Tokusatsu em Anime?

“Tokusatsu” ao pé a letra quer dizer “efeitos especiais”. Produções audiovisuais japonesas, que abusam de diversas técnicas para nos dar a ilusão de poderes mágicos, ferimentos graves que soltam faíscas, monstros colossais pisando em cidades e robôs gigantes pilotados por heróis coloridos. Essa é uma tradição que vem bem antes de muitos de nós termos nascido, talvez os pais ou os avós de vocês possam mencionar como adoravam assistir National Kid (1960) ou Spectreman (1971) e ficavam impressionados com essas produções. Mas se vermos hoje em dia, irá apenas gerar gostosas risadas vendo os famosos fios segurando os atores para dar a impressão de que estão voando. Mesmo sendo uma tradição tão duradoura, mas que com certeza evoluiu muito com o passar dos anos, o Tokusatsu se tornou mais do que uma palavra ao pé da letra, se tornou um gênero, um estereótipo de personagem, roteiro, estética e muitas outras coisas. Sendo assim, as portas se abrem para que seja explorado de outras formas. Dito isso, como vocês devem ter visto no título desse post, no #TokuTudo desse mês irei trazer para vocês DEZ sugestões de animes que são baseados no estilo de séries Tokusatsu!

OBS.: A lista não está em ordem de melhor para pior ou vice versa, porém, procurei listar aqui o máximo possível de séries que vocês poderão encontrar nesse exato momento para assistir nas principais plataformas de streaming (nesse caso, é só clicar no nome da série, se houver link). Infelizmente, outros títulos poderão não ter essa facilidade, então caso tenham interesse, é só dar aquela pesquisada básica na internet.

1 – ULTRAMAN

Ultraman Anime
“Ultraflix”

Lançado na Netflix em abril de 2019, “Ultraflix” é uma adaptação animada do mangá de mesmo nome lançado em 2011 (que também é distribuído oficialmente no Brasil pela editora JBC). Essa obra unifica tanto o fã mais saudosista como também abre portas para um novo público, dando uma repaginada radical nas raízes da franquia Ultra, assim como respeita suas tradições.

Sinopse: Vários anos se passaram desde os eventos de Ultraman, o lendário “Gigante de Luz” não passa de apenas uma memória, já que todos acreditam que ele retornou para casa após ter lutado e defendido a Terra do ataque de diversos aliens. Shin Hayata, o hospedeiro original do Ultraman, percebe que seu filho Shinjiro possui estranhas habilidades, essas que irão levá-lo a um caminho onde ele deverá se tornar um novo Ultraman e lutar contra uma nova invasão alienígena!

O anime é uma coprodução entre a Production I.G e a Sola Digital Arts, e dirigido por Kenji Kamiyama (Ghost in the Shell: Stand Alone Complex) e Shinji Aramaki (Evangelion Another Impact, Ghost in the Shell: SAC_2045).

Se quiserem saber um pouco mais, no Podcast do qual faço parte, Henshin Rio, já fez um episódio especial sobre e vocês podem conferir AQUI.

Lembrando que essa não é a primeira vez que Ultraman tem uma adaptação animada! Em 1987, uma produção conjunta da Hanna-Barbera e Tsubaraya criou a série Ultraman: The Adventure Begins, ou Ultraman USA para os mais íntimos. O filme conta a história de três pilotos de acrobacias aéreas que recebem os poderes dos Gigantes de Luz e se tornam o trio que defende a Terra dos alienígenas.

Ultraman USA
Ultraman USA

Fiquem aí com essa indicação bônus também.

2 – GARO: THE CARVED SEAL OF FLAMES

Garo: The Animation
Garo: The Animation

A franquia Garo é conhecida por ser o “Tokusatsu para adultos” (risos) criada lá em 2005, apresentando o conceito dos Cavaleiros Makai que vivem entre os humanos e nos defendem secretamente das entidades conhecidas como Horrors. Com seus tons narrativos mais maduros e visuais icônicos, a franquia se mantém de pé até hoje, com isso, se dando a liberdade de ter até uma versão animada (e canônica).

