Juni Taisen: Zodiac War – Primeiras Impressões

O Primeiro Episódio

O 12º Torneio dos Doze, que é realizado a cada doze anos… Doze bravos guerreiros que ostentam os nomes do zodíaco chInês se enfrentam em batalhas de vida ou morte. Quem será o sobrevivente final?

>> Confira nossas primeiras impressões de outros animes dessa temporada no Guia de Primeiras Impressões dos ANIMES DE OUTONO 2017

Nossas impressões

Paulo “GraveHeart”
Nota: 3 / (escala de 1 a 5)

Já assistiu Battle Royale? Ou Basilisk? Ou praticamente qualquer mangá/anime/filme em que pessoas precisam lutar entre si num combate entre a vida e a morte? Então você já viu Juni Taisen. O primeiro episódio foca em mostrar a história de uma das combatentes, assim como também apresentar rapidamente os outros onze, junto com as regras básicas do torneio.

Mas, honestamente, não é preciso ser um gênio para saber onde o roteiro nos leva: personagens estilosos, poderes absurdos, reviravoltas nas batalhas e sangue, muito sangue. Tipo, muito sangue mesmo. O anime deixa claro que o foco é chocar pela violência nas cenas. É ruim? Não se é isso o que você espera. Mas pelo menos no que o primeiro episódio apresenta, não há nada que a gente já não tenha visto em outras obras.


Wesley – Equipe Troca Equivalente
Nota: 2 / (escala de 1 a 5)

Indo direto ao ponto,  achei que esse anime e foi uma junção de Battle Royale com Overwatch.  Basicamente, temos guerreiros que representam signos do Zodíaco e por algum motivo estranho tem que lutar entre si para ter o desejo concedido.

Se você puder relevar o começo, temos um anime de luta em que vários guerreiros têm poderes diferentes. Cada lutador do Zodíaco acaba sendo especializado em um tipo de combate e usam essas habilidades para derrotar os outros.

Ao contrário dos meus amigos que me recomendaram o anime, não fiquei muito impressionado, pois eu tive a sensação de dejavu. A trama é similar a vários outros animes do gênero.

Não acho que esse anime tem características muito singulares e por causa disso acho que não fiquei muito impressionado. Por outro lado, acho que deve ser um bom passatempo se você não quiser pensar muito.


Wagner “Troca Equivalente”
Nota: 2 / (escala de 1 a 5)

Não entendi todo o “auê” em cima desse anime, o visual dos personagens é esdrúxulo, a ambientação é genérica e o mais importante de tudo, a história é cópia de várias outras obras de sucesso com essa temática “se matem e o que sobrar vai ganhar algo massa”. Vale se você está procurando uma desenho de ação pra desligar o cérebro e assistir enquanto faz alguma outra coisa.

    Textos publicados por vários autores