Tsugumomo – Primeiras Impressões

O PRIMEIRO EPISÓDIO

Kazuya Kagami é um colegial comum que mora sozinho com sua irmã mais velha. Ele sempre está acompanhado de um obi (faixa japonesa) deixado por sua falecida mãe e é justamente isso que o salva quando uma estranha criatura o ataca. O obi na verdade é uma garota chamada Kiriha, uma criatura mágica que o acompanha desde a infância, mesmo que o garoto não lembre muito bem disso.

>> Confira nossas primeiras impressões de outros animes dessa temporada no Guia de Primeiras Impressões dos ANIMES DE PRIMAVERA 2017 <<

NOSSAS IMPRESSÕES

Denys Almeida – Gyabbo!

Nota: 3

“Clichê” talvez seja a palavra mais útil para definir Tsugumomo em um primeiro momento. A história de um garoto que descobre perto de morrer que algo próximo dele possui capacidades especiais/sobrenaturais/mágicas – claro que na forma de uma garotinha desinibida e raivosa – não é nenhuma novidade para quem assistiu  a pelo menos meia dúzia de animes. Ainda sim, é inegável o alto nível de qualidade técnica nessa obra do estúdio Zero-G.

Sem enrolações, rápido nas apresentações dos personagens e da lógica sobrenatural da série, Tsugumomo agrada justamente por fazer um feijão com arroz caprichado, apostando alto em uma boa animação, deixando muitos animes shounen com inveja das cenas de ação, e num visual colorido, alegre e divertido, algo que resulta fácil em uma comédia leve que facilmente agradará ao público que busca algo com menos pretensão.

Como contrapontos mais sérios apenas as desnecessárias cenas ecchi, notadamente mal encaixadas, presentes praticamente para cumprir a cota obrigatória desse tipo de obra. Nesse quesito, o character design mais infantilizado pesa fortemente contra, ainda que na obra original isso fosse ainda pior.

    Textos publicados por vários autores