Great Teacher Onizuka (GTO) – 1º ed. NewPOP editora

Uma das obras mais nostálgicas e amadas do público brasileiro chegou com tudo ao Brasil pelas mãos da NewPOP Editora. Confira a resenha sobre o primeiro volume de Great Teacher Onizuka aqui no Portal Gekidama! 

Durante o lançamento do mangá GTO tive a oportunidade de receber um exemplar de uma magnífica obra: Great Teacher Onizuka, de Toru Fujisawa. O mangá foi publicado originalmente na revista Shounen Magazine, de 1996 até 2002, mas só chegou ao Brasil em 2017 pela NewPOP Editora.

A história é sobre Eikichi Onizuka, um jovem de 22 anos que decide se tornar professor, inicialmente pelos motivos errados. Mas com este trabalho Onizuka descobre sua verdadeira vocação: transformar a escola num lugar divertido. O problema é que Onizuka está sempre se metendo em confusões e sendo responsável pelos alunos mais problemáticos. Sendo ele mesmo muito problemático e polêmico, o resultado das suas ações são as palhaçadas mais absurdas e, para cada boa ação, Onizuka consegue cometer o dobro de erros e se enfiar nas situações mais ridículas por pura falta de noção.

imagem da página da versão brasileira do mangá

O primeiro volume narra também os acontecimentos antes de Onizuca tornar-se professor.

O primeiro volume se apresenta como uma obra de grande potencial, com  um humor característico dos anos 90, nostálgico para muitos, que se mescla com situações surreais e ao mesmo tempo aborda questões sérias sem perder sua essência cômica, divertindo o leitor do começo ao fim. Não se trata apenas de uma obra cheia de piadas sem contexto, mas de uma experiência completa, que transmite uma critica social da época, que é encontrada até os dias atuais, como bullying, desvalorização do professor na sala de aula e relacionamentos.

Os personagens são muito carismáticos, principalmente o protagonista que neste primeiro volume se assemelha mais a um anti-herói. Mesmo assim, Onizuka acaba  nos cativando, pois, apesar de ser inconsequente, ainda transmite uma “inocência”, acreditando em todos aos seu redor.

imagem do nosso querido protagonista ainda na sua fase “badboy”

A arte é caprichosa e extremamente detalhada, mas não o suficiente para ser confusa, é agradável de se olhar. Toru Fujisawa soube equilibrar seu traço para não ficar poluído nem vazio, ótimo quando se trata de caretas, importantíssimo quando se trata de uma obra com teor cômico.  É um estilo de desenho bem datado dos anos 90 , de fato, mas consegue muito bem conversar com os tempos atuais. No entanto, seu traço peca na construção de alguns caracters design femininos, pois se não fosse pela grande diferença dos penteados o leitor provavelmente confundiria os gêneros.

A edição da NewPOP ficou realmente bonita, principalmente sua parte gráfica, visto desde o papel utilizado, uma versão diferenciada de alta gramatura, passando pelo seu acabamento e finalizando até sua sobrecapa, com certeza um toque a mais na edição brasileira.  Outro diferencial da nossa edição é o miolo do mangá que está costurado ao invés de somente colado, que ajuda evitar a queda das páginas.

imagem do nosso querido protagonista depois de sua fase “badboy”

#Dica: na compra da assinatura direto com a editora ou na loja especializada Anime Hunter em São Paulo na Av. da Liberdade 363 3º andar loja 310, o leitor ganha um postal exclusivo. Serão ao todo 25 postais colecionáveis diferentes, cada um acompanhando um dos volumes da série!

Sem dúvidas a NewPOP editora acertou trazendo um título desse porte para o Brasil, a obra proporciona ao leitor uma experiência única e indico para todos.

A versão anime e live action estão disponíveis em português e de forma legal pelo Crunchyroll.

    Técnica em comunicação visual, 20 anos, mora em São Paulo. Desde
    criança conviveu com animes na sua vida, mas só se interessou mais a fundo na 7ª serie do fundamental e está até hoje presente em sua vida. Fangirl de shoujo, animações clássicas e psicodélicas, também é fã de carteirinha de Evangelion e Noragami.
    Twitter: @KarolFacaia