Made in Abyss – Primeiras Impressões

O Primeiro Episódio

Riko é uma menina órfã que mora em uma cidade a beira de um abismo conhecido como Abyss, repleto de relíquias, criaturas fantásticas e vários outros segredos inexplorados. Ela e outras crianças do orfanato estão estudando e treinando para serem “Exploradores de Cavernas”, como muitos na cidade. Durante uma exploração-treino, Riko é salva por um menino com braços robóticos chamado Regu e acredita estar chegando mais próxima de ser a primeira a descobrir os mistérios que existem no fundo do Abyss.

>> Confira nossas primeiras impressões de outros animes dessa temporada no Guia de Primeiras Impressões dos ANIMES DE VERÃO 2017

Nossas impressões

Diogo Prado

Nota: 5

Uau… simplesmente UAU! Que estreia foi essa?

Made in Abyss tinha me agradado com seus previews mas eu não esperava que iria entregar tanto quanto entregou nesse primeiro episódio. Começo destacando a qualidade artística do projeto. O diretor de arte, Osamu Masayama, trabalhou em diversos filmes do Ghibli (como A Viagem de Chihiro, O Castelo Animado, dentro outros), além do recente Your Name (aka Kimi no na wa), de Makoto Shinkai, antes de assumir aqui pela primeira vez o cargo chefe. Sua experiência e competência transbordam ao acompanharmos o lindo mundo criado por ele (e sua equipe, claro) nesse primeiro episódio. A ambientação é rica e detalhada e as cenas abertas são de tirar o fôlego.

Mas outra coisa que também me chamou a atenção nesse primeiro episódio foi a mixagem de som. Um trabalho com qualidade cinematográfica chefiado pelo Diretor de Som Yo Yamada, que também trabalhou recentemente com Masayama em Your Name. Assisti ao episódio com fones de ouvido e em diversos momentos me via completamente imerso nas cenas, achando, por vezes, que estavam falando comigo na minha casa quando, na verdade, era dentro da cena. Trabalho IMPECÁVEL. Além é claro dos diversos efeitos sonoros que ganham uma atenção que raramente recebem.

E já que decidi cuspir alguns nomes da produção aqui, não posso deixar de mencionar o diretor do anime, Masayuki Kojima. Um veterano da indústria com uma vasto trabalho em storyboard, chegou a dirigir algumas séries antes dessa. Inclusive duas adaptações de obras do Naoki Urasawa, Monster e Master Keaton. E agora, em Made in Abyss, entregou um primeiro episódio sólido onde conhecemos o mundo em que a história se passa e somos apresentados aos personagens com uma naturalidade que poucos conseguem implementar. Como acho que já deixei claro aqui, storytelling de nível cinematográfico, empregando pouquíssima exposição. Nós vamos aprendendo sobre as coisas pouco a pouco, pelo que os personagens falam, pela dinâmica entre eles e observando as coisas ao seu redor. Seja na escolha de design da sala de aula, nas conversas que Riko tem com os amigos e com o Líder. Tudo parece ter sido colocado ali para nos dar alguma ideia de como as coisas e as pessoas funcionam naquele lugar.

Uma proposta simples mas que é tão bem conduzida que me lembra que ainda é possível eu me surpreender com animes. Um começo empolgante com uma perseguição envolvendo monstros gigantes, seguido de uma apresentação de elenco e mundo sutil e bem colocada, fechando com um chamado para a aventura e o nascimento de um “mistério” que empolga e nos dá vontade de ver mais. Não consigo pensar em nenhum ponto negativo para esse primeiro episódio.

Estou realmente ansioso para ver o que Made in Abyss tem preparado para nós. Não conheço o mangá original, então pra mim está sendo tudo novo. E apesar de ter sido meu primeiro contato com a obra, já estou investido em seu mundo e querendo saber mais sobre como as coisas funcionam por ali. Nota máxima pra esse primeiro episódio e torço para que se mantenha assim no decorrer da série. E já me desculpo de antemão se elevei demais o hype de vocês.

    Textos publicados por vários autores