pessoas que morreram, mas que ainda guardavam rancores e pendências do mundo anterior, pudessem ter uma vida completa de outra forma. Pensando um pouco agora, é fácil perceber as ligações do anime com a psicanálise freudiana das neuroses.

Já o segundo quesito fiquei muito receoso de que não iria ser completado, já que os capítulos passavam e as explicações não surgiam. Mas quando finalmente elas começaram a aparecer, o anime deslanchou, desenlaçando os passados de personagens chaves, mesmo que à custa de muitos outros que não tiveram seus passados explorados. Um mal necessário para um anime curto.

Angel Beats! é um anime que se aprimora com o passar do tempo, dando a certeza de que há alguém por trás dele que sabe o que está fazendo. No caso temos a dupla já famosa por outros animes (Air, Kanon, Clanned), Jun Maeda e Na-Ga. Com maestria o anime é guiado para um fim que se eu tivesse que caracterizar com apenas um adjetivo com toda certeza seria “corajoso”.

Sim, “corajoso”. Deixar um anime onde em quase todo episódio (se não todos) havia alguma disputa armada ou algum trauma passado a ser desvendado, com apenas seis personagens restantes, e mais ainda, tirar daquela que seria a protagonista todo esse papel e dá-lo para aquela que seria a antagonista foi uma virada e tanto.

Apesar das críticas que esse episódio final recebeu, seja pelo seu passo lento (que na minha opinião foi mais do que apropriado, fechando a obra de forma realmente marcante) ou por possíveis furos no enredo (que são facilmente explicáveis para qualquer um que possa teorizar um pouco além do óbvio), Angel Beats! trás um final dramático que levou muitos às lágrimas e consegue terminar verdadeiro consigo mesmo.

De um anime quase despercebido, Angel Beats! passou a ser pra mim um dos candidatos a melhor do ano. Se você gosta de uma animação afiada, um roteiro intrigante, mas que sabe se resolver, de personagens principais que vão além de uma casca em 2D e secundários que dão um grande charme ao elenco, aliado a um drama pesado e emocionante, mesmo com momentos altamente cômicos, não deixe esse anime passar, acredito que não vai se arrepender!

PS: Ok, não dava pra explicar o passado de todo mundo em 13 episódios, mas eu realmente queria saber o que aconteceu o TK, melhor personagem coadjuvante da série!

Olá a todos os leitores! Hoje é o dia da […]