Sengoku Night Blood – Primeiras impressões

O Primeiro Episódio

Um dia, uma misteriosa luz começa a emanar repentinamente do celular de Yuzuki, envolvendo-a e levando-a para um lugar desconhecido. O cenário que se revela diante dela lembra um pouco o Japão da era Sengoku… Mas este é o Shinga – um outro mundo onde vivem também criaturas inumanas, tais como vampiros e lobisomens. Com Yakuma começam a aparecer em números cada vez maiores, os comandantes tocados pelos poderes de Yuzuki lutam para proteger e para conquistar. Vem aí uma nova história em meio a uma guerra de outro mundo…

>> Confira nossas primeiras impressões de outros animes dessa temporada no Guia de Primeiras Impressões dos ANIMES DE OUTONO 2017

Nossas impressões

Paulo “GraveHeart”
Nota: 1,0 / (escala de 1 a 5)

Baseado em um jogo, o primeiro episódio de Sengoku Night Blood se preocupou muito mais em apresentar todos os diversos personagens masculinos do que criar um episódio que apresente tanto o mundo para o qual a protagonista é apresentada quanto o contexto de todas as interações entre os personagens. São praticamente 20 minutos em que você ouve um monte de nomes, mas não sabe exatamente quem são, o que querem, como se relacionam, etc.

Sobre o pouco do que somos mostrados da história, me parece que alguém em algum ponto pensou “OK, acho que já contaram todas as histórias possíveis da era Sengoku, mas e se adicionássemos personagens bishonen? E vampiros? E lobisomens? E criaturas místicas? E uma protagonista comum para que as fãs possam se identificar?”. Não conheço o jogo, mas pelo que o anime mostra, não é dificil supor que a idéia original nasceu assim.

Para quem já conhece o universo do jogo (ou pelo menos sabe algo dos conflitos da era Sengoku) o anime de Sengoku Night Blood pode até ser interessante. Pra mim, é completamente passável. Me lembrou um Crepúsculo mais complexo.

 

    Textos publicados por vários autores