Sinopse: A história se passa em tempos medievais no País de Valiante. A Ordem Makai se encontra sob uma terrível crise quando a igreja os condena como agentes do demônio devido ao uso de magia. Para que isso acabe, o maligno conselheiro real Mendoza convence o rei a caçar e matar todos os Cavaleiros Makai e Sacerdotes que pisarem em suas terras. Isso causa um aumento descomunal da atividade dos Horrors pela cidade além de se infiltrarem no governo. Alheio a todo esse caos, um jovem Cavaleiro Makai retorna ao reino, assumindo o título do Cavaleiro Dourado Garo.

Esse anime ficou bem famoso por trazer em sua produção nomes bem relevantes: Hiroyuki Takei (mangaká criador de Shaman King) fazendo o character design, no roteiro temos Yasuko Kobayashi que trabalhou em Attack on Titan e JoJo Bizarre Adventure, e na direção Yuichiro Hayashi que trabalhou na animação Batman: O Cavaleiro de Gotham, no atual Dorohedoro e em alguns episódios de Kakegurui.

Uma coisa boa é que você não precisa conhecer a fundo a franquia para assistir esse anime, até porque cronologicamente falando ele se passa muito antes da série original de 2005, pode ser uma boa porta de entrada caso você ainda não esteja familiarizado com a marca Garo.

Se quiserem conhecer um pouco mais da série original, também tenho um Podcast falando dela! Podem conferir AQUI.

3 – GAKUEN TOKUSOU HIKARUON

Hikaruon
Hikaruon

Esse aqui talvez seja o mais clássico entre os títulos que vou trazer, não tanto quanto o Ultraman USA pelo menos! Detetive Escolar Hikaruon é uma homenagem ao gênero Metal Hero, fazendo clara referência a heróis como Jaspion, Sharivan e Gavan!

Sinopse: O nosso herói se chama Hikaru Shihoudo e ele está empenhado em derrotar uma organização do mal chamada Uraer. Disfarçado como um estudante colegial, ele se encarrega de investigar vários casos sequentes de estranhos suicídios que tem acontecido pela cidade.

Quando tive a ideia de criar esse texto, Hikaruon foi o primeiro anime que me veio em mente, sem dúvidas é ele que traduz perfeitamente esse conceito de “Tokusatsu como anime”. A qualidade da animação é uma refém de seu tempo (1987) para o bem e para o mal. Se assistirem, vão entender do que estou falando. Sou suspeito e desculpe se soar um pouco nostalgista, mas sou muito fã da estética dos animes dos anos 80/90, então é um deleite, assim como é muito divertido ver todos os clichês presentes nos shows estilo Metal Hero sendo emulados na animação. A sensação que dá é de estar assistindo um episódio perfeitamente normal de Tokusatsu, por vezes você pode até esquecer que está vendo um anime. Ajuda muito também saber que por trás da produção está um nome como Kazuhiro Ochi, que dirigiu nada mais e nada menos que HOKUNO NO KEN (e sem dúvidas dá pra ver algumas semelhanças no estilo artístico em Hikaruon).

4 – GATCHAMAN CROWDS

Gatchaman Crowds Personagens
Todos os personagens principais de Gatchaman Crowds!

Um dos meus favoritos dessa lista! Antes de falarmos desse anime, devemos dar um passinho pra trás e relembrar um pouco do histórico da franquia Gatchaman e como ela está intimamente ligada ao Tokusatsu, principalmente ao gênero Super Sentai.

Science Ninja Team Gatchaman, Battle of Planets e G-Force são alguns nomes que se referem a série clássica animada que estreou no Japão em 1972, contando a historia de cinco jovens super-heróis, unidos em um time para proteger a Terra e derrotar uma organização maligna alienígena. Soa um pouco familiar, não? Para quem está acostumado com Super Sentai (ou Power Rangers até), irá notar muitas semelhanças, e não é para tanto, já que podemos dizer, pelo menos um pouco, que a franquia da Tatsunoko foi uma das inspirações para que a primeira equipe de Super Sentai (antes mesmo de levar o nome Super) fosse criada! Himitsu Sentai Goranger foi ao ar pela primeira vez em 1975, trazendo em sua trama um grupo de jovens super-heróis para proteger a Terra de uma organização do mal e blá blá blá, vocês já devem ter entendido onde quero chegar. Alguns anos depois, Gatchaman seria homenageado por Chojin Sentai Jetman, pegando emprestada a temática de pássaros, inclusive usando exatamente os mesmos que representavam cada membro da equipe em Gatchaman.

