Tsuki ga Kirei – Primeiras Impressões

O Primeiro Episódio

Kotarou, membro do clube literário, deseja se tornar escritor. Akane é especialista em sprint no clube de atletismo. Eles se conhecem ao começar o nono ano, e, quando saem para jantar com suas famílias, acabam indo ao mesmo restaurante. Durante a preparação para o Festival de Esportes, eles têm que trabalhar juntos no grupo de equipamento, e aos poucos a presença de um acaba ficando mais forte para o outro.

>> Confira nossas primeiras impressões de outros animes dessa temporada no Guia de Primeiras Impressões dos ANIMES DE PRIMAVERA 2017

Nossas impressões

Denys Almeida – Gyabbo!

Nota: 4

Desde os primeiros momentos que comecei a ler sobre os animes da Temporada de Primavera 2017, Tsuki ga Kirei tornou-se uma das minhas grandes apostas. A obra parecia reunir muitos elementos dos quais eu sou fã: slice of life escolar, romance mais ingênuo, bom traço e um tom tranquilo para aproveitar tudo isso. Após seu primeiro episódio posso dizer com tranquilidade que acertei em cheio!

Tsuki ga Kirei mostrou-se a altura de suas expectativas, criando desde o início uma atmosfera aconchegante e cálida, seja com sua arte em tons pastéis ou com o ritmo calmo que o diretor Seiji Kishi imprimiu, assumindo o risco de parecer um tanto monótono para os mais desavisados. Reconheço que essa impressão aparece um pouco nos minutos iniciais, muito fruto do foco no contexto escolar que os personagens entravam ao invés de apresentá-los com mais calma. No entanto, ainda antes da primeira metade terminar tudo está bem arranjado e o romance pueril começa a se destacar como deveria.

Com um toque mais cotidiano, ainda que idealizado, o anime tem um tom bem nostálgico. Mesmo que a formas de declarar afeto no Brasil sejam muito diferentes das japonesas, é fácil se identificar com o relacionamento de Akane e Kotarou desde o início, levando-nos diretamente aos tempos mais simples do final da infância.

Facilmente a melhor estreia até o momento nessa temporada, Tsuki ga Kirei só precisa ter cuidado com o erro  de seu antecessor espirtual, Kimi ni Todoke, que não soube dosar bem o idealismo e a necessidade resoluções emocionais. Tratando-se de uma obra original, acredito que esse não será um problema e teremos uma ótima série para os mais românticos.

GraveHeart

Nota: 5

ISSO SIM é um primeiro episódio de respeito! Apresenta os personagens, mostra o ambiente, mostra o plot inicial e dá um gostinho de quero mais! Gostei de como eles apresentaram os personagens, principalmente a Akane, sempre com seu bichinho fofinho por perto para lidar com situações em que fica nervosa.

Tem lá seus probleminhas, principalmente na animação, mas não importa, porque no fim é tudo lindo, maravilhoso, fofo, adorei os dois personagens principais, estou vomitando arco-iris até agora e, bom, se mantiver nesse ritmo é forte candidato a “anime que vou assistir logo depois de deitar na cama para dormir com um sorriso bobo no rosto ao invés de chorando até apagar, como normalmente faço”

Recomendado.

 

    Textos publicados por vários autores