After School Dice Club / Hokago Saikoro Club

Muito mais que apenas um rolar de dados.

Olá amigos! É o Vilsonstratos aqui de novo! No dia 12/01 eu estreei aqui no Portal a minha coluna TokuTudo, cujo link está aqui, na qual irei trazer um conteúdo exclusivo de Tokusatsu! E hoje trago para vocês a minha segunda participação por aqui, que será a coluna Pitacos do Vilson! Aqui será um espaço mais livre onde vou trazer para vocês assuntos diversos, pode ser algum anime que achei interessante, um filme, seriado, matérias abordando algum assunto que ache importante e/ou coberturas de eventos! Espero que gostem!

Em 2 de outubro de 2019, durante a temporada de Outono, estreava nas TVs japonesas um anime no estilo slice of life abordando uma temática um pouco diferente, mesmo que de certa forma familiar. Atraindo fãs de um hobby em crescimento e, talvez, despertando o interesse de uma nova vertente de publico.

Uma típica Ludoteca e seu acervo de jogos. Em lojas como essa, assim como é representado no anime, você pode jogar o que quiser, geralmente pagando apenas uma pequena taxa de consumo.

Por meados dos anos 2000, esse hobby teve um grande boom e se expandiu de uma forma acelerada, os jogos modernos indo muito além do que Banco Imobiliário, War ou Imagem e Ação tinham para oferecer. Desenvolvedores, game designers, empresas e todo tipo de artista investindo em criar jogos cada vez mais originais e divertidos, alguns nos mostrando que os jogos são uma expansão de algum universo conhecido da cultura pop (hoje em dia temos jogos com temáticas que vão de Star Wars até My Hero Academia!), franquias sendo criadas dentro desses jogos, eventos gigantescos dedicados exclusivamente a eles.

Jogo My Hero Academia: The Card Game, da SHINOBI7.
Spiel 2019 em Essen na Alemanha, o maior evento de jogos analógicos do mundo.

O maior evento do mundo é o Spiel em Essen, e só em 2019 recebeu mais de 200 mil pessoas e mais de 1200 expositores, entre eles game designers, editoras e produtores independentes de mais de 50 países diferentes! É um evento de 86 mil metros quadrados abrigando toda essa galera reunida com o intuito de divulgar seus trabalhos e, claro, para jogar os clássicos e as novidades. O Japão não fica de fora desses números e tem sua cota de representatividade tanto nesse evento, quanto no país em que a cada ano se torna cada vez mais comum lojas especializadas e Board Games Cafés surgindo em todos os lugares. A popularidade é tanta que temos até mesmo um anime dedicado a isso! Então vamos a ele!

 

 

 

Em ordem as dubladoras Marika Kouno, Miyu Tomita, Saki Miyashita e Mao Ichimichi, esta última dubla uma nova personagem que surge mais para frente na história.

After School Dice Club (Hokago Saikoro Club) conta a história de Miki Takekasa (dublada por Saki Miyashita), uma colegial introvertida que não costuma socializar com seus colegas de classe. Ela tem um desejo de descobrir o que “se divertir” realmente significa e, um dia após a aula, ela encontra por acaso uma colega de classe chamada Aya Takayashiki (dublada por Marika Kouno). Com sua personalidade alegre, ela conduz Miki a conhecer maravilhas que ela nunca havia experimentado! No caminho para casa, elas veem a representante de classe Midori Ono (dublada por Miyu Tomita) entrando em uma loja chamada Saikoro Club, especializada em jogos de tabuleiro, e após tentar jogar uma partida, a amizade entre elas surge e Miki descobre que esse pode ser o caminho para que sua pergunta seja respondida.

As personagens jogando Conquistadores de Catan.

Assistir essa série me trouxe sentimentos nostálgicos de quando comecei a me interessar mais a fundo pelo hobby. Lá pelo final de 2014, um amigo me apresentou o jogo Conquistadores de Catan e daí pra frente o amor pelos jogos só foi aumentando e se mantendo até hoje. Nunca tive o sentimento da nossa protagonista de ter dificuldades para achar uma fonte de diversão, mas pude me identificar demais com esse sentimento de descoberta, de que algo novo e incrível está aparecendo diante dos seus olhos, um novo mundo, um novo universo!

Dice Club (vamos chamar assim para abreviar) em um aspecto técnico faz isso de forma muito interessante, cada jogo que vocês verem sendo apresentado durante a série, são todos jogos reais! Alguns deles inclusive eu já tive o prazer de jogar e/ou ter na minha coleção! Então seja você alguém engajado no hobby ou alguém passando a conhecer agora, cada jogo ali você pode perfeitamente pesquisar pelo título e será capaz de achá-lo para comprar. Não só isso, ele se preocupa em detalhar coisas como a origem dos jogos, citar alguns criadores famosos e outras informações que mostram que o autor do mangá que originou o anime, Hiro Nakamichi, ou estudou bastante sobre o assunto, ou é um praticante do hobby. Isso é uma excelente forma de divulgação. É até engraçado que uma reação comum que eu tive durante todos os 12 episódios que compõem a série foi “tanto jogo ali pra jogar e é logo esse que escolhem?!”, mas nada em Dice Club é à toa.

