Shuumatsu nani shitemasuka? Isogashii desuka? Sukutte moratte ii desuka? – Primeiras Impressões

O Primeiro Episódio

Este mundo foi atacado por monstros desconhecidos chamados de “feras,” e muitas das espécies do mundo, incluindo os humanos, foram extintas. As poucas espécies que conseguiram sobreviver deixaram a superfície e foram morar numa ilha flutuante chamada Regal Ele. Willem Kumesh acorda sobre as nuvens, 500 anos depois de falhar em proteger aqueles que ama. Na verdade, ele está desesperado pois é o único sobrevivente. Ele acaba se encontrando com um grupo de garotas e aceita um inesperado emprego como gerente de armas.

>> Confira nossas primeiras impressões de outros animes dessa temporada no Guia de Primeiras Impressões dos ANIMES DE PRIMAVERA 2017

Nossas impressões

Denys Almeida – Gyabbo!

Nota: 3

Shuumatsu nani shitemasuka? Isogashii desuka? Sukutte moratte ii desuka? era um dos animes mais difíceis de avaliar antes de sua estreia. Apesar de apresentar uma sinopse interessante, uma mistura agridoce de drama e fantasia com o dia a dia familiar entre pessoas isoladas social e historicamente, seu primeiro trailer com filmagens aleatórias com uma modelo de carne e osso não passava confiança. Normalmente esse tipo de coisa implica atrasos ou problemas na produção.

Quando de sua estreia o que se viu ainda não nos permite cravar nem que sim, nem que não. O mundo de fantasia com pitadas de racismo, o mistério das garotas e do passado do protagonista, tudo está lá, ainda que nada seja realmente explicado. Em alguns momentos a impressão de controle da direção se perde, parecendo um pouco de enrolação. Em outros tudo flui bem e você vai se envolvendo com aquelas personagens (exceção feita à troll peituda, totalmente desnecessária e deslocada).

Minha segunda maior aposta para essa temporada (atrás apenas do ótimo começo de Tsuki ga Kirei), SukaSuka não foi tão bom quanto eu esperava, mas deixou a vontade de continuar acompanhando essa curiosa história de fantasia.


Wagner – Troca Equivalente

Nota: 3

Desconforto é a palavra que define a sensação que os protagonistas de SukaSuka sentem ao longo de todo primeiro episódio. E o anime trabalha muito bem isso, tudo parece ótimo, tudo parece lindo, o romance está no ar, mas tem algo estranho com aquele mundo e isso fica visível.

Gostei muito de ficar tentando entender o porque daqueles personagens estarem sendo hostilizados, afinal o que aconteceu ou está acontecendo naquele lugar? Claro que essas respostas só teremos 100% esclarecidas com o decorrer da história, mas um anime que tenta instigar o espectador sempre ganha pontos comigo.

Tirando essas questões não tivemos muitas coisas sendo exploradas, o episódio se ateve mesmo em criar mistérios e a abordar o começo da relação dos personagens principais. Acho que a química entre Willem e Chtholly funcionou, eles tiveram cenas bem bonitas, mas pouco foi apresentado do motivo dele reencontrar ela na missão que aceitou (ficou forçado).

Só não entendi direito ainda a função das crianças, o Willem precisa se mudar para cuidar de armas e a Chtholly diz que elas são as armas, isso foi bem vago e precisa ter uma explicação muito boa. O sucesso desse anime estará em atingir, e quem sabe superar, as expectativas criadas. Se as respostas forem superficiais ou bobas, ele perderá muito de sua força.


GraveHeart

Nota: 2

Shuumatsu é fraco. Muito fraco. Só não ganha nota 1 porque apesar de tudo eu não me senti pessoalmente ofendido pela trama ou pelos personagens, só… confuso. Baseado em uma novel que já conta com 5 volumes, o primeiro episódio do anime não faz muito para me apresentar ao mundo ou aos personagens, preferindo começar com uma sequência confusa que parece uma recapitulação de uma outra obra, seguido de uma sequência musical em que o protagonista passeia pela cidade, para só então avançar com a história que envolve Willem indo parar em uma ilha cheia de meninas e monstrinhas fofinhas.

A obra original pode até ser boa, mas o primeiro episódio faz muito pouco para me conquistar. Erros de direção tornam tudo bem confuso e chato no final. Sobre a animação, não há muito o que falar, é bem padrão.

    Textos publicados por vários autores