Gatchaman Original
Os Gatchaman originais

Beleza, agora que entendemos que Gatchaman é muito importante para o universo Tokusatsu, vamos falar de Crowds!

Sinopse: A história se passa no Japão, no começo do verão de 2015. Cento e oitenta mil pessoas vivem na cidade de Tachikawa, a “segunda metrópole” da área de Tóquio. Entre essas pessoas, existem os Gatchaman, guerreiros que lutam em trajes especiais reforçados que recebem poder do “NOTE”, a manifestação de poderes espirituais especiais em seres vivos. Um conselho escoltou um grupo de indivíduos com poderes latentes para proteger a Terra de criminosos alienígenas. Nos anos atuais, o conselho designou guerreiros Gatchaman para lutar com a misteriosa entidade como “MESS”.

Crowds não se assume como uma sequência direta da série clássica, mas também não diz que não é, fica livre a interpretação, principalmente por algumas vezes ser citado na série algo que pode levar a esse tipo de conclusão. Uma coisa interessante a se falar sobre esse anime é que ao mesmo tempo em que ele retrata situações típicas que deixaria qualquer fã de Super Sentai bem satisfeito (momento de Henshin e Roll Call, poses, monstro da semana, etc), ele também eleva um pouco o nível, trazendo como pauta diversas discussões  muito relevantes nos dias de hoje, como vício e uso de redes sociais no dia a dia e a força que esse tipo de coisa tem para controlar toda uma sociedade.

Vale lembrar que Gatchaman Crowds é dividido em duas temporadas, sendo a segunda chamada de Gatchaman Crowds Insight e se passa apenas um ano depois dos eventos da primeira.

5 – SAMURAI FLAMENCO

Samurai Flamenco
Não estranhem, Samurai Flamenco está repleto de referências a Kamen Rider e Super Sentai!

O que você faria se pudesse se tornar um herói de Tokusatsu?

Sinopse: Masayoshi Hazama é um jovem modelo masculino que tem como sonho se tornar um herói da justiça, como via nos shows de TV quando era criança. Completamente obcecado por esse objetivo, ele recebe ajuda de vários amigos e se torna Samurai Flamenco! Um herói da vida real!

Vou ser sincero aqui com vocês, eu tenho alguns problemas de amor e ódio por esse anime. Eu adoro demais a primeira parte, que é focada na jornada do Masayoshi em se tornar um TokuHero na real e como, em até certo ponto, ele consegue! Há uma mensagem muito legal de valores que esses tipos de séries passam para a pessoa, e ele é a encarnação desse sentimento. Ser gentil, educado, justo, honesto, todas essas coisas. Para alguns, o escalonamento que a série passa pode agradar e muito, eu não achei tão interessante, mas vejam por si mesmos!

Os 22 episódios do anime foram produzidos pelo estúdio Manglobe, que já produziu muita coisa boa como Deadman Wonderland e Gangsta! Na direção, temos Takahiro Omori (Durarara!! e Power Stone, sim, aquele que chegou a passar no Brasil!), e no roteiro temos Hideyuki Kurata (Excel Saga, Hellsing Ultimate e Goblin Slayer).

6 – KARAS

Karas
O design do herói Karas é bem chamativo.

Mais um título da Tatsunoko Production, e não deveria ser surpresa, como vocês viram quando falei de Gatchaman Crowds. Lançado em 2005 e constituído de seis OVAs, Karas é uma obra comemorativa dos 40 anos da empresa na produção de animes. Esse é daquele tipo de anime para as pessoas que gostam de admirar as animações pela sua qualidade técnica e se deixar levar por ela. Para os fãs de Tokusatsu, que é o foco aqui, Karas entrega um herói que se encaixaria com louvor no gênero Metal Hero.