Não é de hoje que temos animes cujo intuito é vender algum jogo/brinquedo, aliás, é quase pra isso que a maioria dos animes existem, não é mesmo? Com certeza a maioria das pessoas vai saber do que se trata se Yu-Gi-Oh! for mencionado, mesmo já estando a uns bons anos fora das manhãs da televisão e até de canais de TV por assinatura (entretanto disponível oficialmente no Netflix e as temporadas seguintes na Crunchyroll, fica a dica!). Temos derivado do anime o exato Card Game jogado por lá e acompanhávamos semanalmente as aventuras do menino Yugi jogando esse jogo super descolado e interessante.

 

Coleções novas de Yu-Gi-Oh! continuam sendo lançadas até hoje. Essa é a linha Speed Duel lançada em 2019.

Dice Club não é nem de longe tão exagerado quanto Yu-Gi-Oh!, mas ele toma sua dose, digamos, ilustrativa para tornar mais interessantes os jogos escolhidos para cada episódio. Ao invés de tentar defender sua alma de ir para o Reino das Sombras, Dice Club usa os jogos como uma ferramenta para suas personagens lidarem com algo muito mais assustador: a vida real.

Por mais legal que seja um anime dedicado aos Jogos de tabuleiro, não seria nada interessante apenas partidas vazias de jogos diversos. Existe sim aqui e ali alguma representação visual mais caricata, como que representando a imaginação das personagens durante os jogos, mas Dice Club traz tópicos como relacionamentos familiares e amorosos, perspectiva e preocupações com o futuro, bullying, autoconfiança e autoestima. Tudo sempre bem ludicamente ilustrado através das partidas de jogos de tabuleiro, como por exemplo, fazendo uma das personagens lidar com o conturbado relacionamento que tem com o pai ausente em um jogo que exige cooperação, ou fazendo uma personagem ser mais autoconfiante e corajosa em um jogo que exige tomar grandes riscos para chegar ao seu objetivo. Não só isso, mas os jogos servem também como um vetor para ressaltar a personalidade delas, mostrando que todo mundo tem suas características mais marcantes e tem seus momentos de destaque. Alguns são melhores em jogos mais intuitivos, outros são mais compenetrados e observadores para jogos de estratégias e outros… Apenas gostam de se divertir. O importante é você ser quem você é e não ter medo de mostrar isso ao mundo. Dice Club faz tudo isso de forma super natural, te pegando de surpresa quando perceber o quanto você pode estar até emocionalmente envolvido, talvez até se identificando com aquelas personagens e seus dilemas.

Isso não se limita apenas ao desenvolvimento do anime e à construção de seus personagens. Por experiência própria posso afirmar, jogos de tabuleiro me proporcionaram não só horas de entretenimento e diversão, mas oportunidades para conhecer novas pessoas, algumas delas sendo meus amigos mais queridos até hoje, me permitiram perceber talentos que eu tinha e nem mesmo sabia e expandiram meus horizontes.

Midori Ono, a protagonista Miki Takekasa e Aya Takayashiki.

Outro ponto importante a se destacar sobre Dice Club é a escolha do elenco. Apenas meninas. Já vou deixar claro que nem de longe quero me meter em algo que não me diz respeito, mas acho importante que isso seja posto em pauta. Jogos de tabuleiro ainda têm em seu cenário uma certa “dominância” do público masculino. Diversos canais, sites, blogs e etc são conduzidos por homens. Claro, existe sim uma enorme participação das mulheres no meio, de jogadoras a desenvolvedoras de jogos e isso cresce cada vez mais, porém ainda existe um pouco da estigma, erradíssima, de “boys toys”. Ainda é preciso de incentivos para eventos como o Lady Ludica, que acontece aqui no Rio de Janeiro, que é um evento exclusivo para as que mulheres tenham oportunidade e espaço para curtir o hobby, que é para todos. Acredito que já diz muito sobre isso. Sendo assim, ver um anime com essa temática sendo conduzido por um grupo de garotas (a participação dos homens no decorrer da série é bem pequena mesmo) é, no mínimo, inspirador e revigorante para o hobby.

After School Dice Club pode, infelizmente, ficar um pouco no anonimato e ofuscado por outros grandes títulos da temporada e das futuras que virão, também por ele não estar disponível oficialmente no catalogo da Crunchyroll, convenhamos também que o traço das personagens no anime é um pouco genérico, mas isso não quer dizer que essa série deva ser subestimada! Pessoalmente torço bastante que uma 2ª temporada venha! Além de curtir um anime slice of life com temática diferente da que temos por aí, vocês ainda podem se emocionar com essas personagens, suas histórias e, quem sabe, descobrir o interesse por um novo hobby.

 

Revisão: Karin Cavalcante.