Crítica – Danna ga Nani wo Itteiru ka Wakaranai Ken

Nome Original: 旦那が何を言っているかわからない件

País: Japão

Ano: 2014

Duração: 3 min por episódio

Episódios: 13

Diretor: Nagai Shinpei

Estúdio: Seven

*Esta crítica não apresenta spoilers e não leva em conta o produto original (mangá).

Acredite, a vida de um homem viciado em mangás/animes e de uma mulher comum (trabalhadora de escritório e que bebe socialmente) pode ser muito mais engraçada do que você imagina. E Danna ga Nani wo Itteiru ka Wakaranai Ken é a prova viva disso.

A história foca no cotidiano de Kaoru, uma assalariada de 25 anos, e seu marido Hajime, um otaku sem amigos que trabalha em casa escrevendo reviews de animes para seu blog – e assim ganha a vida -. Os recém-casados partilham de uma química hilária e extremamente satisfatória de tão opostos que são seus gostos, tornando-os um par impossível ao olhar de muitos. Ver a mulher indiferente ou confusa à maioria das emocionantes frases do marido em relação às animações que tanto preza (cenas essas que nos fazem, no mínimo, sorrir com o canto da boca ao apresentar comédia de corte rápido) torna os três minutos de cada episódio muito mais ligeiros do que o esperado. E ao final deles, acredite, você não será capaz de dizer que eles não são perfeitos um para o outro.

Há, também, outros personagens que compõem o dia a dia do casal e exercem papéis tão engraçados quanto os feitos pela dupla. Em especial, o maravilhoso irmão mais novo do protagonista, um colegial cross-dresser que desenha mangás yaoi (séries de conteúdo homossexual entre homens) e lança na internet. Sem dúvida a figura mais engraçada de todo o anime.

Com o estúdio Seven por trás da animação comum (já conhecido por produzir diversões de duração reduzida) e Nagai Shinpei em cargo da direção, é importante relevar que esse foi o terceiro trabalho dele como diretor – antes, havia exercido a profissão em Hime Dorei, um hentai de dois episódios, e Inugami-san to Nekoyama-san, outra comédia curta -. Competente nesta área ou não, é sabido que Nagai não dirigiu mais nada desde então.

Com humor ácido que me fez gargalhar do primeiro ao último episódio (literalmente) e referências muito bem encaixadas, Danna ga Nani wo Itteiru ka Wakaranai Ken não traz nenhuma inovação ou premissa dramática, mas cumpre seu único propósito com maestria: fazer o público rir. Uma série que pode ser vista em menos de uma hora e que trouxe diversão garantida à última season de 2014. O melhor anime que já assisti do gênero.

Ah, e não posso me esquecer de dizer que a tradução do nome significa “Eu Não Consigo Entender O Que Meu Marido Está Dizendo”. Isso, por si só, já diz muito sobre a obra.

Nota: 8,0.

*Texto escrito por Felipe Vital e retirado do blog Crítica Cinza.

Estudante do terceiro ano de Jornalismo no Centro Universitário de São José do Rio Preto - UNIRP e apaixonado por animações. Além de entusiasta na área de cartoons e animes desde 2009, resolveu se aventurar pelo mundo da especialização em crítica às animações de todas as formas. Dono do blog Crítica Cinza, Estagiário da Rádio Jovem Pan - Catanduva e apresentador/criador do Luz, Câmera, Som na Rádio UNIRP.