Sinopse: Karas conta a história de Yousuke Otoha, um ex-Yakusa que vive em Shinjuku, Tóquio, e onde humanos e Yokais convivem juntos, porém, para a maioria das pessoas comums, cada qual em seu mundo particular. Após eventos inesperados, ele recebe o título de “karas”, uma entidade com poderes sobrenaturais responsável por proteger a cidade. Seu objetivo é deter Eko, o antigo karas que protegia a cidade e que agora pretende “limpar” a cidade da presença de humanos.

Talvez a escolha narrativa de Karas não agrade a todos, mas isso também faz parte do seu charme. Com roteiro de Shin Yoshida (Naruto Shippuden, Yu-Gi-Oh! e Ninpu Sentai Hurricanger) e direção de Keiichi Sato (Tiger & Bunny, Kuroshitsuji/Black Buttler e Inuyashiki). A dupla escolheu dar à série um tom bem sério e uma história que te conduz de forma não expositiva, tudo sendo revelado no seu devido tempo e deixando que o espectador complete as lacunas por conta própria conforme as informações novas vão sendo apresentadas. O principal drama da série é o conflito entre humanos e Yokais e sua coexistência, mesmo que em planos diferentes. Há muita coisa que poderia ser discutida sobre esse anime, mas vamos deixar isso para um texto futuro só sobre ele, quem sabe? Por enquanto, deixo apenas minha recomendação. Dessa lista, é um dos meus favoritos e espero que se torne o de vocês também!

7 – SSSS.GRIDMAN

SSSS. Gridman
Gridman nas mãos do Studio Trigger teve seu design modernizado.

Uma parceria entre o Studio Trigger e a Tsubaraya Production deu origem a SSSS.Gridman, um dos melhores animes de 2018!

Sinopse: O protagonista dessa história é Yuta Hibiki, um estudante do primeiro ano do ensino médio que possui amnésia e vive na cidade de Tsutsujidai. Um dia, ele encontra o Hyper Agente Gridman dentro de um velho computador, que diz para o jovem que ele tem um dever a cumprir. Yuta aceita com o objetivo de descobrir o significado daquelas palavras e, talvez, a sua memória perdida. Quando um Kaiju surge inesperadamente, Yuta se transforma em Gridman e nada mais será como antes.

Superhuman Samurai Syber Squad
Logo do clássico Superhuman Samurai, que foi exibido aqui no Brasil!

Gridman não é um título estranho para nós brasileiros, ele chegou por aqui pelo título Superhuman Samurai Syber Squad, que assim como os Power Rangers, foi a adaptação da série original japonesa. Adaptação essa que estava bem próxima do original, diga-se de passagem. Sendo assim, SSSS.Gridman junta as duas vertentes em seu título como uma forma de homenagem e em uma livre interpretação até um universo compartilhado. Sendo um título da Tsuburaya, vemos muitas semelhanças com os Ultras, um herói que usa um humano como hospedeiro, fica gigante, luta contra kaijus e até tem uma luz no peito piscando e indicando que seu tempo de ação está chegando ao limite. Porém, as semelhanças ficam só por aí, o anime traz muitas questões interessantes, a ação vai agradar a todo tipo de fã e, para quem tiver os olhos mais atentos, vai encontrar muitas, mas MUITAS referências, desde Transformers até Evangelion. Talvez para o futuro eu traga algo sobre Gridman e a franquia como um todo.

O responsável pela direção foi Akira Amemiya, que já foi codiretor em Kill La Kill, dirigiu Inferno Cop, ambas obras do Studio Trigger. No roteiro temos Keiichi Hasegawa que tem uma experiência enorme tanto com Tokusatsu quanto com anime, esteve por trás de diversas séries Ultra (Tiga, Dyna, Mebius, entre outras) e também esteve envolvido como corroteirista em algumas séries Kamen Rider atuais (Ghost, Drive, Fourze e W), nos animes ele esteve envolvido com alguns clássicos como GeGeGe no Kitaro (2006), Devil Lady e o conhecidíssimo aqui no Brasil, Megaman NT Warrior.

Não posso deixar de mencionar também que essa produção foi tão especial, que Hikaru Midorikawa retornou para fazer mais uma vez a voz do Gridman depois de 27 anos! Ele é um dublador muito importante e reconhecido, está no mercado desde 1989, vocês podem ver os outros trabalhos em que ele esteve envolvido clicando AQUI.

8 – SOULTAKER

Soultaker
Soultaker é a série que vai te conquistar logo na música de abertura!

Por pouco essa lista não é um Top 10 animes da Tatsunoko! Sim, mais um título deles, eu juro que não é de propósito!

Sinopse: Após ser esfaqueado pela própria mãe, Kyosuke Date retorna dos mortos e descobre que possui uma irmã gêmea chamada Runa e a habilidade de se transformar em um super poderoso mutante conhecido por SoulTaker. Enquanto procura pela irmã, ele é perseguido por estranhos doutores e enfermeiras mutantes enviados por uma organização chamada “Hospital”, liderada pelo seu próprio pai, Richard Vincent, assim como a maligna corporação Kirihara, liderada por Yui Kirihara, que estão procurando por Runa para seus próprios objetivos malignos.

Soultaker
Soultaker possui um visual que mistura elementos demoníacos com tecnológicos

SoulTaker foi a primeira tentativa da Tatsunoko de criar uma série com temática bem mais adulta e madura. Segue um pouco a mesma linha que posteriormente seria usada em Karas. A direção do anime fica a cargo de Akiyuki Shinbo e a ele ficam os méritos por ter sido um dos primeiros, na Tatsunoko, a utilizar técnicas de animação digital. Ele já trabalhou em obras clássicas e importantes como Sayonara Zetsubou Sensei e Madoka Magica, recentemente esteve a frente da adaptação em anime de Fate/Extra Last Encore.

É impossível não mencionar que esse anime tem sua música de abertura cantada pelo incrível JAM Project e talvez essa seja a maior e melhor propaganda que posso fazer sobre essa série, confiram a música AQUI.

9 – SARAZANMAI

Sarazanmai
Protejam as suas shirikodamas!

“Nossa, Vilson, tá maluco? Onde que isso aí é Tokusatsu?”. Vocês podem indagar. Bem, vamos a uma pequena check list:

  • Grupo de jovens convocados por uma entidade poderosa misteriosa: CHECK
  • Eles se transformam e possuem identidades secretas: CHECK
  • Cada um tem uma cor símbolo: CHECK
  • Fazem um milhão de poses e tem sequência de transformação e até “roll call”: CHECK
  • Lutam contra uma organização do mal que envia o famoso “monstro da semana”: CHECK
  • Possuem um golpe final unificado: CHECK

É, amigos, desculpem lhes informar, mas Sarazanmai é FULL TOKUSATSU, FULL SUPER SENTAI!

Sinopse: Após quebrar acidentalmente a estátua de um kappa que servia como um deus guardião do distrito de Asakusa, os estudantes colegiais Kazuki, Toi e Enta são transformados em kappas por Keppi, o príncipe do Reino dos Kappas. Eles são encarregados de ajudar Keppi a reunir os Pratos da Esperança, que possuem o poder de realizar qualquer desejo de quem conseguir reunir todos eles. Os pratos são obtidos por coletar a shirikodama dos zumbis criados por Reo e Mabu, agentes a serviço do Império das Lontras. O Império, que atende pelo codinome “Kappazon, Inc”, controla a sociedade manipulando os desejos das massas e são os inimigos do Império dos Kappas por gerações. Para derrotar os zumbis, os heróis tem que gritar juntos “Sarazanmai”, porém isso tem um preço! Cada vez que utilizam a técnica, suas ligações são colocadas a prova pois um segredo é sempre revelado.

Sarazanmai personagens
Nosso trio de heróis! Enta, Kazuki e Toi

Já vou avisando, assistir Sarazanmai é, sem dúvidas… uma experiência única. A sinopse já é uma coisa bem hilária, mas acreditem, é só a ponta do iceberg. Não vou estragar a surpresa de quem for conhecer esse anime agora.

Em sua própria e única maneira (beeem única), Sarazanmai nos toca a cada episódio, mantendo uma história envolta na proposta de que todos têm segredos, todos temos aquelas coisas das quais sentimos vergonha e existe uma linha tênue entre se expor e evoluir como pessoa e o puro sentimento de culpa, pois sabe que há algo errado com você. Nossos heróis são constantemente expostos a esse tipo de situação, colocando suas amizades e ligações em risco, tudo por um bem maior, aprendendo lições e seguindo em frente, ou não…

Sarazanmai foi produzido pelo estúdio MAPPA (Zombie Land Saga, Dorohedoro e Banana Fish), na direção temos Noboyuki Takeuchi (Digimon Adventure: Our War Game), e Kunihiko Ikuhara (Penguindrum, Sailor Moon R e Utena) trabalhando no roteiro.

10 – GODZILLA: PLANETA DOS MONSTROS

Godzilla Netflix
Kaijus clássicos ganham nova roupagem nessa trilogia de filmes!

Finalmente chegamos ao final dessa lista e pra fechar com chave de ouro, temos conteúdo aqui para agradar até mesmo os fãs de Kaiju!

Sinopse: No último verão do século 20, a humanidade se viu a beira da extinção quando monstros gigantes começaram a surgir pelo planeta, a crise piorou quando surgiu uma criatura tão poderosa que subjugou humanos e monstros: Godzilla. Duas raças alienígenas vieram à Terra oferecendo auxílio, uma dedicada à religião chamada Exif e outra dedicada à tecnologia chama Bilusaludo. Com a união das civilizações, criaram o plano de desenvolver o Mecha-Godzilla para tentar derrotar Godzilla, mas falhou antes mesmo de ser ativado. Sem alternativas, o que sobrou da humanidade deixa a Terra em uma nave espacial. Vinte mil anos depois, o Capitão Haruo Sakaki, que nutre um ódio absurdo por Godzilla, vendo que as pessoas na nave, incluindo os aliens, estão a beira de um colapso por falta de recursos, motiva todos para que deem a volta e tentem recuperar a Terra que lhes é de direito, na esperança que depois de tanto tempo Godzilla já estaria morto.

Godzilla não é novidade para ninguém e pegando o embalo do sucesso que o monsterverse da Legendary Pictures (Godzilla de 2014, King Kong e Godzilla 2: King of Monsters) criou e que no ano anterior ao lançamento desse anime havia saído o Godzilla Ressurgence (caso queiram saber mais, também tem um episódio do Henshin Rio sobre esse filme), a Netflix não perdeu tempo e criou essa trilogia de filmes sobre o réptil.

Foi produzido pela Toho Animation junto com a Polygon Pictures, com direção de Kobun Shizuno (diversos filmes de Detetive Conan e Knights of Sidonia) e Hiroyuki Seshita (Aijin e Blame!), roteiro de Gen Urobuchi (cocriador de Madoka e envolvido com diversos outros sucessos como Fate/Zero, Aldnoah.Zero e Psycho-Pass) que é um nome muito importante na indústria e, além de tudo, esse projeto marca o primeiro filme animado da franquia, além de ser o segundo da era Reiwa!

Aqui temos o mesmo “problema” que mencionei em Ultraflix e já é de se notar pelo histórico dos envolvidos na produção: é um anime em CGi, confesso que não me incomodou tanto, mas podia ser um pouco melhor, mas isso deixo a cargo de vocês julgarem. Temos a vantagem aqui de ser apenas 3 filmes, facilmente “maratonáveis” e de fácil acesso na Netflix.

***

Espero que tenham gostado dessa lista de recomendações, amigos leitores. E sei que tem mais um milhão de animes e séries que posso ter deixado de citar, mas haverá outras oportunidades de mencioná-los! Não deixem de colocar aí nos comentários o que vocês acharam das sugestões, quais outros vocês gostariam que fossem citados e quais vocês recomendam!

Até o próximo #TokuTudo!

Revisão: Karin Cavalcante